História Panther Claw - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Fairy Tail, Lobos, Magia, Mitologia, Panteras, Personagens Originais, Romance, Tragedia, Violencia
Visualizações 4
Palavras 938
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Magia, Romance e Novela, Saga, Shounen, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aqui :3 To rápido esses dias não?

Capítulo 4 - Fantasma


(...)

Eu não sabia o que fazer. Tyron me encarava friamente,brincando de alisar as garras em meu pescoço,hora apertando,me fazendo perder o ar e arrancando dele risadas. Seus olhos alternavam,hora eram vermelho-sangue hora dourado,confundindo completamente minha mente,que a essa hora já não consegui raciocinar com os cem porcento normais. Meus olhos doiam,meus ombros doiam,meu pescoço doia,meu corpo doia,minha alma doia. Uma dor completamente imensuravel.

Eu estava me sentindo como um brinquedo que logo vai ser despejado.

"Pequeno Hakai... Pode ser o receptaculo de algo incrível,mas continua sendo fraco..."

Minha mente dizia: "Vamos idiota! Levante e lute! Derrote aquela sombra desgraçada com o essa droga de magia que ainda te resta! Lute,idiota!" Mas não. Meu corpo estava inerte,imóvel. Não obedecia. Os olhos inquietos de Tyron me confundiam ainda mais.

"Isso que você é. Fraco. Não vê,Hakay? Não consegue derrotar uma mera sombra!" Gritou Tyron,entre risos.

Meus joelhos bateram contra o chão com força,causando um baque alto,como um vidro indo de encontro ao chão. Minhas costas começaram a arder e eu já não sabia,a essa hora,meu destino,um pouco incerto.

"Tyron... Maldito..." Disse,levantando-me. A garra do tigre que me segurava pressionou sobre minha pele,me arrancando alguns gemidos de dor e um pouco de sangue que escorreu sobre mim até manchar o chão.

"Olhe como se direciona a mim,Hakai!" Tyron sibilou,entre risos e olhares completamente malignos. Vi o cenário ao meu redor rapidamente mudar e uma dor nas minhas costas -Deduzindo,ele tinha me jogado longe.

Me levantei,um pouco hesitante.

"Hakai,Hakai,a sombra favorita do pai,Hakai,Hakai."

"Eu NÃO sou uma sombra,tigre maldito!" Gritei enfurecido. Tyron gargalhou,virou o rosto de forma maligna -Um pouco na diagonal,saca?- E sibilou:

"Sombra do Ragnarok."

"Pain!" Gritei. O tigre me encarou divertido,um sorriso macabro no rosto.

"Sombras.nunca.morrem." E a luz negra que emanava de minhas mãos fez o tigre voltar a ser simples fumaça.

(...)

Abri lentamente os olhos. Estava num quarto. Não na floresta,nem na caverna,nem no chão meio derretido. Onde eu estava,pra início de conversa? Onde estava Tyron? Onde estavam as feridas que eu tinha ganho? Meu corpo estava completamente limpo.

"Onde eu...estou?" Me perguntei,virando a cabeça para os lados. A sala onde eu estava tinha as paredes de um tom bege. Os móveis eram escuros,de um tom que eu não consegiu reconhecer.

"Ah,Hakai." Dylan abriu a porta,me assustando. Caí no chão pelo susto e o mesmo riu. "Bom dia."

"Bom dia? Como assim?" Perguntei,assustado. Como? Eu tinha matado a praga do tigre,eu estava ferido! Eu estava na floresta! "Eu sonhei? Era real demais pra ser um simples sonho..." Sussurrei.

"O que disse?" Me perguntou Tyron,confuso.

"Nada. Onde fica a tal floresta,Dylan?"

"Vou te mostrar o caminho."

(...)

Realmente,talvez tenha sido um sonho. Mas era real demais. Eu senti as presas de Tyron sobre a minha pele,o ácido que escorria de sua boca me queimar.

Eu não acredito muito em visões. Talvez essa seja uma exceção.

A floresta era pequena. Clara. Não era igual a do sonho. Não tinha nenhuma magia de teletransporte nem árvores iguais as outras. No caminho encontrei alguns insetos,borboletas coloridas que voaram sobre minha cabeça.

"Vejamos..." Disse,indo em direção onde a luz era mais forte. Era uma clareira. "Aqui." Na clareira tinha uma caverna.

Os pontos vermelhos logo surgiram. Sorri sacana,olhei ao redor e vi o mesmo muro vermelho sangue. Ouvi a mesma risada.

"Não vou cair duas vezes."

E quando o monstro -que não era uma sombra,estranho- saltou sobre mim,eu golpeei seu peito com uma adaga.

(...)

"Muito obrigado,Hyo." Me disse Dylan,quando eu voltei da floresta,ainda com o sangue seco da criatura sobre a pele. Os cidadãos me agredeceram,algumas crianças que já estavam fracas pelo monstro me pediram autógrafos. Uma senhora,muito gentil,me deu uma jóia como agredecimento. Logo descobri que era ela a prefeita. Agradeci a todos e peguei o trem para Doragon.

O monstro era um fantasma. Uma criatura negra que tem poder de amaldiçoar lugares e pessoas. Eles não tem capacidade de matar,a única exceção é quando o monstro tem muito poder acumulado. Nesses casos só uma arma enfeitiçada pode derrota-la. Já tinha minhas suspeitas,então levei minha adaga por preucaução.

Eu ainda não tinha entendido o porque. O porque daquele sonho. Medo? Provavelmente. Meu subconsiente tem essas capacidades estranhas.

"Hyo!" Gritou Hana,quando me viu na estação. Ri,bobo. A mesma encarou meu corpo sujo e fez uma careta estranha.

"O que foi,Hana?" Perguntei.

"Porque está com sangue? Matou alguém?" Hana é a única da guilda além de Aisu que conheçe meus poderes. Ela não perguntou se eu estava ferido por esse fator -Já me acostumei. Ri e a mesma me encarou feio.

"Calma Hana,sua maluca,eu matei um monstro em Crowford,só isso."

"Ah." Suas risadas me obrigaram a rir também. Eram tão bonitas. Ela era bonita.

HYO PARE DE PENSAR NISSO.

(...)

"Velho." Disse,abrindo a porta da sala de Doran. Lá estava o mesmo,com o charuto na boca,as pernas cruzadas e uma pilha de papéis sobre a mesa.

"O que foi,Hakai?" Ele parou pra pensar um pouco. "Matou o tal monstro?"

"Sim,matei. Foi fácil até." Disse,orgulhoso.

"O que era?" Me perguntou,com as sombrancelhas arqueadas.

"Um fantasma com um pouco de poder acumulado. Levei minha adaga." Doran riu.

"Esperto."

"Em compensação eu perdi a adaga completamente. Tenho que comprar outra enfeitiçada agora." Joguei a adaga,agora enferrujada -Fantasmas fazem isso com armas enfeitiçadas,sugam o feitiço e morrem por sobrecarga. Acaba que enferruja- sobre a mesa dele,derrubando alguns papeis. Recebi um olhar mortal. "Vim cobrar outra,a culpa é sua pela missão,velho desgraçado."

"Depois eu resolvo isso." Ele pegou a adaga e jogou em algum lugar que eu não vi. "Agora saia."

"Hai hai,velho."

Sob olhares de morte mostrei a língua e saí da sala.

(...)


Notas Finais


Hehe,EU SOU UM LOBO FELIZ! Vlw pelos favoritos! Eu to feliz demais! Ah,se vocês tiverem uma idéia,pedido,aviso,qualquer coisa,é só dizer que eu vou responder e talvez usar :3 (Não to obrigando ninguém a comentar)
Eu to pensando aki minhas datas pra postar,acho q duas vezes na semana,o q acham?
Até a próxima :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...