História Overheat - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece, Originais
Tags Comedia, Hentai, Luffy, One Piece, Sexo, Souma Mio, Yaoi, Yuri
Exibições 28
Palavras 2.190
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Esporte, Harem, Hentai, Luta, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Demorei, né? Pse, começei o cap no mesmo dia que postei o último e já tinha até a ideia do cap na cebeça, mas... Estava sem tempo. Estava, passado. Beijus minhas amoras e waifus <3

Ah! Estou achando os capitulos um pouco pequenos... Antes eu costumava achar mil e pouco suficiente. eu descia o capitulo e n demorava mt nem era mt rapido. mas ultimamente to achando meio pequeno... opinem amores.

Capítulo 4 - O Doce Mais Doce


Fanfic / Fanfiction Overheat - Capítulo 4 - O Doce Mais Doce

Mio observa um grupo de estudantes se formando ao redor para observar a briga e ficando cada vez mais impaciente entra no meio da briga, pondo as cartas no bolso do casaco do colégio. Com uma mão segura um soco, atrasando o ataque de um de “seus competidores”. O outro vendo vantagem tende á dar a volta por trás de Mio, que da um passo seguindo ele, agora ela está de frente pro mesmo segurando seu peito com a mão aberta, ambos se encaram. De repente ela sente sua mão esquerda ser segurada por uma mão quente e acolhedora. Os vários são altos. Ela cora bruscamente e sai do meio dos dois.

- Vocês não precisam brigar, eu… Posso dar atenção aos dois… Brigando assim por algo tão bobo, vocês já são crescidos e além do mais eu…- agora com a cabeça baixa ela cutucava seus dois polegares um no outro, falando baixinho por causa da vergonha, acabou fazendo uma voz fofa- Eu não gosto de causar confusão… Ou de quando alguém se machuca por minha causa,,,- Levantou a cabeça- A não ser que eu ache que mereça, ai então eu…- Já estava descontraída, levantando a mão em punho, mas parou ao perceber que ambos estavam corados- Seria… Por causa da minha descontração? Porque estão me encarando assim? Os meninos da multidão também… Vamos ver segundo clichês de anime, talvez eles pensem que sou uma tsundere? Foi por causa da minha timidez mais cedo? Deixa eu ver isso geralmente acontece quando:

-Eu ajo timidamente

-Quando sou decidida

-Quando me descontraio e socializo

-Quando eu to foda-se(nunca entendi esse, acho que eles gostam do tipo bag girl ou algo assim)

-Quando eu faço alguma coisa relacionada a atividades físicas…

Hm… Seria uma mistura dos números 1,2 e 5? Ah! Melhor eu ter cuidado, um passo falso e a coisa vai voltar a ser catastrófica. Melhor eu falar alguma coisa, ficar encarando também faz eles se sentirem atraídos.

Mio- Eu… Vou considerar seus sentimentos- Ela se curvou em respeito em respeito e levantou, mal deu um passo pra trás, sentiu uma mão lhe puxar, para perto de si. O garoto que havia levemente empurrado seu rival no amor, agora a segurava fortemente entre seus braços.

- Mas… Mio, você não é coisa boba… Por você vale a pena entrar em uma, duas, três brigas… Por que, eu te amo.

Pode-se ouvir uma onda de gritinho das meninas indo ao delírio. Então ele era do tipo bad boy impulsivo que no fundo é carinhoso e protetor… Ela não teve muito tempo pra ficar vermelha, enquanto pressionava a palma da mão contra o peito dele, mantendo uma distância, que devo dizer, era pequena. Ela foi puxada pelo outro garoto que também a abraçou, mas esse foi mais esperto e a abraçou de um modo que seus braços foram envolvidos junto com o tronco forte do rapaz.

-Seu cheiro me deixa louco. Eu te amo, Mio. Me escolha.- Dito isso Mio ficou sem jeito.

Mio- ….H-hm….. Eu…- A cada vez que abria a boca para tentar dizer algo ficava mais corada ainda até que um grito na multidão foi ouvido.

????- Se for para receber o amor de alguém receba o meu!

Então outro abriu a boca contestando e por assim foi adiante, até que Mio se achou rodeada por vários meninos tentando chegar nela e impedindo uns aos outros.

Mio- Desse jeito não dá, vou enlouquecer… O que eu faço, pra onde eu corro? Uma brecha… Só uma brecha na multidão.- Mio estava olhando para todos os lados quando de repente uma voz familiar lhe chamou a atenção entre todas as outras.

Kouga- Mio! - Sua voz rouca ecoou e no segundo seguinte Mio só pôde ver a multidão sendo aberta com tudo, o mesmo agarrou sua mão, enquanto sorria pra ela. Correndo, a puxando Mio começa a correr também, fugindo de todos os caras.

                                                                    * * * * * * * * * * * * * * *

 

O sinal do intervalo bate e os alunos são forçados a voltar para as salas. Agora a respiração de ambos era ofegante. Se encontravam agora no fino espaço entre a parede fria da biblioteca e a lisa madeira da estante da biblioteca.

Kouga- Acho que os despistamos…- Disse ainda lutando para recuperar o folego

Mio- Kouga…- Kouga então se tocou que ainda segurava a mão de Mio, que a apertava forte. O sentimento de fujir, segurando a mão de alguém, era estranho. A adrenalina de não ser pega e correr com tudo sem se importar com mais nada, sem pensar… Era estranhamente libertador, principalmente para quem estava perto de um colapso a pouco tempo atrás.

Kouga- Você está bem?

Mio O abraçou forte sem mais nem menos, o surpreendendo.

Kouga- Mio??- Corou levemente.

Mio- Baka! Por que demorou tanto?

Kouga- Retribuiu ao abraço lentamente com um braço e levou uma mão gentilmente até os sedosos cabelo de Mio, os acariando.- Desculpe…

Mio- Estava com medo…

Kouga- Tudo bem… Eu prometi não foi? Estou aqui agora…

Mio- Se afasta somente para o encarar sorrindo- Obrigada…- Um sorriso flagelo, mais sincero.- Ah! Merda, a aula!

Kouga- Vai se meter em problema?

Mio- Quem você pensa que eu sou?- Ego subindo*- Claro que eu já estudei técnicas de entrar na sala sem ser percebida pelo professor…- Sorriu como quem apronta e bastante.

Kouga suspira- Você não tem jeito não é?

Mio- Hihihihi… Tenho que ir, se cuide ok? Obrigada por vir para esse colégio…- Saiu correndo, mais antes de passar pela porta da biblioteca, virou e acenou levantando o braço e o sacudindo enquanto sorria, depois se virou e fechou a porta da biblioteca.

Já sozinho, Kouga riu sozinho- Como ela poderia ainda estar igual há antes…? como ela poderia ter mudado?

Mio deu a volta e foi até um dos jardins do colégio, subiu numa árvore e caminhou cuidadosamente sobre um dos galhos, quando um aluno a avistou, antes que o mesmo esboçasse alguma reação ela pôs o indicador em seus lábios, indicando silêncio, que o mesmo obedeceu, fazendo ela suspirar aliviada por dentro. Caminhou mais um pouco, já estava perto do fim do galho. Nesse momento toda a sala já sabia que ela estava lá e estavam segurando a risada quando o professor, que escrevia alguma coisa no quadro se virou para a sala e começou a explicar, oque fez Mio, quase que imediatamente se jogar, mas no galho, deitada sobre o galho sair da visão do professor

Mio- Essa foi por pouco… - Pensou mais não sabia se se referia a cair da árvore ou ser pega pelo professor

Assim que o professor se voltou para o quadro para continuar a explicação, Mio habilidosamente apoiou as mãos no galho e levantou as pernas com um pulo, logo depois levantando o tronco e correndo pelo fim do galho, pulou um vão de cerca de pouco mais de meio metro e acabou no parapeito do prédio, seus pés milagrosamente deram certinho no parapeito e ela, rapidamente abriu a janela e a pulou, a fechando e correndo pra cadeira se sentando com tudo, mas cuidadosamente. Tudo isso ocorreu em cerca de 6 segundos. Imaginem como o coração de Mio estava acelerado, muita adrenalina para pouco tempo.

A sala já deixava escapar uns murmurinhos de risos e outros já tampavam a boca, e Mio, pensando no ocorrido acabou rindo, desencadeando uma onda de risadas pela sala, que o professor teve dificuldade de controlar.

                                                                * * * * * * * * * * * * * * *

 

Luffy, Sabo e Ace chegaram em casa cansados… Primeiro dia de aula no ensino médio, com toda a correria que tiveram de manhã e a decepção, uma vez que como era esperado de um primeiro dia de aula normal, seria tudo enrolação com apresentações por parte de professores e alunos, nas quais se apresentam e falam brevemente sobre si, Coisas bobas como idade, futura profissão gostos e desgostos e etc… Alguns professores fazem dinâmica e outros simplesmente passam um índice sobre os assuntos e formato de notas durante o ano letivo que se seguiria.

Mas não dessa vez… Ensino médio está pra fuder com a vida de todo mundo: Você decide, sabendo que só pode escolher dois. Vida Social, Dormir ou boas notas. Você acha que finalmente está escapando do pesadelo de ir ao colégio, mas é tudo I-LU-SÃO. Conviva com isso, você só está sendo puxado, sugado para a parte mais funda do abismo. E não há volta meu amigo. Você só cai até chegar do outro lado de qualquer jeito. Por isso no primeiro dia de aula, eles já tinham assunto novo dado. Ou melhor… Uma revisão do que já deram até hoje. Só que mais profundo que antes. Oquê praticamente dava na mesma que assunto novo. Todos estavam exaustos, simplesmente pior nem mesmo terem começado o dia bem com toda a pressa na manhã, e ao longo do dia. Os ombros de Luffy estavam tensos. Oquê era aquilo no quadro, mais cedo? Fórmulas químicas dão medo… - Foi oque ele pensou assim que o professou começou a escrever no quadro as diferenças entre molécula e átomos, elétrons, neutróns e prótons, usando exemplos. De alguma forma na cabeça daquele maluco ele achava que dando o exemplo ia simplificar pra alguém. De que forma algo como aquilo poderia ajudar alguém a enteder algo como aquilo?!

Ace- Finalmente chegamos em casa…

Sabo- Hoje foi especialmente cansativo…

Ace- Até o Luffy que não para quieto está cansado

Sabo- Para você ter ideia

Ace folgando o nó da gravata do uniforme foi andando em direção ao seu quarto, ligando a Tv e o playstation. Desabotoou os primeiros botões da blusa, finalmente podendo respirar aliviado, foi até a geladeira bebendo um pouco de água e logo depois se jogou na poltrona acessando sua conta no play e escolhendo seu jogo. Então teve uma ideia.

Ace- Sabo, onde você está?

Sabo- Organizando as anotações da aula, e tentando gravar as coisas. Só eu que estudo nessa bagaça.

Ace- Ah!- Disse. A voz parecia vir da sala de jantar. Ace estava aliviado. Foi até a geladeira e reuniu a maioria de guloseimas e besteiras que conseguiu. Pôs sobre a mesinha que ficava na frente da poltrona que ele costumava se sentar para jogar.

-Yosh… Isso deve dar.

Saiu atrás de Luffy, que estava no quintal se espreguiçando, alongando ou algo do tipo.

-Creio que ele só saiu para tomar um ar fresco.

Luffy- Ah! Ace, oquê está fazendo aqui?- Disse ao se virar e perceber que Ace estava lá o encarando.

Ace- Ah! Como foi culpa minha termos acordado atrasados hoje eu pensei em te recompensar… Você quer comer?

Luffy- Em boa hora, minha barriga estava começando a roncar…- Disse na cara de pau acariciando a própria barriga, que Ace com certeza estava enfrentando problemas para não tocar agora.

Ace- Então vamos entrar

Um tempo havia se passado e Ace estava jogando vídeo game, com Luffy entre seus braços. Luffy se deliciava com todos os doces e salgados enquanto Ace, se concentrava em acertar a cabeça de dez inimigos sem perder nenhum tiro, ou seja, na faca ou na mira. Seus dedos e mente pareciam concentrados no jogo, mas cada vez que o mesmo possuía uma oportunidade deixava beijos, chupões e até mesmo mordidas no pescoço de Luffy e em áreas próximas, além de belisca-lo e apalpá-lo a vontade, sem nenhuma cara de pua. Uma hora, enquanto Ace passava de faze e o jogo carregava o próximo nível, Luffy se virou para ele.

- Ace…- O olhou com aquelas grandes orbes castanho brilhantes

Ace- Oquê?

Luffy- Por que está me mimando assim?- Disse, já que havia se segurado para não gemer durante as carícias do maior .

Ace abriu um sorriso malicioso, que foi, por sinal, muito bem discarado.- Por que somos irmãos… Você é meu irmãozinhio. Eu devia cuidar bem de você e te apertar, não é?- Falou devagar no ouvido de Luffy, quase sussurrando com uma voz rouca, que arrepiou Luffy.

Luffy pareceu por um momento um pouco pensativo, mas logo deixou para lá comendo o último chocolate.

-Ace… Obrigado pela comida. Eu já vou indo…

Ace- Espera!

Luffy- Mas a comida já acabou.

Ace- Eu tenho mais!…- Tarde demais ele já estava falando para o vazio

                                                             * * * * * * * * * * * * * * * *

 

O peitoral forte e definido de Sabo agora estava a mostra, estava somente de calças indo em direção ao banheiro com a toalha em seus ombros, quando se encontra com Luffy.

Sabo- Luffy! Já tomou banho?

Luffy- Estava indo agora… Pode usar o banheiro primeiro se quiser...

Sabo- Perfeito! Vamos fazer igual há antigamente…- Pegou Luffy e o empurrou para o banheiro.- Vamos tomar banho juntos.

Luffy- Não sei se é uma boa ideia…

Sabo- Você ta me devendo uma, uma vez que você me tratou mal quando comprei um lanche pra você- Disse inflando as bochechas.

Luffy- Mesmo? Então tudo bem… Desculpe por mais cedo. Eu acho.

Sabo- Tudo bem… Tire a roupa Luffy…- Disse enquanto abaixava suas calças.


Notas Finais


É isso ai. TIRE AS CALÇAS AMR. ndshdfurhtjbhrjbgfhhklt n liguem ksksk.
Agora um lição basica de português:
Mas- Porém ex:Tenho que parar de ler yaoi, mas não vai rolar;
Mais- Adição ex: Comi chocolate, mais morango mais vc <3
E é isso. Ainda pude me aproveitar de vcs leitores e dar uma paquerada em vouçes mfjejfhjwffnj(perigo alta mente malefica e pevertiva em risco de te atacar)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...