História Paixão Sem Limites - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster
Tags Jimin, Jungkook, Moto, Racha
Visualizações 473
Palavras 2.128
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capítulo porque sou muito legal haha

Boa leitura (Ignorem possíveis erros)

LEIAM AS NOTAS FINAIS.

Capítulo 2 - Chata


Fanfic / Fanfiction Paixão Sem Limites - Capítulo 2 - Chata

Seungyeon’s POV

Casa Da Família Hwang – 19hrs35min

Neste momento eu estava sentada a mesa, me deliciando com o macarrão que minha mãe havia feito. Minha família sempre se reunia nesse horário para que pudéssemos ter uma refeição juntos e consequentemente dizermos como havia sido o nosso dia.

Minha irmã Eunbi não parava de falar um minuto, contando que havia recebido elogios vindos da professora de inglês e que sua nota havia sido a maior da sala. Meus pais demonstravam muito orgulho ao ouvirem o que a menor falava, mas na verdade eu sabia que Eunbi não era tão exemplar como costumava dizer (creio que chega a ser pior que Yujin em relação a rebeldia).

_Ficamos felizes que está se dando bem em seu novo colégio. – Minha mãe disse sorrindo.

_Estou sim mamãe, as pessoas de lá são muito legais e de famílias muito boas. – Eunbi falou animada.

_Esperamos que agora você só nos traga sempre boas notícias. – Meu pai completou.

_Trarei sim. – Ela respondeu rapidamente.

_E você Yeon?! Como foi a escola hoje? – Mamãe perguntou me olhando.

_Foi normal. As notas ainda não saíram, mas creio que eu tenha ido muito bem nas provas. – Respondi como sempre fazia.

_A unnie nem precisa estudar, sempre vai bem em tudo sem muito esforço. – Eunbi comentou, me fazendo olhá-la.

_Isso não é verdade. Eu estudo muito para obter boas notas, coisa que você deveria fazer também. – Rebati um pouco ofendida pelas suas palavras.

_Eu faço, mas não é tão fácil. – Ela disse frustrada.

_Seungyeon, você poderia ajudar a sua irmã nos estudos. – Meu pai sugeriu.

_Se ela quiser eu posso ajudar, mas terá que se esforçar. – Falei, terminando de tomar o último gole do meu suco.

_Ela quer sim. Precisa de um histórico escolar perfeito para entrar na faculdade. – Minha mãe disse.

_Mas ainda falta muito para eu ir pra uma faculdade. – Eunbi falou.

_Sim, mas tem que começar a se preparar desde já. – Explicou a mais velha.

_Exatamente. – Concordei. – Bem, eu já terminei de comer e ainda preciso terminar uma lição para amanhã, então já irei pro meu quarto. – Eu falei me levantando.

_Ok. – Meus pais disseram juntos.

Então saí do cômodo em que estava, subindo as escadas indo em direção ao meu quarto. Eu ainda não tinha ligado para a mãe de Yujin, pois assim que cheguei do colégio fui obrigada a ajudar minha mãe com o jantar e não tive tempo algum para se quer pegar em meu celular.

Cheguei ao meu quarto e entrei no mesmo, fechando a porta e indo até onde estava o meu celular, procurando na agenda do mesmo, o número da senhora Choi.  O encontrei em poucos segundos, clicando no ícone ao lado de seu nome e tentando iniciar uma ligação.

Porém assim que eu coloquei o aparelho no ouvido e os toques da chamada começaram, vi Eunbi surgir numa fresta que havia aberto em minha porta.

_Saí. – Murmurei baixo.

_Ta ligando para quem? – Perguntou no mesmo tom, ignorando meu pedido e entrando no meu quarto.

_Para a mãe da Yujin. – Respondi.

_Por quê? – Perguntou novamente, mas desta vez eu não pude responder, pois a ligação havia sido atendida.

*Ligação Onn

_Alô?! – Escutei a voz da simpática senhora do outro lado da linha.

_Ola senhora Choi, como está? – Perguntei tentando não parecer nervosa.

_Estou bem querida. A Yujin está aí com você? – Questionou, já imaginando que a filha poderia estar aqui.

_Sim, mas está ajudando minha mãe com a louça do jantar. Ela veio comigo depois da aula, mas só pudemos te avisar agora. – Menti, vendo Eunbi me olhar desconfiada.

_Ah sim. Mas diga para ela voltar pra casa antes das 20hrs, pois a avó dela está vindo nos visitar e Yujin precisa estar aqui. – A senhora disse, me fazendo ficar gelada no mesmo segundo.

_Sério?! Nossa, temos um trabalho muito importante para entregar amanhã. – Menti outra vez.

_Dividam esse trabalho para cada uma fazer em sua casa. – Ordenou.

_Ah Certo. – Eu não sabia o que dizer naquele momento. – Já são quase 20hrs... Éh, então talvez ela se atrase um pouco por conta de estarmos dividindo o trabalho. – Buscava alguma desculpa que prestasse.

_Ok, mas que não passe das 20hrs30min. – Falou, parecendo um pouco irritada.

_Tudo bem, eu irei avisá-la. – Falei, enquanto Eunbi ainda me olhava cheia de desconfiança.

_Certo, obrigada querida. Boa noite. – Respondeu educadamente.

_Igualmente senhora. – Eu disse, colocando fim aquela ligação sufocante.

*Ligação Off

_O que você está aprontando unnie? – Eunbi perguntou.

_Não da para explicar agora. – Respondi aflita, procurando o número de Yujin na minha agenda.

_Por que mentiu para a senhora Choi?! A Yujin não está aqui. – Mesmo vendo meu estado, ela não parava de atormentar.

_Fica quieta, ou saía daqui. – Falei apontando para a porta.

A menor não disse nada, apenas continuou ali, me julgando com o seu olhar.

Eu rapidamente encontrei o número de Yujin, clicando no ícone ao lado e iniciando a ligação...

Voz eletrônica: Esse telefone está desligado, ou fora da área de cobertura.

_QUÊ?! – Exclamei indignada. – Aish Yujin, não faz isso comigo. – Falei tentando outra vez.

Voz eletrônica: Esse telefone está desligado, ou fora da área de cobertura.

_Não estou acreditando nisso. – Murmurei olhando para a tela do celular.

_Agora vai me explicar o que está acontecendo? – Eunbi ainda insistia.

_Yujin está sendo irresponsável como sempre é, nenhuma novidade. – Falei indo em direção ao meu guarda-roupa.

_O que ela fez dessa vez? – Perguntou curiosa.

_Merda, é só isso que ela faz. – Respondi, pegando uma jaqueta qualquer.

_Me explica direito. – Pediu fazendo uma careta.

_Você não precisa saber. – Eu falei colocando a jaqueta por cima da blusa branca casual que eu usava. – Agora seja um pouco útil e me diga onde acontecem os rachas de moto.

_Rachas? – Questionou sorrindo de lado. – Por que quer saber?

_Me fale logo, eu preciso ir buscar Yujin agora. – Eu disse a olhando.

_Yujin está andando com os Wolves? – Perguntou animada.

_Wolves? – Falei confusa.

_É assim que os motoqueiros de racha são chamados. Nossa eu não acredito que ela está lá, devia ter me chamado, eu sou louca para pegar um deles – Eunbi dizia toda empolgada.

_Pare de dizer bobagens, você tem apenas 16 anos e eu nunca te deixaria se envolver com marginais tão escrotos. – A repreendi. – E já que sabe tanto, me diz logo onde são esses rachas.

_Aish, você é tão chata. – Falou cruzando os braços e começando a falar.  – Pelo que eu sei é na zona leste, perto do posto abandonado, em uma pista na qual eles fecham todas as noites para que possam correr.

 _Certo. – Eu disse, caminhando em direção a porta.

_Você vai lá?! – Ela questionou me seguindo.

_Sim, e eu vou dizer para a mamãe que estou indo pegar um livro na casa da Yujin. Você que não ouse me desmentir. – Falei e ela assentiu.

_Só me fale se ver algum motoqueiro gatinho. – Disse sorrindo, mas eu apenas ignorei.

 

*Alguns Minutos Depois*

20hrs02min

Não acredito que Yujin está me fazendo passar por isso. Nunca me imaginei pegando um táxi para ir até uma pista de racha à essa hora da noite, era inacreditável que eu pudesse estar fazendo isso somente para livrá-la de uma surra (ah sim, os pais dela bateriam muito nela se soubessem o que esta acontecendo)

_Senhorita. – O taxista chamou a minha atenção. – Eu não posso passar dessa área, pois está impedido.

Olhei para fora e pude notar alguns entulhos no meio da estrada, com toda a certeza foram os motoqueiros que jogaram aquelas coisas ali.

_Tudo bem. Eu só irei buscar a minha amiga e já volto, então me espere aqui, por favor. – Pedi, mas o vi negar com a cabeça.

_Pague a corrida até aqui, pois ninguém me garante que a senhorita irá voltar. – Ele disse seriamente.

_Mas é claro que irei voltar, que absurdo. – Falei ofendida pela desconfiança.

_Só pague, eu ficarei aqui esperando por vocês. – O homem disse e eu revirei os olhos, tirando algumas notas da minha bolsa e lhe entregando.

_Já volto. – Eu falei, abrindo a porta do veículo e saindo do mesmo, sentindo aquela brisa gelada e um pouco úmida devido ao tempo de chuva.

Comecei a caminhar pela rua que haviam bloqueado. Confesso que era um pouco assustadora, já que tinham até alguns ossos de crânio bovino, pendurados nos poucos postes de luz.

De longe eu pude avistar uma multidão em um enorme espaço de terra que havia entre duas ruas. Os barulhos ensurdecedores daquelas motos deixavam-me ainda mais assustada, porém eu tinha que encontrar minha amiga e sair daquele lugar com ela.

Comecei a dar passos apressados, entrando no meio do aglomerado de pessoas e recebendo alguns olhares estranhos, mas resolvi ignorar e continuar a procurar por Yujin.

Por alguma ajuda divina, consegui vê-la encostada na moto de seu “namorado”, conversando toda sorridente com as várias pessoas que estavam ao seu redor.

Respirei fundo e andei até ela, já pronta para ter uma das nossas maiores discussões, pois era muita falta de consideração que ela estava tendo comigo.

_YUJIN?! – Gritei seu nome, chamando a sua atenção e a das demais pessoas próximas.

_Amiga, o que faz aqui? – Perguntou tranqüila.

_Eu vim te buscar, a gente vai embora agora. – Respondi pegando em seu braço e a puxando.

_Hey hey, pode parar de fazer isso com ela. – O tal Jungkook disse, se aproximando e a afastando de mim.

_Fica na tua, você não tem nada haver com a vida da Yujin. – Falei irritada.

_Unnie, por que você está agindo desta maneira? – Ela perguntou, me olhando triste.

_Porque a sua mãe está querendo que você volte pra sua casa, pois a sua avó está indo pra lá. – Eu disse.

_Minha avó? – Questionou, agora começando a se preocupar.

_Sim, você tem uma família. – Falei ironicamente. – Que aliás se importa muito mais com você, do que o povinho deste lugar.

_O que essa garota quer dizer com “povinho”. – Uma mulher perguntou, parecendo se irritar com as minhas palavras.

_Nada, ela só está nervosa. – Yujin se intrometeu. – Amiga, por favor, pare de arrumar briga.

_Você que me fez vir até aqui. – Eu disse entre dentes.

_Me desculpe. Jungkook vai me levar embora então. – Falou e olhou para o rapaz atrás dela.

_Tem um táxi nos esperando, vamos juntas. – Pedi, mas ela negou.

_Eu vou com o Jungkook, é melhor assim. – Ela disse e eu tive vontade de chorar naquele momento, mas me segurei.

_Eu vim até aqui por você, e agora vai me fazer voltar sozinha? – Perguntei e ela assentiu tristemente.

_Há dias eu queria ter essa noite com Jungkook, então vou terminá-la com ele. – Respondeu. – Me desculpe. – Falou se aproximando e me dando um leve abraço, que não foi correspondido por mim.

Yujin então subiu na garupa da moto do namorado, que já estava em cima da mesma e acelerou sem nem ao menos olhar-me (ele não deve ter gostado de mim... Tudo bem, é um sentimento recíproco).

_Além de feia, é muito chata. – Escutei uma voz masculina ao meu lado, e um barulho baixo do motor de uma moto.

Olhei para a direção da voz e vi o tal Jimin (idiota de mais cedo), com a mesma roupa e em cima da mesma moto.

_Saiba que eu não me importo com a opinião de pessoas como você. – Falei com desdém.

_Toma cuidado com o que fala, pois você pode apanhar das garotas. – Ele disse, olhando para as pessoas a nossa volta, que se distraíram depois que Yujin e Jungkook foram embora.

_Vocês são ogros como eu imaginei. – Eu disse, me virando e começando a andar pela mesma direção que vim, ignorando completamente a existência daquele homem.

Não sei exatamente o que aconteceu, mas depois de dar mais ou menos uns três passos, vi várias pessoas começarem a correr de um lado para o outro, me deixando completamente confusa.

_A POLÍCIA MILITAR, JIHUN... CORRE. – Escutei um homem dizer para outro, subindo em uma moto e acelerando em alta velocidade.

_Polícia?! – Murmurei assustada, sem conseguir mover mais nem um músculo.

De repente senti uma mão pegar em meu braço e me puxar violentamente, então comecei a gritar, imaginando que algum policial estivesse me pegando e tentando me prender por engano.

_NÃO, POR FAVOR. EU NÃO FAÇO PARTE DESSE LUGAR. – Eu gritava, já com lágrimas nos olhos.

_CALA A BOCA, CARALHO. – Gritou também, me fazendo reconhecer novamente aquela voz detestável.

Jimin me sentou na parte da frente de sua moto e acelerou em uma velocidade que eu nunca imaginei que fosse possível.

_AAAAHHHH, PAAAARAAA. – Eu estava desesperada, me agarrando com toda a minha força em seu corpo, para não cair.

Logicamente ele não me ouvia e apenas aumentava ainda mais a velocidade. Eu podia escutar o barulho da sirene dos carros da polícia atrás de nós:

Não acredito que estou fugindo da polícia junto com esse cara...


Notas Finais


Ah e aí amores o que acharam? (Comentem, please haha)
Espero que estejam gostando, pois eu estou amando escrever S2

Quero saber o que estão achando da personalidade da Seungyeon, acha que é uma preocupação necessária ou exagerada?

Não sei quando saí o próximo, mas conforme for o feedback, eu trago com mais rapidez.

Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...