História Paixão Fora do Normal - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Keisashi, Kenki, Miki, Minachris, Minari, Romance, Yaoi, Yuchris, Yuri, Yuyu
Exibições 4
Palavras 981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 16 - Um Pedido Fofo


Quando eu vi o Yuki e o Yuri se beijando, eu percebi que todas as minhas chances com ele foram por água abaixo. Senti alguém jogar um papelzinho na minha cabeça, olhei pra cima e vi que era o Chris, ele só deu uma piscadela básica e foi embora. Abri o papelzinho e estava escrito "Me dá seu telefone", eu estava morrendo de tanta vergonha que nem conseguia mais pensar no fato de que o Yuri e o Yuki estavam juntos.

POV's Chris.

Não demorou muito até o Minako vir até mim com o papel nas mãos, "É agora", pensei. Pra minha surpresa, ele só jogou o papel na minha cara e saiu correndo. Abri o papel e logo abaixo do que eu escrevi, estava escrito "Eu não tenho telefone T^T". E agora? O que eu ia fazer?

POV's Minako.

Era tão vergonhoso não ter telefone (eu conversava com o Yuri pelo computador). Alguns minutos depois, o Chris veio na minha direção e me deu outro papel (aquilo já tava parecendo até correio elegante). Abri o papel e estava escrito "Me encontre no ginásio no final das aulas". Senti meu coração bater mais rápido, guardei o papel na minha bolsa e voltei pra sala, e como já era de se esperar, Yuri e Yuki estavam juntos. Quando as aulas terminaram, fui pro ginásio, estavam lá o Chris e mais algumas pessoas (todas segurando uma placa).

-Eu pensei que você não viria -disse corado.

-O que você quer me falar? -perguntei curioso.

Na mesma hora, todas as pessoas levantaram as placas com letras, e formou a frase "Quer ser meu namorado?", eu fiquei sem palavras na hora. Nem eu conseguiria pensar numa coisa tão linda assim.

-Eu... Realmente não esperava por isso -abaixei a cabeça.

-Então, aceita? -perguntou apreensivo.

-Aceito -pulei no seu pescoço e o abracei com todas as minhas forças.

Era uma boa oportunidade de tentar esquecer o Yuri por um tempo, minha mente ficaria bastante ocupada agora que eu e o Chris estávamos juntos.

POV's Yuri.

-Quando iremos assumir que estamos namorando? -Yuki perguntou enquanto voltávamos pra casa de mãos dadas.

-Por mim, poderíamos assumir no Ano Novo, o que acha? -supus sorrindo.

-Vai demorar muito...

-Pelo menos vai ter tempo da minha família aceitá-lo -deitei a cabeça no seu ombro.

-Não quero a aprovação delas, pra mim a única coisa que importa é que nós possamos ficar juntos -segurou meu rosto e me beijou mais uma vez.

Paramos em frente de casa, por impulso apertei a mão dele um pouco e me encolhi atrás do mesmo.

-Sobe nas minhas costas -fiz o que ele pediu e senti ele dar uma leve apertada nas minhas nádegas (o que me fez corar).

Yuki me levou nas costas o resto do caminho e me colocou no chão quando chegamos na frente da casa dele. Entramos e a primeira pessoa que encontramos foi a Sakuragi-sama.

-Oba-chan, cadê os outros? -Yuki perguntou sorrindo.

-Hisashi foi fazer compras pra casa, Daisuke, Aika e Mimi foram comprar as roupinhas dos bebês -explicou sorrindo.

-Significa que estamos sozinhos? -assentiu em forma de sim.- Legal -me puxou pela cintura e me beijou delicadamente.

-Finalmente decidiram tudo entre vocês, fico feliz pelo meu netinho -Sakuragi-sama apertou as buchechas dele e eu ri.

-Oba-chan, yamette -pediu com dificuldade pra falar.

-Gomen -se desculpou sorrindo.- Yuri-kun, fico feliz por você finalmente entender o que você sente pelo meu neto, saiba que você ganhou na loteria por ter conhecido o Yuki -Sakuragi-sama me parabenizou por isso.

-Não foi nada, Sakuragi-sama -respondi sorrindo.

-Me chame de Sayuri-san, onegai.

-Tudo bem, Sayuri-san -lhe dei um beijo na buchecha.

-Oba-chan, nós vamos pro meu quarto. Se a Mimi chegar, diga que não é pra me pertubar porque estou dormindo, ok? -acenou com a cabeça em forma de sim.

-Divirtam-se, mas não passem do limite -corei e então fomos pro quarto dele.

-A Sayuri-san realmente acha que vamos fazer aquilo? -perguntei com um sorriso tímido.

-Hai, mas deixa ela se iludir um pouquinho pensando que vamos fazer aquilo -respondeu e voltou a me beijar.

Entramos no quarto aos beijos, jogamos nossas coisas no chão e deitamos na cama (mas não aconteceu nada de mais (*ノωノ)).

-É tão bom acariciar seus cabelos sem ter um sentimento de culpa... -Yuki comentou brincando com as minhas madeichas.

-Concordo -dei um sorriso tímido.

Ficamos naquela posição por um tempo até eu começar a ficar com fome.

-Está com fome? Vou preparar alguma coisa pra você -se levantou sorrindo.

-Não precisa...

-Eu insisto -olhei pela janela.- Volto depois -saiu e me deixou sozinho ali.

Me levantei e andei até a janela. A vista dali era linda, dava de ver quase todo o bairro japonês (e eu percebi que tinha algumas casas lindas ali). Lembrei que o Yuki havia dito que tinha mangás BL. Comecei a procurá-los, e acabei achando alguns como Full Moon, Loveless e Junjou Romantica, então era verdade, ele gostava de mangás BL. Senti minhas buchechas queimarem quando eu comecei a lê-los.

POV's Fuyuki.

Eu preparei a minha especialidade: Bolinhos de arroz, ele com certeza iria amá-los. Entrei no quarto e vi o Yuri de costas lendo alguma coisa.

-O que está lendo? -perguntei o fazendo dar um pulo por causa do susto.

-N-nada -certeza que ele tinha encontrado meus mangás BL (ele tava mais vermelho que o cabelo do Grell), olhei pra mão dele e vi que ele estava lendo meu mangá preferido: Full Moon.

-Vejo que escolheu um belo mangá pra ler -largou rapidamente, eu apenas ri da reação dele.

-Gomen nasai, eu não devia ter pegado seus mangás sem pedir...

-Não precisa se desculpar -me sentei de frente pra ele.- Abre a boca -me olhou sem entender, peguei um dos bolinhos.- Abre a boca pra eu te dar bolinhos de arroz -expliquei sorrindo.

Ele fez o que eu pedi, dar comida na boca dele era muito bom, nostalgia pura. E vê-lo saboreando meus bolinhos me deixava excitado, e muito. Quando ele terminou, limpei os farelos que ficaram em seu rosto.

-Arigatou gozaimasu, estavam uma delícia -agradeceu sorrindo.

-Não precisa agradecer -respondi e o beijei mais uma vez.

É, acho que nunca vou cansar de beijá-lo de surpresa.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...