História Pandora Hearts: Return - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pandora Hearts
Exibições 26
Palavras 1.684
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


NHAAAAAA EU VOLTEI, hihihihi~~

Aleluia eu consegui fazer um capítulo "maiorzinho".

Sim Livih, eu fiz o Oz kibbar o seu "Uh" :v :v

Não tenho muito o que falar aqui, então vejo vocês nas notas finais -q

Capítulo 3 - Melodia


Fanfic / Fanfiction Pandora Hearts: Return - Capítulo 3 - Melodia

 - Oz, você deve comer! - Gilbert me repreende.        

 

 - Eu como a sua carne se você quiser Oz!

 

 - Aqui Alice... - Coloco meu pedaço de carne no prato dela, ela e devolveu um sorriso. Gil olhou irritado, suspirou, mas não disse nada.

 

 Empurro meu prato para frente e me debruço em meus braços, em cima da mesa, dou um pequeno suspiro. Olho para o lado e percebo que Leo me encara por alguns segundos, até que olha para baixo e finalmente fala. - Realmente precisamos conversar Oz-kun.

 

 Assenti e ele continuou.

 

  - Sabe, eu planejava conversar enquanto almoçávamos, mas acho que esse não é o melhor ambiente...

 

 O olhei com dúvida, mas logo volto minha visão pra Gilbert, que estava terminando de comer.

 

 Suspirei de novo.

 

 - Parece que todos terminaram de comer. Se me dão licença... - Uma criada começa a recolher a louça e os talheres que usamos, agrupando tudo em uma enorme bandeja prateada. Fiquei observando Alice, que estava com aquela habitual cara de "quero mais carne" que ela sempre faz, vê-la desse jeito me fez soltar uma pequena gargalhada, quase inaudível.

 

 Leo chama com gestos o que parece ser um chofer, ele cochicha algumas coisas para o homem, que logo em seguida sai do cômodo.

 

 Eu me levando da cadeira e vou atrás de Gil, que se levanta em seguida, peço para ele se abaixar e cochicho - O que ele vai fazer?

 

 - Deve ter pedido para que preparassem a carruagem. - Fala sorrindo.

 

 - Carruagem? - Alice se intromete.

 

 - Não gosto muito de carros. - Responde Leo gentilmente. - Oz-kun, você gosta de ler?

 

- G-gosto. Meu romance favorito é uma saga bem antiga que tem lá na biblioteca do orfanato que eu morava.

 

- Aquele lá Oz? 'Holy Kinight' não era? - Ela pergunta quase afirmando. Gilbert me olha surpreso e Leo parecia se divertir, já eu fico confuso com a reação deles.

 

- Qual é o seu personagem favorito em Holy Kinight? - Leo continua.

 

- Gosto do [...]. - Respondi, o espanto torna-se a expressão de Gil, eu e Alice o olhamos confusos e Leo retoma com um sorriso.

 

- E quanto ao Edgar? O que acha dele?

 

- Uh, eu gosto dele também. A lealdade que ele tem pelo seu mestre e o seu comprometimento são incríveis! Mas... eu acho a sua forma de pensar e agir errada as vezes.... Por exemplo, quando ele aceita morrer para salvar seu mestre, sem mais nem menos. Acho que ele deveria tentar lutar, não ter morrido daquela forma, entende?

 

Leo começa a gargalhar - não muito alto - segurando seu estômago com os braços, Gil também parece ter soltado um sorriso, coço a nuca com minha mão direita e provavelmente estou com uma expressão gozada, já que não estava entendendo nada.

 

- Olha Gilbert-san! Parece que Elliot realmente conseguiu mudar a forma de pensar do Oz-kun!

 

- É... ele era mesmo teimoso!

 

- Elli...ot...? - Eu e Alice conjunto.

 

- Glen-sama, já está tudo pronto. - O chofer volta e fala cortês.

 

- Parece que está na hora da gente ir. Você nos acompanha, Gil-san?

 

- Precisa perguntar? - Fala Gilbert empurrando eu e Alice. - Vamos, vamos...

 

Nos dirigimos para fora da mansão, ela era enorme e o terreno maior ainda. A grama estava devidamente cortada e possuía um tom de verde vivo; havia um canteiro gigante em volta da casa e aos arredores árvores preenchiam a visão. Era pouco mais de 13:00h e o sol ainda estava no auge, o vento estava úmido e deliciosamente refrescante. "Esse é realmente um bom lugar!" penso enquanto ando em direção a carruagem.

 

A carruagem era grande e espaçosa, possuía alguns detalhes em ouro e prata e a cortina da janela parecia ser feita de seda. O estofamento era de veludo, e os assentos eram incrivelmente macios. Fico meio sem graça ao sentar, já Alice, que estava ao meu lado, nem parecia se importar com nada.

 

...

 

Viajamos por quase uma hora, eu queria perguntar aonde estávamos indo, mas por algum motivo não o fiz, apenas fiquei olhando pela janela, vendo a paisagem passar enquanto nos movemos. Ninguém havia trocado sequer uma palavra durante toda a viagem. Os locais pelo qual passávamos se tornavam cada vez mais familiares, até que a carruagem finalmente parou.

 

- Aqui não é—

 

Gil me corta enquanto me ajuda a descer do veículo. - É sim.

 

- Por que voltamos pra cá? Não estávamos aqui essa manhã?

 

- Oz, você dormiu por dois dias. - Fala Alice com a maior naturalidade do mundo.

 

- Hã?? - "Dois dias?!!" - M-mesmo assim...!

 

- Acho que esse é o lugar mais apropriado para conversarmos... ele está repleto de memórias e sentimentos importantes. - Leo.

 

Era uma mansão velha e acabada, cheia de vinhas por todos os lados e as paredes descascadas, tudo em volta parecia morto, menos uma árvore atrás daquela grande casa, onde uma escada abaixo do solo levava até ela - esse era o local no qual eu e Alice encontramos com Gil.

 

Fomos até aquele lugar. Em frente a árvore, tinha uma lápide com algumas letras ilegíveis gravadas nela (certamente por ser muito velha), tal como da última vez.

 

- Sabe de quem é essa lápide? - Leo pergunta direcionado a mim.

- Não...

 

Ele sorri e se dirige para frente da árvore, pegando um relógio de bolso bem velho que estava pendurado no braço esquerdo da cruz que forma a laje tumular. - Aqui. - Ele taca o relógio em minha direção, e por reflexo eu pego.

 

- O que eu deveria fazer com isso?

 

- Será que tem um gosto bom? - Fala Alice com um tom de brincadeira.

 

- Isso é sério Alice! - Retruco enquanto solto um sorriso, ela sempre me faz sorrir em momentos assim.

 

- Abra ele. - Sugere Gil com suas mãos apoiadas em meus ombros.

 

Eu o abro com curiosidade e logo uma melodia começa a tocar, todos escutam por alguns minutos em silêncio, até que Leo começa a falar novamente.

 

- O nome dessa música é nome da dona dessa lápide, Lacie.

 

- Lacie......?—

 

 GAAARHHG!!

 

Minha cabeça começa a doer imensamente - não é como das outras vezes, é um nível absurdamente maior - deixo o relógio cair e vou ao chão junto com ele. Pressiono meus ouvidos com as mãos, quando percebo já estou gritando. Gilbert e Alice tentam correr em minha direção, mas Leo os impede com os braços abertos.

 

- Esperem um pouco, ele precisa passar por isso.

 

- Uhhhg! - Começo a gemer e lágrimas caem de meus olhos, e então, as memórias começam a aparecer, dessa vez eu não apaguei, mas já não estava mais em mim, meu corpo estava paralisado enquanto eu via aquelas lembranças.

 

...

 

Finalmente recobro meus sentidos, estou assustado e meu corpo treme. Começo a chorar desesperadamente.

 

- Medo... - "Estou com muito medo" - Gil... eu estou com muito medo... o que... eu sou...?

 

Soluço enquanto choro, estou encolhido no chão pensando em tudo o que eu acabei de ver. "Estou com medo... alguém me ajude..." - Apenas, o que eu sou...?

 

Gil vem como um trovão e me abraça, me sufocando. - Você é o meu querido mestre! - Fala quase gritando.

 

Alice está de joelhos no chão, ela também estava assustada, provavelmente por causa da minha reação a tudo aquilo. - Oz...

 

- Eu não... sou humano...? Sou...? O que—

 

- Você é humano sim, Oz-kun. - Leo se aproxima. - Finalmente chegamos no ponto que eu queria chegar. Na sua "vida passada" você era uma chain, B-rabbit, e sua alma estava no corpo de Jack. Mas agora você renasceu como um humano. Entende o porquê disso?

 

- Eh...? - Eu ainda em lágrimas, no abraço de Gil.

 

- As chains quando morrem, deixam de pertencer completamente desse mundo, não existe o "ciclo de cem anos" para correntes. No entanto o Núcleo do Abismo permitiu que você e Alice renascessem, por isso você é capaz de lembrar do seu passado, por não ser originalmente "desse mundo". Alice também, embora tenha sido humana também no passado, ela ficou em posse de seus poderes por muito tempo e, também, de certa forma está completamente ligada ao Abyss.

 

- Acho que é muita informação para eles absorverem, Glen-sama. - Gilbert me Ajuda a levantar.

 

- Eu estou entendendo Gil. Um pouco... - Falo enquanto vou até Alice que ainda parece meio assustada, seguro sua mão e ela parece se acalmar. Volto meu olhar a Leo, e logo ele continua.

 

- Eu acredito que, ainda há um pouco do poder da B-rabbit em você Oz, por que isso era tudo o que você era, por isso essa carga quando você vê alguma memória. Possivelmente o seu poder e o seu corpo entram em colapso quando isso acontece, consequentemente você tem essas dores de cabeça infernais e acaba desmaiando.

 

- Agora que você disse, isso faz sentido. - Gil.

 

- Ainda tenho muito o que perguntar... Mas, sinto que não devo... - Digo. Solto Alice, que se levanta com um pulinho e coloca suas mãos em meu rosto, coro levemente.

 

- Oz, vamos deixar isso pra depois, você já ouviu o suficiente por enquanto, sua cabeça vai ficar tão pesada que daqui a pouco você cai! - Fala sorrindo. - Em vez disso, que tal aproveitarmos esse belo pôr do sol?

 

Já passara das 17:00h, o céu estava gradiente entre alaranjado, vermelho e azul marinho, fico parado alguns segundos ali olhando, só me mecho quando Alice começa a me puxar pelo braço escada acima. - Vamos lá fora ver Oz!

 

Eu apenas cedo e deixo ela me levar, ao fundo eu escuto resmungos como "Aquele coelho estúpido.", era Gil com um sorriso estampado e Leo ao seu lado dizendo "Ora, deixe eles!" enquanto dava tapinhas em suas costas. Em seguida os dois começam a subir junto com a gente para fora daquele lugar.

 

Todos fomos até o lago - que não era muito longe da mansão - e ficamos lá até o sol desaparecer.


Notas Finais


O 'romance' que Oz fala não é um livro do gênero romance, é só uma forma mais formal de chamar livros de histórias mesmo jkjkjkj

Holy Kinight é uma saga que tanto Oz quanto Elliot gostavam, caso não se lembrem, e nesse capítulo o Oz fala que gosta da personagem que o Elliot gostava no mangá (e eu coloquei [...] por que eu não lembro o nome dele asuhuiahs), por isso o "espanto" de Gilbert. (Edgar era o personagem favorito do Oz no mangá, e Elliot o odiava por "aceitar a morte fácil", acho que vocês lembram disso :v).

Eu espero que vocês tenham entendido mais ou menos o que está acontecendo ;u;

No próximo capítulo eu pretendo fazer um flashback mostrando todas as memórias que o Oz viu nesse capítulo (não escrevi nesse por que ia ficar muito grande -q mentira foi preguiça mesmo, não me matem ;-;), e também contar um pouco sobre quando o Vincent encontrou Oz e Alice e tudo o que aconteceu até eles se juntarem a Gilbert.

Espero imensamente que tenham gostado <3 sério <3

Se tiver alguma crítica, sugestão ou qualquer outra coisa, por favor sinta-se livre pra comentar <3

Kissus de Nutella '3'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...