História Paixão Fora do Normal - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Keisashi, Kenki, Miki, Minachris, Minari, Romance, Yaoi, Yuchris, Yuri, Yuyu
Exibições 14
Palavras 1.075
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 14 - Sentimentos Confusos


-Então, Minako, disse pro Yuri o que você sente por ele? -papai perguntou enquanto jantávamos.

-É, eu disse -respondi desanimado.

-E o que ele falou?

-Disse que gosta de mim somente como um amigo -me debrucei na mesa.- Eu já esperava que ele diria isso, afinal o Yuki já o conquistou.

-Sinto muito, filho -colocou a mão no meu ombro.

-Mas eu não vou desistir, vou lutar pelo Yuri até o fim, é uma promessa -bati a mão na mesa determinado.

-É assim que se fala, eu estou orgulhoso -disse sorrindo.

-Mas, tem uma coisa que está me incomodando... -abaixei a cabeça e lembrei do beijo que o Chris me deu.- Se o Chris também gosta do Yuri, então por que ele me beijou?

Era estranho, bom, mas estranho. O Chris nunca olhou pra mim, então por que ele disse que me ama e me beijou? Ah, claro. Ele estava bêbado, e quando alguém está bêbado, não é responsável por seus atos. Eu também estava bêbado e mesmo assim beijei o Yuri. Se meu pai descobrisse que eu o beijei e fiquei bêbado, me colocaria de castigo com certeza, mas se o Yuri gosta do Yuki, tudo o que me resta é aceitar.

-Tem mais alguma coisa que está lhe incomodando, filho? -perguntou preocupado.

-Tem sim, mas se eu disser, o senhor vai me castigar...

-Diga -segurou a minha mão.

-Tudo bem: eu fiquei bêbado na festa e beijei o Yuri -respondi corado.

-Eu vou castigá-lo só por ficar bêbado, porque você ainda não tem idade pra isso, mas eu fico muito orgulhoso por você ter finalmente beijado seu grande amor -me deu um beijo na buchecha.

Então está decidido, amanhã mesmo eu vou na casa do Yuri me declarar mais uma vez. Eu só precisava de coragem pra fazer isso.

POV's Ken.

Ouvi baterem na porta, abri a mesma e dei de cara com o Eric.

-S-senhor Plisetsky? O que faz aqui? -perguntei com um pouco de medo.

-Fiquei sabendo que sequestrou um garoto de programa pra vender os órgãos dele -deslizou o indicador pelo meu rosto e apertou meu pescoço.- Onde ele está?

-No banheiro -me soltou e foi até lá.

-É um garoto muito bonito -comentou admirando cada detalhe do corpo dele.- Quantos anos ele tem?

-Eu tenho 14 -Nezumi respondeu sorrindo.

-E qual é o seu nome?

-Nezumi, mas sou mais conhecido como "máquina de prazer" -disse sorrindo.

-Não o mate, ainda. Vou querer experimentar um pouco dessa "máquina de prazer" -eu quase vomitei quando o Eric beijou o Nezumi.

Sério, o que as pessoas acham de atraente em pessoas do mesmo sexo? Só sendo doente mental pra pegar um homem.

-Ken -fui despertado do tranze pela voz do Eric.- Terça-feira, eu virei aqui

POV's Yuri.

Quando acordei, a primeira coisa que eu vi foi o Yuki dormindo ainda. Os fios dourados dos seus cabelos estavam caidos delicadamente sobre seus olhos, a boca levemente aberta e sua respiração lenta o deixava ainda mais sexy, seus músculos levemente definidos desapareciam sob o tecido grosso do cobertor que nos cubria, seus lábios com um tom levemente rosado e suas buchechas coradas o deixava mais fofo. Eu poderia ficar admirando sua beleza pela eternidade, até que seus olhos se abriram e um sorriso se estampou no seu rosto.

-Ohayou, Yuri-chan -cumprimentou-me sorrindo ao acordar.

-Ohayou, olhos brilhantes -cumprimentei-o de volta também sorrindo.

-Olhos brilhantes? Sério? -ri levemente.

-Não consegui pensar em outro melhor -respirei fundo já sabendo da resposta dele.

-E que tal "meu amor"? Parece um belo apelido -tentou ficar por cima de mim, mas eu o empurrei antes e me levantei.

-Pra um casal apaixonado, é sim. Mas não somos um casal e nem estamos apaixonados -respondi e me troquei.

-Só não somos um casal porque você não quer -peguei as roupas que ele me emprestou do chão e as joguei nele.

-E porque não podemos, minha família não gosta de você e a Mimi está apaixonada por você, são muitas as coisas que nos impedem de ficar juntos -expliquei fechando o feixo do cinto.

-Você é uma dessas coisas que nos impede -ele tinha razão, eu também impedia e muito de nós ficarmos juntos, mas como eu era orgulhoso demais, claro que não ia admitir isso.

-Vamos descer, a Akira e a Keiko já devem ter chegado -falei terminando de vestir o meu inseparável moletom do King.

-Por que você é tão apegado a esse moletom? -perguntou curioso.

-É um presente especial, foi um presente de aniversário que eu ganhei da minha Oba-chan -expliquei sorrindo.

-Entendi -se levantou e foi pro banheiro.

Eu estava sentindo um enorme vazio sem o meu celular, a tia Akira exagerou nesse castigo. Yuki saiu do banheiro já devidamente trocado. Descemos e nos unimos aos outros pra tomar café. Quando terminamos, ficamos conversando por um longo tempo, o Hisashi-san ficou mostrando algumas fotos do Yuki quando era bebê (ele era uma gracinha >///<)

-Yuri-kun, o que acha de ser padrinho do nosso casamento junto com o Yuki? -Aika perguntou sorrindo.

-É, até agora eu sou o único padrinho e a Mimi uma das madrinhas, aceita Yuri -Yuki pediu sorrindo e discretamente colocou a mão sobre a minha.

-N-não sei, mas acho que pode ser uma nova experiência -respondi sorrindo e Yuki deu um sorriso de canto, percebi que a Sakuragi-sama deu uma piscadela olhando pra nós.

-Tem alguma coisa no seu olho, Oba-chan? -Aika perguntou com a mão no ombro dela.

-Tinha um cisquinho no meu olho, mas já saiu -respondeu sorrido.

-Sua Oba-chan sabe sobre nós? -perguntei num sussurro olhando pro Yuki.

-Hai, por que você acha que eu fui atrás de você ontem? -acabei corando e assenti em forma de sim.

Depois de mais um pouco de conversa, finalmente fui embora pra casa, e quando eu cheguei lá, óbvio que elas já tinham chegado. Elas ficaram fazendo várias perguntas sobre a minha "namorada", e eu tratei de ignorar todas. Fui pro meu quarto e me joguei na cama, e na minha cabeça só vinham lembranças da noite passada. O Yuki foi o primeiro que conseguiu me fazer chegar mais perto de uma possível ereção seguida de uma ejaculação, eu precisava tirar aqueles pensamentos da cabeça. Eu precisava decidir logo o que eu sentia por ele. Bom, eu gostava de ficar com ele, gostava de conversar com ele, das cantadas baratas dele eu gostava, sua presença ao meu lado me fazia sentir especial, eu não era nada antes de conhecê-lo, e eu o conheci semana passada (na quarta-feira pra ser mais exato), e pensar que antes de conhecê-lo, naquele mesmo dia, eu estava pensando em me matar... Mas, graças à ironia do destino, eu o conheci e tudo mudou. Eu realmente tenho muito a agradecê-lo.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...