História Paper hearts - Here. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Big Hit, Brasil, Bts, I Need You, J-hope, Jimin, Jin, Jung Kook, Kpop, Sexy, Suga, Tae, Taehyung, Tae-nee, Wings
Exibições 122
Palavras 2.534
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse aqui ficou grande mais muito fofis♡♡

Capítulo 9 - Encontro.


Fanfic / Fanfiction Paper hearts - Here. - Capítulo 9 - Encontro.

SN:     - Hum... isso tá bom! - ele sorriu meio sem graça.

V:      - Eu só reproduzi oque o Jin hyung sempre faz, mas obrigado! - ele se sentou na encima da bancada, ficando ao do lado do meu prato. Ele me olhava comer, oque era constrangedor, mas ele sorria comprimindo os lábios, oque o fazer a ficar fofo.

SN:    - Então... já que você dormiu na mesma cama que eu, eu acho... que eu tenho o direito de querer saber mais sobre você. - eu dei a ultima mordida no meu bolinho de arroz e coloquei meus cotovelos encima da mesa e apoiei meu queixo nas mesmas. - Vai falando!

V:    - Ham... por onde eu começo? - ele e eu nos encaramos sorrindo.

SN:    - Eu não sei... ahm... que tal seu nome completo, ou a sua idade, ou quando você faz aniversário... e depois dessas coisas super íntimas,  que tal falar da sua vida. - ele sorriu colocando os ante-bracos sobre as coxas se jogando para frente.

V:     - Meu nome todo é Kim Taehyung, eu tenho vinte anos, meu aniversário é no dia 30 de dezembro, e agora que você sabe os meu dados super intimos, que tal me contar os seus e eu te conto mais sobre a minha vida. - eu coloquei o dedo indicador na bochecha e fiz uma cara como se estivesse pensando.

SN:     - Bem... meu nome você já sabe, minha idade você já sabe,  e meu aniversário é amanhã. - ele pareceu surpreso.

V:      - Quer dizer que seu pai vai vir amanhã? - eu acenti que sim com a cabeça.

SN:     - E provavelmente ele vai trazer a minha mãe e o meu irmão, mas eu e ele não nos vemos muito. Não importa, ele vai vir e vão passar dois dias aqui! - falei com um sorriso feliz mas insatisfeito.

V:      - Só dois dias? Eles vão vir do outro lado do mundo e passar apenas dois dias? - ele viu minha felicidade se desvair e me abraçou. - Me desculpe. - eu logo voltei a sorrir e aquele sentimento estranho subiu mais à cabeça.

JK:     - Sunee abre! Sunee você está aí não está?! Sunee! - Jung Kook estava prestes a arrombar a porta.
          Eu soltei Tae, que virou seu rosto para o outro lado, não por mim, mas por Jung Kook. Eu pensei que ele poderia estar pensando que a culpa era de Kookie por tudo aquilo ter acontecido.
          Eu abri a porta e Jung Kook me abraçou fortemente, ele estava fedendo a álcool por sinal,  mas mesmo assim o abracei.

JK:    - Nunca mais me deixe assim okay?! Você quase me matou me deixando sozinho. - de repente meu sangue esquentava e eu o soltei... Como assim eu o deixei?! Ele prometeu ficar do meu lado, e literalmente sumiu!

V:      - Sabia que ela que podia ter morrido por você tê-la deixado sozinha? - Taehyung me puxou para trás, e eu concordei. Jung Kook estava me olhando sem me entender e com raiva ao mesmo tempo. - Ela foi... violentada ontem anoite na rua, e você nem sabia aonde ela estava não é? E nem com quem estava! - Taehyung me soltou e deu lentos passos até  Kookie. - Se ela estivesse morta agora, a culpa seria sua seu irresponsável...

SN:    - Tae para! A culpa ia ser minha, e de mais ninguém! E "morta" pode ser um pouco exagerado...  - eu peguei sua mão e o puxei para perto de mim. Jung Kook estva em choque.

JK:    - Está tudo bem com você agora? - eu acenti com a cabeça. - Eu te ligo mais tarde okay? - eu acenti novamente que sim e o abracei mesmo não querendo muito e fechei a porta.
          Tae se jogou no meu sofá e eu sentei do sei lado. Dei um sorrisinho que foi retribuído com um beijo na minha bochecha do mesmo.

V:      - Minha cor preferida é preto e verde, eu gosto de bonecos colecionáveis e ursinhos de pelúcia, meus amigos as vezes me chamam de Alien, todos me consideram diferente, eu nunca namorei, eu tenho um cachorro e amo animais, eu tenho um irmão e uma irmã, eu falo japonês, eu canto no chuveiro, eu as vezes falo dormindo, eu adoro usar boné mas nunca uso muito, meu melhor amigo e o J-Hope e eu adoro dançar, ouvir musicas e fazer bolhas de sabão. - ele falou voltando a sorrir e agora me olhando fixamente. - E eu sou muito fofo e bonito! -  ele fez uma careta revirando os olhos e entortando a boca. Nós comessamos a rir. -  Sua vez!

SN:      - Okay! Minha cor preferida é arco-íris, eu gosto de esmaltes coloridos e canetinhas fofas, me chamavam de anã quando eu tinha 12 anos, todos me consideram muito animada, eu já namorei por dois meses um garoto na segunda série, eu não tenho nenhum bixinho mas queria ter, eu tenho um irmão muito bonito que puxou a mim, eu falo inglês do meu jeitinho, eu tento cantar no chuveiro, eu durmo pra caramba, eu amo usar roupas fofinhas e moletons, minha melhor amiga é a minha mãe,  eu gosto de desenhar coisas que só eu entendo, ficar acordada até tarde e ver muitas séries! - ele estava gargalhando. - Ah! Eu também tento ser fofa e fazer aegyo.

V:      - Hum... então faça um para mim! - eu peguei meu celular e fui para o quarto e fechei a porta. Demorei um pouco para escolher uma pose e então tirei uma foto. - Sunee! Não precisa ficar com vergonha.

SN:      - Me deixe pensar! - falei com uma voz um tanto meiga, e eu nunca fui muito meiga.  Eu abri a porta e fiz beicinho e piscando um dos olhos enquanto as minhas mão faziam orelhinhas no topo da minha cabeça. Logo depois fiquei corada e com as bochechas quentes, mas mesmo assim, o observava sorridente.  -  Eai? Vergonha alheia?

V:      - Você é linda. - eu o fitei por um momento, e fiz com que ele ficasse tão vermelho quanto eu, que em seguida me sentei de seu lado novamente. - Vamos sair hoje! - ele me observou esperando uma reação, que involuntariamente foi uma cara de "eu ouvi direito?!"

SN:     - Mas você não tem  compromissos? - ele riu.

V:       - A minha cama e o celular esperam. - nós rimos e ele se levantou. - Okay! Eu e você vamos sair em uma hora. Eu vou me vestir e você também vai! - ele  falou me empurrando em direção ao closet. - Eu te busco em uma hora!

SN:    - M-mas Tae... - ele foi até a porta e se virou para mim, que não sabia se deveria sair com ele de uma hora para outra...

V:       - Eu te busco em uma hora. - ele saiu do quarto. Ele é tão... único.
            Comecei a procurar em cada centímetro quadrado do meu closet as minha melhores roupas. Eu não queria ir meiga desta vez, queria ir com o meu estilo mais confortável, mesmo sendo muitas vezes fofa naturalmente.

Sunee OFF#

Taehyung ON#

          Eu passei pela porta dos meus hyungs e estavam todos estirados na cama, menos Jung Kook.

JK:    -  Obrigado por cuidar da Sunee, mas isso não era motivo para você passar a noite na casa dela... - eu o fitei com ódio mas não quero brigar com ele agora.

V:          - Eu não sou o mais novo, e eu não cumpro as suas regras, ela precisava de alguém e eu fui o alguém que você deveria ter sido, não me culpe por cuidar dela... - eu o falei o olhando do corredor sem passar pela porta do seu quarto.
          Ele parecia com ódio de mim, eu me sinto culpado por isso. Mas ele não vai me separar da Sunee de jeito nenhum, muito menos fazendo pirraça como ele sempre faz.
           Eu estava feliz, nunca consegui chamar uma garota para sair antes.
            Eu fui em direção ao meu quarto e abri meu closet, peguei uma calça jeans, uma regata branca com escritas em preto, um casaco jeans e um tênis azul com preto e fui direto para o chuveiro.
           Quando eu saí do mesmo já pronto, olhei para o relógio, e eu tinha apenas quinze minutos para escolher um lugar e fazer uma surpresa para ela.
            Eu peguei o carro e em menos de cinco minutos encontrei um lugar que vendia flores, comprei apenas uma rosa branca e em seguida, também em menos de cinco minutos encontrei um lugar que vendia lembranças infantis... a cara da Sunee.
            Saí de lá com uma caixa de canetinhas coloridas da linha Line, um ursinho de pelúcia marrom escuro com uma gravata borboleta e uma caixa de chocolate e docinhos.
             Eu coloquei tudo no banco de trás do carro menos a rosa e voltei correndo para casa. Eu subi impacientemente ancioso e com pressa. Quando cheiguei a Sunee veio me dando uma espécie de "sermão"...

SN:    - Três minutos atrasado! - ela falou abrindo a porta.
           Ela estava com uma blusa branca, um converse vermelho, um gorro preto e um casaco e short jeans. Ela estava linda.
               Eu lhe dei a rosa e ela não sabia oque diser. Eu peguei uma de suas mãos, e a levei até o elevador.
            Eu ainda  não sabia aonde levá-la, entao simplesmente entramos no carro e eu rodei um pouco pela cidade sem que ela percebesse o meu nervosismo.
            Ate que, com muita sorte, eu passei em frente a um parque de diversão montado no centro. A Sunee parecia feliz, e por conta disso eu estava feliz.

[...]
            Ela e eu fomos em vários brinquedos, todos que ela escolheu e rodamos o parque por horas e horas.
              Eu fui no tiro-ao-alvo e  consegui um panda gigante de pelúcia para ela. Eu estava cansado e com fome, mas ela é cheia de energia, e me mantia de pé.

V:        - Sunee, que tal comermos alguma coisa? - ela concordou com a cabeça e eu estendi a mão para ela. Resolvemos ir andando, e escutando música.

             Fomos até uma cafeteria que ela gostava. Era cara e eu sempre venho aqui com os meninos. Ele estava vazio, mas ele é um dos melhores. Eu fui até o balcão e comprei um milk-shake para nos dois e saímos de lá. 
            Fomos ao Mc. Donalds, porque eu pedi muito já que ela não come muita coisa, e pedimos batata frita, um refrigerante grande, um quarteirão com queijo para mim e ela não comeu nada porque disse que não estava com fome, e me esperava comer o meu.

V:      - Oque foi? - falei antes de dar mais uma mordida para ela, que me fitava, oque me fez corar.

SN:     - Como você come tanto e é quase mais magro que eu? - eu sorri mais ela me olhava sério como se quisesse saber a resposta.

V:       - Sunee, você malha e dança quase todos os dias? - ela acentiu que não.  - O seu corpo é naturalmente muito magro,  eu sou obrigado a queimar gordura. - ela riu e eu e ela nos levantamos da mesa.
             Nessa hora eu reparei que todos nos olhavam, mas  eu não liguei muito, se não haviam paparazzis estava tudo bem.
             Eu levei a Sunee de volta ao meu carro, eram 22:50, eu não queria levá-la para casa, mas foi oque eu fiz.
            Quando chegamos, ela jogou a bolsa no sofá e me abraçou. Eu senti todo o meu cansaço ir embora e meu corpo começou a formigar. Era uma sensação estranha mas muito boa.

SN:     - Obrigado Tae! Hoje com certeza, foi um dos dias mais felizes da minha vida. - suas palavras estavam abafadas, e ela me soltou, e me fitou por alguns segundos. - É melhor eu tomar um banho. Pode ficar aqui se quiser. - eu acenti que sim e me sentei no sofá.
            Quando o chuveiro ligou e corri até o estacionamento e peguei os presentes dela. Entrei no meu apartamento esperando que Jung Kook me atrapalhase com suas brigas inuteis mas ele e meus outros hyungs estavam com a porta fechada e luzes apagadas. Peguei meu celular no bolso da minha calça, estava desligado. Aish! 106 chamadas perdidas! Na hora eu não me importei com isso.
               Eu entrei no meu quarto e peguei um ursinho de pelúcia meu. E coloquei o meu perfume nele. Era quase imperceptível mas mesmo assim era cheiroso. Assim que peguei-o, voltei a casa da Sunee correndo e pedi uma pizza. Assim que eu desliguei o telefone ela saiu do banheiro do seu quarto, ainda com a porta do mesmo fechada.
  
SN:     - Tae? Você aí? - ela gritou do quarto.

V:        - Tô! - falei enquanto botava seus presentes na mesa da cozinha para que ela não os visse.

SN:       - Okay, oque vamos fazer agora? Eu tenho que fazer algo para comer.  - ela falou abrindo a porta. Ela estava com um short azul e uma blusa de meia manga dos Simpsons. Fofa!

V:        - Está fofa! - ela corou,  se sentou do meu lado e ligou a televisão. Estava dando Ted 2, eu não tinha visto e nem ela. - Eu vou pegar um edredom e você fica aí. - ela acentiu.
            Quando voltei, o entregador de pizza já havia deixado a pizza no hall e mandou-a subir pelo elevador de carga. Ela não entendeu muito bem, mas logo se tocou doque se tratava.
              Era 23:55, eu levei a pizza até a mesa e arrumei os ursinhos nas cadeiras. Depois peguei ela pelos pulsos e a levantei.

V:       - Sunee, feche os olhos. - ela obedeceu com um sorriso muito agradável. - Agora só abra quando eu mandar!

SN:    - Eu vou te matar depois de te abraçar! - nós rimos.
            Eu posicionei-a de frente para a mesa e soltei seus braços. A respiração dela estava levemente ofegante e ela estava ansiosa.

V:       - Eu sei que não é nada demais mas...  pode abrir os olhos! - ela abriu os olhos e ficou em estado de choque por poucos segundos.
             Ela deu uma volta na mesa vendo tudo oque se encontrava na mesma. Ela parou e me fitou sorrindo e uma lágrima caiu de seu rosto. Ela veio correndo em minha direção e me deu o melhor abraço que eu já senti. Eu beijei sua testa e ela voltou a me encarar, agora com as mãos no meu pescoço.

SN:     - Obrigado! Eu, na verdade nunca comemorei o meu... - antes de ela terminar a frase, meu relógio apitou, eu olhei o mesmo,  e já eram meia-noite.

V:       - Feliz aniversário, anã... - eu a abracei e eu e ela nos viramos para a a parede de vidro da cozinha  e ela observava as luzes de cada prédio, e eu observava as luzes que refletiam nos seus olhos. Até que ela percebeu que eu a observava.

SN:      - Castanhos...

V:         - Oque..? - ela e eu nos olhavamos nos olhos.

SN:      - Seus olhos... são castanho escuro... - eu a olhava fixamente.
             Nós realmente estavamos muito próximos, mas nem eu nem ela pareciamos nos  importar...


Notas Finais


:')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...