História Pai Adotivo.Só Que Não. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Homicidio, Mortes, Psicopata, Psicopatia, Sociopata, Sociopatia, Suícidio, Vingança
Visualizações 5
Palavras 1.199
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa Leitura <#

Capítulo 1 - Capítulo 01 - Primeiros dias de aula.



                                     Segunda,12/fevereiro/2017



 Pov Agata On ~
 
 Meu celular desperta as 06:00 da manhã como todos os dias do ano letivo.Em falar nisso hoje é o primeiro do ano.Finalmente terceirão.
 As 06:10,assim que ''acordo'' de verdade eu me levanto.Vou até a cozinha e como qualquer coisa,meu pai já saiu para o trabalho e minha mãe deve estar dormindo.Como e volto ao meu quarto,troco de roupa e arrumo minha cama,pego minha mochila e fico até as 06:30 mexendo em coisas aleatórias no celular.Saio e caminho até o ponto.Logo chegam mais uns dois guris rindo e falando sobre cartas e sei lá mais o que,não prestei muita atençõ,fiquei mais prestando atenção nas letras das músicas no aleatório.
 Logo o ônibos chega e subimos nele.Me sento no meio em um banco vazio ao lado da janela e como quase todo mundo eu fiquei olhando a rua normalmente.Só que não,eu fiquei é me imaginando no clipe de Dark Paradise da Lana Del Rey ( saudades clipe ).
 Logo chego na escola e logo já estou na sala também.Vou estudar com os mesmo colegas dos meus ultimos 2 anos,sorte que é um povo legal,se não fosse o ensino médio,eu teria desistido de faculdade,eu não suportava a escola,mas graças a esses colegas aqui,ela se tornou legal.
  
 Todos estavam conversando e compartilhando as coisas boas das férias.O que eu fiz nas minhas férias?Vi animes e séries,arrumei muito a casa e cuidei de minha mãe,e dormi,e também planejei como matar uma pessoa.Nada de mais.
 Como eu disse,estavam todos conversando quando um professor entra na sala.É um professor novo,gostei dele só pela aparência parece ter uns 40 anos,imagine um Johnny Depp,então,é ele quem vai me dar aula,por assim dizer.
 Quem dera fosse ele,mas é bem parecido.Ele deixa sua bolça,pasta e notbbok em cima da mesa enquanto todos os outros se colocam em seus lugares e ele se coloca a frente da classe.Por que eu escolhi sentar no terceiro lugar da segunda fileira esse ano?
 -Bom dia a todos,eu sou John McVillan e serei o professor de filosofia de vocês esse ano,tenho 45 anos de idade e 20 de carreira como professor.Sim sou velho e talvez novo ao mesmo tempo.Espero que tenhamos um bom ano.
 Terminando isso,ele pede para que cada um se apresente.Foi uma manhã normal,após as duas aulas de filosofia,sim duas aulas,tivemos história,português e educaçao física.E ainda nos foi informado que quarta será a entrega dos livros,sorte que temos armários,por mais que a escola seja pública,mas é uma escola legal.Também fomos avisados que teremos um professor regente e será escolhido um aluno para ser o representante de turma e tc...Todas essas chátices.



                          Terça,13/fevereiro/2017
 Viajando com Silence Speaks do While She Sleeps enquanto o ônibus se aproxima da escola fico imaginando como será esse ano.Quem sabe minha mãe se cure de uma vez por todas desse câncer,quem sabe meu pai se istabelize emocionalmente também.Se Deus quiser vai dar tudo certo.
 Chego na escola e vou direto para sala.
 Na terceira aula o diretor vai até nossa sala junto ao professor John.Ele seria nosso regente e o aluno que seria representante já havia sido escolhido.Fizeram um puta suspense para depois me matarem de vergonha.Eles não fariam votação na sala por causa do povo só votar por amizade a blá blá blá.Só sei que eu quase sai correndo da sala quando o diretor começou a falar que eu era uma boa aluna e que por mais problema que tivesse eu sempre fazia tudo certo e tal.Odeio isso,eu poderia ser uma boa luna mesmo que não tivesse problemasisso é desnecesário,eu já falei para eles pararem de falar no problema da minha mãe e me endeusarem por isso.
 Dei graças quando eles sairam da sala e deixaram a aula continuar.
 Na hora do intervalo sai da sala como uma dos primeiros,isso que sempre sou uma dos ultimos.Corri para o banheiro,me tranquei em uma das cabines e ali fiquei.Não queria ver ninguém,apenas ficar ali.Por sorte o banheiro ainda não esta fedendo.
 O sinal de entrada para as salas toca,espero um grupinho de meninas gritantes sair do banheiro.Assim que está tudo vazio eu saio,porém encontro Professor John encostado na parede:
 -Finalmente ein,o que houve?
 Fico em silêncio sem entender nada.
 -Eu te vi sair da sala e vir direto para o banheiro,porém não saiu mais,e vi como você ficou desconfortavél quando fomos na sala,foi a diretora que quis falar aquilo.
 Dou de ombros.
 -Sabe aquele grupinho que saiu antes de você do banheiro é da sua sala,você sabe né? - ele continua
 -Sim,o que tem as patricinhas?
 -Nada,é só que elas passaram por mim comentando que você se faz de coitadinha e não sei o que mais por conta do problema da tua mãe.Sei que é mentira,pois vejo que você é uma aluna normal.
 -Eu não sou coitadinha.
 -Não mesmo,e quero que saiba que elas vão se arrepender de acharem isso,pelo menos a loira oxigenada que parece um anão vai.
 -Como assim?
 -Não se preocupe com isso Agata,agora vá para a sala que o teu próximo professor já está indo - ele aponta para a sala dos professores e eu vejo o professor de português saindo de lá 
 Apenas confirmo com a cabeça e saio em direção a sala confusa.Que que ta acontecendo?



                          Quarta,14/fevereiro/2017 04:30 AM
 -Agata,acorda,se veste rápido que a gente tem que correr para o hospital. - meu pai diz me sacudindo na cama.
 Ainda zonza me sento na cama e com a visão embaçada por conta do sono que faz parecer que tem areia nos meus olhos vejo meu pai sair correndo do meu quarto.Me levanto quase que no automático e pego uma calça jeans qualquer,um moleton e um casaco,coloco meu all star e saio do carro colocando o celular no bolço da calça da frente.
 Quando alcanço a cozinha vejo meu pai pegando a bolça de minha mãe da mesa e correndo para a sala,minha mãe que estava sentada no sofá se apoia no braço de meu pai com dificuldade.
 -Vem Agata - meu pai diz saindo porta a fora com minha mãe,eu os sigo
 Tem uma ambulância na frente da minha casa e vejo alguns vizinhos curiosos.Fecho a porta e entro depois deles na ambulância.
 -Pra que acorda ela? - minha mãe diz com a voz fraca,ela está sem a sua faixa,sua cabeça totalmente sem cabelos é bem visivel. - eu vou ficar bem - ela tenta sorri.
 Estou sentada de frente para eles,enquanto dois enfermeiros colocam umas coisas no braço dela e meu pai a consola,agora eu quem seguro sua bolça.Do nada ela começa a tremer e as presas meu pai a larga e os enfereiros a deitam numa maca que está no centro da ambulância.Não estou conseguindo ouvir nada.Minha visão ainda está zonza.
 Em poucos minutos chegamos no hospital,levaram ela para um lugar do hospital que não pude entrar,meu pai me deixou numa sala com pessoas estranhas.Ele conseguiu entrar.
 
 Não sei bem o tempo que fiquei ali,mas a ficha só me caiu quando olhei no celular e já eram 05:32 da manhã,foi como se eu tivesse acabado de acordar.Acordei também quando meu pai saiu da parte do hodpital que eu não pude entrar de cabeça baixa,me olhou e disse como quem não quisese mais nada da vida:
 -Ela morreu.
 


Notas Finais


Obrigada por ler <#


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...