História Paper Heart - Imagine Jungkook (BTS) - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais
Tags Jungkook, Romance, Você
Exibições 438
Palavras 1.843
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HELLOOO, ALOO... GRAÇAS A DEUS. VOLTEIII >-<
capítulo curto, prometo acrescentar mais no próximo
E PRIMEIRAMENTE NÃO ME BATAM, O BAGUI FICOU
LOKO, só eu mesmo pra complicar a vida de oces
até porque falta poucos cap. para acabar a fic
ENTÃO>> não me abandonem... oks

Kissus :3

Capítulo 15 - 15


Depois de ouvir a conversa, eu rapidamente corri para o meu quarto, em silêncio, fechei a porta atrás de mim. Escorreguei até o chão e agarrei o meu estômago. De repente, senti como se eu fosse vomitar. Eu sabia que só uma coisa realmente resolveria o problema. Apenas uma coisa que iria finalmente trazer a felicidade de Jungkook que ele está esperando sempre tão pacientemente. Eu precisava me lembrar. Eu precisava tanto preencher os buracos vazios na minha cabeça. Mas era óbvio para mim que lembrar dele provavelmente não iria acontecer. Eu gostaria de ter a coragem de tentar cavar fundo em minha mente e me lembrar dele, mas eu estava com medo da dor excruciante que eu passei na última vez que tentei, voltar. E se eu não consigo me lembrar, a única coisa que me resta fazer é fingir que me lembro. Era o mínimo que eu poderia fazer por alguém que estava disposto a ficar com uma pessoa que nem sequer se lembra dela.

Eu imediatamente me levantei da minha posição agachada e peguei meu diário. Ele ainda estava secretamente debaixo da minha mesa, então eu ainda não tenho ideia de como minha mãe o encontrou, mas isso não vem ao caso. Joguei-o em minha cama enquanto me abaixei para o álbuns de fotos escondido debaixo da minha cama e os coloquei na minha cama também. Em baixo da minha cama tinha uma caixa desconhecida. Puxei-a para fora, abrindo-a e examinei o conteúdo. Parecia ser uma caixa de pequenas quinquilharias e cartas de amor, todas eram de Jungkook. Com um suspiro, eu também coloquei em cima da minha cama.

Peguei um caderno vazio na minha mesa e uma caneta. A única maneira de tentar empinar todas estas coisas em minha mente estava escrevendo-as. Respirei fundo e olhei para tudo. Meu diário foi, provavelmente, mais do que um romance, havia cinco álbuns de fotos todos cheios de imagens. Se eu tivesse sorte, eles me levaria a noite toda para olhar. Sacudi esses pensamentos, subi na minha cama, e voltei-me para a primeira página no meu diário.

Eu escrevi pela primeira vez, quando eu estava no terceiro ano. Minha caligrafia era terrível, provavelmente porque meu braço estava quebrado, e minha gramática definitivamente não estava no seu melhor. Os anos elementares foram realmente fácil de ler. Tudo era simples e eu consegui encontrar a maioria das coisas que eu estava falando nos álbuns de fotos. Eu apenas tomei algumas notas que Jungkook e eu não nos dávamos muito bem na escola primária.

Os anos do ensino médio não foram muito complicado. Eu ainda era gordinha e pouco atraente, mas eu e Jungkook decidimos que iríamos ser melhores amigos. Eu li algo sobre uma pulseira de amizade que temos um do outro no Natal e eu o vi em nossos pulsos nas fotos. Eu percebi que eu estava realmente a usando. Olhei para meu pulso e notei sua ausência, mas depois lembrei-me ter a deixando no balcão do banheiro antes de eu tomar um banho.

Eu rapidamente corri para fora do meu quarto em direção ao banheiro para pega-la, mas no meu caminho eu esbarrei em Namjoon.

Ele olhou para mim interrogativamente.             

- O que diabos você está fazendo?

- Nada. – Eu disse rapidamente, tentando voltar para o meu quarto.

Ele revirou os olhos.

- Toda vez que você diz "nada " ele sempre significa que você está aprontando alguma coisa.

- Nada está acontecendo, Namjoon. Agora, volte para a sua caverna e me deixe em paz. – Disse de pé em frente da minha porta.

- Ficar na defensiva, somos nós? – Ele me empurrou de lado e abriu a minha porta. Eu mentalmente me repreendi por ser tão óbvia como eu o segui para o meu quarto. – O que exatamente você estava fazendo? – Ele perguntou, olhando para a confusão espalhado em toda a minha cama. Ele pegou meu caderno e digitalizados através dele. – Eu pensei que o médico lhe disse que você não deve tentar lembrar o que você não pode.

Suspirei.

- Eu não estou tentando me lembrar, Namjoon. Eu estou tentando aprender.

Ele levantou os olhos do caderno e olhou para mim.

- O quê? Você está tentando aprender a sua vida? Eu não entendo. – Disse ele colocando o caderno de volta para baixo.

Eu deveria ter apenas falado a Namjoon que eu estava apenas fazendo isso por nenhuma razão, mas eu nunca fui apaixonada em mentir para ele. Ele sempre tinha um jeito de descobrir a verdade de qualquer maneira.

- Eu ouvi a sua conversa com Jeon mais cedo. Ele é infeliz, porque não me lembro dele, certo? A única maneira que ele pode ser feliz é se eu me lembrasse...

Seus olhos se arregalaram.

- Você está ficando louca? Falei para ele dá apenas um tempo para você. Não lhe dei uma razão para realmente fazer isso. – Ele disse com um tom sério.

- Eu só quero que ele seja feliz. – Calmamente falei.

- Você acha que ele vai estar feliz quando ele descobrir que você estava mentindo para ele? Que você na verdade não se lembra dele?

- Ele não vai descobrir. – Eu disse com firmeza.

- Vamos esperar que não. – Disse ele, passando por mim e saindo do meu quarto enquanto eu estava lá quieta.

Fiquei olhando para a bagunça na minha cama. Eu estava tendo dúvidas de seguir com meu plano. Olhei pela minha janela e vi as luzes do seu quarto acesas. Era para ele. Era tudo para ele. Se eu não pudesse me apaixonar por ele, a única coisa que eu podia fazer era fingir que me lembro e convencê-lo de que eu o amo. Mesmo que eu esteja fingindo.

Eu me sentei em volta da bagunça em minha cama e voltei para onde parei: A escola. Eu já sabia que isso ia ser a parte mais difícil de tudo. Ninguém é realmente capaz de entender completamente os seus sentimentos na escola. Como eu poderia entender tudo em uma noite?

No primeiro ano, eu ainda tinha a mesma mentalidade de uma menina atraente com confiança absoluta. Por isso, obviamente, me peguei em choque quando todo mundo tomou conhecimento de mim. Os caras olhavam para mim como se eu fosse um pedaço de carne suculenta e as meninas olhavam para mim como se eu fosse um diabo em pessoa. E Jeon estava lá para me proteger. Só até Yongguk ter chegado.

Eu não sei por que eu me permiti tão profundamente me apaixonar pelo Yongguk. Ele não era exatamente o melhor namorado do mundo. Mas, novamente, quem era eu para julgar? Ele foi meu primeiro namorado. Foi provavelmente por isso que eu estava tão esmagada quando o vi me traindo. Normalmente os primeiros relacionamentos terminam sem problemas, sem os sentimentos de alguém se machucar. Bem, isso era o que eu pensava. Fora de tudo o que eu tinha lido no meu diário, meu relacionamento com Yongguk era a única coisa que eu lembrava vividamente. Especialmente a imagem dele com outra garota. O sentimento de perceber que a pessoa que você amava e que realmente não amava você de volta definitivamente te deixa ferido. Por uma questão de fato, foi provavelmente a mesma coisa com Jungkook que estava sentindo neste momento. Eu rapidamente sacudi os pensamentos de Yongguk fora da minha mente e foquei na tarefa em mãos, sabendo que quanto mais cedo eu termina-se, menos dor Jeon teria que sentir.

Meu primeiro encontro real com Jeon estava no Lotte World. Ele passou toneladas de dinheiro em jogos, mas ele só foi capaz de ganhar um cachorrinho de pelúcia. O pequeno brinquedo de pelúcia estava na caixa de brinquedos. Olhei para ele por um tempo antes de agarra-lo e coloca-lo na frente dos meus travesseiros, pelo menos com ele pude me lembrar do encontro.

...

 

Eu praticamente estava focada no resto do meu diário, aprendendo sobre cada data que fomos, até chegar em nossa “primeira vez”. Cheguei a ler todos os cartões. Eu dei uma última nota de como deprimida eu era depois de seu acidente e considerei como terminado.

Fechei todos os álbuns de fotos e o meu diário e colocando-os de volta em seu lugar. Caí na minha cama querendo encerrar a noite, mas meu alarme disparou quando eu estava prestes a fechar os olhos. Olhei para o meu relógio e gemi. Era 05:00 e me lembrei que tinha prometido a Sra. Lee que eu iria trabalhar às 5:30.

Contragosto levantei da minha cama e fiz a minha higiene, encontrei o meu velho uniforme no meu armário. Eu o coloquei e coloquei toneladas de corretivo debaixo dos meus olhos. Embora minhas olheiras não foram mostrando muito no tempo, eles iram definitivamente aparecer no final do dia. Engoli uma xícara de café instantâneo e sai para o trabalho.

Cheguei no café no mesmo tempo em que Hope também tinha chegado. Ele sorriu para mim.

- Pronta para o seu primeiro dia de trabalho?

- Não na verdade. – Eu respondi, enquanto eu caminhava através da porta.

- Felizmente hoje é domingo, então não haverá realmente muita movimentação na manhã. – Ele disse virando as cadeiras para fora das tabelas e colocando-as de volta em seus lugares habituais no chão.

Eu entrei no quarto dos fundos e vi a senhora Lee puxando os doces do forno.

- Eu estou tão animada que você está de volta! Nossos clientes vão estar tão animados para vê-la atrás do balcão de novo! – Ela disse enquanto colocava as bandejas em refrigeração. – Bem, eu tenho certeza que você não esqueceu o que fazer. Você só precisa carregar a tela de pastelaria para frente.

- Falta alguém para trabalhar, além de mim e Hope?

Ela balançou a cabeça.

- Eu sempre tenho duas pessoas trabalhando nas manhãs do domingo, porque o negócio é não pegar até a tarde. E vocês dois funcionam melhor juntos de qualquer maneira!

Trabalhar no café não foi tão ruim. Foi apenas lidar com alguns clientes que estavam preocupadas. Foi meio difícil fornecer o serviço com um sorriso quando eu não tinha conseguido dormir na noite anterior. 06:00 veio relativamente rápido, quando Hope virou a placa na porta do café. Felizmente, as únicas pessoas que estavam acordados tão cedo em um domingo foram apenas alguns idosos que vieram para tomar uma xícara de café e ler o jornal de domingo.

Me lembrei do ocorrido: Um pouco mais tarde na parte da manhã, o movimento chegou, e Hope e eu estávamos um pouco apressados servindo a uma grande quantidade de clientes. Como eu estava terminando uma bebida, eu peguei a garrafa de creme, mas Hope também vinha pega-lo. Nossas mãos tocaram. Senti um calor subindo em meu rosto, eu murmurei um “desculpe”. Ele me disse para não se importa e sorriu para mim enquanto seus olhos se voltaram para crescentes. Eu imediatamente desviei o olhar, sentindo meu coração disparar, o calor das minhas bochechas estavam aumentando. Eu não entendia por que de repente eu estava tão nervosa perto dele. Era para eu estar me apaixonando por Jeon, e não por ele.

 


Notas Finais


Me respondam ai oces o que acharam do shipper de oces com Hope?? KAHDJBADBJ
Eu não sei mais o que dizer... HOSEOK VIADO sempre atrapalhandoo...
ESTOU NA BAD
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO. ME DESCULPEM QUALQUER ERRO. E COMENTEM,
EU NÃO SOU PALHAÇO ASSASSINO >>>AINDA<<< EU SOU MOO LECAL
E AMO OCES!! E ME DESCULPEM PELA DEMORA NE GLITTERSS!!

kissus no S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...