História Paixão por acidente (ADAPTADA) - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Visualizações 57
Palavras 2.487
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Capítulo 14


 

- Não, obrigada. Posso esperar até o jantar.

 

- Hum, hum. Admito que preciso de uma xícara de café. Quer algo quente ou frio para beber?

- Hum... - O olhar nos intensos olhos verdes dizia que era melhor escolher um ou outro.

- Quente, por favor.

-  Aqui está o controle da cama - Deu o aparelho plástico a Camila junto com o folheto de instruções - Isto vem com calor e massagem. Só pressione estes botões se quiser ligar. Estes controlam os pés e a cabeceira da cama - Observou como a jovem mulher experimentava levantando a cabeça até que esteve em um ângulo de quarenta e cinco graus - Vou lhe deixar para que consiga usar isto e estarei de volta com suas meias.

Lauren voltou em poucos minutos com um par de meias brancas grossas e um ronronante monte de pelúcia alaranjada e branca.

- Veja quem encontrei escondida na área de serviço - Disse, deixando Marujita na cama e sorrindo quando viu os braços de Camila se envolver ao redor de sua preciosa gatinha.

- Olá doçura... senti sua falta - A jovem mulher sussurrou a sua satisfeita gata - Você engordou.

- Mrrow?

- Sentiu minha falta? - Abraçou Marujita outra vez, sem pensar nas lágrimas que derramavam saindo de seus olhos – Obrigada - Sussurrou a Lauren - Obrigada por tomar conta dela para mim. Não posso lhe dizer o quanto... - Sua voz se interrompeu e se deu por vencida para tentar falar.

- Eu sei - A mulher de cabelos negros disse suavemente - E de nada - Há uma semana não teria acreditado no que poderia significar tanto ter alguém que cuidasse de sua mascote, mas agora Lauren entendia o quanto importante o felino era para Camila.

- Hei, vamos colocar estas meias em você - Foi até o extremo da cama, todavia ainda olhando emocionada a reunião entre Camila e Marujita - Estas foram as mais quentes que eu pude encontrar - Disse enquanto afastava a manta. Reuniu o tecido de algodão em seus dedos e deslizou cuidadosamente sobre os dedos do pequeno pé de Camila, depois sobre a pele e o tornozelo coberto pelo molde. Com o calcanhar no lugar, parte da ponta das meias caia, mostrando claramente a diferença no tamanho dos pés das duas mulheres - Lamento isto. Conseguirei para você algumas de seu tamanho amanhã.

- Não tem que fazer isso, Laur. Estas estão boas, se não se importar que eu use suas meias. Além disso, elas têm que serem grandes ou então não vão caber sobre os moldes - O calor que emanava da cama não só tranquilizou Camila como também diminuiu a dor em suas pernas e a relaxou fazendo com que suas pálpebras se sentiam muito pesadas e não pôde sufocar um bocejo - Você se importaria seu eu descansasse um pouco?

- Claro que não, Camila, quando estiver cansada, é só me dizer - Lauren olhou para o computador e gemeu interiormente com o pensamento no trabalho que havia se acumulado durante toda a semana a espera dela - Incomodaria se eu trabalhasse um pouco?

- Oh, não. Vá em frente. Não me incomoda em absoluto - Camila não sabia se incomodaria ou não, mas não ia dizer a Lauren que não poderia fazer seu trabalho em seu próprio escritório em sua casa. Marujita parecia muito satisfeita deitada na cama quente e logo adormeceu.

No entanto, o sono não chegou tão facilmente para Camila. O tamborilar do teclado atraiu sua atenção a Lauren que trabalhava duro a alguns metros dela. Havia computadores na biblioteca pública e sabia como usá-los para localizar livros ou pouco mais. Inclusive desta distância podia ver que Lauren estava revisando algum tipo de folha com cálculos. Embora não pudesse ver bem a cara dela, Camila não tinha dúvida de que a cabeça da Jauregui Corporation franzia o cenho. Um lápis com o extremo bem mordido encontrou seu caminho dentro da boca de Lauren uma e outra vez. Quando este não estava sendo ruído, estava sendo empurrado para cima e para baixo na mesa, um evidente inquieto hábito. Assim como frequentemente uma incompreensível explicação saía da boca da culta mulher e da tela do computador assim também eram as mudanças de uma folha de cálculo a outra. Lauren se levantou e se aproximou dos arquivos, tirando um feixe de relatórios gerados no computador.

-Chris, que diabos está fazendo? - Perguntou alto antes de voltar a seu assento e comparar a informação do papel com o que dizia a tela do computador. Através de suas meias fechadas pálpebras Camila continuava olhando sua nova amiga lutando para encontrar sentido no que estava observando. Várias vezes Lauren se reclinou em sua cadeira de pele deixando sair frustrados suspiros. Eram nessas ocasiões que Camila podia ver seu rosto, testa sulcada com o pensamento, lábios franzidos. A jovem finalmente dormiu desejando poder fazer algo para diminuir os problemas de Lauren da mesma maneira em que a compassiva mulher havia diminuído os seus.

___________

 

Lauren desligou o monitor e girou em seu assento para encontrar Camila dormindo e Marujita justo a seu lado. O alaranjado e branco felino estava ocupado limpando suas patas e nem se incomodou em levantar o olhar quando a executiva saiu do quarto.

- Como está a pobrezinha, querida? - Maria perguntou quando Lauren entrou na cozinha.

- Ela está dormindo agora. Vou acordá-la quando o jantar estiver pronto - Alcançou um copo do armário antes de tirar uma cerveja da geladeira - De verdade agradeço que tenha ficado até tarde hoje para fazer isto.

- Não tem problema, Laur, você sabe disso - A mulher mais velha disse.

- O que aconteceu?

- Foi atropelada por um carro. Não tem família e ninguém mais para cuidar dela. Vai permanecer aqui até que esteja curada e não preciso que minha mãe e irmã saibam sobre isto - Lauren avisou, desejando evitar qualquer discussão familiar.

- Suponho que é a mãe de Marujita?

- Sim - Tomou um gole de cerveja e deu uma cheirada no forno - Cheira delicioso.

- Estará delicioso logo que estiver pronto. Inclusive nem pense em se aproximar e beliscar algo. - Maria lembrou que muitas vezes quando os garfos para o jantar desapareciam os encontrava no momento em que tirava o jantar do forno - Você não me disse do que ela gostava, então fiz uma caçarola de assado.

- Oooh. Soa delicioso - Os olhos de Lauren se iluminaram - Espero que tenha feito suficiente - Tomou outro gole de cerveja e deu uma olhada nas fileiras de gabinetes.

- Sabe onde está aquela bandeja que utilizamos quando mamãe esteve doente?

- Claro que sei. Diferente de você conheço as coisas ao redor da cozinha.

- Hei, sei onde estão as coisas. Encontrei a cerveja sem problemas - Lauren sorriu.

- Sempre dando uma de espertinha, não é, Lauren Michelle?

- Só com você, Maria - A mulher respondeu, inclinando-se e dando a sua querida governanta um beijo na bochecha e lhe remexendo o cabelo - Jantarei no escritório com Camila. Se precisar de ajuda é só me gritar.

- Considerando que servi a sua família inteira quando viviam todos aqui penso que levar dois jantares ao escritório não será um problema - Abriu a porta do forno e furou a carne e as batatas com um garfo grande - Agora vá se ocupar de sua hóspede. O jantar demorará pelo menos mais meia hora.

Uma vez que ficou novamente sozinha na cozinha, o sorriso sumiu da cara de Maria. Aproximou-se das portas de correr e olhou atentamente para fora na noite. A grande lâmpada de sódio iluminava a garagem e o destroçado Porsche dentro do interior desta.

- Oh Lauren... – sussurrou - O que você fez?

(...)

- Estava delicioso - Disse Camila pela milésima vez, colocando seu garfo para baixo no prato vazio - Nunca me interessei muito pelas cenouras, mas estas estavam deliciosas.

- Acho que Maria coloca um pouco de açúcar nelas enquanto elas cozinham - Lauren respondeu, tirando a bandeja do colo da jovem e deixando-a sobre a mesa - Você está pronta para a sobremesa?

- Sobremesa? - Olhos castanhos se iluminaram.

- Sobremesa. Sei que ela fez recentemente torta de chocolate e nozes e se eu procurar sei que encontrarei um pouco de sorvete para acompanhá-la - O olhar de completo prazer na cara de Camila trouxe um sorriso à cara da morena - Se mantenha assim e Maria lhe fará ficar tão grande como uma casa. Nada lhe dar mais prazer do que ver as pessoas desfrutando do que ela cozinha - Deu uma olhada na jovem mulher ainda em sua bata azul e branca de hospital - Claro que a você pode ser útil um pouco de carne nos seus ossos. De modo que não seria tão mal assim. Por falar nisso, vou lhe trazer algo mais cômodo para vestir do que essa coisa.

- Oh, acho que é um pouco estranho - Camila respondeu, levantando o tecido sobre seus ombros.

- Acho que não tenho uma calça que seja bastante grande para passar essas pernas, mas tenho certeza que uma camisa de dormir devo ter em alguma parte. Já volto - Recolheu os pratos vazios e saiu do quarto.

- Carnes em ossos? - Camila perguntou a Marujita quando Lauren saiu - Acho que ganhei dez quilos de tudo que comi nos últimos dias.

- Mrrow?

- Sim, parece que você também tem desfrutado de algo do que Maria cozinha - Balbuciou quando o alaranjado e branco gato subiu sobre sua coxa para deitar sobre seu colo - Não entendo isto - Coçava distraída atrás das orelhas de Marujita enquanto expressava seus pensamentos - Ela me encontra na rua, me leva ao hospital, e deveria fazer até ai. Mas ao invés disso cuida de ambos como se fossemos a coisa mais importante do mundo para ela.

- Mrrow?

- Oh, por céus é proibido deixar de coçar a você, sua majestade - Reassumiu seu suave coçar - Acredita que posso entender - Levantou Marujita sobre seu peito e esfregou seu nariz na suave pele - Você é tão adorável, qualquer pessoa que lhe vê se apaixona por você - Escutou o suave ronronar por um minuto, se acomodando para sustentar seu precioso gatinho - Não, não, absolutamente não entendo. Estou agradecida, mas não entendo.

- Aqui estamos - Lauren disse quando entrou no quarto. Em cada mão sustentava um prato de sobremesa com um grande pedaço de torta de chocolate e nozes e uma taça de sorvete de baunilha perfurado com uma colherinha enquanto que uma camisa de dormir café claro se encontrava pendurada sobre seu ombro. Deixou os pratos na mesa e deu a camisa de dormir a Camila.

- Dartmouth? - A mulher mais jovem perguntou, sustentando a camisa na frente dela.

- Sim. Me formei ali e fiz mestrado em Stanford – Lauren disse enquanto dava um prato a Camila - Está velha e descorada, mas ainda a amo.

- Quais são suas faculdades?

- Humm, bem menina curiosa. Vejamos... Tenho uma faculdade em Administração de Empresas com um secundário Marketing e meu Mestrado é em Direção de Negócios.

-Não me surpreende que seja a presidenta de sua companhia.

- Bom, isso é porque sou a mais velha - Lauren sorriu - Quando se fala de Jauregui Corp. o nepotismo está em todas as partes.

- Estou certa que você fez mais que isso para chegar onde você está - Camila respondeu, colocando uma colherada da saborosa sobremesa em sua boca.

- Isso é, mas se estivesse em qualquer outra companhia só estaria na gerência média. Meu pai morreu em menos de três anos após eu me formar e então tomei o controle das rédeas.

- Oh. Você era próxima a seu pai?

- Suponho que sim - Empurrou o último pedaço de torta de chocolate e nozes em sua boca - Era a mais velha e por muito tempo o pomo de seus olhos. Sabe, é curioso, não importava o quanto ocupado estivesse, sempre encontrava tempo para assistir a cada reunião de pais e professores, a cada jogo, inclusive assistiu a todos os jogos de minha pequena liga. Nem todos os homens em sua posição fariam isso

- Parece que ele te amava muito.

- Amava. Foi um inferno me criar e sempre estava tentando me manter fora dos problemas - Lauren deixou seu prato na mesa e se sentou em sua cadeira de pele - Lembro que em mais de uma vez quebrei os vasos antigos de minha mãe e ele sempre se culpava em meu lugar - Sorriu diante da lembrança - Só uma vez quando eu me feri ele não conseguiu tomar a culpa por mim. Escorreguei daquela varanda ali de fora e cai. Fraturei o braço. Mamãe me castigou todo o verão.

- Se você cresceu aqui, por que sua mãe não vive aqui?

- Depois que papai morreu, ela viveu aqui durante um tempo. Eventualmente começou a passar mais e mais tempo com suas amigas de canastra. Todas elas vivem em uma comunidade de retiro próximo. Pensou que se estava todo o tempo lá por que não vivia ali, então lhe compramos um imóvel em um condomínio e assumi o controle da casa da família. Faz sentido, não é mesmo. Está rondando os sessenta e não precisa de um lugar tão grande de qualquer maneira.

- Seus irmãos não quiseram a casa?

- Não tiveram opção. Sou a mais velha. É como funciona em nossa família. Terminou com isso?

- Oh, sim, obrigada - Camila entregou o agora prato vazio.

- Além disso - continuou Lauren - Taylor e Jack tem uma agradável casa a uns poucos quilômetros daqui e Chris parece preferir apartamentos. Se não a tivesse tomado, provavelmente teríamos colocado o lugar a venda - Empilhou os dois pratos e se virou ao outro lado em sua cadeira para estar de frente a grande tela de televisão - São quase dez horas. Está cansada ou quer ver o que está passando?

- Estou bem acordada. O cochilo me ajudou - Camila se moveu e inspirou profundamente - No entanto, acho que está na hora de outro Percocet

- Vou buscar. Ache algo para assistirmos.

____________

 

Marujita estava satisfeitíssima dormindo junto a Camila, que continuava olhando fixamente acima no teto. Lauren havia ido para a cama a meia hora atrás, deixando a jovem mulher sozinha com seus pensamentos. Camila ficou surpresa ao perceber o quanto havia ficado decepcionada quando sua amiga anunciou que ia para a cama. Havia desfrutado de verdade da noite e da atenção constante da mulher mais velha. Também parecia que quando Lauren estava ao redor, suas pernas e tornozelo não doíam tanto nem chorava frequentemente. Pensou novamente no que havia acontecido depois que começaram a ver as últimas notícias.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...