História Overnight ✈ - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Assassinato, Drama, Mistério, Romance, Suspense
Visualizações 7
Palavras 726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que gostem

Capítulo 1 - Uma nova oportunidade


Fanfic / Fanfiction Overnight ✈ - Capítulo 1 - Uma nova oportunidade

1- Longevidade da terra e toque das                 estrelas.

Já faziam 2 horas e nada de alcançarmos vôo, com este frio eu duvidaria se eu ficaria ou não esperando para voar naquele avião. ✈

"O vôo 189 está em um certo atraso para volta ao aeroporto, mas, logo estará em nossa propriedade novamente. Enquanto isso, teremos certos presentes aos nossos passageiros deste avião, só basta mostrar o cartão de embarque para qualquer atendente." Dizia a moça no interfone do aeroporto, não há nenhum presentinho que poderá comprar a minha viagem a Inglaterra, eu sei que isso pode ser um drama para alguns, mas, para mim essa é a minha chance de fazer o intercâmbio dos meus sonhos.

-Tori? Está tudo bem meu anjo?

-Sim mamãe, por que a pergunta? -Eu digo, amassando o copo de plástico que estava em minhas mãos. -Isso não é nada... -Eu respondo fingindo um sorriso de minha parte.

-Filha... Por favor, não minta para mim, eu te conheço mais que qualquer pessoa meu anjinho... Eu sei que você está preocupada, mas, tudo vai acabar bem acredite. Tudo vai melhorar assim que você entrar naquele avião, e eu sei que ele já vai chegar.

Eu deitei minha cabeça em seu ombro e ficamos esperando o avião, que chegou alguns minutos depois, assim chegando a hora de nossa despedida:

-Então é isso... -Eu disse sem saber mais o que dizer... Estava perdida naquele nosso momento.

-Não se esqueça de mim filha, eu sempre vou estar aqui... Me ligue quando chegar, ou quando precisar de algo...

-Claro mamãe, vai ficar tudo bem. -Eu disse em seu ouvido quando fui a abraçar. 

"Última chamada para o vôo 189." Dizia a voz no interfone novamente.

-É melhor eu ir... -Ela veio e me abraçou tão forte que pude sentir os nossos ossos se encostando literalmente. Eu amava minha mãe mais que tudo em minha vida, mas, eu sentia que devia partir que aquele não era mais meu mundo e também nunca mais seria. Éramos somente eu e minha mãe em casa, minha irmã mais velha Tara se mudou para Paris, assim que fez 18 anos porque, como ela tinha dito aquele não era o verdadeiro modo de vida dela, meu pai Lorenzo era um homem de "negócios", ou melhor, do próprio terrorismo, ele era chefe de uma máfia e claro que para nossa "segurança" treinava eu e Tara sempre para podermos nos defender dos inimigos que eram na verdade os inimigos dele, assim que eu tinha feito 14 anos papai se mandou de casa dizendo apenas isso a minha mãe: "Caterina cuide de nossas filhas, o máximo que puder... E tenham uma boa vida." Depois daquele dia nunca mais o vimos, Tara insistia indo atrás de mais ele nunca voltava, ele não queria mais ficar perto de nenhuma de nós, era como se trazíamos algum tipo de dor, sabe? Como se nunca tivéssemos lhe dado algum tipo de valor.

Quando fui ao meu assento no avião, eu vi que o garoto ao meu lado, ele era moreno alto e tinha os olhos verde oliva, ele estava lendo sobre pontos turísticos da Inglaterra, assim decide puxar um pouco de assunto:

-Qual seria o lugar mais interessante deste itinerário? -Eu perguntei super interessada, no conteúdo daquele pequeno livro.

-Não é da sua conta! -Ele disse muito grosso comigo, se fazendo de superior para cima de mim, coisa que pelo jeito ele não é.

-Não precisa ficar nervosinho, eu só queria fazer amizade! -Eu disse revirando os olhos e virando para a janela ao meu lado, dando um campo de visão de várias estrelas.

-Me desculpe... Não sou de falar com estranhos, principalmente em um avião. -Ele se dirigiu a mim.

-Percebe-se. -Eu disse ainda virada a janela, mas, ainda sentia o olhar penetrante dele sobre mim.

-Henrie Langford. -Ele disse estendendo a mão pra mim. Eu o encarei um pouco mais depois aceitei a mão.

-Torrey Díaz. -Ele continuou olhando pra mim, mas, com um sorriso agora gigante e brilhante no rosto. -Porque está me olhando deste jeito? -Eu pergunto sem entender.

-Porque você é tão bonita? 

-Claro você é cego... Não me admira ter me achado atraente. -Eu o arrancei uma gargalhada doce e serena.

-Se eu soubesse que você fosse tão legal, eu não teria sido tão chato com você...

Passamos as últimas horas conversando, ele realmente era uma pessoa muito legal, podemos ter nos... Odiado de cara, mas, pude ver que uma bela amizade estava por vir.






Notas Finais


Faz tempo que não público nada, mas, espero que gostem ❤✈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...