História Pain or Love? - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Seiji Komori, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yuma Mukami
Tags Diabolik Lovers
Exibições 49
Palavras 4.394
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


HEEEEEY!!!!

Ressurgi das cinzas do inferno para postar mais um capitulo :))) Estava na minha fortaleza da solidão escrevendo :,)

WHATEVER

Espero que gostem! <3

Boa leitura o/

Capítulo 33 - Minha vez...


Fanfic / Fanfiction Pain or Love? - Capítulo 33 - Minha vez...

  -Amigos... –Apertei nossas mãos sem pensar duas vezes.

 -É bom ter você de volta.

 -Digo o mesmo –Sorri.

 -Helena! –Subaru gritou- Vamos voltar!

 -Ok! –Ela gritou de volta- Desculpa Lyon, eu tenho que ir.

 -Sem problema –Me levantei juntamente á ela.

 -Vê se aparece de vez em quando –Dizia Helena puxando minha orelha.

 -Ok Ok...

 -Bem, até mais! –Ela voltava para onde Subaru estava acenando para mim.

.

.

.

Não sei porque, mas... Sinto um aperto no meu peito...

-Lyon Off-

 ***

-Helena On-

 12:00

  Eu estava cansada. Acabou que virou um treino intensivo, já que todo meu corpo estava dolorido e completamente exausto.

-Temos que treinar mais sua resistência pirralha... –Subaru jogou a toalha em minha cabeça.

-Foram cinco horas seguidas... –Sequei meu rosto- Preciso descansar.

-Precisa mesmo, até porque é hora do almoço.

-Ainda bem, daqui á pouco meu estomago vai se digerir sozinho –Dizia enquanto apontava para minha barriga que roncava.

-Vamos logo –Ele estendeu á mão para mim levantar do chão e foi oque fiz.

-Vem comigo? –Perguntei andando calmamente para dentro do castelo.

-Sim, não podemos deixar você sozinha –Subaru respondeu me acompanhando.

-Isso tem á ver com o Kino?

-Claro, ele é um inimigo.

-Mas é isso que me deixa com uma pulga atrás da orelha Subaru.

-Como assim? –O albino disse confuso.

-Sinto que ele está escondendo algo á mais... -Caminhamos alguns corredores á frente.

-É isso que queremos descobrir –Ele disse abrindo á porta da cozinha- Ontem Ruki nos deu noticias.

  -Noticias? –Adentremos a cozinha.

-Sim, Ruki conversou com os Tsukinamis á respeito de Kino –Nós procurávamos um funcionário que trabalhasse ali e logo atrás do balcão pude ver o mesmo menino que me atendeu no dia anterior.

-Ah é você... –O garoto falou surpreso indo em nossa direção.

-Oi, queremos almoçar, qual o cardápio de hoje?

-Temos costelas hoje.

-Ok, quero uma –Falei fazendo meu pedido.

-Certo, trago em instantes... –Ele reverenciou e depois foi preparar meu prato, enquanto isso decidi conversar com Subaru sobre essa “noticia”.

-E então oque os Tsukinamis disseram? –Perguntei para o vampiro.

-Bem, eles aceitaram investigar Kino para obtermos informações que só ele tem, se caso descobrirmos temos um passo á frente do ministério –Explicou o albino.

 -Por acaso Kino trabalha para o manda chuva? –Eu disse curiosa.

 -Provavelmente, o manda chuva é muito poderoso dentro e fora do ministério.

 -Talvez Kino tenham um dedo metido nessa história, e não é por coincidência –Eu dizia pensativa- Pois pense só, se ele é lacaio do manda chuva então suponho que eles queiram algo.

-Pois é, vampiros são gananciosos.

-Que problema...

-Concordo... –Nós dois suspiramos.

  Nesse pequeno tempo conversando o garoto dos olhos azuis voltara com minha comida em mãos, o qual me entregou.

-Obrigado –Agradeci.

-Não tem de que –E mais uma vez ele reverenciou.

  Saímos da cozinha e fomos para o salão principal me sentando ao lado de Subaru, sem muito cerimonia comecei á comer para poder recuperar minhas forças.

-Sabe, eu estive pensando numa coisa -Comentou Subaru.

-Oque? –Perguntei com a boca cheia de comida.

-Quando você lutou com KarlHeinz, me lembro de você usar seus poderes.

-Ah... Isso –Me recordei da cena de luta que tive com KarlHeinz, confesso que aquilo me chateou um pouco- Oque tem? –Continuei comendo.

-Eu percebi que ali você usava seus poderes de uma forma totalmente diferente.

-Porque lembrou disso justo agora? –Parei de comer o encarando.

-Porque se você usou aqueles poderes uma vez, acho que pode usar de novo... –Ele me olhou com uma expressão séria.

-Usa-los de novo?

-Sim, tenho á hipótese de que se você canalizar a sua raiva, pode usar de uma forma totalmente diferente.

-Então está me dizendo que meus poderes são liberados através da raiva...?

-Acredito que sim, mas por enquanto é só uma hipótese –Falou ele brincando com um guardanapo da mesa.

-... –Parei analisando a explicação de Subaru, ele estaria mesmo correto?

     Até faz sentindo, já que quando ataquei KarlHeinz eu estava com raiva. Se eu canalizar essa raiva posso usar meus poderes, porém preciso aprimora-los, não quero me descontrolar como da ultima vez.

-Quer tentar...? –Perguntei para o albino.

-Só se você quiser, não vou te forçar... –Subaru dizia calmamente.

 .

.

.

Bem. Acho que só me resta crer para ver.

-Ok, vamos fazer isso –Falei com firmeza.

-É assim que se fala –O vampiro sorriu bagunçando meus cabelos, eu apenas sorri de volta arrumando meus fios de cabelos.

-Vou levar isso para a cozinha –Disse me levantando com meu prato na mão.

  Dito isso fui até a cozinha que era do lado do salão principal, chegando ao local entrego o prato para o garoto agradecendo de novo.

-Desculpa senhorita, mas você é a Helena? –Ele dizia com um pequeno papel na mão.

-Sim, porque...?

-Seu pai me pediu para te entregar isso...–O mesmo me deu o papel que estava em sua mão.

-Para mim? –Havia um bilhete escrito.

“Querida Helena, queria me desculpar pelo oque aconteceu ontem.

Sei que está tentando nos proteger, mas saiba que eu também estou e não quero te perder minha filha.

Contudo, eu só te quero dizer que aceito sua decisão, acho que você já está grande o suficiente para tomar suas próprias decisões... Mas agora eu preciso ir”

-Com amor, Caleb.

  Fiquei sem palavras após ler oque meu pai havia escrito.

-Você sabe para onde ele foi?! –Disse aflita.

-Me desculpe, eu não sei –Respondeu o garoto.

-Tudo bem, eu agradeço... –Saí da cozinha logo dando de cara com Subaru que me aguardava.

-Ei oque houve pirralha? –Subaru percebeu minha preocupação.

-Você sabe onde está meu pai? –Perguntei mais uma vez impaciente.

-No mesmo andar do nosso dormitório.

-Ótimo, venha comigo...-Arrastei Subaru pelo braço indo para o elevador, adentramos o mesmo enquanto eu selecionava o terceiro andar.

-Oque está acontecendo pirralha? –O vampiro expressava preocupação.

-Não posso explicar agora...–Então o elevador havia chagado ao terceiro andar, nós saímos andando apressadamente até a parte dos dormitórios- Qual é o número do quarto?!

-307! –Respondeu o albino num grito.

   Num movimento brusco parei na frente da porta com o número 307, sem demora abri a mesma entrando no local, onde felizmente estava meu pai fazendo suas malas ao lado da cama.

-Pai... –Disse aliviada em vê-lo.

-Helena –Meu pai dizia com uma cara de surpresa.

-Você ficou louco? –Me aproximei dele com meus olhos carregados de lágrimas.

-Helena eu... Eu... –Ele estava apático perante minha presença.

-Você oque? Iria me deixar, é isso? –Senti algumas lágrimas caírem de rosto.

-Não, eu só queria...

-Queria ir para longe?! –Eu batia em seus ombros com raiva.

-...Desculpe... Me desculpe Helena –Ele me abraçou dizendo desculpa diversas vezes, eu apenas chorei.

  Oque meu pai pretendia fazer? Queria me deixar? Ele não me ama mais?

Por que...?

   Somente me permiti chorar abraçada ao meu pai. Então ficamos ali naquela posição por um bom tempo, as mãos tremulas do mais velho acariciam minha cabeça tentando me acalmar, enquanto eu apertava sua camisa com força evitando que ele fosse embora.

   Assim que tudo se acalmou nós nos encaramos.

-Oque estava tentando fazer? –Perguntei um pouco rouca por conta do choro.

-Eu só agi por impulso, queria deixar você deixar sua vida á sua maneira. Ultimamente tenho reparado que os meninos são como uma família para você, te tratam muito bem, diferente de mim...

-Mas você também é minha família...

-Eu fiquei muito tempo longe de você minha filha, não mereço ficar perto, não sou um bom pai.

-Claro que é! Quem é que cuidou de mim quando a mamãe não estava com a gente? Hein?! Foi você! E se não fosse por você provavelmente eu não estaria aqui agora...

-Você está tomando decisões perigosas, eu queria te manter longe do perigo...Desculpe.

-Não posso ficar longe disso, é um mal necessário pai.

-Eu sei filha, infelizmente eu sei.

.         .        .  

***

   13:06

    Abri a porta do quarto de meu pai vendo Subaru encostado na parede me esperando.

-Está tudo bem? –Ele andou em minha direção.

-Bem melhor do antes... –Eu dizia com a cabeça um pouco baixa.

-Não fique assim pirralha... –Subaru deu um meio abraço a fim de me acalmar.

-Obrigado Subaru –Sorri de canto.

-De nada –Vi suas bochechas rosarem- Como está seu pai?

-Ele e eu precisamos de um tempo para digerir essa situação.

-Estão precisando mesmo... –O mesmo limpou o canto de meus olhos que estavam molhados, fiquei surpresa com tal atitude já que Subaru é um pouco agressivo.

 Encarei fixamente seus olhos vermelhos que possuíam um brilho diferente do habitual. As mãos gélidas do vampiro pousaram em meu rosto de forma carinhosa, oque há de errado com ele...?

-Subaru... –O chamei.

-Oque?

-Eu preciso ir –Disse me afastando um pouco dele- Vou tomar banho....

-Ok, depois continuamos o treino... –Algo no gesto de Subaru me fez perceber que ele estava chateado, mas deve ter sido só impressão minha.

  Acenei em despedida para o albino dando de costas e quando olhei para trás uma ultima vez ele não estava mais lá, de qualquer maneira continuei andando. Peguei uma roupa limpa e fui para o banheiro me livrar de todo o suor em cansaço do treino.

  Me despi ligando o chuveiro para tomar um banho rápido, aproveitei e lavei meu cabelo. Assim que acabei fui para a banheira relaxar meu corpo, afundei meu rosto na água quente sentindo o vapor subir e assumir conta de todo o lugar.

Fiquei encarando o reflexo de meus olhos na água transparente, eles eram de uma cor intensa, vermelhos igual sangue...

 Estou com sede.

 .

 .

 .

    Balancei minha cabeça evitando pensar nisso. Não posso ficar pensando nisso, então decidi sair da banheira de uma vez. Me sequei e coloquei minha roupa, quando terminei saí do banheiro indo para meu quarto.

Demorou poucos minutos para chegar, abri a porta adentrando o local onde se encontrava Ruki dormindo. Aproximei dele deitando na cama e por longos segundos fiquei olhando sua feição, mas não foi preciso muito para o vampiro poder acordar.

-Helena... –O moreno abria os olhos um tanto sonolento.

-Voltei.

-Que bom –Ele bocejou esfregando os olhos- Oque estava fazendo com Subaru?

-Estou treinando com ele pelas manhãs –Respondi.

-Treinando para oque? –Pude ver que ele estava confuso.

-Bem, se caso o ministério atacar eu estarei preparada...

-Você está ficando louca Helena –Ruki passou as mãos em meu cabelo- Vai ficar tudo bem...

-Tem certeza disso? –Perguntei receosa quanto às palavras dele.

-Sim –O mesmo disse pondo um mecha de cabelo meu para trás.

-Eu espero... –Encostei minha testa na da de Ruki.

-Não se preocupe –Ele deu um beijo suave em meus lábios- Eu estou aqui.

  Eu estava cansada demais para discutir sobre isso com Ruki, por isso decidi deixar quieto, de toda forma vou dormir até que chegar de noite já que não havia muita coisa para fazer á essa hora da matina.

  -Vamos dormir –Falei me aconchegando nos braços de Ruki.

  -Sim... –E em poucos segundos o vampiro já havia adormecido.

   E eu também...

-Helena Off-

***

-KarlHeinz-

    17:45

    Eu estava em meu escritório cuidando de algumas papeladas relacionadas ao ministério, passei a tarde inteira assinando e carimbando papeis, tanto que nem tive tempo de ver as leis.

    Faltava cerca de 10 folhas para acabar o serviço quando o telefone toca repentinamente, larguei a caneta de minhas mãos logo atendendo ao telefone.

-Alô, KarlHeinz falando.

-Oi, aqui é os Tsukinamis.

-Ora vejam só, oque levam vocês á ligarem para mim? –Disse sarcástico.

-Algo do seu interesse –Pude ouvir a voz de Carla num tom sério.

-Continue... –Fiquei intrigado com as palavras do mesmo.

-Conseguimos algumas informações á respeito de Kino.

-Ótimo –Sorri vitorioso- Que tal fazer uma reunião aqui  no castelo para discutimos isso melhor? –Sugeri.

-Se não for incomodo...

-Não mesmo, quero os dois aqui ás 18:30 na biblioteca, entendido?

-Sim senhor, até breve –Se despediu Carla.

-Até... –Disse desligando o telefone.

   Tenho que avisar os outros sobre a reunião, mas primeiro vou terminar de assinar esse papéis, oque não demorou muito. Carimbei á última folha colocando-a no monte de folhas, suspirei de alivio por finalmente ter acabado.

    Levantei da cadeira pronto para sair do escritório e ir em busca de Reiji, caminhei até o dormitório do mesmo batendo na porta.

-Reiji? –Falei um pouco impaciente.

-Oque faz aqui? –Dizia Reiji abrindo a porta.

-Que bom que está acordado –Dei um sorriso debochado- Preciso que você acorde os outros.

-Por qual motivo? –Ele limpava seus óculos.

-Temos uma reunião ás 18:30 na biblioteca com os Tsukinamis, eles trazem noticias...

-Ok –O vampiro concordou sem questionar.

-Excelente, conto com você.

-Sim...

-KarlHeinz Off-

-Reiji On-

-Excelente, conto com você –Falou KarlHeinz com aquele sorrisinho no rosto.

-Sim... –Eu disse breve.

-Eu já vou indo –Ele as costas indo sei lá onde.

   Bem, eu tenho que acordar aquele bando de imbecis.

Entrei em meu quarto trocando de roupa rapidamente, arrumei meus cabelos e ajeitei meus óculos. Assim que terminei fui avisar os outros batendo na porta de cada um, fui no quarto de Subaru primeiro.

-Ei qual o motivo dessa gritaria?! –Berrou Subaru.

-O único gritando aqui é você –Respondi Subaru.

-Oque faz aqui? –Ele perguntou.

-Terá uma reunião na biblioteca ás 18:30.

-Tá, agora saí fora... –O mais novo fechou a porta rapidamente.

-Oque foi isso? –Disse Ayato, Laito e Kanato atrás de mim.

-Isso é um aviso para vocês estarem na biblioteca ás 18:30, entendido?

-Sim mamãe Reiji pode deixar... –Ayato debochou.

-Francamente, vão se arrumar –Suspirei pesadamente indo avisar a preguiça loira.

  Parece que isso vai demorar...

-Reiji Off-

-Helena On-

  Eu já havia acorda á um tempo, mas estava enrolando para levantar na cama, porém ouço batidas na porta que me fazem despertar de uma vez só.

-Q-quem é? –Perguntei surpresa.

-Sou eu, Reiji...

   Aí meu coração...

-Já vou –Respondi andando até porta abrindo a mesma- Oque houve? –Vi um Reiji impaciente á minha frente.

-Só vim avisar que teremos uma reunião ás 18:30 na biblioteca...

-Ok, está tudo bem com você?

-Mais ou menos, nada para se preocupar –Ele massageou as têmporas.

-Hm, se cuida... –Fechei a porta.

-Uma reunião? –Ruki falou acordado.

-Sim, parece importante- Me aproximei do mesmo.

-Não quero levantar... –Ele afundou a cara no travesseiro.

-Depois eu que sou preguiçosa.

-Dê um desconto –Falou o vampiro.

-Ok ok –Disse indo em direção ao armário para trocar de camisa.

  Estava tudo tranquilo até eu sentir uma mão gelada tocar em mim, me arrepiei dos pés á cabeça.

-Buu –Brincou Ruki.

-Pelo amor, não faço mais isso... –Falei repreendendo-o.

-Desculpe –Ruki me abraçou por trás.

-E-eu tenho que trocar de roupa –Dizia corada já que eu estava apenas de sutiã.

-Tudo bem, só vamos ficar assim por mais um tempo... –O moreno se aproximou de minha nuca, me fazendo senti sua respiração.

-R-Ruki? –O chamei.

-Só mais um pouco... –Ele começou a beijar e mordiscar meu pescoço, confesso que aquilo era provocativo e eu não iria ficar parada já que Ruki queria jogar sujo.

-Minha vez... –Me soltei dele rapidamente jogando-o no armário, o mesmo pareceu surpreso por um momento, mas logo deu um sorrisinho malicioso para mim.

 Fiquei próxima de seu rosto e não hesitei em beija-lo e pelo visto nem ele. Admito que foi um beijo um pouco violento, mas era uma mistura de impulso com instinto, nós precisávamos sentir um junto ao outro.

  Com isso ignorei totalmente o fato de que tínhamos uma reunião e sendo sincera eu nem ligava. As mãos de Ruki percorriam em todo meu corpo, desde minha cintura até as coxas, e eu gostava do ele fazia era uma sensação ótima.

  Por conta da nossa agressividade acabei mordendo o lábio inferior do vampiro fazendo com que sangrasse na hora, felizmente ou não o sabor metálico junto ao beijo deixava tudo melhor ainda e do jeito que isso está indo já sabia onde iria terminar: sexo.

   Ruki não se incomodou pelo fato de sua boca estar sangrando, ele apenas continuou, só que dessa vez apalpando meus seios e aquilo me deixou ainda mais ansiosa pelo oque estava por vir. Então apressadamente rasguei a camisa de Ruki sem nem um pingo de pudor e cada vez mais eu sentia seu corpo, me intrigou de certa forma.

   Ele deixou a razão de lado e abriu o feixe do sutiã assim podendo ter mais liberdade, separamos nossas bocas respirando totalmente ofegantes. Eu conseguia ver a luxuria nos olhos dele e não estaria muito diferente de mim, não posso negar.

   Meu coração palpitava descompassado e uma maldita sede começou á tomar conta da minha garganta, eu precisa de sangue.

-Está com sede não é? –Ele perguntou, eu somente o encarei tentado não atacar aquele pescoço branco.

-E se eu estiver? –Franzi o cenho.

-Sei que está... –Ruki aproximou seu pescoço me fazendo sentir aquele cheiro importuno de sangue.

   Que droga Ruki!

 Meus sentidos falavam mais alto, peguei a nuca do mesmo trazendo seu pescoço para mais perto e num movimento rápido minhas presas cresceram logo em seguida cravando-as na pele de Ruki.

 Pude ouvir ele soltar um gemido de dor por causa da minha força, porém o gosto de sangue era simplesmente incrível, eu precisava desesperadamente desse liquido descendo pela minha garganta. É tão bom...

 Após alguns minutos soltei o pescoço de Ruki totalmente satisfeita, ele então sorriu e disse:

-Minha vez...

  Dito isso o vampiro tirou meus cabelos da área do pescoço e mordeu fazendo todo o processo de sugar meu sangue. Não reclamei, Ruki também precisa saciar sua sede assim como eu, então esperei até que ele estivesse satisfeito.

     Entretanto podia perceber que suas mãos estavam se movimentando para baixo, abrindo meu short, eu comecei á entrar em pânico. Não podíamos continuar mais do isso...

     Pensando nisso me afastei de Ruki o empurrando para longe, meu sangue escorria por toda extensão do meu pescoço, mas com sorte minha ferida se curou rapidamente. Pude perceber que ele estava um pouco desnorteado com a situação, porém logo entendeu oque eu queria dizer.

-Rápido demais né? –Ruki disse num tom chateado.

-Desculpa, eu só não estou acostumada á fazer esse tipo de coisa... –Por mais que eu já tivesse feito isso com ele.

-Tudo bem, eu entendo –O mesmo abriu o armário pegando uma blusa colocando-a na minha cabeça- Se vista, temos que ir...

   Confesso que me senti mal por ter interrompido. Ruki apenas limpou o sangue que estava em seu pescoço e pôs uma camisa com um casaco por cima, eu fiz o mesmo que ele. Quando terminamos de nos arrumar ele abriu a porta e fomos em direção á biblioteca.

     O mesmo não falou nada durante todo o trajeto, então antes de entramos na biblioteca eu o parei perguntando:

-Ei, está tudo bem...?

-Sim, porque não estaria?

-Porque você está chateado comigo... –Respondi.

-Eu só estou um pouco chateado, só isso –Ele disse seco entrando na biblioteca junto comigo.

   Sentamos nas poltronas restantes enquanto os resto do pessoal não vinham, só havia Laito, Reiji e Subaru ali. Ruki ficou de cara fechada sem conversar comigo, e aquilo me preocupou um pouco.

  Oque eu faço...?

-Shin On-

   18: 23

    Eu e meu irmão estávamos á caminho do castelo de Vandead Carnival para poder passar as primeiras informações de nossa investigação. Há cada minuto que passava o fluxo de pessoas só aumentava, sorte que não demorou para poder chegar ao nosso destino.

Adentramos o castelo indo ao encontro dos Sakamakis e Mukamis, pegamos o elevador para ir ao terceiro andar, logo em seguida andando para a parte da biblioteca onde haveria uma reunião. 

 Carla abriu a porta da biblioteca entrando na mesma e depois eu, todos estavam presentes ali, não faltava ninguém. Ficamos no centro na espaçosa sala de frente para os vampiros.

-Estão atrasados –Reiji dissera com uma expressão impaciente.

-Desculpe, o transito pegou a gente de surpresa –Disse irônico para o mesmo, mas ele pareceu não gostar.

-Sem brincadeiras Shin –Repreendeu meu irmão.

-Ok ok –Falei revirando os olhos.

-Que bom que vieram –Pronunciou KarlHeinz- Quais são as novas?

-Fomos até o ministério e pegamos algumas informações que podem ser úteis –Eu respondi.

-Sim, aparentemente Kino trabalha para o manda chuva –Carla falou.

-Isso explica o fato dele estar nos rodeando –Laito comentou.

-Entretanto não é só Kino que está rodeando vocês –Meu irmão disse deixando uma todos com uma gota de preocupação.

-Quem mais está na nossa cola? –Perguntou Ruki.

-Ao todo são três pessoas –Dizia pegando fichas com informação de cada um- Aqui estão... –Mostrei para KarlHeinz.

-O primeiro deles é Asmodian, um demônio da alta classe no ministério, trabalha na administração. Infelizmente não sabemos muita coisa sobre ele –Explicou Carla.

 -O segundo é Zara, um descendente de feiticeiros, trabalha na parte judiciaria e no controle de magia do ministério. Ele possuí grandes habilidades com magia, considerado um dos mais fortes –Eu continuei a explicação.

-E o terceiro acho que vocês já devem saber, é Kino. Filho ilegítimo de KarlHeinz e um vampiro servente do manda chuva, boatos de que ele planeja algo grandioso, todos dentro do ministério estão depositando esperanças nele e nesse seu “grande plano”.

-Todos eles trabalham para o manda chuva? –Falou Helena.

-Sim –Carla respondeu.

-Só descobriram isso? –Reclamou Ayato- Pensei que iriam trazer algo melhor...

-Então faz você sua investigação –Lancei um olhar ameaçador para o ruivo -Caso não saiba é importante reconhecer o campo inimigo –Ele completou.

-Vamos, não briguem... –Bufou Laito impaciente com a situação.

-Apenas parem com essa baderna –Reiji dizia irritado.

-De qualquer forma, temos trabalho á mais para fazer... –Balbuciou KarlHeinz.

-Como assim? –Helena encarou o albino.

-Agora que sabemos a existência de três lacaios na nossa cola temos que investigar os outros dois –Disse ele para a vampira.

-Isso quer dizer que... –Murmurou Kou.

-Sim, mandarei os Mukamis para o serviço –Completou o rei dos demônios.

-Mas isso é muito arriscado –Yuma falou receoso.

-E de que outra maneira temos de fazer isso sem arriscar? –KarlHeinz  soltou um suspiro de irritação- Kou e Ruki, vão atrás de Asmodian. Azusa e Yuma vão atrás de Zara, temos que preparar o campo de batalha o mais rápido possível –Dito isso ele me deu as fichas de volta e saiu da biblioteca sem dizer mais nada.

-Vocês quatro virão para a mansão Tsukinami –Carla se referiu aos Mukamis- Espero não ter imprevistos...

Então todos ficaram em silêncio, meu irmão apenas se virou e abriu a porta da biblioteca.

-Sigam-me...  –Disse aos Mukamis que logo se levantaram e saíram da sala, menos Ruki que se despediu da humana, mas ele se levantou e veio conosco- Adeus Sakamakis e companhia –Eu dizia fechando a porta da biblioteca.

 Agora temos que cuidar dessa cambada...

-Shin Off-

-Helena On-

   Shin e Carla saíram da biblioteca deixando um clima estranho no ar, ninguém falava nada, eu só conseguia ouvir o barulho dos ponteiros do relógio. Podia ver que os Sakamakis estavam pensativos com a situação e eu também.

 Nossa linha de raciocínio é interrompida por Shu que decide falar.

-Oque vamos fazer agora? –Pronunciou o loiro.

-Vamos jantar... –Disse Ayato que provavelmente estava com fome.

-Pelo o amor, você só pensa em comida? –Dizia Reiji.

-Não me culpe, acabei de acordar...

-Ayato-kun tem razão, estou com fome também –Laito concordou com o irmão.

-Sim, acho que todos estamos... –Falou Kanato que logo olhou para Teddy- Não é Teddy...?

-Então vamos para cidade –Shu sugeriu.

-Se decidam logo! –Subaru gritou estressado.

-Vamos para cidade... –Reiji cedeu por fim.

-Finalmente! –Ayato disse empolgado, então todos se levantaram da poltrona e saíram da biblioteca exceto eu e meu pai.  Tomei coragem e fui falar com ele á respeito do que aconteceu, queria me desculpar.

-Pai... –O encarei- Me desculpe.

   Por míseros segundo eu só pude ouvir o silencio, porém ele logo se levantou e me abraçou.

-Esta tudo bem Helena, eu não vou embora... –Então eu devolvi o abraço.

-Não faça eu me preocupar daquele jeito.

-Desculpe –Ele riu de leve- Vai sair?

-Sim, vem com a gente?

-Não, pode ir... Eu não tenho mais disposição de jovem –Meu pai brincou.

-Deixa disso, você está quem ótima forma...

-Eu agradeço o convite, mas pode ir –O mesmo beijou minha testa- Divirta-se.

-Tome cuidado pai... –O olhei apreensiva.

-Ok ok.

-Certo, eu já vou –Beijei sua bochecha me despedindo.

-Até!

   Saí da biblioteca dando de cara com todos os Sakamakis.

-Estavam me esperado?

-Claro pirralha –Bufou Subaru.

-Obrigado –Disse me juntando á eles.

-Deixe os agradecimentos para depois, vamos logo... –Reiji falou impaciente e todos nós fomos para a cidade.

Fiquei no meio de Laito e Reiji, durante o caminho eu conseguia perceber os olhares do ruivo para mim á todo momento e aquilo me incomodou de certa forma. Depois de um tempo ele finalmente decidiu falar comigo.

-E como foi? –Ele perguntou com uma expressão maliciosa.

-Como? –Fiz uma expressão confusa.

-Vamos eu sei porque você demorou para chegar na biblioteca...

-Não me diga que é sobre Ruki? –Falei com receio.

-Bingo!

-Porque quer saber disso? –Cruzei meus braços um pouco corada.

-Bem, eu estou te ajudando, espero ser recompensado pelo menos com uma informação.

-Uma informação bem desnecessária...

-Vamos, conte de uma vez –Laito passou o braço envolta de mim.

-Você é impossível Laito... –Suspirei.

-Eu sei –Ele riu.

-Bem, não foi nada demais... A gente só se deixou levar pelo momento... –Senti minhas bochechas esquentarem.

-Eu quero detalhes Bitch-chan.

-Você está abusando demais...

-Qual o problema de me contar isso?

-É embaraçoso –Respondi com se fosse óbvio.

 -Sou seu amigo, pode me contar –Vi que Laito pareceu sincero perante suas palavras, ponderei, mas então decidi contar.

-Nós dois estávamos nos beijando sabe?

-Vocês estavam se pegando na verdade... –Falou o ruivo me deixando com mais vergonha ainda.

-S-sim, mas eu vi que as coisas estavam indo longe demais e eu decidi parar.

-Ruki-kun deve ter ficado chateado.

-Como sabe? –Disse surpresa.

-Porque eu também ficaria chateado.

-Não fale por si mesmo Laito...

-Não falo por mim mesmo, pois veja bem... Ruki é um homem, ele tem necessidades.

-Desde quando sexo é uma necessidade?

-Vamos, você sabe oque eu quero dizer –Laito dizia impaciente.

-Então eu tenho que me desculpar com ele?

-Também...

-Meu Deus, você está me deixando confusa.

-Esqueça, depois conversamos sobre isso –Ele se deu por vencido.

-Ok.

   Espero que Laito me ajude...


Notas Finais


*Eu quero ter um Laito pra guardar no potinho gente <3

*Ruki mozão está #chateado

*Kino, Asmodian e Zara em: A TURMINHA DA PESADA.

*E tudo isso se resume nesse capitulo... :v

HEHEHE

Espero que tenham gostado <<3

Beijos *3*

BAE BAE o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...