História Paper Heart - Imagine Jungkook (BTS) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais
Tags Jungkook, Romance, Você
Exibições 155
Palavras 2.118
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amores!!
demorei muitooo, mais aqui está a continuação
como eu falei antes, eu estava com um super bloqueio doq fazer
para essa fic, pq deu tudo cagada kajhahllkk
Mas... espero que gostem!
me desculpem se houver erros!!

Xeru~~

Capítulo 16 - 16


Felizmente o café ficou bastante calmo novamente. Eu meio que desejei que o café tivesse ficado ocupado mais um pouco, ainda tínhamos uma hora até que nossos turnos estivessem acabados. Uma hora era muito tempo para tentar evitar falar com Hoseok. Eu não sabia por que eu estava com tanto medo de falar com ele também. Ele era um dos meus amigos próximos e eu nunca tinha realmente me sentindo assim sobre ele. Mas eu estava namorando Jeon naquela época, então por que eu estaria?

Rapidamente percebi que mesmo que eu não tivesse um ataque emocional por ele, eu ainda estaria namorando Jungkook.

Como o último cliente no café saiu, eu agarrei uma toalha e andei em volta do balcão para limpar as mesas. Espero impedir Hobi de falar comigo. Minhas esperanças foram esmagadas quando ele também agarrou uma toalha e seguiu atrás de mim. Eu gemi interiormente e arrastei meus pés para a mesa mais distante no canto de trás. Felizmente, Hobi estava limpando as mesas do outro lado da loja, então eu não tive que passar por um outro episódio questionável comigo mesmo.

Apenas levei cerca de dez minutos para as mesas estarem limpas e o chão varrido. Voltei para trás do balcão e suspirei. Descansei os cotovelos no balcão e olhei para o relógio na parede, desejando que o tempo se movesse um pouco mais rápido.

- Algo está errado? - Hobi disse, imitando minha posição no balcão.

Eu quase pulei de quão perto seu rosto estava do meu.

- Eu meio que tenho algo para fazer, sabe... – eu disse, mantendo meu olhar baixo. Eu sabia que no minuto em que eu encontrasse seus olhos novamente, essa mesma estranha sensação retornaria.

- Bem, considerando o fato de que ninguém está realmente entrando agora, eu acho que você pode simplesmente ir. Se a Sra. Lee perguntar, eu posso apenas dizer a ela que você tinha algo importante para fazer. Não acho que ela vai se importar.

Minha cabeça involuntariamente levantou em sua direção.

- Sério? – eu disse enquanto meus olhos se fixavam nos dele. Imediatamente me arrependi de nunca olhar em seus olhos, porque as borboletas dentro de mim pareciam estar voando como se não houvesse o amanhã.

Ele riu.

- Sim, realmente, tenho certeza que vai ficar tudo bem. – ele disse com seus olhos estúpidos crescentes brilhando para mim.

Sem pensar, envolvi meus braços em torno de suas costas e abracei-o em um abraço apertado.

Eu permaneci lá por um pouco escutando seu próprio coração batendo rápido, mas eu imediatamente me afastei, percebendo meu erro.

- Muito obrigado,  – eu disse sentindo meu rosto aquecer mais uma vez. – Uh, tchau. – eu disse sem jeito, enquanto escapava pela porta da frente.

Eu rapidamente corri para o meu carro, deixei minha cabeça cair no volante. Eu não sabia por que eu estava fazendo uma confusão tão grande de tudo.

Hoseok era apenas um amigo. Apenas um amigo, eu repeti muitas vezes na minha mente.

Mas se ele era apenas um amigo, por que meu coração também batia tão rápido? Será que os velhos sentimentos dele por mim ainda existiam? Ele realmente gostava de mim? Meus olhos se arregalaram ao pensar.

O quê? Eu não gostava de Hoseok. Portanto, não seria possível eu retribui seus sentimentos.

Eu gemi quando a imagem do sorriso estúpido de Hobi estava sendo repetida na minha cabeça. Eu não deveria estar desenvolvendo sentimentos por ele. Todos os meus sentimentos devem ser direcionados para Jeon... Jungkoook.

Eu levantei minha cabeça do volante e imediatamente liguei o carro. Eu posso finalmente dizer a ele que eu me lembro. Eu posso finalmente anima-lo Eu corri para casa, pensando em como eu diria a ele. Ele irá ficar tão feliz.

Cheguei em casa e rapidamente troquei de uniforme e coloquei uma roupa casual. Eu saí para minha varanda para me preparar mentalmente para a enorme mentira que eu estava prestes a contar, mas não tenho tempo pensar nisso. Ele também estava na varanda.

É agora ou nunca, eu disse a mim mesma. Eu respirei fundo e gritei alto até os meus pulmões cansarem.

- JUNGKOOK, EU ME LEMBRO!

Eu vi a sua cabeça se encaixar na minha direção com um olhar completamente em choque. Ele apenas olhou para mim por alguns segundos antes de dizer "Sério?" para mim. Eu acenei levemente com a cabeça. Seus olhos se arregalaram e ele voltou para seu quarto. Ele provavelmente estava correndo para fora de sua casa, Namjoon apareceu atrás de mim.

- Mentirosa. – ele sussurrou.

A culpa imediatamente se apressou sobre mim. Esta era uma má ideia.

- É tarde demais para voltar, Nam. – eu disse enquanto olhava para Jeon correndo para fora de sua casa.

- Por que você está fazendo isso com você mesmo? Você não deve se forçar para amá-lo. – ele disse colocando uma mão em meu ombro.

- Eu acho que você sair, Nam. Ele estará aqui logo. – eu disse, sem saber como responder a ele.

Eu realmente não sabia porque eu estava me forçando para amar Jungkook. Parecia ser a minha única escolha.

Ele soltou um suspiro e puxou sua mão para baixo.

- Boa sorte, sua mentirosa. – disse ele, saindo do meu quarto. Assim que ouvi a porta se fechar, ouvi passos altos vindo da escada. Respirei fundo quando Jeon chegou em meu quarto, ofegante.

- É verdade? - ele perguntou entre respirações. Ele deu alguns passos mais perto de mim antes de colocar suas mãos cada lado do meu rosto. Percebi que as lágrimas começavam a se formar em seus olhos, fazendo com que mais culpa me varressem.

Eu respirei fundo e engoli em seco.

- Sim... kookie. – sinto algo aperta por dentro por chamá-lo assim. Era tão embaraçoso, mas era como eu o chamava quando eramos mais novo.

Ele começou a rir quando uma lágrima caiu do seu olho.

- Você realmente se lembra. – ele disse enquanto me puxava para um abraço apertado. Eu mentalmente suspirei de alívio. Tudo ia ficar bem porque ele acreditou em mim. Ele acreditou em mim. Finalmente seria feliz novamente e bem, eu tinha certeza que eu também um dia seria feliz com isso. Ele se afastou e olhou para mim com preocupação. – Você está bem? Não doeu lembrar, não né?

Eu balancei minha cabeça e enxuguei as lágrimas que caiam de seus olhos com meu polegar.

- Você vai ficar bem?

Ele soltou uma risada.

- Eu vou estar mais do que bem.

Ele olhou para mim com o maior sorriso em seu rosto. Ele estava tão feliz. Eu fiz consegui. Eu finalmente trouxe sua felicidade. Mas não pude deixar de me sentir tão mal ao mesmo tempo. Sua felicidade foi construída por uma mentira. Uma mentira que eu teria que manter para o resto da minha vida.

Meus pensamentos foram interrompidos quando senti os seus lábios de pressionando contra os meus. Meus olhos se arregalaram, mas eu imediatamente os fechei e o beijei de volta, sabendo que qualquer coisa que eu fizesse poderia colocá-lo na consciência de que eu realmente não lembrava.

Eu pensei que nós estávamos apenas compartilhando um simples beijo doce, mas era evidente que ele obviamente queria mais. Eu mentalmente suspirei novamente. Claro que isso ia acontecer. Ele era um cara, afinal, os caras têm necessidades. Eu relutantemente o empurrei em minha cama. Ele se afastou de mim e olhou para mim com um olhar estranho. Eu imediatamente me senti super estranha. Talvez isso não fosse o que ele queria...

Sem esperar por uma reação de Jeon, ele me puxa para os seus braços. Envolvendo seu rosto na curvatura do meu pescoço, depositando beijos sob a pele. Deixei minha cabeça pra trás soltando suspiros. Ele levou sua mão vazia até as minhas pernas descobertas pelo short, alisando ambas. Sua mão aperta minha bunda, puxando-me para mais perto.

Arregalei os olhos quando senti sua mão em contato com a minha intimidade por cima do tecido do short, fazendo movimentos circulares, bem lentamente.

- Oh, Jeon isso é bom... – sussurrei encostando em seu ouvido.

Em movimento rápido, Jeon estava por cima de mim. Distribuindo beijos em meu rosto, enquanto suas mãos abriam o zíper do meu short, logo o jogando ao lado da cama. Comecei tirando sua camisa, expondo seu abs, que eu também tinha esquecido. Com toda sensualidade, olhei nos seus olhos e então comecei tirando minha blusa também, olhei de novo, um clima estava no ar, mas era impossível não ser assim, todos os nossos toques faziam com que explosões de sensações brotassem entre nós. Talvez nossos corpos estivessem com saudade, talvez eu esteja louca junto com a minha sanidade e meu plano mentiroso.  

- Não pense, ________. – ele disse puxando-me para um beijo, sua língua explorava toda a minha cavidade, seus lábios eram tão doce. Sua mão por trás do meu sutiã, abria aos poucos o mesmo.

Ele quebra nosso contato, beijando meu queixo, pescoço e os meus ombros, retirando por completo meu sutiã. Seus lábios sugaram meus seios assim que estavam expostos. Fazendo-me sentir uma corrente de prazer percorrer o meu corpo. Jeon percorre sua mão entre nós dois, enfiando sua mão por dentro da minha calcinha. Ele encontrou o momento perfeito para colocar seu dedo dentro da minha intimidade, fazendo-me gemer baixinho em seu ouvido. Ele penetrava e depois retirava o dedo, diversas vezes, deixando-me excitada. Rebolei em seu dedo, senti meu orgasmo preencher-me.

Ele se afasta, tirando suas calças e sua boxer junto, sinto meu rosto esquentar ao ver seu membro tão exposto e duro. Jeon engatinha pela cama até ficar entre as minhas pernas, deslizando minha calcinha pelas pernas. Sustentei a respiração e fechei os olhos, sentindo cada centímetro dele entrar em mim e me preencher. Seus movimentos estavam devagar, apreciei seu comprimento, sua capacidade de me preencher da melhor forma possível. Aos poucos suas estocadas começaram a ficar intensas e rápidas. Nossos gemidos eram baixos, descontrolados, ao fim de um tempo nos desfizemos um no outro prolongando esse momento o mais possível.

Jungkook se deita ao meu lado ofegante e eu não deveria estar diferente. Nossos olhos estavam em um contato intenso e único. Sorrimos um para outro, mas não foi o bastante até que... o seu rosto brotou uma expressão confusa.

Ele levou sua mão até por trás da minha cabeça, puxando o cão por trás de mim. Sentou-se e olhou para o brinquedo de pelúcia.

- Por que isso está na sua cama?

- Porque você ganhou ele para mim no nosso primeiro encontro... – eu disse com cuidado, sem olhá-lo nos olhos.

- Sim, eu sei disso, mas você guardou ele. Porque ele lembrava muito do Rei...

- O que? - eu acidentalmente disse. Mas eu realmente não sabia do que ele estava falando.

- Seu cão? Rei? Lembra? Ele morreu há anos e você decidiu colocar isso fora, porque ele lembrou-lhe muito dele?

Meus olhos arredondados. A lembrança repentina do meu cachorro falecido chegou em minha mente. Lembrei-me de perder ele, mas nada sobre o bicho de pelúcia. Não estava no meu diário também. De repente senti-me extremamente desconfortável. Eu não achei que iria enfrentar qualquer circunstância tão cedo...

Eu lentamente olhei para ele que estava olhando para mim interrogativamente. Meu pior medo se tornou realidade quando ele falou.

- Você realmente não se lembra de mim, não é? – ele calmamente perguntou. Eu queria dizer a verdade, que eu não me lembrava, mas parecia que minha mente não me permitia falar, porque sabia que eu estava me metendo em uma confusão maior se eu fizesse.

Ele se levantou da minha cama pegando suas roupas e as vestindo.

- Jeon... eu não... – palavras se escapavam.

- Não precisa dizer mais nada, eu já entendi ________. – ele se vira para ir embora. – O que aconteceu aqui não significou nada para você não é? – eu rapidamente me levantei e agarrei seu pulso.

- Me desculpe. – eu sussurrei. Minha garganta parecia que estava pegando fogo. Quase como se fosse um castigo por mentir para ele.

Ele se virou e removeu meu aperto em seu pulso.

- Não se desculpe, você não tem que fazer isso com você mesma, você não precisa me amar só porque eu te amo.

- Mas eu te amei antes...

- Sim. Antes, você me amou.

- Eu só queria que você fosse feliz...

As lágrimas voltaram em seus olhos enquanto soltava um soluço.

- Você não quer ser feliz? Eu estou lisonjeado por você fazer isso por mim e pelo o que aconteceu, mas você realmente não deveria ter feito. Por mais que eu te ame, é provavelmente melhor deixar você ir. – ele disse colocando um pequeno beijo na minha testa e saindo do meu quarto, me deixando sozinha, encarando sua partida.

 

 

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...