História Pacto de Sangue - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Bruxaria, Bts, Jeon Jungkook, Jungkook, Magia, Romance
Visualizações 20
Palavras 2.495
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oooooi!
Me desculpem por demorar a postar - já que era para eu postar todo dia, mas eu fiquei meio sem tempo de terminar de escrever o capítulo, e depois com os pôsteres que a BigHit está mostrando, eu estava afundada em teorias auahus *impactada*.
ALIÁS, o que vocês acharam deles? Gritaram muito? Teve um que vocês gostaram mais????
Mas enfim, bom capítulo e leitura!

Capítulo 2 - O pior encontro


- E então? – S/N abriu os braços o deixando analisar a roupa composta por um vestido verde folha e sobretudo branco. Fazia muito frio do lado de fora, mas ainda sim ela queria estar em sua melhor aparência.

- Você devia soltar o cabelo – Jungkook respondeu, ele estava empoleirado no sofá com uma cara não muito contente.

- Ele gosta de cabelo preso.

Seu rabo de cavalo foi cuidadosamente feito, com as pontas enroladas e fios soltos que S/N demorou vários minutos para libertar, o estilo falsamente desfeito caía bem nela.

Na verdade tudo havia sido cuidadosamente feito, sua maquiagem compunha uma aparência vivida, como se ela fosse naturalmente corada, acompanhada de um batom vivo, porém suave.

- E o que importa se ele gosta? Você nem gosta tanto de prender o cabelo – ele revirou os olhos.

Os dois estavam no dormitório dela, que finalmente tinha conseguido um quarto separado, já que era extremamente desconfortável ter que conviver com uma colega de quarto e Jungkook, que sempre estava falando as coisas mais inapropriadas nos momentos com mais gente próxima – e plus: ela não podia vê-lo quando ele não queria, o que gerava situações constrangedoras.

S/N estava se arrumando para um encontro e ele obviamente não a ajudando em saber se ela estava apresentável.

- Mas eu quero impressionar na primeira vez que vou vê-lo.

- Pra quê? Ele vai ser um babaca de qualquer forma – ele provocou, rindo da reação dela, que sempre era de fazer cara feia e revirar os olhos.

- Você sempre fala isso dos meus encontros! – ela disse, não exatamente de mau-humor, apenas querendo que ele finalmente concordasse em colaborar com ela. Um “Você está ótima, S/N” já iria assegurá-la. Mas ela nunca podia contar qual seria a reação de Jungkook, sempre era alguma coisa que ela não estava exatamente esperando.

- E todos eles deram errado.

- Esse é diferente! Ele é super gentil e inteligente!

- Ele é um homem! E como qualquer outro, vai ser idiota – S/N teve que se segurar para não dar um sorriso, juntamente com ele. Às vezes Jungkook não parecia ter sequer uma pequena preocupação. Nada como: por quem se apaixonar, se ele iria se sentir solitário um dia, ou com qualquer pequena insegurança. Tudo no cotidiano parecia muito seguro com ele, ao mesmo tempo em que seus comentários afiados e sua soluções para as situações eram inusitadas.

Quando ele disse da primeira vez que o que ele iria tomar dela seria tempo, S/N nunca imaginou que seria daquela forma – que ele iria meio que atazana-la, ou que eles se tornariam amigos.

- Você também é um, será que é por isso que também é idiota? – ela riu. – É uma teoria interessante.

- Eu sou só parte homem, a outra na verdade é um ser mágico. É disso que consistem os feiticeiros – Jungkook deu uma risadinha, aproveitando para encostar a cabeça no encosto do pequeno sofá cor de creme e encará-la.

Como o dormitório era um pouco mais espaçoso que o antigo, ela tinha colocado um sofá de dois lugares para que sua companhia pudesse ficar ali quando quisesse, eram raros os casos que Jungkook passava a noite, mas depois do sofá ele pareceu se sentir mais confortável em ficar por mais tempo com ela. S/N tinha que admitir que a companhia era sempre bem-vinda.

- Às vezes eu acho que a parte mágica só colabora para que você seja ainda pior – S/N se aproximou dele, a carinha mais fofa que ela conseguia fazer, as mãos unidas e um sorriso suplicante. – Você podia me fazer um feitiço de sorte para que meu encontro seja maravilhoso, não podia?

- De jeito nenhum. Eu não faço favores – ele cruzou os braços, irredutível.

- Ah, qual é, Jungkook. Uma única vez. Por favor!

- Pra quê? Ele vai ser só um desses idiotas – voltou a provocar e ela fez uma careta.

- Eu estou solteira há anos, torça pra mim pelo menos uma vez! – reclamou.

- E vai continuar se seu gosto para homens continuar desse jeito – S/N abriu a boca para rebater, mas a fechou logo em seguida.

- Esse é diferente! – ela rebateu, teimosa. Mas não conseguia mesmo se sentir chateada com ele, estava com um meio sorriso e a sensação de desafio a frente.

- Duvido muito – S/N recebeu um sorriso de lado, e ela tinha a noção que ele sabia o que ela proporia a seguir.

- Quer apostar? – apertou os olhos, arqueando as sobrancelhas, reprimindo seu próprio sorriso torto.

- Feito.

Só no caminho para o restaurante é que S/N percebeu o quão aquilo havia sido uma má ideia.

- Você tem que me prometer que vai ficar calado.

- Eu vou – ele fingiu garantir, em um tom que deixava claro que não era uma promessa e que ele na verdade não iria ficar quieto.

Eles estavam andando para o restaurante, o cara que S/N iria encontrar se ofereceu para busca-la, mas ela decidiu que se iria levar Jungkook, o melhor era ir de táxi e andar os últimos metros para o lugar.

Jungkook e ela tinham combinado que ele usaria um feitiço para ficar invisível por algum tempo, e ele estaria junto para observar. Agora que o lugar se aproximava, S/N se arrependia cada vez mais de ter colocado tamanha confiança em seu encontro, mas é que eles estavam se falando há semanas e ele parecia tão interessante...

Fato era que naquele momento não dava mais para desistir, ela tinha que segurar o encontro da melhor forma possível e tentar jogar na cara de Jungkook que ela era sim capaz de conseguir pelo menos um bom pretendente.

Quem perdesse iria pagar um jantar em algum restaurante à escolha do vencedor.

O frio se fazia muito presente no caminho dos dois e ao passo que S/N estava encolhida no sobretudo claro, Jungkook parecia bem confortável de jeans pretos, rasgados e apenas um suéter. Ela ainda queria descobrir como ele conseguia parecer tão inalterável em temperaturas extremas.

- Não, mas é sério! Você não pode falar. Nenhuma gracinha! – avisou e o viu sorrir, a cabeça pendendo levemente para o lado, uma mania que S/N havia reparado mais vezes antes.

Assim que a porta do restaurante se abriu, S/N sabia que Jungkook estaria invisível aos olhos de outros mortais, por isso ela se ocupou em procurar pelo rosto do rapaz que ela havia conversado por tanto tempo, ao mesmo tempo em que observava o lugar.

O ambiente era claro e organizado, paredes brancas, com o chão do que parecia ser mármore, lustres se desprendiam do teto e as conversas eram suaves. Atendentes do lugar passavam de um lado para o outro, todos com roupas cor de creme e olhares sérios. Um restaurante caro e famoso. S/N não tinha ideia de como eles conseguiram fazer uma reserva ali em menos de duas semanas, o lugar tinha a fama de demorar pelo menos um mês para abrir espaço na agenda.

Perguntava-se se isso dizia algo sobre seu encontro.

Logo um funcionário veio acompanhá-la até a mesa em que sua companhia estava esperando. Ele se levantou e a cumprimentou, ambos com uma sensação de desconforto que todos os primeiros encontros causavam, mas ainda sim, assunto entre eles era o que não faltava.

Só então que S/N olhou para o lado dando falta de sua outra companhia, que parecia ter desaparecido.

- Boa noite senhores, vocês já desejam pedir? – a garçonete disse cordialmente. Ela deu um enorme sorriso a S/N.

Não. Ele não faria...

O que diabos Jungkook estava planejando para ter se transformado em outra pessoa do mais absoluto nada? E pior, quando ele tomava o corpo de alguém essa pessoa ou estaria inconsciente em algum lugar, ou ele havia possuído o corpo do indivíduo. Ambas as opções muito problemáticas.

Outro problema era que esse tipo de feitiço exigia muita força de Jungkook, e mesmo que S/N soubesse que ele era um feiticeiro absurdamente poderoso, ela não conseguia evitar se preocupar no fundo de sua mente.

Ao passo de que o rapaz fazia seu pedido, S/N estava de olho na suposta garçonete que parecia animada demais para seu gosto. O repreendeu por seu olhar, tanto por fazer aquilo quanto por tomar o corpo de uma pessoa, sabia que Jungkook estaria entendendo o porquê de sua expressão de desagrado.

- E a senhora, o que vai pedir? – S/N passou os olhos pelo cardápio em busca de um prato de seu agrado até finalmente fazer o pedido, seus olhos ainda grudados em Jungkook, tentando entender o que exatamente ele estava planejando.

Assim que a garçonete se retirou, S/N voltou seu olhar para o rapaz de cabelos pretos e olhos escuros, ele sorriu de volta para ela e eles voltaram a falar do assunto de antes, aquele tipo de conversa inicial, um perguntando sobre a vida do outro na tentativa deles se conhecerem ainda mais.

Tudo estava correndo muito bem até seus pedidos chegarem, uma garçonete diferente vindo entregar os pedidos enquanto Jungkook se jogava no assento ao lado de S/N, afundando no sofá claro e fazendo uma cara contrariada.

Enquanto o rapaz estava conversando com a atendente, pedindo molho para a salada ou algo do tipo, S/N se virou para Jungkook e tentou sussurrar sem chamar atenção.

- O que é que você estava fazendo na cozinha? – ele deu de ombros. – Você não envenenaria o prato dele, envenenaria?

- Você confia muito pouco em mim – seu sorriso de lado a fez desconfiar ainda mais.

- Eu confio é muito em você e esse é meu maior erro.

- Você vai ver, vai ser divertido – a expressão de S/N era de confusão e também puro arrependimento. Por que ela pensou que seria uma boa ideia deixar Jungkook vir com ela, mesmo? E por que ela tinha que ser competitiva ao ponto de fazer àquela aposta?

E foi aí que tudo começou a dar realmente errado.

- Você disse alguma coisa?

- Na verdade não – S/N sorriu para o rapaz de cabelos pretos, o assegurando. – Mas o que você estava dizendo antes, sobre sua família?

- Que eles são extremamente invasivos e que minha mãe está me pressionando a arranjar alguma pretendente adequada para casar, já que minha última namorada me traiu com mais ou menos uns cinco caras diferentes – ele disse de supetão.

Os olhos dele se arregalaram e sua mão rapidamente cobriu sua boca. A testa claramente suando e uma expressão confusa compunham seu rosto.

Ao lado de S/N Jungkook estava com um sorriso inocente.

- Me desculpe, eu não sei de onde isso saiu eu só... Me desculpe.

- Está tudo bem, não foi tão estranho assim. Quer dizer, aleatório, mas não tão estranho – garantiu e ele voltou a comer, meio que para preencher o silêncio desconfortável.

Mas S/N estava determinada a mostrar a Jungkook que seu encontro não ia ser um desastre, e que finalmente ela tinha escolhido um cara menos idiota que todo o resto deles.

- Mas e então, você sempre dizia que iria sair para se exercitar durante a noite, você gosta bastante de exercícios, né? – tentou dizer casualmente.

Essa mudança de assunto pareceu deixar a postura dele mais confortável e sua expressão parecia animada para contar sobre isso, mas novamente, suas ações deram errado.

- Sim, eu adoro me exercitar, mas na verdade eu comecei mais porque precisava compensar a minha insegurança por causa do meu pênis pequeno com alguma outra coisa que eu achava que seria atraente. Mas eu já superei esse pensamento e tomei realmente gosto pela coisa. Agora eu posso dizer que sou meio convencido em relação ao meu corpo, mas claro, quem não seria com a minha aparência, personalidade e intelecto? Graças a isso, eu tenho sérios problemas de fidelidade com minhas namoradas devido à experiência passada traumática e também a recém-adquirida segurança exacerbada no meu corpo – novamente ele disse rápido demais, como se não percebesse o que estava fazendo, ou nem pudesse se segurar. Imediatamente seu rosto ficou vermelho, a boca escancarada ao notar suas palavras.

S/N também estava de boca aberta, quer dizer, onde exatamente seu encontro tinha dado tão errado? E melhor, como?

- Eu acho que talvez se você for a psicólogo, você consegue superar sua ex-namorada – S/N pateticamente sugeriu. Simplesmente pela falta de resposta adequada para aquela confissão.

- Me desculpe, eu acho que estou passando mal e preciso ir embora. Não tem nada a ver com você, você é ótima e tem lindas pernas, mas alguma coisa está errada.

Ele se levantou desengonçadamente, jogou dinheiro em cima da mesa e saiu correndo do restaurante – uma quantia muito maior do que o necessário, mostrando que ele realmente estava com pressa e nem contou o valor.

- Mas o que... – as mãos de S/N foram para as laterais do seu rosto, então ela agitou a cabeça em descrença. Logo em seguida explodiu em risadas, rindo até sua barriga doer e tendo que tentar se conter para não atrapalhar os clientes ao redor. – O que o pau pequeno tinha a ver com qualquer outra coisa nesse encontro?

Ela ainda estava rindo quando Jungkook deslizou para o assento a sua frente, as sobrancelhas arqueadas e tentando não sorrir.

- O que diabos você fez com ele? – ela perguntou.

- Eu?

- Não seja cínico – ele deu um sorriso enquanto ela revirava os olhos.

- O prato dele tem um feitiço para que ele fosse sincero em excesso e talvez... só talvez, falasse coisas deS/Necessárias sobre ele mesmo – Jungkook teve a audácia de rir.

- Você é terrível – S/N cobriu o próprio rosto, querendo ficar com raiva, mas falhando miseravelmente. – Pelo menos eu já fiquei sabendo que ele trai as namoradas atuais.

- O que nos leva a uma conclusão.

- Que conclusão?

- Você realmente só escolhe caras babacas e problemáticos. Péssimo gosto – ela o viu levantar o braço e chamar por alguém que trabalhasse ali. S/N assumiu que desde o momento em que ele sentou na frente dela, estava visível para qualquer um.

- O que é que você está fazendo? Nós vamos embora, eu acabei de ser abandonada no meio do meu encontro.

- Nós vamos jantar. Lembra? Você perdeu a aposta – seu tom era convencido.

- Eu não tenho nem como pagar metade de uma refeição pra você e pra mim nesse restaurante, lembra que eu sou estudante? Eu só aceitei esse encontro porque ia pagar só o meu prato. Eu nem pedi bebida – S/N reclamou. Jungkook não podia ser tão indelicado e pedir que ela gastasse todo dinheiro do mês ali, ele sabia que ela não tinha muito dinheiro.

- Claro que tem – ele deu um sorriso pretencioso e pegou o dinheiro de cima da mesa. – Olha o que nós temos aqui.

S/N não conseguiu evitar dar uma risada.

- Jeon Jungkook, você é terrível – repreendeu, mas ela já estava olhando o cardápio para pedir outro prato. Se tinha o dinheiro, obviamente iria usar.

- E você não é nem um pouco melhor.


Notas Finais


Sugestões, reclamações, elogios, preces e desabafos são sempre muito bem-vindos! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...