História Pandemia - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Andrea, Carl Grimes, Carol Peletier, Dale Horvath, Glenn Rhee, Hershel Greene, Lori Grimes, Maggie Greene, Michonne, Personagens Originais, Rick Grimes, Shane Walsh, Sophia Peletier, Tyreese
Tags Andrea, Carl Grimes, Glenn, Maggie Greene, Pandemia, Rick Grimes
Visualizações 37
Palavras 1.952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Coisas que podiam ser evitadas


Sadie observou todas aquelas casas, organizadas e muito decoradas. Aquele era o tipo de lugar que era muito caro e que ela nunca moraria se não fosse naquela situação. Sadie não era uma pessoa rica, o emprego de sua mãe não era muito bom, mas era o necessário para que pudessem ter uma vida normal.

Sophia se alegrou ao ver alguns anões de jardim por ali, queria brincar com todos. Não tinham anões de jardim em sua casa, embora ela sempre quisesse comprar um.

Carl olhava para todos os lados em busca de alguma coisa suspeita, mas até o momento não tinha encontrado nada, o lugar era tranquilo. Ele era apenas mais um que ficava feliz ao observar o local e ver que não havia sinais de mortos ali.

Escolheram uma casa para passar a noite, todos juntos, separados apenas por paredes e portas. A casa era no início do lugar, assim seria mais fácil para fugir caso precisassem. Era uma casa grande e que caberia todos.

Rick e Lori dividiram o quarto com Carl, Sadie, Sophia e Carol. Andrea e Dale dividiram um quarto com Tyresse, Julie e Chris. Donna e Allen ficariam com seus filhos em um quarto. Estava calor ali, já que todos estavam juntos, mas não fazia tanto calor quanto no trailer.

Sadie segurou um livro que tinha encontrado pela casa, um dicionário. Abriu ele e começou a ler algumas palavras, todas desconhecidas. Parou em uma palavra, pandemia.

-Pandemia...-Sadie sussurrou ao ler a palavra antes desconhecida. As palavras do dicionário pareceram se gravar em sua mente.-Foi isso que aconteceu? -Perguntou para si mesmo, já sabia a resposta. Sim, foi aquilo que aconteceu, uma pandemia.

Rick apareceu com um balde em mãos, havia muita água no balde. Ele levou para o lugar que ela achava ser o banheiro e deixou o balde ali, Lori apareceu, estava com um sabonete e era seguida por Sophia e Carl.

-Vocês vão tomar banho agora!-Lori falou e começou a empurrar Sophia para dentro do banheiro, as duas meninas fizeram uma careta, Carl também fez mas logo a desfez.-Vocês não vem?-Perguntou assim que Sophia parou ao lado da amiga, as duas não moveram um músculo.

-Ele vai tomar banho com a gente?-Sadie apontou para Carl, que se sentou na cama. Mesmo sem demonstrar ele achava que tomar banho junto com aquelas meninas seria muito nojento. Lori começou a rir das duas meninas.

-O que tem ele tomar banho junto de vocês?-Sophia e Sadie a olharam, indignadas com aquela pergunta. Logo depois olharam para o garoto, analisando ele, Carl se sentiu um pouco incomodado.

-Ele é um menino!-As duas disseram juntas, como gêmeas. Lori desatou a rir, nunca tinha conhecido um trio tão engraçado como aquele.-O que foi? É a verdade.-Dessa vez apenas Sophia falou, Sadie permaneceu calada.

-Tudo bem, meninas!-Lori disse, ainda rindo. Assim que Rick saiu do banheiro com um outro balde em mãos Lori puxou as duas meninas e as deixou no banheiro.-Só as deixo sair se tomarem banhos bem tomados!-Lori gritou para elas.

O banheiro era iluminado por velas, uma coisa bem comum agora, mas deixava uma aparência sombria no lugar totalmente fechado. Uma banheira cheia de água ficava no canto esquerdo, ao lado havia uma pia que provavelmente nem saia mais água da torneira dela. Ainda havia um balde ali, debaixo de um chuveiro, estava cheio.

-Você toma primeiro ou eu?-Sadie perguntou, com um pouco de vergonha. Sophia olhou da amiga para a banheira, que era espaçosa o suficiente para as duas. -O que foi?

-Tem espaço o suficiente para nós duas!-Sophia disse enquanto se despia. Sadie corou, mas não dava para perceber aquilo. Sadie continuou parada, olhando para a banheira, sem saber o que fazer.-Você não vem?

-É que...eu tenho vergonha!-Sadie disse, em um tom baixo e que mostrava que ela estava com vergonha.-Eu nunca tomei banho com uma amiga, nem mesmo com meu irmão mais novo eu tomei!-Sadie disse, ainda sem olhar para Sophia. A outra pareceu entender toda a situação, mesmo tendo apenas nove anos de idade, Sophia era muito esperta.

-Já entendi. Quer saber, eu entro e nem olho para você, e daí você entra!-Sophia falou e Sadie concordou, sem ainda não olhar para a amiga.-Pronto.

Sadie se despiu o mais rápido que pode e entrou na banheira, Sophia não conseguiria ver Sadie nem se quisesse, porque ela foi rápida demais. Quando perceberam as duas já nem estavam se importando com o banho e sim em brincar de jogar água uma na outra. As duas riram sem parar.

Algumas batidas foram escutadas na porta e a voz de Lori foi ouvida, ela perguntava se as duas demorariam. Sophia e Sadie terminaram de tomar um banho decente e decidiram que já era hora de deixar Carl tomar banho.

-Esse banho até que foi divertido!-Sadie disse enquanto pegava uma toalha e se enrolava nela, sem Sophia ver nada, logo depois a mais nova fez a mesma coisa.

-Sim foi. Agora vamos sair, é a vez do Carl.-As duas chamaram por Lori que destrancou a porta  e entrou com Carl dentro do banheiro. Já tinham arrumado os colchões, então Sophia e Sadie foram para lados diferentes dormir. Poucos depois de se deitaram as duas conseguiram dormir, com quase todos foi assim.

~¤~

Toda dormiam tranquilamente, menos os mortos. Eles já não estavam apenas do lado de fora, os mortos daquele condomínio se revelaram durante a noite, sedentos pela carne daquele pequeno grupo.

Os zumbidos que antes eram baixos agora estavam altos. Parte do grupo já tinha escutado os mortos, mas a maioria não pensava que eles estava na rua, esperando por eles. A maioria pensava que eles estavam lá fora e que estavam seguros. Doce engano.

Carl esfregou os olhos enquanto acordava, aqueles zumbidos estavam o incomodando, e muito. Ele queria entender como os outros estavam conseguindo dormir com aquele barulho todo. Ele cutucou Sadie, que estava dormindo ao seu lado, sua mãe e seu pai estavam no colchão ao lado e Sophia e Carol estavam em outro colchão perto da porta. Sadie se remexeu, incomodada.

-Sadie, tá acordada?-Carl sussurrou, olhando para os pais, tentando não acorda - los.-Sadie?-Ele chamou novamente, Sadie abriu os olhos, que demonstrava a raiva imensa que ela estava sentindo agora.

-Graças a você, eu tô acordada.-Sadie falou, se sentando no colchão e olhando para os lados.-Espero que você tenha me acordado por um bom motivo.-Sadie falou em um tom baixo e ameaçador, seu olhar ainda demonstrava raiva.

-Tá ouvindo esse barulho? Eu tô com medo de ser alguma coisa ruim!-Carl disse e Sadie finalmente pareceu escutar os zumbidos vindos do lado de fora. Sadie pareceu adivinhar o que era aquilo.

-Carl, eu acho que sei o que é.-Sadie disse, agora seu tom de voz não demonstrava raiva e sim o medo que passou a sentir. Ela reconheceria esse barulho de longe, com toda certeza ela foi uma das pessoas que mais teve contato com os mortos naquele grupo. Pelo menos das mais novas ela era a que mais teve contanto.-Temos que chamar alguém.-Ela falou e se levantou. Não foi nenhuma surpresa quando a menina foi em direção a Rick e o chamou baixinho. Rick acordou na mesma hora.

-O que aconteceu?-Rick perguntou enquanto se levantava devagar para não acordar a esposa. Ele foi até onde o filho estava com Sadie ao seu lado, tomando muito cuidado para não tropeçar em nada, ainda estava escuro.-Por que estão acordados?-Rick perguntou, usando um tom baixo.

-Pai, você tá ouvindo esse barulho?-Carl perguntou em um tom muito alto, não se importando muito se ia acordar as outras. Acabou recebendo um tapa de Sadie, mas não reclamou de dor, apenas ignorou.-Tá ouvindo?

Rick não respondeu a pergunta do filho, apenas foi em direção da janela, estranhando todo aqueles zumbidos. Rick se agachou imediatamente ao ver aquilo através da janela. Um grupo de mortos os aguardava lá fora, espalhados por toda a rua.

-São eles, né?-Sadie perguntou, mesmo sabendo a resposta. Eles estavam ali, prontos para matar qualquer coisa viva formada de carne. Rick disse um sim para Sadie.-O que vamos fazer?

-Acordem os outros, não sei como mas vamos sair daqui.-Rick disse, já indo ajeitar algumas coisas que precisavam. Carl e Sadie começaram a acordar os outros. Carl praticamente gritava nos ouvidos dos outros, enquanto Sadie os chamava de forma delicada, para não assustar ninguém. Dois amigos totalmente diferentes.

Depois de alguns minutos quase todos estavam acordados. Tyresse estava entrando em desespero, Julie e o namorado haviam sumido. Alguns já estavam com as mochilas nas costas e armados, preparados para enfrentar o que viesse. Alguns gritos foram escutados, Tyresse reconheceu sua filha e o namorado dela e acabou abrindo a porta da sala. Os mortos ouviram o barulho e foram em direção a ele.

-Temos que ir agora!-Rick gritou e todos saíram correndo porta afora. Os caminhantes que se aproximavam eram mortos, mas ainda eram muitos. Donna tentava proteger os dois filhos, Allen protegia Donna e os filhos. Lori segurava a mão de Carl e o guiava para fora do lugar, os dois seguravam armas. Dale e Andrea corriam no meio do grupo, também armados. Sadie corria ao lado de Sophia, enquanto tentava proteger a amiga e a mãe da amiga. Rick junto de Glenn corria atrás de Tyresse, que havia encontrado a filha e corria segurando ela, Chris vinha atrás, com raiva.

O portão fora aberto, os mortos que ficavam do lado de fora conseguiram entrar e agarraram a primeira pessoa que viram, já que essa ficou sem reação ao ver o grupo de mortos ao portão abrir. Eles agarraram Donna.

Os gêmeos continuaram a correr, eles não entenderam o que aconteceu com a mãe. Allen gritou e tentou correr até Donna, impedido por Dale que tentou o puxar. Allen continuava a gritar o nome da esposa. Todos continuavam a correr.

-Socorro!-Sadie gritou assim que um dos mortos agarrou seu braço. Quase todos já estavam perto do portão. Lori voltou para perto dela e tentou fazer o morto a soltar, sem dar nenhum tiro. Mas falhou.

Sadie gritou ainda mais quando o morto aproximou a boca de seu braço, ela tentava com todas suas forças e junto de Lori se soltar dele. Um barulho de tiro foi escutado e o morto caiu para trás. Carl estava parado segurando sua arma.

-Obrigada!-Sadie falou enquanto passava por Carl. Ele sorriu para ela. Sadie quase não acreditava no que tinha acontecido.

Allen quase tinha ficado para trás, mas foi puxado por Glenn com a ajuda de Tyresse, ele ainda gritava o nome da esposa. Os gêmeos, Andrea e Dale já estavam no trailer. Julie e Chris entraram seguidos de Carol e Sophia. Rick vinha um pouco atrás, protegendo a família dos mortos.

Os mortos ainda tentavam os pegar, os gritos de Donna haviam parado, mas seu marido ainda a chamava, desesperado. Ele foi jogado dentro do trailer e Tyresse e Glenn entraram. Lori segurou a mão de Carl e de Sadie e entrou dentro trailer. Rick veio atrás dela mas antes matou um caminhante.

Os raios solares começaram a aparecer, e enquanto o trailer ainda era ligado eles conseguiram enxergar a frase no muro.

Tudo podia ter sido evitado, mas eles não prestaram atenção no muro. Donna poderia não ter morrido. Allen poderia não estar chorando no chão do trailer agora, observado pelos filhos. Sadie não teria quase sido mordida. Eles já poderiam estar em um lugar seguro agora, mas agora estavam de volta para o trailer. Com mais uma perda.

O grupo estava diminuindo aos poucos, e isso só iria piorar a partir de agora. E aos poucos, ele acabaria. Parecia que aquele era o destino de cada um deles era chegar a morte. Mas era o mais rápido o possivel. Eles tentavam evita - lá, mas os esforços pareciam não valer de nada, já que sempre morria pessoas.

Eles tinham que se manter unidos até o último deles morressem. Era a única que conseguiriam fazer do jeito que as coisas estavam acontecendo.


Notas Finais


Oieeeee! ^-^
Como prometido, capítulo postado!
Não ficou de acordo com minhas expectativas, mas eu fiz o possivel.
Só avisando que vai demorar um pouco pro próximo capítulo, porque eu vou me concentrar um pouco mais na minha outra fic, já faz um tempo que eu tô tentando escrever ela e não tô conseguindo.
Outro aviso, a cena da Sophia e da Sadie; não ouve malícia, as duas são apenas duas crianças (só pra caso alguém tenha pensado em algo do tipo). Claro que pode acontecer algo com elas depois, mas não vai ser agora, com certeza.
Eu não consegui fazer um capítulo mais violento com eu queria, porque eu estava escutando a música do Negan, e aquela música me deixou animada! ^-^
Só isso mesmo!
Até o próximo capítulo!
Tchauuuuu!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...