História Pandemônio - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anjos, Demonios, Magia, Revelaçoes, Romance, Sobrenatural, Tragedia
Exibições 16
Palavras 1.131
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


My Girls desculpem a demora por favor... A história continua com tudo e não se arrependerão de acompanhar pois vem muittooooo babado por ai ashuashu
Boa leitura!

Capítulo 20 - Confiança


Fanfic / Fanfiction Pandemônio - Capítulo 20 - Confiança


Ensopados e tentando conter o sorriso eles entram na casa escura caminhando ponta dos pés evitando fazer qualquer barulho. Ao chegar no quarto Dylan leva um susto quando a luz acessa por ele toma conta do local.
—Ahh! Mãe você está querendo me matar! 
Ele comenta com a mão direita no peito devido o susto.
—Pode apostar que sim! Marlyn replica furiosa.
Lá vem...
—Dylan, onde você estava? Olha só para você, está ensopado! Vai logo trocar essas roupas antes que fique resfriado.
—Calma... Nós só estávamos dando uma volta.
—Dylan...
O rapaz a interrompe.
—Não precisa continuar, eu já imagino que vai dizer... Mãe por favor, só confie em mim uma vez... deixe que eu faça as coisas da minha maneira e pode ser que eu quebre a cara e você tenha razão, mas agora... eu não quero desistir dela.
—Veja só querido, nosso menino já é um homenzinho! Marlyn comenta em tom sarcástico olhando para cima.
Dylan imediatamente faz uma expressão de náusea percorrendo o local com os olhos.
Ainda bem que a Luna não está aqui... Teria me enfiado em uma cratera e ficaria lá até o fim dos meus dias!
—Espero que saiba mesmo o que está fazendo... -A mulher se torna séria novamente. -Boa noite meu amor. Ela o beija na testa e se dirije a saída do lugar.
—Vai me deixar dormir aqui? O rapaz pergunta incrédulo.
—Não disse que era para confiar em você?! Marlyn responde e se retira do cômodo trazendo a Dylan um enorme sorriso de satisfação.
Quando Luna volta ao quarto após um relaxante banho Dylan já está vestido com roupas secas, improvisando no chão uma cama composta com uma pilha de cobertores. Da porta do cômodo Luna o olho durante alguns longos segundos. 
Como ele fica lindo de cabelo molhado...
Dylan sorri constrangido com os olhos de Luna vidrados nele.
—Algum problema? Pergunta envergonhado.
—Estava pensando o quanto você fica lindo com o cabelo molhado. Responde a moça com transparência.
Luna não sabe, mas é incomum humanos serem tão sinceros quanto ela. A moça simplesmente diz o que realmente pensa, sem constrangimento algum e essa honestidade e ingenuidade dela é o que a torna ainda mais bela aos olhos índigos de Dylan Morgan.
Dylan fica inteiramente mudo sem saber o que responder a moça, afinal ele nunca havia recebido elogios tão diretos vindos de uma garota. 
Luna se veste no momento em que o rapaz se retira do quarto com esse intuito de deixá-la mais à vontade, e ao retornar traz consigo xícaras contendo chá de maça que é o seu favorito.
Ele pareceu adivinhar pois quando chega encontra Luna estremecendo de frio debaixo do edredom azul-marinho.
—Isso aqui deve ajudar... Dylan timidamente lhe entra uma xícara branca de porcelana com detalhes em dourado, contendo água fervente e um sachê de chá. A garota agradece assentindo positivamente. Feito isso ele termina de fechar a janela que estava com uma pequena fresta por onde entrara o vendo úmido da noite chuvosa e se senta na cama feita por cobertores empilhados, ambos bebericam com cuidado o chá, iluminados somente pela abajur acessa no criado-mudo ao lado da cama em que Luna está agora sentada.
O silêncio do local é quebrado apenas pelo barulho da forte tempestade se chocando contra o teto e os raios intensos que outrora caiem provocando um som estrondoso. Apesar de transparecem calma, internamente Luna e Dylan estão com seus pensamentos à mil.
 Apesar de evitar comentar Dylan também deve ter notado que minhas asas se ocultaram espontaneamente e além disso durante o banho confirmei o que já especulava, meu braço também estar cem por cento curado... O que significa que minha regeneração é dez vezes mais rápida do que em humanos, o que é bom e ao mesmo tempo não é...  Não sei especificar o que sinto por ele, meu corpo, mente e alma o buscam e isso é tão estranho, como se eu dependesse de uma outra pessoa. Planejava ir embora hoje, assim que ele adormecesse o que não será possível devido a forte tempestade, com essa chuva minhas asas logo se encharcaram se tornando pesadas impedindo que eu avance muito, acho que terei a oportunidade de ficar mais um dia ao lado dele e não posso negar que me felicito muito ao saber disso.


A Luna já se recuperou dos seus ferimentos pude notar assim que deixamos o lago negro, isso me deixa feliz eu detestava vê-la isolada aqui, entretanto uma inevitável sensação de medo me toma, agora que está bem ela irá partir... Me sinto tão impotente o que eu posso fazer? Eu simplesmente não quero que ela vá! ...ainda não sei porque... Não! Na verdade eu sei sim, não é porque ela é um anjo, ou porque sua beleza é surreal, eu gosto dela, e isso é tudo. Acho que minha mãe percebeu esse fato antes de mim, sou mesmo um idiota... Foi difícil identificar por ser um sentimento completamente novo para mim, porém hoje no lago eu pude ter certeza, não quando estávamos cegos de desejo, mas sim quando eu a vi sorri tão genuinamente com as gotas geladas da chuva que caia, sem se preocupar com coisas fúteis como seu cabelo, roupa ou o que eu iria achar de vê-la feliz por tomar um simples banho de chuva, a Luna é sempre ela mesma, transparente e honesta com seus sentimentos, além de tudo é forte, focada e se preocupa com as pessoas ao seu redor. No fim, pode ser que ela não compartilhe dos mesmos sentimentos que eu, é provável que não, só que não seria justo comigo mesmo e com certeza me arrependeria pelo resto da vida se deixasse alguém tão incrível ir sem ao menos me esforçar ao máximo para que fique. Amanhã terei a oportunidade de ficar mais um dia ao lado dela.
—Luna? Dylan chama por ela após os longos minutos em que passaram mergulhados em seus devaneios, como não há resposta ele fica de joelhos para olhá-la, já que sua cama de cobertores fica ao lado da cama dela. Ao vislumbrá-la de perfil à meia luz do abajur ele constata que ela adormecera durante o tempo que ficaram em silêncio. Seus cabelos molhados formam um lindo tom de roxo escuro estando agora espalhados pela cama. Dormindo ela ganha ainda mais o doce aspecto angelical e Dylan se perde no tempo enquanto a olha tão frágil encolhida debaixo de dois grossos cobertores. 
De volta  a si o rapaz apaga a fraca da luminária deixando que a intensa escuridão abranja o lugar e ao repousar seu corpo ele que não se expressa tão facilmente como Luna fala em voz alta o que queria ter dito no momento em que ela o elogiou.
—Você também fica linda de cabelo molhado...




Notas Finais


Não demorarei muito para postar os próximos, então fiquem ligadas rsrs E aí? O que estão achando de DyLu ?
Até o próximi, BjOo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...