História Owned - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Camren G!p, Lauren G!p
Exibições 1.080
Palavras 2.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Vamo lá! x

Capítulo 5 - Anonymous


 

Camila estava esperando do lado de fora de sua porta fechada quando o carro preto estacionou. Com as janelas escuras e um brilho impecável, ela não teve dúvidas de que era Lauren. Mas quando o motorista saiu do carro para pegar sua pouca bagagem, ela percebeu que a gangster não estava dentro do veículo.

 

- Boa demais para vir me buscar? - Ela murmurou enquanto pegava a caixa de viagem de seu gato. Do lado de dentro, Bones estava chorando em protesto.

 

- A Sr. Jauregui tinha negócios a resolver essa manhã. Ela a encontrará de tarde. - Camila revirou os olhos e tentou pegar uma mala, mas o motorista balançou a cabeça. - Não senhora. Você é hóspede dela. Não precisa carregar suas próprias malas.

 

- Não sou hóspede. Sou prisioneira. E sou perfeitamente capaz de carregar minha própria bagagem. - Ela soltou enquanto carregava a mala e o gato para dentro do carro. Sua garganta ficou apertada quando ela finalmente deslizou para dentro do banco traseiro junto com Bones. - Tudo ficará bem. - Ela sussurrou. Assim esperava.

 

- Caso não tenha comido essa manhã, o café lhe será fornecido. A Sr. Jauregui pediu para que você falasse com o cozinheiro sobre sua dieta enquanto nós preparamos o seu quarto. - O quarto dela? Isso significava que não precisaria ficar no mesmo quarto que Lauren? Isso era um alivio.

 

- O café da manhã não será necessário. - Ela respondendo silenciosamente. Com certeza ela não conseguiria comer nada hoje. Seu estômago estava todo revirado. Ela olhou para fora da janela enquanto ficava cada vez mais ansiosa. Mas quando ele parou em frente ao portão da mansão, ela ficou congelada de medo. Era isso. Ela estava lá. Esta seria sua cada durante o próximo ano. O motorista abriu a porta e a encarou.

 

- Senhorita?

 

- Certo. - Ela respirou fundo e tentou mover as pernas. Elas não responderam. - Deus.

 

- Caso a deixe mais confortável, senhorita, você pode caminhar pelo terreno enquanto descarrego suas malas. - Camila encarou o motorista. Ele era tão gentil. Seria ele um dos capangas de Lauren que ficava por aí quebrando pernas e atirando nas pessoas?

 

- Obrigada. - Ela disse enquanto finalmente descia do carro. - Mas não será necessário. Quero garantir que Bones fique o mais confortável possível. - Ela sabia que estava soando como uma lunática, mas Bones era seu bebê e sua única conexão com a vida que Lauren não poderia tocar durante o próximo ano. O motorista assentiu.

 

- Muito bem. Você pode seguir esses cavalheiros até o seu quarto. - Ela olhou para cima e viu três homens enormes pegando suas malas. Quando viu as tatuagens e músculos, soube que esses homens não era ajudantes comuns. Quando um dos homens ergueu a mão para fechar a mala do carro, Camila viu a blusa dele levantar e exibir a arma que ele guardava ali. Sua boca secou imediatamente. Pegando Bones, ela os seguiu até a mansão. Ela esperara encontrar uma mansão decorada demais e grotesca, mas todos os cômodos eram na verdade espaçosos e modernos. Era de bom gosto e limpo, e quase minimalista. Ainda assim, não ajudou em nada para aliviar seu pânico. Subindo a escada em caracol, ela passou por várias portas fechadas antes dos homens abrirem uma porta e levarem suas coisas para dentro. Seu coração despencou quando ela percebeu que o quarto já estava ocupado. A cama estava desfeita, roupas estavam no chão e havia uma essência masculina e almiscarada no ar. Havia uma porta do outro lado do cômodo que revelava um quarto secundário que continha um enorme closet, várias cadeiras e algumas estantes, uma televisão e uma grande janela. Quando os homens abaixaram suas malas e começaram a abri-las, ela correu até eles horrorizada.

 

- Não. Por favor. Eu desfaço as malas.

 

Um dos homens se ergueu e balançou a cabeça. - Elas precisam ser inspecionadas para o caso de armas.

 

Não havia um pingo de arrependimento ou desculpa em sua voz, e os homens continuaram a vasculhar suas coisas. Visto que ela não podia levar nenhuma roupa, suas coisas se consistiam basicamente em livros, cadernos, eletrônicos e artigos de higiene pessoal. Escondido no final de uma das malas estava sua roupa intima. Ela esperava conseguir trazê-las. Embora ela tenha jogado fora qualquer coisa remotamente sexy enquanto fazia a mala, ela tentou trazer seus sutiãs e roupas íntimas práticas. Elas foram imediatamente jogadas dentro de um saco plástico. Escondida debaixo da lingerie havia uma foto. Quando um dos homens pegou o resto de seus sutiãs, a foto caiu no chão. Ela arquejou quando o vidro da moldura quebrou. - Namorado?

 

 Um dos homens perguntou quando pegou a moldura. Ela se recusou a respondê-lo quando se esticou para pegá-la. - Você precisa ter cuidado com minhas coisas. Essa moldura era importante para mim - Ela disse com uma voz grossa enquanto tentava segurar o choro. O vidro quebrado bateu em seu dedo, e ela arfou e colocou o dedo sangrando dentro da boca.

 

- Vou arrumar um curativo. - O homem disse rudemente. - Já acabamos aqui de qualquer jeito. - Não houve desculpa por ter quebrado a moldura. Eles imediatamente a deixaram sozinha na suíte, e ela se enroscou no chão no meio de suas coisas. Segurado a foto perto de seu coração, ela se balançou para frente e para trás. Finalmente o choro de Bones penetrou seu estado de choque, e ela cuidadosamente colocou a moldura de volta na mala. Inclinando-se, ela abriu a caixinha de seu gato. Nove quilos de pelo preto saiu da caixa, procurando imediatamente um lugar para se esconder debaixo da cama. Ela se abaixou no chão e encarou seus olhos dourados. 

 

- Está tudo bem, Bones. Vou me acostumar a este lugar. - A porta do quarto se abriu e ela se levantou. O guarda lhe entregou um Band-Aid para seus dedos. Camila tentou sorrir.  - Obrigada.

 

-  Lauren estará de volta para o almoço. Você se juntará a ela. - Não foi um convite. Os olhos dele se demoraram sobre ela por tempo demais antes dele deixar o quarto. Ela chupou o dedo antes de enrolá-lo com o curativo. Com um suspiro, ela voltou para a suíte e começou a retirar as coisas de dentro da mala. Ela não tinha intenção de deixar nada com cara de lar. Ela apenas tiraria as coisas da mala de acordo com a necessidade. Camila também não tinha intenção de usufrui da hospitalidade dela. Ela fechou a porta para suíte e abriu a cortina para olhar do lado de fora. Ali em baixo, ela podia ver mais guardas patrulhando ao redor de uma brilhante piscina. À direta havia um lindo jardim ainda estourando em cores mesmo no final da primavera. Seus lábios se abriram em surpresa. Os terrenos eram lindos. Claro que eram. Lauren provavelmente tinha milhões. Ela queria exibir esse dinheiro por prestígio e classe. Zombando, ela fechou as cortinas e sentou-se no chão. Ela não aproveitaria nada daquela casa. Pegando seu diário, ela escreveu o pouco de informação que conseguira reunir naquela manhã. Muitas armas. Políticas restritas, nada ilegal ainda, mas não tinha dúvidas de que tropeçaria em alguma coisa muito em breve. Um pouco depois havia um guarda abrindo a porta.

 

- A Sr. Jauregui requisita sua presença na sala de jantar. - Camila deu um pulo e o encarou.

 

- Você sabe bater? - Ela chiou. Não haveria nenhuma privacidade enquanto ela estivesse ali? O guarda apenas deu um passo para o lado e esperou. Camila revirou os olhos e o seguiu para fora do quarto. Lauren estava sentada na ampla mesa de jantar com diversos pratos à sua frente. Ela não sorriu quando viu Camila, mas seus olhos recaíram sobre o Band-Aid em seu dedo. Camila se sentou o mais longe possível dela e a encarou.

 

- Como foi sua manhã? - Lauren perguntou suavemente enquanto se servia. 

 

- Inexpressivo. - Camila respondeu com frieza. - Como foi a sua manhã? Quebrou o braço de alguém hoje?

 

Lauren riu suavemente. - Coma. Não vou deixar você morrer de fome enquanto estiver aqui. - Surpreendentemente, seu estômago estava roncando. Ela descobriu o prato à sua frente e encarou a refeição. Tinha comida suficiente para duas pessoas. Com um suspiro, ela pegou um dos sanduíches e mordiscou. - Meus guardas me disseram que você tentou trazer algumas roupas para cá. Você tinha recebido ordens restritas para não trazer nenhuma roupa. Considere isso um aviso. Caso tente violar seu contrato de novo, levarei meu descontento até o seu pai.

 

- Não estava ciente de que calcinhas e sutiãs eram considerados vestuário. - Ela disse tentando esconder o medo em sua voz. Talvez você precisasse ser mais específica. - Lauren balançou a mão.

 

- Você sabia exatamente o que eu quis dizer. Você vestirá apenas o que eu quiser, e isso inclui sua roupa íntima. - Um pequeno sorriso cruzou o rosto da mais velha. - Talvez em vez de levar minha raiva até o seu pai, eu simplesmente a leve até você. Me desobedeça novamente e você vai usar apenas lingerie por aqui. - Ela corou e tentou recuperar o controle da situação antes dele ter mais brilhantes ideias.

 

- Seus guardas também o informaram de que quebraram uma coisa que era valiosa para mim?

 

- Nós vamos substitui-la. - Lauren disse numa voz despreocupada.

 

- Tinha valor sentimental. - Camila soltou. Ela parou e a encarou.

 

- A moldura ou a foto dentro dela? - Então Lauren sabia. Ela tentou manter a emoção longe de seu rosto. Ela não discutiria sobre a foto com Lauren.

 

- Isso não é da sua conta. - Por um momento, ela pensou que Lauren argumentaria com ela, mas ela simplesmente deu de ombros.

 

- Muito bem. Você já fez um tour pela minha casa?

 

- Não quero um tour pela sua casa. - Camila disse friamente. - Pretendo passar o mínimo tempo possível fora da minha suíte.

 

- Você quer dizer fora do meu quarto? - Lauren perguntou numa voz sedutora. Camila corou imediatamente.

 

- Não foi isso que quis dizer. - Ela disse numa voz fraca, mas não conseguiu olhar para cima e encará-la. Em vez disso, ela pegou o sanduíche e deu outra mordida. Lauren riu suavemente.

 

- Embora eu pretenda que você passe o máximo de tempo possível no meu quarto, você também precisará me entreter em outros lugares. Eu tenho uma vida social ativa, e você estará comigo em todos os momentos. Caso eu queira que você se junte a mim para um mergulho na piscina, você virá. E quando eu precisar que algum trabalho seja feito, você passar um tempo no meu escritório. Não há áreas restritas na minha mansão, mas se eu pegá-la na cama com outra pessoa, haverá consequências terríveis e sem aviso. Está entendido? 

 

- Tudo bem. - Camila murmurou. Ela não tinha nenhum desejo de dormir com nenhum dos guardas dela, de qualquer jeito.

 

- Isso também vale para a foto da pessoa que você está escondendo de mim. – Lauren disse suavemente. Ela sentiu seu coração apertar, mas olhou para ela firmemente.

 

- Eu te escutei da primeira vez. - O tom dela era uniforme, e ela se forçou a continuar encarando-a. Ela não recuaria agora.

 

- Bom. - Lauren empurrou o prato e revirou os ombros. - Temo que ficarei longe a maior parte da tarde, mas voltarei à noite. Jantaremos privadamente no meu quarto. Para o jantar, mandarei uma garota para vesti-la. Ela será instruída a comprar o que você for vestir. Você devolverá tudo no final do contrato. - Deus. Ela não queria nem pensar sobre aquela noite. Quando os olhos de Lauren se demoraram sobre ela, Camila sentiu-se quente. Se Lauren tivesse alguma ideia de como afetava seu corpo, ela tornaria as coisas mais miseráveis para Camila. Ela precisava se controlar. Felizmente, a gangster deixou a mesa sem dizer mais nenhuma palavra e sem tocá-la. Ela suspirou em alívio e devorou o resto do sanduíche. Quando ela tentou limpar os pratos, um pequeno grupo de funcionários apareceu e imediatamente a empurrou para longe. Sentindo-se inútil, ela os agradeceu e subiu as escadas para se esconder no quarto. Pelo menos ela teria mais algumas horas sozinha antes de ter toda a sua dignidade arrancada de si.

 


Notas Finais


Palpite de quem seja a pessoa da foto? Eu já dei uma dica que é do sexo masculino.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...