História Overtime - Os Senhores do Tempo - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Deuses, Ficção, Mitologia, Romance, Super Poderes, Tempo, Terror, Viagem No Tempo, Zumbis
Visualizações 33
Palavras 2.570
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Universo 341


Eu sentia que estávamos em outro universo, mesmo que Isabella não sentisse isso ela sentia algo estranho na atmosfera. As coisas começaram a ficar estranhas quando eu vi de uma distância razoável outra versão de mim mesmo, estava vestindo um terno e procurando por alguma coisa. 

 - Aquele é... você? - Isabella perguntou confusa.

 - Acho que viemos parar em um universo não tão diferente do nosso. - Eu respondi um tanto receoso.

 Me sentia estranho então sugeri que voltássemos para o nosso universo, apenas queria saber se aquilo funcionava e agora sabia que sim era o suficiente para mim mas Isabella queria conhecer aquele universo melhor, disse que queria saber o que se passava na minha cabeça. O eu daquele universo pareceu nos avistar de longe pois olhou em nossa direção e acenou e começou a vir em nossa direção.

 - Rápido, esconda seu rosto. - disse Isabella. 

 - Por quê? - Eu perguntei estranhando. 

 - Antes de termos que explicar para o outro Newer que viemos de um mundo paralelo eu quero ver onde vamos chegar com isso. - disse Isabella. 

 Eu tinha uma sensação de que poderia ser uma situação embaraçosa se aquele fosse o mundo que eu imaginava que fosse, o terno do outro Newer me deixava preocupado.

 Eu não queria parecer chato então subi o capuz de minha roupa e a sombra que formou cobria boa parte de meu rosto, embora eu achasse que a sombra tinha algo haver com Isabella para me ajudar a disfarçar melhor. Eu fiquei em silêncio vendo o outro Newer se aproximar de nós, ele pareceu me ignorar e foi direto de encontro com Isabella. Era uma sensação estranha ver uma versão de você mesmo tão próxima assim, era como olhar para você mesmo e ao mesmo tempo para uma pessoa diferente.

 - Isabella, o que você está fazendo aqui? Te procurei por todos os lados. - disse o outro Newer. 

 - Eu deveria estar em outro lugar? - Isabella perguntou se segurando para não rir. 

 - Não fala desse jeito, você sabe muito bem. - O outro Newer disse parecendo só perceber que eu estava ali agora.

 Ele se afastou de Isabella e me encarou como se estivesse me reconhecendo.

 - Quem é esse? - perguntou o Newer.

 - É meu amigo. - respondeu Isabella ainda contendo o riso. 

 O Newer alternativo apertou minha mão como cumprimento, apertou minha mão mais forte do que deveria. Eu tinha acabado de provocar ciúmes em mim mesmo, aquilo era estranho. Não perguntou nem o meu nome.

 - Ele vai estar lá? - perguntou o outro Newer.

 - Lá aonde? - Isabella conseguiu segurar um tom sério. 

 - No nosso casamento, onde mais seria? - disse o outro Newer.

 Isabella agora não conseguiu conter a risada e acabou rindo mais ainda do que devia.  Eu agora sabia em qual universo estávamos, no início do ano quando eu comecei a gostar de Isabella eu acidentalmente me imaginei tendo uma vida ao lado dela onde nós nos casariamos em algum momento e seríamos bem felizes, nunca imaginei que aquele pensamento realmente estivesse acontecendo em outro universo, de alguma forma eu conseguia me lembrar de todas as vezes que eu imaginava um universo alternativo. Me senti extremamente constrangido com aquilo, esperava que Isabella não soubesse daquilo. Mas ela estava rindo e parecia não conseguir parar, o outro Newer parecia não estar entendendo nada.

 - Você imaginou um universo onde nós casamos Newer? - perguntou Isabella olhando para mim ainda rindo.

 - Não , isso provavelmente é algo natural desse mundo. - Eu tentei disfarçar gaguejando. 

 Ela olhou para o outro Newer e depois para mim e conseguiu controlar a risada mas ainda com um sorriso no rosto, estava se divertindo com aquilo. 

 - Certo, vamos revelar tudo pra ele. Já vi o bastante. - disse Isabella retirando meu capuz ainda rindo um pouco.

 O outro Newer olhou para o meu rosto assustado, estava olhando para outra versão de si mesmo.

 - Você sou... eu? - Ele perguntou confuso.  

 - Pode se dizer que sim. - Eu respondi.

 Eu também estava assustado, mas estava mais tentando fazer Isabella esquecer aquilo e pedir pra voltarmos para o nosso universo mas ela estava se divertindo e parecia não querer voltar tão cedo. Isabella tentou explicar que eramos de outra dimensão para o Newer alternativo, estranhamente ele não ficou tão surpreso. Talvez ele tivesse as mesmas características que eu. Ele se desculpou comigo pelo jeito que se aproximou de Isabella, achou que também fossemos um casal mas Isabella logo o corrigiu, o que me deixou um pouco chateado.

 - Nós somos só amigos no nosso universo. - disse Isabella sorrindo. 

 O outro Newer se desculpou de novo, se sentiu tão desapontado quanto eu, de alguma forma estranha seus sentimentos estavam conectados aos meus, mesmo que superficialmente.

 - Podemos voltar para o nosso universo? - Eu perguntei um pouco constrangido com a situação. 

 - Não, eu quero me conhecer. - disse Isabella. 

 Na época em que imaginei aquele universo eu não conhecia Isabella direito e não sabia como era sua personalidade apesar de já estar apaixonado então eu imaginei ela com uma personalidade que eu esperava ser a dela, então isso poderia ser um problema.

 - Pode nos levar até ela? Ou melhor, até a mim mesma? - perguntou Isabella.

 Ela parecia estar se divertindo mais do que na nossa viagem ao passado, pelo menos daquela vez ninguém estava tentando nos capturar ou matar. 

 - Esse é o problema, eu não sei aonde a minha Isabella está. - respondeu o Newer interdimendional. 

 - Nós podemos ajudar, afinal eu meio que devo saber como ajudá-la... porque eu meio... que sou ela. - Isabella disse quase a frase toda com intervalos porque as coisas pareceram ficar um pouco confusas para ela. 

 - Certo, mas as pessoas não podem ver seus rostos, não vão levar tão na boa quanto eu o fato de serem de um universo alternativo. - disse Newer.

 Isabella concordou e retirou uma touca de seu bolso, não sabia porque ela guardava aquilo no bolso mas decidi não perguntar. Prendeu o cabelo e vestiu a touca, ainda se parecia com ela mesma mas dava pra disfarçar.

 - Estou reconhecível? - Ela perguntou olhando para mim.

 A verdade é que eu não conseguia me concentrar em seu disfarce, ela estava incrivelmente fofa com aquela touca, senti uma enorme vontade de beijá-la mas não poderia fazer isso então apenas disse que dava pra usar aquilo. Eu me disfarcei do mesmo jeito que antes e então nossa busca pela outra Isabella começou.

 - Onde você a viu pela última vez? - Isabella perguntou. 

 - Eu estava em casa e ela disse que estava indo se preparar para hoje a noite mas já está quase na hora do casamento e ela ainda não chegou. - explicou Newer com um tom de voz preocupado.

 Fiquei curioso quando ele disse que estava em casa, pelo jeito que falou não morava em um complexo para órfãos como eu, até porque ele não estava lá. 

 - Aonde é a sua casa? No meu universo a minha casa fica bem ali. - Eu disse apontando para o retiro religioso.

 Eu não disse que morava em um complexo para órfãos porque Isabella ainda não sabia disso e eu não queria fazer ela sentir pena de mim ou algo do tipo. 

 - Venham comigo, eu vou levar vocês lá. - disse o outro Newer.

 Enquanto nós o seguíamos eu percebi que o local era simplesmente igual ao nosso universo o que era um tanto decepcionante, eu gostaria de ter visitado um de meus universos distópicos para assim poder voltar o mais rápido possível para o universo original, eu apenas queria ver se era realmente possível visitar um mundo alternativo mas Isabella queria ir além disso e eu não poderia ir embora sem ela porque só eu conseguiria utilizar a máquina do tempo para atravessar dimensões. 

 - Eu esperava mais da sua imaginação. - disse Isabella percebendo que aquele mundo não era tão diferente do nosso. 

 - Existem vários outros mais criativos, podemos visitar eles depois. - Eu disse tentando parecer confiante. 

 - Eu adoraria. - respondeu Isabella. 

 Continuamos seguindo o Newer alternativo até chegarmos em uma casa grande que eu nunca tinha visto no universo principal, era a casa daquele Newer. Tinha um portão bem grande que dava acesso à uma espécie de mini-estrada que levava a porta principal, as paredes eram azuis e as janelas extravagantes. 

 - Qantas pessoas moram aí? - Perguntei automaticamente, nunca tinha morado em uma casa de verdade na dimensão principal.

 - Futuramente só eu e Isabella. Mas por enquanto os pais dela e seus irmãos também estão aí. - disse Newer.

 - Eu não tenho irmãos. Quer dizer, no meu universo. - disse Isabella.

 Eu me lembrei de que quando criei aquele universo imaginei que Isabella tivesse uma família feliz com pai, mãe e três irmãos e que viviam em harmonia, se a vida dela de verdade fosse o oposto disso ela ficaria triste por aquilo não ser a realidade dela então eu logo me preocupei imaginando o pior. 

 - Vamos nos preocupar apenas em procurar a Isabella desse universo. - Eu disse tentando não parecer nervoso.

 - Certo, ela disse que estaria aqui à duas horas atrás mas até agora não apareceu. - disse o outro Newer.

 Nós entramos na casa, ela era como eu imaginava, grande e com vários móveis e equipamentos eletrônicos. Tinha um garoto de cerca de oito anos na frente da televisão assistindo alguma coisa que eu não reconheci. 

 - Este é um dos irmãos dela. - disse Newer.

 - Sempre odiei ser filha única. - comentou Isabella. 

 Ainda não havia tido a oportunidade de conhecer Isabella melhor, talvez essa fosse uma chance pra isso se ela começasse a contar as coisas desse jeito para encontrarmos a outra versão dela, mas quando eu estava prestes a gostar da idéia de estar em outro universo Isabella pareceu resolver o caso.

 - Eu acho que sei onde ela está. - disse Isabella.

 - Onde? Como? - perguntou o outro Newer em polvorosa. 

 - Venham comigo.

 Nós a seguimos, apesar dos disfarces não tivemos que nos esconder de ninguém. Não foi difícil para ela encontrar o local que procurava já que a cidade era praticamente a mesma coisa que no nosso universo, nós caminhamos algum minuto até que chegamos a um riacho e vimos a outra Isabella sentada na frente dele olhando para as águas, era igual a Isabella principal o que me deixou um tanto nervoso por agora ter duas Isabellas perto de mim, foi mais estranho do que se encontrar comigo mesmo. A outra Isabella pareceu não notar nossa presença. O outro Newer estava prestes a ir até ela mas Isabella o segurou.

 - Deixa que eu falo com ela primeiro, porque eu meio que me conheço. - disse Isabella.

 Ele assentiu mas concordou com ela, então Isabella se aproximou dela mesmo, aquilo era um tanto estranho. Se sentou ao seu lado e pareceram estar conversando sobre alguma coisa, de algum modo a outra Isabella não se assustou ao ver sua réplica. Eu e o outro Newer acompanhávamos a conversa entre as duas de longe, mas não era possível ouvi-las. Ficaram naquilo por longos minutos, se aquela Isabella tinha a mesma personalidade do que a Isabella original ela sabia o que estava fazendo, depois de um tempo retornou para próximo de nós e disse para o outro Newer ir falar com ela. Ele foi e se sentou ao lado dela e começaram a conversar alguma coisa. 

 - Como sabia que ela estava aqui? - Eu perguntei.

 - É aqui que eu venho quando estou triste ou desapontada com alguma coisa. - Isabella respondeu.

 - E por que você está triste? Quero dizer, a outra você. - Eu disse me confundindo com as palavras.

 Isabella sorriu e apenas disse que eu não entenderia, de alguma forma ela sabia o que a outra Isabella sentia. As outras versões de nós mesmos devem ter ficado ali por horas, quando nós saímos do local eles pareceram trocar um longo beijo, me senti um pouco mal com aquilo pois queria que aqueles fossem nossos verdadeiros eus. 

 - Vamos voltar para o nosso universo. - disse Isabella enquanto entrávamos na máquina.

 - Não quer ver os outros universos alternativos? - Eu perguntei, eu agora queria ver os universos distópicos, desde que não extrapolassem o cúmulo da bizarrice.

 - Eu já vi o bastante. - respondeu Isabella sorrindo. 

 Eu não entendi o que ela quis dizer com aquilo mas apenas concordei e apertei os botões no painel que nos levaria para o nosso mundo. Após um longo minuto com o elevador parecendo estar indo para trás ele se abriu e estávamos de volta na sala secreta da biblioteca com Walter nos esperando, tínhamos ficado cerca de uma hora e meia na outra dimensão mas naquele mundo haviam se passado um simples minuto. 

 - Então, funciona? - perguntou Walter. 

 - Sim, nós visitamos um dos mundos criados por Newer, apesar de não ter sido um tão diferente. - respondeu Isabella. 

 - Ótimo. Então minha teoria sobre seus poderes estavam certas. - disse Walter. 

 - Que teoria? - Eu perguntei.

 - Que eles podem nos ajudar nas batalhas contra os deuses. - respondeu Walter. 

 Não entendi o que ele quis dizer mas esperava que ele estivesse certo, não queria ser o inútil nas batalhas.

 - Vejo vocês amanhã. - Se despediu Isabella saindo da sala para ir pra casa.

 Nós nos despedimos e Walter notou o jeito que eu olhava para ela como se me entendesse. 

 - Está apaixonado por ela, Newer? - perguntou Walter. 

 - Como deduziu isso?

 - Eu já fui adolescente, mas se quiser uma dica, é melhor tomar cuidado. - disse Walter.

 Não entendi o que ele quis dizer com tomar cuidado mas não fiz nenhum esforço pra tentar entender apenas gostaria de poder dizer o que sentia para Isabella, mas não sabia se ela sentia o mesmo por mim. Me despedi de Walter e voltei para o complexo já que no dia seguinte iríamos viajar no tempo de novo, perguntei para que ano iríamos mas ele disse que não queria estragar a surpresa então só me restava esperar o dia seguinte, aquele tempo depois da escola onde viajamos no tempo e voltávamos um minuto depois era a coisa mais bizarra, legal e estranha que havia me acontecido. Mas não podia deixar de achar uma coisa incrível, cheguei no complexo e desejei que o dia seguinte chegasse logo. 

 ****** Universo #341 ******

   Um portal se abriu no local perto da escola no universo criado por Newer, um ser de três metros saiu dali enquanto dois homens passavam perto do local pela madrugada. Sua roupa parecia ser composta por uma espécie de armadura metálica preta com detalhes azuis bem destacados, seu rosto era pálido e parecia estar sangrando, não tinha cabelo ao invés disso usava um capacete com um visor que tapava seu rosto. Os homens que ali estavam se assustaram e tentaram sair correndo com medo mas não conseguiam mover seus pés.

 Necropolis, o deus da morte olhou para eles e de forma súbita seus corpos se desintegraram restando somente seus esqueletos assustados que ficaram ali no meio da rua enquanto Necropolis desaparecia novamente.

 - Então existem outros universos, os outros deuses ficarão felizes em saber disso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...