História Pagando bem que mal tem? - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~Noiz-chan

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Rap Monster, Suga
Tags Ella-mikorinsugamon, Sugamon
Exibições 186
Palavras 2.264
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Atualização flash, na velocidade da luz para vocês ♡ espero que gostem da rapidez.

Uma boa leitura ♡

Capítulo 2 - Foi um desprazer conhecer Seokjin


Entramos naquela festa de mãos dadas, muitas pessoas nos olhavam e aquilo me deixava meio nervoso. As pessoas deveriam estar rindo de Namjoon por estar sendo visto com uma criança.  Uma coisa estranha foi Namjoon  dizer para mim que se alguem me perguntar, eu teria que responder dezenove anos, como se alguém fosse acreditar nisso. Namjoon era meio burro na minha opinião para por acreditar que tudo isso iria dar certo.

Quando ele encontrou seus amigos saiu me puxando em direção a cozinha daquela casa onde estava rolando a festa. A mentira mal havia começado e ele já queria foder tudo!


- Espera então é  sério que está namorando?  - uma garota loira perguntou me olhando.


- Ah sim como soube? - Se fez de desentendido.


- A-Ah bom eu acabei mudando meu status e te marcando, amor, esqueci de te avisar - Falei como havíamos planejado.


- Não tem problema. - sorriu para mim me  abraçado  e apertando contra seu corpo.


Sorri como se fosse um idiota que estivesse apaixonado por si e abracei o seu pescoço dando um beijo perto do canto da sua boca. Era meio que ridículo aquilo, mas havia prometido agir como seu namorado e o faria.


- Desde quando vocês namoram? - um garoto meio bêbado perguntou.


- Duas semanas - Namjoon  respondeu. 


- levou apenas dois dias para superar o jin foi? - aquele garoto riu e eu tentei me manter impassível mesmo que não estivesse entendendo nada.


- Vai ficar me zoando com isso agora? - revirou os olhos.


- Quem é  Jin? - resolvi perguntar, mas fingir uma cara séria para que parecesse que estava com ciumes, mas na verdade eu só queria saber da treta.


- Não é ninguém importante amor. - beijou o canto da minha boca.


- Mas agora eu quero saber quem é  - Falei o olhando nos olhos. Escutei alguém murmurar um "fodeu" e fiquei ainda mais curioso.


- Outra hora conversamos sobre isso. - murmurou beijando a minha  testa.


- Hm..  Ok - tive que aceitar aquilo, mas me sentia frustrado por não saber da história. 


- quantos anos você tem? Parece mais novo que o Namjoonie... - Uma outra garota comentou.



Fodeu.


Era só isso que eu pensava.


- Eu sou, tenho dezenove anos - menti sorrindo, como se fossem acreditar nisso.


- Eu não acho tão novo. - um dos garotos comentou.


- Eu penso o mesmo. - concordou aquela garota loira.


- pensei que tinha uns vinte anos - a mesma garota que me perguntou a minha idade falou. 


Eu tinha cara de velho?


Como assim?


Que merda, isso para mim era pior do que tudo dar errado. Meu ego estava lá no chão naquele momento.


- Eu sempre achei dezenove. - o bêbado falou dessa vez.


- você bebeu demais Hoseok - A garota intrometida reclamou. Eu nem sabia quem era quem ali naquela bagunça de gente.


- Olha quem fala. - revirou os olhos.


- você  nem aguenta ficar em pé - reclamou, dessa vez a garota loira.


Senti as mãos de Namjoon em minha cintura, ele ficou atrás de mim me abraçando daquela forma e por mais que fosse ridículo acabei sorrindo pondo minhas mãos sobre as suas. Ele deu um beijo na minha nuca e eu acabei me arrepiando com aquilo. Eu sentia como se alguém estivesse nos olhando além de seus amigos, mas por enquanto preferir ignorar aquela sensação já que Namjoon me apertava e ficava me dando beijos no pescoço o tempo todo. Era meio difícil me concentrar com ele me tocando no meu ponto sensível.


- Cara o Jin tá bem puto vendo o novo casal - o bêbado começou a rir e vi o povo fazendo sinal para ele calar a boca. 


- Quem diabos é  Jin, Namjoon? - perguntei  me soltando.


- Depois conversamos sobre isso. - falou meio sério.


- Não eu quero saber disso  agora - tentei me aproveitar para descobrir.


- Depois, por favor amor. - pediu.


- Hm - acabei tendo que aceitar Namjoon não queria me contar, fiz um leve bico estando contrariado.


- Não fica assim. - pediu me puxando para perto de si.


- beija, beija - eles começaram a pedir e aquilo era ridículo Namjoon não iria me beijar...

Senti seus lábios contra os meus pressionando-os, ele praticamente enfiou a sua língua dentro da minha boca e para não estragar a mentira o correspondi fechando meus olhos abraçando o seu pescoço. Ele me apertava contra si de uma forma que parecia que iria me erguer do chão. Senti suas mãos em minha bunda a apertando com força, foi difícil para mim continuar o beijando depois daquilo, mas me mantive calmo o deixando fazer aquilo. Eu precisava deixar ele me tocar daquela forma para parecermos namorado e também por eu estar sendo pago. Mas que isso seria um grande saco seria mesmo.


[...] 


A noite inteira foi eu dançando com o Namjoon, bebendo e principalmente me agarrando com ele toda hora. Aquilo era muito esquisito, ele era meu primo. Mas eu não podia ficar negando os beijos e as mãos bobas pelo acordo e ainda mais por estar bêbado, eu nem ligava muito. Quando finalmente voltamos para a sua casa eu fui direto para o quarto extra em sua casa me jogando na cama para poder dormir, estava morrendo de sono era quase cinco da manhã já.  Ignorei os passos no quarto já que estava com muito sono. Senti mãos em meus tornozelos, Namjoon parecia estar tirando os meus sapatos e meias. Ele me puxou  depois me ajeitando que me fez sorrir levemente por ele estar cuidando de mim.


- Boa noite Namjoon - murmurei de olhos fechados com a voz meio arrastada por ainda estar embriagado.


- Boa noite - respondeu. Abri um dos olhos confuso quando ele me puxou me erguendo da cama carregando-me estilo noiva.


- Namjoon? - murmurei confuso.


- vamos para o meu quarto - Ele falou andando saindo dali carregando-me,  deixando-me confuso.


- alguém vai vim aqui em sua casa amanhã?  - perguntei. Pois faria sentido eu dormir junto com ele se alguém fosse chegar ou algo assim.


- Sim, mas esse não é o problema. - falou.


- Qual é então? - murmurei sonolento.

 

- Está muito calor e só tem ar condicionado no meu quarto. - explicou.


- Ah mas pra mim tanto faz - murmurei e logo escutei barulho como se ele chutasse a porta para abrir e em seguida senti o friozinho  que o quarto fazia.


- Vai querer dormir assim mesmo? - perguntou - sua calça parece tá bem apertada - comentou.


- culpa sua por comprar menor que o que eu falei e eu não consigo tirar ela no estado que tô - respondi.


- Se não tivesse essa bunda ela não seria apertada. - sorriu.


- Não fala da minha bunda - falei meio irritado abrindo os botões da calça para ver se dava uma sensação mais confortável, o que não ocorreu, pois ela continuava apertada demais.


Ele riu puxando a barra da calça a puxando para baixo. A calça sequer quis sair o que fez ele puxar ela de forma mais bruta quase me puxando junto por conta da força e ainda por cima quase levou a minha cueca junto. Me virei de bruços para ele não ver minha intimidade e ajeitei a cueca,  a subi ajeitando atrás também e acabei suspirando estando cansado.


- Acho que deveria ter pego o seu número. - concordou jogando a calça em um canto qualquer. 


- Eu tenho certeza - reclamei abraçando o travesseiro sentindo frio nas pernas agora.


Fechei os olhos e me encolhi por conta do frio. Logo senti um peso na cama ao meu lado e o peso da coberta sobre mim e acabei dormindo quando me senti quentinho daquela forma. 


[...]


Minha cabeça doía e eu me sentia enjoado. Fazia vinte minutos que havia acordado e estava ali sentado na cama de Namjoon enrolado na coberta. Estava sozinho, já que Namjoon saiu para seu trabalho, havia  um bilhete na cômoda dizendo isso. Era sabado e graças a Deus eu não tinha aula, estava com uma ressaca terrível.  Era quase três  da tarde, demorei para acordar, no bilhete dizia que ele chegaria as três da tarde então não iria demorar. Eu queria que ele chegasse logo, iria pedir para pegar remédios para mim já que eu não sabia onde ficava qualquer coisa naquela casa.


Escutei a campainha e me irritei, o barulho fazia minha cabeça doer. Namjoon não teria motivos para apertar a campainha, por isso eu não iria atender já que poderia ser alguém enchendo o saco ou os amigos de Namjoon.

Mas aquilo continuou martelando na minha cabeça me deixando muito irritado, me levantei do jeito que estava, aquilo estava insuportável. Iria ficar maluco se ouvisse aquela campainha tocar mais uma vez. Abrir a porta estando todo enrolado na coberta com uma cara nada boa e piorou ainda mais ao ver um homem de cabelo castanhos que era mais alto do que eu me encarando de um jeito esquisito.


- Quem é  você?  - perguntou.


- namorado do Namjoon  e você?  - falei.


- Ele está? - perguntou parecendo irritado o que me deixou confuso.


- Está trabalhando e você quem é? - Repeti. 


- Não te interessa - respondeu irritado.


- foda-se -  dei os ombros pronto para fechar a porta.


- você não passa de uma vadia que o Namjoon só quer comer para esquecer a pessoa que ele realmente ama - comentou ácido.


- vadia é você - rodei meus olhos.


- Se enxerga puta de esquina. - falou irritado me fazendo bufar.


- Quem é  você?  - perguntei  mais uma vez, revirando meus olhos novamente.


- Eu? - Sorriu debochado - Eu sou a pessoa que realmente Namjoon ama e não você puta barata.


Eu não era um ser muito paciente  e menos ainda calmo. Já estava morrendo de dor de cabeça por causa da ressaca e mesmo que as ofensas daquele infeliz não fizesse a mínima diferença eu não escutei aquilo calado mais.


- Tão amado que foi trocado pela putinha. - sorri sínico. - Para de ser ridículo. - revirou os olhos.


- Ah eu fui? Você não sabe de nada, ele só está te usando não aguentou ser dispensado na verdade - comentou me deixando confuso.  Deixei pra lá a história de rebater aquela coisa idiota e foquei em descobrir o que aconteceu com Namjoon, minha curiosidade era maior que a ressaca.


- como assim? - perguntei.


- Ah que lindo você não sabe da verdade. - riu de forma divertida.


- Então fala a tal verdade - revirei meus olhos.


- Pergunta pro seu namoradinho puta. - sorriu dando as costas para mim andando a passos lentos para o outro lado da rua.


Pelo jeito eu demoraria para descobrir a verdade sobre aquilo. Fechei a porta da casa de Namjoon  e andei em direção ao sofá me jogando lá mesmo estando com preguiça de voltar para o quarto.  Ali estava calor por não ter ar condicionado e abandonei a coberta a usando como travesseiro ficando deitado meio de lado. Queria que Namjoon chegasse logo, ele já estava uns minutos atrasados. Eu precisava de remédios para a dor de cabeça e também estava com fome, mas que droga de primo eu tinha!


Me sentei rapidamente no sofá ao ouvir o barulho da chave abrindo a porta, finalmente!


- Você demorou! - Reclamei quando o vi entrar afrouxando a gravata que usava - onde tem remédios para dor de cabeça?  - perguntei.


- Você está mal? - perguntou preocupado.


- Só  estou com ressaca e com fome - respondi fazendo bico para ver se ele ficava com dó e cuidava de mim.  Eu não negava que era meio mimado, mas a culpa era da minha mãe que sempre cuidou bem demais de mim.


- Eu vou procurar remédios. - falou correndo em direção das escadas.


Acabei sorrindo por ele realmente se preocupar, não era um primo tão ruim assim para a minha sorte. Voltei a me deitar enquanto o esperava. Aquela era a primeira vez que havia bebido por isso não estava acostumado a ter ressaca.


Namjoon voltou e correu para a cozinha e em segundos estava na minha frente me entregando um comprimido e um copos de água.  Me sentei pegando as coisas e tomando o remédio sentindo meu estômago revirar me dando um leve enjôo.


- O que você quer comer? - perguntou preocupado.


- qualquer coisa e Namjoon,  veio uma pessoa aqui, acho que era o seu ex e chuto em dizer que o nome dele é  Jin, mas ele não disse  o nome, pode me explicar isso? - resmunguei.


- Que saco. - resmungou irritado. - quando melhorar eu explico. - falou.


- você não quer me dizer não é?  - perguntei.


- É...


- tudo bem não precisa falar nada, só me arruma algo pra comer - pedi deixando aquela história pra lá por enquanto.


- Pode falar o que quer comer. - sorriu.


- tem como fazer misto quente? - perguntei  o olhando  pendendo a cabeça para o lado em uma mania infantil que eu tinha desde criança.

- Tem sim. - sorriu abertamente.


- então eu quero isso - Sorri para si voltando a me deitar enquanto ele ia para a cozinha.


Por enquanto apesar de algumas coisas desagradáveis, como ser agarrado na frente dos outros e do ex-namorado do meu primo  me xingando, não estava sendo ruim ser o namorado de Namjoon.



Notas Finais


O que acharam?

Até o próximo capítulo amores, beijos ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...