História Paparazzi - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Amizade, Drama, Romance, Songfic
Exibições 190
Palavras 3.211
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Drogas, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 18 - Temporary fix...


Fanfic / Fanfiction Paparazzi - Capítulo 18 - Temporary fix...

Olivia se remexeu e sorriu ao perceber que todos haviam dormido no tapete da sala, todos meio enrolados. Que manchete aquilo daria!

Julianne estava deitada no peito de Louis e com as pernas por cima de Harry. Ela própria surtaria se pudesse se ver nesse momento. Virou o rosto para perceber aquelas orbes esmeralda a olhando, com um sorriso no rosto.

- Bom dia. – Harry sussurrou.

- Há quanto tempo está acordado? – ela se aconchegou mais a ele.

- Não faz muito tempo. Não tive coragem de me mexer e acordar os dois. Olha pra eles! – Harry indicou o casal agarrado um ao outro – Louis precisa de alguém como a Julie nesse momento.

- Uma fã descontrolada que adoraria abusar do corpinho dele? – Olivia disse brincalhona, enquanto ela mesma deslizava os dedos pelo peito de Harry, vendo-o suspirar com o toque.

- Não...uma pessoa que o faça rir de verdade. – Harry disse com certa tristeza no olhar – eu tento Liv, realmente tento aliviar a pressão pra ele, mas minhas piadas são horríveis.

- Você é um bom amigo Harry. – Olivia acariciou o rosto dele – tenho certeza que Louis reconhece isso. Ele sabe que você sempre vai amá-lo e sempre vai estar lá por ele. Não importa o que aconteça.

- Você lida bem com isso, quero dizer, sabendo nossa história juntos. – Harry disse sem jeito – eu não me envergonho e nem me arrependo de nada que vivemos. Mas nem todo mundo aceitaria isso numa boa.

- Eu me lembro de ter visto vídeos de você dizendo em shows que acredita no amor em todas as formas. Você inspira isso nas pessoas Harry, apenas sendo quem você é. – Olivia disse e Harry sorriu – sua vida pessoal pertence a você e as pessoas que você escolhe deixar entrar nela. Não vou julgar sua maneira de amar as pessoas. Eu acho linda a maneira como você e Louis lidam com isso. Eu me sinto realmente privilegiada por desfrutar de sua intimidade e saber que confia em mim o suficiente para compartilhar coisas que provavelmente ninguém nunca saberá. Olhe pra nós agora! O que as pessoas diriam se nos visse dormindo embolados no tapete desse jeito? Alguns diriam que você e Louis estariam fazendo uma orgia com duas vadias! Ou que Larry estaria tendo novas experiências sexuais! Eu seria novamente xingada e ofendida nas redes sociais e me tornaria a maior vadia do mundo por isso. Primeiro você e Zayn. Agora você e Louis? Eu nunca mais sairia nas ruas novamente...as directioners me matariam a pedradas!

Harry gargalhou sem poder evitar. Tapou a boca para não acordar os outros e Olivia o abraçou. Ambos segurando o riso.

- Você é doida, mas eu adoro isso em você. – ele disse baixinho contra o ouvido dela, arrepiando aquela pele sensível – eu sinto muito que tenha que aguentar tanta confusão por estar comigo.

- Como eu disse, é um privilegio partilhar sua intimidade.- ela o beijou de leve – gosto de pensar que sou seu refugio quando a pressão é demais.

- Você é, Liv! – ele acariciou o rosto dela e perderam-se um no olhar do outro – estar com você me traz paz, me faz relaxar e me dá a chance de ser eu mesmo, sem me preocupar se vão me julgar ou não. Com você eu posso ser eu mesmo. Por isso eu trouxe Louis aqui. E por isso eu digo que ele precisa de alguém como Julie nesse momento. Vivemos cercados de pessoas que nos bajulam o tempo todo e nem sempre sabemos se isso é sincero. Talvez a Julie realmente queira abusar do corpinho dele. Talvez ele realmente precise que alguém abuse dele dessa forma. Talvez os dois possam ter essa conexão especial que eu e você temos.

- Eu torço para que isso aconteça, Harry! – Olivia olhou a amiga dormindo confortavelmente no peito de seu ídolo – com certeza vão rir muito juntos, porque essa garota é maluca.

- Louis precisa reencontrar aquela alegria contagiante que ele tinha antes de nossa vida virar essa loucura. – Harry disse pensativo – Zayn sempre dizia que ele estava se deixando apagar por Simon e suas malditas regras. E ele estava certo. Louis pareceu desistir de ser ele mesmo e me dói ver isso porque eu conheci um garoto que tinha brilho próprio, que arrancava gargalhadas de todo mundo o tempo todo, que tinha um brilho de vida nos lindos olhos azuis. Eu me apaixonei por esse garoto Liv e ele era incrível. Mas Louis foi sufocado por regras, proibições...e sua luz se apagou. Todos nós seguimos essas regras, mas cada um lida com isso do seu jeito. Zayn desistiu da batalha. Louis se quebrou e esconde sua dor atrás de ironias e sarcasmo. O resto de nós tenta aguentar sem desmoronar. É uma luta diária.

- Como você consegue? – Olivia o olhou com carinho – quero dizer, você é sempre tão gentil, tão atencioso, com todo mundo, está sempre sorrindo e nunca soube que tenha sido rude com ninguém, mesmo quando te ofendem. Como consegue não enlouquecer no meio de tudo isso?

- Eu fui criado dessa forma. Ensinado que gentileza gera gentileza. Eu não sou ingênuo a ponto de achar que todo mundo vai ser sempre gentil comigo, embora eu não entenda o ódio gratuito que alguns sentem por mim. Eu sempre me pergunto o que eu fiz de errado para que me odeiem. A maioria dessas pessoas não me conhece de verdade, não sabem quem eu sou e julgam as aparências ou o que leem na mídia. É frustrante e não vou negar isso, mas eu aprendi a filtrar algumas coisas e ignorar outras. Eu tento manter meus pés no chão e me cercar de pessoas que realmente gostem de mim e não do astro pop. Eu amo o que eu faço, não me entenda mal, mas cada dia mais entendo os motivos de Zayn ter deixado a banda. A pressão é demais algumas vezes.

- Acho que essa foi sua entrevista mais honesta até hoje. – ela riu.

- Não sabia que isso era uma entrevista. – ele fez cocegas nela – se publicar isso vou negar até a morte!

- E se eu tiver provas? – ela provocou – posso estar com uma câmera escondida.

- Vou arrancar toda a sua roupa para encontra-la. – ele ameaçou.

- Não vai encontrar câmera nenhuma no meu corpo, mas não me importo que arranque minha roupa. – ela disse maliciosa e ele sorriu safado – mas talvez devêssemos ir para um lugar mais...reservado. Não queremos que Julie nos veja em ação novamente.

- E vamos ter muita...ação? – ele roçava os lábios nos dela.

- Talvez...- ela enroscou os dedos nos cachos dele e o beijou de maneira intensa, sentindo que ele sorria no meio do beijo – ah, essa boca... a porta de entrada para minha perdição.

Harry a beijou novamente e os dois se levantaram com o máximo de cuidado para não acordar os dois amigos. Seguiram para o quarto de Olivia rindo e se beijando.

Não notaram que Louis estava acordado há muito tempo e que tinha escutado toda a conversa dos dois. Ele não imaginava que Harry sentia-se daquela forma em relação a ele e lamentava nunca ter percebido o que incomodava o amigo. Harry estava certo! Ele havia se deixado abalar por toda a pressão que sofriam e estava mesmo deixando sua alegria de viver morrer. Olhou a garota em seus braços e sorriu, lembrando as palavras de Olivia dizendo que Julie adoraria abusar do corpinho dele. Ok, ele admitia que não se importaria ser abusado por essa linda garota. Talvez ele realmente precisasse disso.

A garota se mexeu em seus braços e arregalou os olhos ao perceber que estava agarrada ao corpo dele. Louis quis rir disso.

- Bom dia. – ele disse sorrindo.

- Se eu ainda estiver sonhando, não me acorde.

- Devo entender que estava sonhando comigo? – disse safado.

- Nunca vai saber. – ela saiu dos braços dele e sentou-se, em meio a um bocejo – não acredito que dormimos no tapete da sala. E onde estão Harry e Olivia?

- Provavelmente ocupados... – Louis se espreguiçou e Julie ficou abobada observando o quanto ele parecia adorável daquele jeito – eu preciso de um banho. E um bom café da manhã.

- Pode usar o banheiro no meu quarto para tomar banho. – Julie se levantou e esticou todo o corpo, sem perceber o olhar de Louis em suas belas curvas, mal escondidas pela bermuda curta e a regata que ela usava – quanto ao café, teremos que arrancar Harry do quarto de Olivia, porque ele é mestre nisso. Ao contrario de mim, que sou um desastre culinário.

- Como se alimentam quando ele não está aqui? – Louis riu.

- Vivemos de cereais e torradas. – Julianne riu – ou pedimos algo pronto na padaria da esquina.

- Eu me ofereceria para fazer o café da manhã, mas não acho que seja uma boa ideia incendiar sua cozinha. – ele levantou-se e se esticou todo também – sair para comprar algo está fora de cogitação porque isso entregaria meu disfarce e todo o mundo saberia que estamos aqui. Então vou tomar um banho e arrancaremos Harry do quarto de Olivia. Ele me arrastou até aqui e eu mereço um café da manhã digno de um príncipe.

- Sempre soube que você era uma diva dominadora! – Julianne o encarava sem conseguir parar de rir.

- Me respeita garota! – ele fez pose de diva e ambos riram.

- Venha diva, vou te mostrar onde tomar banho e ficar ainda mais cheiroso. – ela o puxou pela mão e o guiou até seu quarto, sem perceber o sorriso nos lábios de Louis – não ande pelado pelo meu quarto ou não me responsabilizo pelos meus atos.

Louis arregalou os olhos e sorriu ainda mais. A garota era direta e ele gostava disso. Ela saiu assim que lhe mostrou onde tomar banho, lhe entregou uma toalha limpa e o beijou de leve. Sim, Julianne o beijou sem que ele esperasse. Foi apenas um leve selinho, mas deixou um gostinho de quero mais. Louis precisava se lembrar de agradecer Harry por tê-lo levado até ali. Tinha quase certeza de que seria um ótimo fim de semana.

Tomou um longo e relaxante banho e quando saiu lembrou-se que sua mochila havia ficado na sala. Olhou as roupas usadas num canto do banheiro e não queria voltar a vesti-las. O que fazer? Passou a toalha ao redor da cintura e cogitou a ideia de ir até a sala buscar suas coisas, mas lembrou-se de Julianne avisando para não andar nu pela casa. Tecnicamente não estava nu, certo? Ia saindo do banheiro quando viu a garota travada na porta do quarto. Ela segurava sua mochila e a soltou no exato momento em que o viu sair do banheiro, a boca levemente aberta e os olhos cravados em seu corpo. Louis engoliu em seco com a intensidade daquele olhar, desejo puro. Mas ela não se moveu, assim como ele, que não sabia como devia se comportar numa situação como essa.

- Você é...lindo! – foi tudo o que Julie conseguiu dizer.

- Obrigado. – ele disse sem jeito – desculpa desobedecer sua ordem, mas não tinha nada para vestir...

- Essa toalha ficou perfeita em você! – ela disse sem pensar e sentiu o rosto esquentar quando ele sorriu – eu trouxe suas coisas e...

Ela perdeu a fala quando Louis caminhou em sua direção. Os cabelos dele estavam revirados em todas as direções, algumas gotículas de agua escorriam em seu peito nu e tatuado. A garota gemeu baixinho, quase sem perceber, quando ele pegou a mochila em suas mãos e suas peles se tocaram. Foi como receber uma descarga elétrica que passou por cada centímetro de seu corpo. Os olhos se encontraram e ela se perdeu naquele azul maravilhoso. Respirar se tornou uma coisa difícil de repente. Louis roubou todo o ar que havia em seus pulmões e ela sentia que ia desmaiar a qualquer momento ou fazer algo estupido, como agarrar aquele homem lindo e arrastá-lo para sua cama. Oh Deus!

Louis segurou a mochila e tirou das mãos dela, mas esqueceu-se porque precisava da mochila, porque se perdeu naqueles olhos . A mochila caiu no chão quando ele achou mais interessante tocar a pele dela, atento a todas as suas reações. Viu quando a garota resfolegou como se estivesse com dificuldade para respirar. Sorriu ao pensar que era ele causando esse efeito nela.

- N-Não devia ter ignorado meu aviso. – ela disse, corada.

- O que vai fazer a respeito? – ele deslizou os dedos pela pele do braço dela, causando uma nova descarga do que parecia pequenos choques – me mostre do que é capaz.

Julianne não pensou no que estava fazendo, quando o puxou pela nuca e colou seus lábios nos dele. Abriu os lábios e gemeu baixinho quando sentiu as mãos de Louis em sua cintura,  puxando-a para si e aquela língua macia invadindo sua boca, intensificando o beijo. Tinha morrido e estava no paraíso? Acariciou os cabelos macios e ainda úmidos dele e suas mãos foram deslizando pelas costas, seguindo sua coluna, até alcançar o objeto de desejo de garotas no mundo todo. Aquela bunda farta e fofa de Louis, já havia provocado os mais sujos pensamentos em Julianne e ela mal podia acreditar que estava bem ali, ao alcance de suas mãos. Não resistiu e apertou as duas bandas daquele convite ao pecado e sentiu que Louis gemeu contra seus lábios. Já podia morrer feliz agora!!

- Vista-se Tomlinson! – ela se afastou sem folego – eu pedi algumas guloseimas para o café da manhã digno de um príncipe.

- Acho que estou com outro tipo de fome agora. – ele a puxou de volta para seus braços e a beijou novamente.

Julianne se deixou beijar e novamente suas mãos acabaram na bunda dele. Sentia que ele sorria entre o beijo e suas mãos deslizaram pelas costas dela por baixo da camiseta, provocando-a. não saberia explicar como acabou sem a camiseta e sentindo a pele sensível de seus seios nus contra o peito de Louis. O corpo de ambos se incendiou e o beijo se intensificou. Ela gemeu quando caminharam abraçados em direção a cama dela e Louis abandonou seus lábios apenas para lamber e sugar seus seios, o que a fez arquear o corpo e gemer mais alto. Beijaram-se novamente, de maneira mais calma dessa vez e então Louis a olhou nos olhos, enquanto acariciava seu rosto corado.

- Você é linda, Julie. – ele disse e ela sorriu ainda mais corada – me perdoe se estou extrapolando algum limite aqui.

- Tem alguma ideia do quanto é bonito Louis? – ela se perdeu naqueles olhos – tem alguma noção de quantas garotas no mundo matariam para estar no meu lugar agora?

- Querem apenas meu corpo. – ele parecia chateado com isso – querem o cantor famoso. Não querem Louis.

- O que te faz pensar que eu sou diferente? – ela riu – eu quase surtei quando te encontrei na sala da minha casa e agora pouco quando te vi seminu no meu quarto.

- Eu gostei da maneira como me olhou e da maneira como fala o que pensa. Eu sei que é diferente porque Harry adora você e parece achar que sua presença me faria bem. – Louis confessou e viu o olhar de surpresa da garota – ele me conhece melhor do que ninguém e estava certo sobre você. Me trazer aqui foi a melhor coisa que ele podia ter feito por mim.

- Não tenho certeza se entendi isso? – ela o encarou – Harry achou que seria boa ideia você me levar pra cama? Me sinto meio ofendida agora.

- Calma, não foi nada disso que eu disse. – ele tentou explicar melhor – acho que ele não havia planejado exatamente isso. Harry queria apenas que eu encontrasse alguém capaz de enxergar quem eu sou de verdade. Esse sou eu Julie, sem mascaras, sem ter que fingir estar feliz o tempo todo. Eu estou frustrado na maior parte do tempo, para ser sincero. Não posso dizer e nem fazer o que realmente quero o tempo todo. Me sinto constantemente vigiado e controlado. Todos nós, aliás. Harry encontrou uma forma de respirar com Olivia. E achou que eu encontraria essa mesma conexão com você.

- Otimo, agora fui de vadia de luxo a balão de oxigênio! – ela disse azeda e Louis riu.

- Ei, não quis ofender. – Louis ficou sério – você não é vadia coisa nenhuma. Estou tentando fazer um elogio aqui, mas talvez tenha usado as palavras de maneira errada. Não se sinta ofendida e me perdoe se abusei de você de alguma forma. Apesar de que foi você quem apertou minha bunda em primeiro lugar. Não sou de ferro, sabia?

- Essa bunda não é coisa de Deus. – ela resmungou – não me julgue.

Louis gargalhou, sem poder evitar. Julianne acabou rindo junto. Os dois se olharam, ainda rindo e Louis se aproximou para beijá-la novamente. A garota passou os braços pelo pescoço dele e correspondeu ao beijo, que foi gostoso e tranquilo. Ele apertou os seios dela, acariciando seus mamilos eriçados enquanto ela gemia entre o beijo, mas não avançou além disso. Ficaram algum tempo se beijando e se tocando, até que o estomago de Louis roncou e caíram na gargalhada novamente. Adiaram a safadeza e se vestiram para tomar o café da manhã.

Julianne ficou observando Louis se vestir, descaradamente. Perdeu o folego quando ele virou a bunda nua em sua direção, antes de vestir a cueca e uma calça confortável de moletom. Safado!

Os dois riam e falavam bobagens quando Harry e Olivia finalmente saíram do quarto, com aquela cara de que haviam aprontado. As marcas arroxeadas nos pescoços de ambos já contavam toda a história. Ambos trocaram um olhar satisfeito ao perceberem que Louis e Julianne pareciam estar se dando muito bem. Harry gostava daquela visão, daquele brilho nos olhos de Louis e do som daquela risada gostosa que ele tinha. Aquele era o Louis do qual ele sentia imensa falta.

- Obrigado Hazz. – Louis disse algum tempo depois, enquanto lavavam a louça do café, pois as meninas tinham ido ao mercado comprar algo para fazerem o almoço.

- Por que está me agradecendo Lou?

- Por me trazer aqui. – Louis sorria – essas garotas são incríveis e eu me sinto muito bem aqui. Posso entender suas fugas agora. Eu vou melhorar, eu prometo.

- Eu sentia falta desse Louis feliz. – Harry o olhou com carinho.

- Eu sentia falta de ser feliz. – Louis confessou e Harry o abraçou.

- Vamos ficar bem, Boo. – Harry sorriu quando o pequeno se encolheu em seus braços e suspirou – continue firme, meu amigo.

Depois de aproveitar aquele carinho do amigo Louis saiu dos braços dele e terminaram de arrumar a cozinha. Os dois estavam na sala, gritando feito loucos, enquanto jogavam videogame, quando as meninas voltaram carregadas de sacolas.

Harry imediatamente foi ajuda-las e acabou ficando na cozinha com Olivia, afinal ele faria o almoço. Julianne se jogou no sofá e pegou o controle que antes era usado por Harry, encarou Louis que a olhou com uma sobrancelha levantada.

- Pronto para ser massacrado, Tomlinson? – ela o desafiou.

- Talvez deva avisá-la que nunca perdi nesse jogo. – ele riu confiante.

- Não cante vitória antes da hora...eu posso te surpreender.

Louis riu. Ele queria ser surpreendido por essa garota.

 


Notas Finais


leiam também
https://spiritfanfics.com/historia/next-to-you-ziam-and-larry-6008016

https://spiritfanfics.com/historia/home-a-larry-story-6386009

https://spiritfanfics.com/historia/things-i-cant-larry-stylinson-6651005

Desculpem a demora em atualizar.
espero que tenha valido a pena esperar e que gostem desse capitulo.
Sempre agradecendo pelas pessoas que leem essa fic.
Que favoritaram e deixam seus maravilhosos comentarios.
Obrigado e lembre-se sempre que sua opinião é muito importante.
love always


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...