História Pacify Her - Imagine Jung Hoseok (incesto) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hoseok, Incesto, Jimin, Lady_sad
Visualizações 158
Palavras 1.375
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então gente, estou aqui para findar este projeto, sim, este é o ultimo capítulo. E eu espero mesmo que vocês tenham gostado desta fanfic.

Boa leitura. ❤

Capítulo 7 - "Amar" - VI


Fanfic / Fanfiction Pacify Her - Imagine Jung Hoseok (incesto) - Capítulo 7 - "Amar" - VI

— C-ChimChim? — Disse baixinho.

Ele havia partido. Eu estava soluçando alto e meu rosto estava corberto por lágrimas. Não consigo me expressar, a dor é tão grotesca. Cai de joelhos no chão. Ele se foi por minha causa.

— Amor? O que aconteceu? — Hoseok que estava descendo calmamente as escadas, largou as malas e correu até mim. Se ajoelhou ao meu lado e me abraçou.

— Ele se foi Oppa... Ele se foi por minha causa. — Disse baixo enquanto me agarrando a blusa listrada do maior.

Quem se foi, pequena? — Ditou baixinho enxugando minhas lágrimas.

Eu já havia molhado muito, a camisa do maior.

— J-Jimin...

Hobi me ajudou a levantar e me levou ao sofá.

Fique calma, irei pegar um copo d'água.

Assenti e abracei minhas pernas me encolhendo.

— Foi culpa minha...

Aqui! — O alaranjado havia voltado com um copo cheio de água dentro.

Obrigada, Oppa. — Disse baixinho pegando o copo e bebendo com dificuldade.

— Vamos marcar nossa viajem para outro dia, huh?

— Mas Oppa, você já pagou as passagens e tudo mais. — Ditei olhando suas orbes negras.

— Não problema. Só iremos quando você se sentir bem.

— Eu te amo tanto, Hobi... — Sussurrei puxando o mesmo para deitar no sofá comigo, ficamos de conchinha até que eu adormecece.

Um mês depois

Quarto

Acordei praticamente gritando, minhas barriga doía tanto, que acabei acordando Hobi com meus urros de dor.

— A-Amor? Está doendo?

— Não idiota, estou gritando porque está me fazendo cócegas.

— E...

— Hoseok, me leva para o hospital!

Sim! Eu vou pegar... — Hobi se levantou da cama mas eu só vi seu corpo caindo ao chão. Ele havia desmaiado.

— Justo agora Jung Hoseok?! — Gritei com raiva, e senti minha barriga doer ainda mais.

Eu mal conseguia andar, como iria pedir ajuda?

Meu celular! Peguei o mesmo na cômoda que estava ao meu lado na cama, e disquei o número de minha Omma.

No terceiro toque ela atendeu.

— Mamãe, onde você está?

— Estou no meu quarto filha, quando cheguei em casa, vocês estavam dormindo e eu não quis acorda-los.

— Mamãe, venha aqui rápido.

(...)

Jung Hoseok

Já estávamos no hospital, S/N entrou com urgência na sala de parto. E eu e a mãe de S/A esperávamos por notícias. Já se passou bastante tempo e nada. Isso deve ser demorado mesmo.

Me perguntaram se eu não queria acompanhá-la no parto, eu queria muito. Mas infelizmente, iria desmaiar novamente.

Após mais algum tempo – não sei ao certo quanto tempo se passou, já que meu celular descarregou –, um médico veio até mim, sorrindo fraco.

Meu corpo gelou.

— O parto foi um sucesso! — Disse e eu gritei empolgado atraindo alguns olhares.

— Posso falar com ela?

— Claro, mas nada muito demorado. — Assenti e caminhei à sala, qual minha pequena se encontrava.

Enquanto ia caminhando, meus pensamentos iam e voltavam, eu e S/A não fizemos o procedimento para saber qual era o sexo do bebê. Só achei estranho porque a barriga de S/N, estava muito grande, grande até demais. Mas eu não ligo para sexo de bebê, independente do que for, será muito bem recebido e amado.

— Amor? — Entrei no quarto observando minha menina mamentando nossos filhos... Nossos Filhos?!

— Amor, eram gêmeos! — Sorriu alegre.

Gêmeos? Eu estou passando mal... — Me sentei numa poltrona ali presente.

— Novidade...

— O que?

— Nada.

— Já decidiu os nomes? — Perguntei chegando perto vendo o quão fofos eram.

— Sim, Taehyung e ______. — Ditou prendendo o cabelo em um coque.

— Por que eu não ajudei à escolher?

— Eu carrego-os por nove meses, sinto dor para tê-los e você escolhe o nome, engraçadinho? — Semicerrei os olhos.

— Você tem razão.

— Eu sempre tenho razão. — Disse convicta.

Dois anos mais tarde

Sala

S/N

— Tae, solte este vaso agora! — Olhei para o pequenino, ele apenas soltou o vaso e saiu correndo. O vaso se quebrou em mil pedaços. Continuei pintando as unhas como se nada houvesse acontecido.

Hobi entrou em nossa sala e arregalou os olhos olhando para a bagunça.

— S/A, que bagunça é essa? — Fez biquinho.

— Foi o Tae. — Disse simples.

— E você não vai limpar? — Disse arqueando as sombrancelhas.

Fiz uma careta e me levantei. Fui até a área de serviços e peguei uma pá e um rodo. Voltei para sala e entreguei à Hoseok.

— O que?!

— Eu não fiz filhos com um dedo, Hoseok. — Empurrei seu peitoral.

— Mas eu não sou nenhum escrevo nesta casa, S/N. — Disse alterado.

— O que custa você limpar a bagunça, dos filhos que ajudou à fazer?

Cale a boca!

— Não.

— Então eu calo. — O maior beijou-me com veracidade. Puxei suas madeixas e o empurrei até o sofá. Sentei em seu colo e comecei a esfregar meu íntimo em seu pau. Hobi arfou baixo e segurou em minha cintura me fazendo rebolar mais forte.

(...)

— Onde estamos indo, Appa? — _____ perguntou ao Hobi enquanto o mesmo tinha seus olhos vidrados à pista.

— Na casa do seu tio, _____. — Meu Oppa à respondeu e a mesma fez um biquinho. Tão fofa. Tae está quieto demais...

— AHHHH! O MONSTRO ATACA BATMAN! — TaeTae gritou fazendo todos do carro se assustarem e Hobi perdeu controle do carro, virando o mesmo com tudo. Sorte a nossa, ao lado da pista haviam apenas matos e mais matos.

— Está todo mundo bem? — Hobi perguntou preocupado.

— Eu estou. — Eu e os meninos dissemos em uníssono.

Taehyung, não faça isso novamente. — Hoseok ditou ríspido e Tae abaixou a cabeça.

— Desculpa papai, TaeTae não fez pu queler.

— Bebê, nós poderíamos ter sofrido um acidente grave. — Disse e Tae assentiu ainda cabisbaixo

— Minha bunda ta doendo de tanto ficar sentada, mamãe, _____ quer correr.

O moreno – Hobi – retornou com seu caminho e em poucos minutos chegamos na casa de SeokJin.

— S/A, Hobi, crianças! — Jin estava tão animado, para falar a verdade, nunca vi o mesmo triste. Ele sempre alegrava quem estava ao seu lado, seja onde for.

— Oi tio Jin, Tae 'ta com fome. — V — como também nós também o chamava-mos —, chegou entrando na casa do Kim.

Taehyung! — Repreendi o garoto que virou para trás com cara de choro.

Calma S/A, são crianças! — Gargalhou fazendo-nos o acompanhar na risada. — Quero apresentar uma pessoa à vocês.

Guiou-nos até a sala, havia uma garota muito bonita sentada em seu sofá, seus cabelos eram em um preto lindo, e ela não tinha traços asiáticos.

— Está é Jully, minha namorada. — Sorriu apaixonado para a garota. Só pelo olhar, consigo ver, esses dois se amam demais.

— Olá Jully, eu sou Hoseok, está é S/N, minha namorada, e esses pestinhas que estão correndo pela casa são nossos filhos. — Sorriu fofo para a mesma que retribuiu o gesto.

— É um prazer conhecer vocês. — Tão fofa.

(...)

Após uma tarde cheia de risadas e conversas aleatórias, eu disse que queria ir ao banheiro. Quando voltei, SeokJin e Hoseok não estavam na sala, estranhei e me sentei do lado de Jully.

— Então... A quanto tempo você e meu cunhado estão juntos?

— Três anos. — Disse desconfortável.

— O quê? Três anos e SeokJin só apresentou você a nós agora? — Ri. — O que aconteceu? Você parece desconfortável...

— S/A... Eu estou grávida. — Disse de uma vez.

— De SeokJin?

— Claro. — Riu baixinho. — Mas não sei como contar para ele.

— Conte quando você estiver preparada. O tempo resolve tudo.

Hoseok e Jin adentraram a sala sorrindo largamente.

Os dois se ajoelharam em nossa frente com caixinhas em suas mãos – Hobi em minha frente e Jin na frente de Jully.

— Você aceita casar comigo? — Hoseok disse para mim e Jin para Jully.

— Mas é claro, Hobi! — Pulei no mesmo chorando de emoção e sussurrei em sua orelha:

— Eu esperei tanto por isso, Oppa!

Narradora

E lá estavam os casais apaixonados, S/N e Hoseok eram como um, e não importa o quando brigassem, aquilo ia acabar em tapas e beijos. Agora com uma nova integrante na familia, Kim Jully poderia contar ao seu amado da gravidez, pois já sabia que o que SeokJin sentia, era mais que amor.

E espiando pela brecha da porta Tae e _____, viam como os casais eram apaixonados e estavam aos beijos.

— _____, você quer casar comigo também?

— Quero Tae. — Então os dois, selaram os lábios. Desde pequenos aprenderam a amar um ao outro. E isso não ficou somente assim.


Notas Finais


Espero que eu não tenha decepcionado vocês. :')

Eu fiquei muito feliz fazendo esta obra, e comente o que acharam.

Obrigado a todos os leitores que favoritaram e comentaram, sério, sem este apoio eu não estaria aqui, finalizando essa fanfic! E obrigado aos leitores fantasmas também. :')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...