História Paper Hearts - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags 18 Anos, Bts, Fanfic, Jeon Jungkook, Jeongguk, Juliana, Jungkook
Visualizações 63
Palavras 8.192
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá babies. Essa fic, é uma fic especial! YEY!
Assim como Tomorrow, essa fanfic foi feita para uma pessoa específica, foi feita para meu neném que se apaixona por maknaes mesmo sem querer, um neném loiro de olhos verdes, que faz parte dos momentos mais divertidos da minha vida! Essa fic é pra maknae da minha vida: Juliana! Bom, neném, essa fic é meu modo mais simples de te parabenizar por estar fazendo aniversário já que, infelizmente, não posso estar ai em Curitiba para te dar um abraço :(
Te desejo tudo de melhor, hoje e sempre meu amor, que você seja sempre muito feliz com a skype line e seus maknaes gslfhdlksjfk que você continue sempre sendo essa garota amorzinho e estudiosa que você é, eu te admiro muito e, jamais, em toda minha vida, terei palavras para dizer o quão importante você é na minha vida. Você simplesmente surgiu na minha vida e espero que levemos essa amizade por anos e anos. Eu te amo demais!
Te amo muito mesmo! Obrigada por tudo! E parabéns!!!!!!!!! <3

Capítulo 1 - Festa.


Encarava as várias caixas de bebidas ao chão me perguntando quem as levariam até o freezer, mas Namjoon, nosso Rap Monster, apelido carinhoso que o chamávamos, logo surgiu com seus dois melhores amigos, que conhecia pouco, enquanto seguravam copos de cerveja em mãos.

- Ya! Jaehwa! Chegamos!

- Ah, finalmente Namjoon! – Sorri de lado o encarando.

- Fomos comprar bebidas. – Ele sorriu balançando sua garrafa de maekju sorridente.

- Ya, tanto faz. – Dei de ombros encarando as caixas. – Agora me ajude com esses a engradados por favor!

- Ya, isso é jeito de falar com o seu oppa?

- Namjoonie, eu te amo, mas pelo amor de G-Dragon, não me deixe mais estressada.

Ele riu e então se aproximou passando o braço em volta de meus ombros. – Não se preocupe, Hwa. Vai dar tudo certo, planejamos essa festa por meses, está tudo bem. Já temos até dois convidados. – Ele então apontou para os dois amigos.

O mais baixo dos três me encarou bebericando sua maekju enquanto fazia cara de poucos amigos. Ele era sério, mas, por alguma razão transmitia uma tranquilidade difícil de se acreditar, ele logo desviou o olhar mostrando um total de zero interesse na situação e apenas o ignorei momentaneamente. O outro amigo de Namjoon eu conhecia um pouco mais, apenas de vista, mas, pelo menos sabia seu nome já que Seoyeon, uma de minhas amigas, não parava de falar em como seu sorriso era bonito e o sol sentia inveja de quanto ele brilhava. E até que ela tinha razão, Jung Hoseok tinha um dos sorrisos mais bonitos, na minha opinião.

- Vamos, também podemos ajudar. – Hoseok disse sorridente. – Se você permitir, é claro.

O encarei completamente agradecida. – Mesmo?

Ele balançou a cabeça positivamente e então passou os braços em volta dos ombros do emburrado. – Sim. Não é mesmo Yoongi?

O emburrado, que agora eu sabia o nome, o encarou com fogo nos olhos. Segurei o riso e então bati palmas abrindo meu melhor sorriso:

- Ótimo! Muito obrigada!

Eu era a principal responsável pela festa, visto que a faculdade estava sem financiamento para a viagem dos alunos do curso de Arquitetura e por mais que alguns pudessem pagar, infelizmente isso não atendia a todos. Por isso estávamos fazendo aquela festa de boas-vindas para os novos estudantes, porque estávamos precisando de dinheiro e nada melhor que uma festa para consegui-lo.

Caminhamos em direção a entrada do local e logo o segurança nos pediu os documentos, sorrisos mostrando nossas carteiras, caminhamos em direção ao balcão e a cozinha e antes mesmo que pudesse me atentar para quem estava presente, dei de cara com Taehyung com seus cabelos vermelhos e seu sorriso quadrado. Ele estava ainda mais bonito que o comum.

- Chegou cedo, Jaehwa-ssi. – Ele esfregou as mãos e estalou os dedos enquanto parava a minha frente. – E está linda!

Sorri de lado lhe mandando um beijo. – Aish, pare com isso. – E então apontei para a bandana. – Obrigada por ter vindo me ajudar mais cedo. E você veio com a bandana.

Ele deu de ombros. – Você disse que fico incrível. Como não usar?

Ri anasalado colocando os copos de plástico em cima do balcão que separava a cozinha da pista de dança.

- Ya, Taehyung? O que é aquilo na pista de dança? 

Antes mesmo de olhar Jeon Jungkook e cumprimentá-lo, olhamos na direção da pista de dança onde, dois garotos se mexiam sem música, e completamente desengonçados. Segurei o riso e percebi que Jungkook fazia o mesmo, mas, como já era de se esperar, Taehyung berrou andando na direção de ambos: 

- Ya! Park Jimin e Kim Seokjin, como puderam dançar sem mim? 

O mais alto gritou e logo reconheci ser Seokjin, o namorado de Namjoon. – Ya, Taehyung-ssi! Você estava ocupado! 

Jimin riu. – E ele está com a bandana! 

- Graças a Jaehwa! 

- Boa escolha, Hwa! – Jimin riu fazendo um sinal positivo com o polegar. – Você sabe das coisas! – E em seguida acenou. – Oi Kookie!

- Oi Jiminie. – Jungkook sorriu acenando para o amigo.

Jimin sorriu fechando seus olhos e então voltou a atenção para a dança completamente animada e maluca ao lado de Seokjin com seu cabelo loiro. Sorrindo com a situação voltei para o balcão ajeitando as bebidas no freezer embaixo do mesmo enquanto Hoseok, Namjoon e Yoongi carregavam os engradados para o interior da cozinha. Escutando apenas a risada esganiçada e divertida de Seokjin, parei ao lado do freezer, esperando as entregas. Não adiantaria muito ir enchendo os freezers pouco a pouco enquanto poderia encher tudo de uma vez com a ajuda dos meninos. 

Foi mais rápido que pensei, em menos de uma hora os freezers estavam cheios, Namjoon e os meninos estavam tranquilos e menos cansados e a festa estava bem decorada. Suspirei colocando as mãos na cintura enquanto encarava o local que, honestamente, estava incrivelmente bonito.

- Bom trabalho, Jeon. – Jungkook sorriu se aproximando do balcão.

- Obrigada, Jeon. – Ri o encarando. – Quer algo? 

- O que tiver de bom aí.

Ri anasalado enchendo o copo com a torneirinha. – Maekju? 

- Boa escolha. 

Ri anasalado lhe entregando o copo de cor esverdeada, ele agradeceu caminhando em direção a pista e dançando com os meninos. Jeongguk, como eu preferia lhe chamar, era o mais novo da nossa turma de arquitetura, nos tornamos amigos por termos o mesmo sobrenome, parece idiota, mas na hora pareceu bem divertido. 

- Ya, garota do bar! 

Olhei para o lado encarando o emburrado que ajudou a trazer as bebidas. – Me dá uma maekju.

Caminhei até o outro lado do balcão o fitando. – Ya, emburrado.

Ele arqueeou uma sobrancelha. – O que? 

- Educação? 

Yoongi riu anasalado. – Já fiz demais te ajudando por hoje. Agora me dá uma maekju. 

- Palavrinhas mágicas? 

- Isso é sério? 

- Pareço estar brincando? 

E foi então que o mais sorridente surgiu passando o braço em dos ombros do emburrado. – Ya, Suga-hyung está sendo mal educado? 

- Não.

- Sim.

Hoseok gargalhou. – Como suspeitei. O que ele fez? 

- Nada. – Yoongi o fitou.

- Não usou a palavra por favor. – Respondi de imediato. 

- Aish, jinja? – Yoongi bufou. – Por favor, será que dá pra me dar a porra de uma maekju? 

Enchi outro copo e então o entreguei.

- Obrigado, caralho. – Ele resmungou saindo de perto.

Olhei para Hoseok quem colocou os braços em cima do balcão e sorriu abertamente. Ele possuía um sorriso maravilhoso, não havia percebido com tanta intensidade até então, mas ele era realmente gracioso. Parecia brilhar. 

- Desculpe por ele. – Hoseok apontou para trás em direção a Yoongi. – Ele é uma boa pessoa depois que conhece.

- Suga-hyung? 

Hoseok assentiu balançando a cabeça positivamente. – Sim. Ele tem um bom coração.

- Não duvido. – Sorri de lado e apontei para os freezers e os barris. – Quer algo? 

- Maekju. – Hoseok sorriu e então aumentou o tom de voz se virando em direção a Yoongi. – Por favor! 

A música ainda estava baixa e no tom de voz em que Hoseok havia berrado, todos a pista haviam escutado. Yoongi, quem estava conversando com Jeongguk e Jimin, se virou para trás erguendo o dedo do meio em nossa direção, o que me fez rir. Enchi o copo de Hoseok e o entreguei de modo que ele sorrisse um pouco mais e logo fosse em direção a rodinha que havia se formado na pista vazia.

Aos poucos as pessoas foram chegando e quando dei por mim, estava completamente sozinha no bar tendo que atender a uma porção de pessoas, estava tentando atendê-los o mais rápido possível, mas logo suspirei aliviada quando Taehyung surgiu para me ajudar. As pessoas que, de fato, ficaram encarregadas de permanecerem no bar me ajudando haviam sumido com outras na festa e, bem, era bom eu nem mesmo tocar no assunto ou então mataria o primeiro que visse tamanha minha raiva com a irresponsabilidade alheia.

- Obrigada, Tae. – Agradeci em sussurros enquanto dividíamos a torneira de Maekju.

- Não me agradeça. – Ele sorriu quadrado. – Amigos são para essas coisas.

Assim que as pessoas pararam de surgir e tudo ficou mais tranquilo, abracei Tae o agradecendo imensamente pelo auxilio, me sentindo um tanto quanto culpada por mantê-lo ali o obriguei a ir para a festa se divertir, insisti que daria um jeito e a aparição de uma das meninas responsáveis por ficarem ao bar fez com que tudo se tornasse mais fácil. Eu queria falar mil e uma coisas para a garota de cabelos curtos que dizia não estar passando bem, por isso ela não estava se responsabilizando pelo bar ao meu lado, mas tudo o que fiz foi ignorá-la, algo que foi mais que o suficiente para que ela calasse a boca e me ajudasse, mesmo que de má vontade. Era tão obvio que ela estava doente todas as vezes em que sumia com sua namorada.

O movimento ia diminuindo e com isso a correria na hora de servir as bebidas. Provavelmente eu deveria estar cheirando a álcool já que derrubei um monte até pegar o jeito certo de servir as pessoas. Com a folga no atendimento, pude parar para observar as pessoas na pista de dança e nos arredores da festa. Boo Yana, a única quem apareceu para me ajudar, pediu para dar uma volta, pois queria aproveitar a festa e como o movimento estava pouco não havia porque não deixar, afinal, eu não mandava nela e era injusto ela passar a noite inteira atrás do balcão. Assim como era injusto para mim também, mas como representante de turma eu havia assumido tal responsabilidades então, não contava com me divertir na festa a não ser rindo de como Jin e Namjoon dançavam estranhos o tempo todo. 

Sentada no banquinho enquanto observava os demais, logo sorri ao ver que Taehyung chegava com um prato de comida para mim. Meu Deus, eu tenho o melhor amigo do mundo, isso é certo. 

- Aish, eu te amo Kim Taehyung. – Sorri segurando o pratinho com diversos tipos de comida.

- Também te amo, Hwa-ssi. – Ele deu um beijo em minha testa enquanto gritava devido ao som alto. – Tô com pena de te ver aqui sozinha. 

Ri anasalado abanando a mão e berrando de boca cheia. – Não se preocupe, eu tô bem. Vai se divertir! 

- Já vou. – Ele se jogou no banquinho ao meu lado. – Estou cansado! 

- Você tava arrasando na dança! 

Ele riu. – Você acha? 

Balancei a cabeça positivamente como resposta enquanto mastigava um maravilhoso kimbap. Tae sorriu se ajeitando e então olhei na mesma direção que ele. Como esperado, Tae fitava Rosie, uma estudante intercambista que estava em nossa faculdade há cinco meses. Ele estava completamente caído por ela, mas ela parecia retribuir todos os olhares, o que me deixava curiosa sobre o porquê de eles nunca terem sequer conversado. 

- Vai falar com ela! – Berrei empurrando sua cadeira com o joelho.

- O que? – Tae aproximou seu ouvido de meus lábios, mas eu sabia que ele havia escutado.

- Vai falar com ela! 

Ele franziu a testa se fazendo de desentendido. – Com quem? 

- Rosie.

- Quem? 

- Aish, Taehyung, você sabe muito bem do que tô falando.

Ele suspirou tornando a fitá-la. – Não é como se ela gostasse de mim.

- O que? 

- Nós… Já nos beijamos, uma vez.

- O quê? – Engasguei com a comida. – Como assim? Por que você nunca me contou?! 

- Eu… Nós estávamos bêbados e nem tocamos mais no assunto. Eu… Sei lá. Ela nunca mais falou comigo.

Encarei Rosie quem dançava ao lado de suas amigas com um sorriso nos lábios, ela virou-se em nossa direção e então fitou Tae sem desviar o olhar dele.

- Tae, porque você acha que ela não quer nada? 

Ele suspirou. – Eu tentei falar com ela no dia seguinte e tudo o que ela disse é que foi um erro.

Olhei Rosie mais uma vez quem, certamente, encarava Taehyung convidativa.

- Parece que ela quer errar de novo, Tae. – Ri o fitando.

Tae esfregou a testa. – O problema é que…

- Ya! – Jimin surgiu na frente do balcão junto com o emburrado Yoongi. 

Taehyung e eu sobressaltamos assustados com o surgimento e o grito de Jimin.

- Vem dançar, Tae! – Jimin sorriu abertamente e então Yoongi o abraçou por trás. 

- É, sai daí! – Yoongi berrou encostando o queixo no ombro de Jimin enquanto me fitava. – Essa garota é mal-educada! 

Encarei Yoongi quem parecia mais solto desde que havia chegado, certamente ele havia bebido um bocado, mas, ele parecia ainda mais simpático apesar dos ataques contra minha pessoa.

- Me dá uma bebida! – Yoongi jogou o copo vazio em cima do balcão. Me virei para Tae ignorando sua ordem.

Tae riu me encarando. 

- Tá vendo como ela é mal-educada? 

- Talvez se você for educado com ela, ela retribua, hyung. – Tae berrou cruzando seus braços e sorri o fitando.

- Ya! – Yoongi berrou. – Queremos bebida, por gentileza, porra! 

O encarei e então fiquei de pé encarando Jimin. 

- Vai querer algo, Chim? 

- Duas maekjus, por favor.

Ele riu estremecendo com os lábios de Yoongi em seu pescoço. Eu honestamente não imaginava ambos como casal, mas os dois pareciam incríveis juntos. O que era surpreendente, afinal, Jimin era um poço de educação enquanto Yoongi era o oposto.
Virei-me em direção ao barril prateado e então enchi os dois copos, no instante em que me virei, Jimin e Yoongi beijavam com tanta intensidade que os olhares das pessoas, ao redor, eram constantes. Esbocei um sorriso deixando os copos em cima do balcão e então fui atender a outra pessoa quem deu a volta por ambos para pedir mais bebida.

- Uma maekju, por favor.

- Ah, oi, Rosie. – Sorri de lado me segurando para não olhar para Taehyung. – Tá gostando da festa? 

- Claro! Está ótima! Você fez um excelente trabalho, Jaehwa. – Ela sorriu simpática.

- Obrigada. Mas não fiz isso tudo sozinha.

Ela riu anasalado se encostando no balcão. – Engraçado, só vejo você trabalhando.

Sorri de lado. Ela estava certa, posso não ter tido a ideia sozinha, ou montado o cenário sozinha, mas na questão mão de obra, bem, só tinha eu mesma cuidando das bebidas. Não haviam comidas em minha barraca, ali eram apenas as bebidas, e a barraca de petiscos estava livre para todos, o que não necessitava de ninguém lá o tempo todo, só de vez em quando para colocar mais comida na mesa, mas Namjoon fazia isso sem nem mesmo precisarem de pedir. 

Virei-me na direção do barril, e logo encarei Taehyung quem olhava Rosie, mas rapidamente desviou o olhar. Provavelmente quando ela o fitou. Escutei a mesma o chamar, e não ouvi mais muita coisa devido ao som alto. Era estranho, Tae não havia me contado que ambos haviam se beijado e sempre contávamos tudo um para o outro. Assim que me virei na direção dos dois, Rosie berrava algo para Taehyung entender, mas ele parecia completamente desinteressado no que ela falava. Mas eu sabia, muito bem, que era apenas seu orgulho falando mais alto.

Entrei a maekju de Rosie, sorrindo de lado, ela me agradeceu lançando um rápido olhar e então tornou a chamar Taehyung. 

- Ya, Tae? 

Ele apenas a fitou de braços cruzados. 

- Podemos conversar? 

Evitei a todo custo prestar atenção em ambos, então, acabei olhando na direção de Jimin e Yoongi quem ainda beijavam mais ávidos do que nunca.

- Agora não dá. – Tae respondeu com sua voz grave. 

- Ah, está tudo bem.

- Não é que eu não queira… Eu só… Eu tenho que ajudar a Hwa porque…

- Aniyo. Não precisa. – Falei impulsivamente recebendo um olhar assustado de Taehyung. Ri nervosa. – Eu… Eu estou bem aqui.

- Aniyo. Eu não posso te deixar aqui sozinha! – Tae berrou forçando um sorriso. – Eu…

- Tae, eu realmente quero falar com você. – Rosie o interrompeu. – Sei que não mereço por tudo que te falei, mas… Realmente preciso. 

Tae a encarou. Ambos ficaram alguns segundos se encarando e percebi o quão Taehyung estava mexido com Rosie. Era ainda mais do que eu havia percebido, mas eu era uma negação quando se tratava de sentimentos, ou percepção dos mesmos. Céus, Tae estava realmente apaixonado por Rosie e sou a pior amiga do mundo por não ter notado isso antes. 

Ele me fitou e então sorri de lado dizendo que estava tudo bem que ele fosse. Tae balançou a cabeça positivamente e passou por baixo do balcão parando ao lado de Rosie quem sorriu ao perceber que ele a acompanhava. 

- Ya! 

Assustei com o grito repentino, mas assim que percebi que saia dos lábios de Yoongi, quem ainda abraçava Jimin por trás com um sorriso fofo, evitei responder, apenas o encarei.

- Guarda nossas bebidas! – Ele riu encarando Jimin a sua frente. – Nós vamos…

- Nós já voltamos! – Jimin riu fechando seus olhinhos enquanto entrelaçava seus dedos nos de Yoongi e o puxava para longe dali. 
Apenas ri anasalado, voltando a sentar-me na cadeira enquanto observava os demais, principalmente meus amigos. Namjoon estava próximo ao som com um dos estudantes de música que participava dos concursos de rap, Johe… Johehoon? Joheoon? Era algo assim, ele era um cara muito simpático, e sempre que sorria suas covinhas ficavam a mostra. Namjoon e ele conversavam animados sobre algo, e se eu pudesse palpitar diria que estavam falando sobre música. 

Encarei Jin, quem estava sentado na escada ao lado do sorridente e simpático Hoseok, não me surpreendia de ambos se conhecerem, afinal, Namjoon e Seokjin estavam juntos há três anos e provavelmente possuíam o mesmo grupo de amigos. Jin, parecia mais embriagado que Hoseok, ele parecia reclamar de algo já que a movimentação de suas mãos era constante, algo que ele fazia quando estava incomodado. Hoseok, por sua vez, bebia sua maekju prestando atenção no amigo, mas sabia que ele observava outra pessoa, e me assustei quando percebi que se tratava de Seoyeon. Hoseok estava interessado na minha melhor amiga e eu também não havia percebido isso antes? 

Talvez se eu tivesse tido um pouco mais de tempo para falar com meus amigos, eu soubesse das coisas, realmente importantes. Mas meu lado perfeccionista não deixou, então, eu simplesmente me enterrei de cabeça na preparação da festa de modo que deixasse tudo perfeito, e acabei esquecendo da minha própria vida.

- Parabéns, Jaehwa. Você é uma excelente amiga. – Sussurrei frustrada comigo mesma. 

- Falando sozinha, Jeon? 

Olhei para o lado direito do balcão e dei de cara com Jeon Jungkook sorrindo de lado enquanto mantinha os braços cruzados. 

- Ya. – Fiquei de pé sorrindo e desviando o olhar de Hoseok e Jin. – O que vai querer Jeon? 

Ele esticou o copo. – Mais um pouco de maekju, por favor.

- É pra já, Jeon.

Sorri de lado pegando seu copo e caminhando em direção ao barril, o enchi e então estiquei para Jeongguk me encostando no balcão e ficando ao seu lado. Jeon encostou seu cotovelo no mesmo e então sorriu olhando para a pista onde inúmeras pessoas se beijavam, outras dançavam, e algumas riam conversando sobre algo. Sorri suspirando e então acompanhei Seoyeon com o olhar, ela andava até as escadas onde Hoseok e Seokjin estavam sentados. No instante em que Jin apontou para ela, com o queixo, a feição e postura de Hoseok mudaram completamente. Ela sorriu simpática e Hoseok se ajeitou na escada apontando para o lado, provavelmente perguntando se ela gostaria de se sentar, o que ela logo negou com a cabeça.

- Hoseok muda completamente com ela por perto. – Jeongguk sorriu divertido

- Ele realmente gosta dela.

- E ela dele.

- Sério?

Apontei com o queixo. – Olha para os sorrisos desses dois. – Ri anasalado. – Não tem como negar.

Jungkook se virou na minha direção apoiando ambos os braços no balcão. – Isso é sério?

- Sim. – Balancei a cabeça positivamente.

- Eu tô perguntando porque Hobi realmente gosta dela.

Franzi a testa o fitando. Ele sorriu mostrando seus dentinhos adoráveis, desde a primeira vez em que conversamos o disse que ele possuía dois dentinhos de coelho, o que fez com que Jeongguk evitasse sorrir perto de mim por longos dias.

- Veja, Hobi já falou dela várias vezes. Mas nenhum de nós estávamos levando muito a sério, quero dizer, achamos que ele estava se sentido só atraído por ela. Mas então, um dia, Hoseok e eu tivemos uma conversa bem franca sobre sentimentos, ele é um cara extremamente alto astral, e parece que nada o abala, mas ele simplesmente é o cara mais sentimental que eu já conheci na vida.

Continuei encarando Jeongguk quem falava de Hoseok como se o conhecesse por anos.

- Nos conhecemos há um ano. Dividimos o mesmo quarto, eu, ele, Yoongi-hyung e Namjoon-hyung. Fui o último dos três a chegar, mas eles sempre foram legal comigo. Sempre me senti parte da família rapper que eles montaram.

- Família rapper? – Questionei esboçando um sorriso.

- Ya. – Jeongguk balançou a cabeça positivamente. – Os três adoram rap, hip hop. Quando se juntam para falar disso, eu simplesmente fico fascinado como eles entendem tanto sobre o assunto.

Sorri de lado o fitando com os braços esticados no balcão.

- Mas voltando ao assunto de Hoseok e Seoyeon. Quando estávamos conversando, uma noite, sobre as garotas que gostamos, ele desabafou pela primeira vez. Ele disse que mesmo sendo sociável e sendo completamente amigável com todos, simplesmente não conseguia chegar perto de Yeon-ssi, porque ficava nervoso toda vez que isso acontecia. Foi a primeira vez em que um conselho meu foi ouvido por um amigo, e isso fez com que Hobi e eu nos aproximássemos mais.

- Isso é realmente fofo. – Sorri olhando Hoseok e Seoyeon travarem uma conversa divertida, excluindo totalmente Jin. Voltei minha atenção para Jeongguk logo em seguida. – E o que você aconselhou?

Jungkook riu bebericando sua cerveja e deu de ombros. – O óbvio: que ele fosse falar com ela. Mas claro, aumentei seu ego e ele acabou criando coragem para isso.

- Bom trabalho, Jeon.

- Obrigado, Jeon. – Jungkook sorriu tornando a virar-se em direção a pista.

Desviando o olhar mais uma vez de Hoseok e Seoyeon, cutuquei Jeongguk no ombro, o que fez com que ele me fitasse com as sobrancelhas erguidas e um sorriso ladino, apenas esperando que eu falasse.

- Posso fazer uma pergunta, Jeon?

Ele riu balançando a cabeça positivamente.

- Eu conheço a garota que você gosta?

Jungkook apenas me encarou, a batida da música parou e o sorriso de Jungkook sumiu de seus lábios, como se eu tivesse falado algo de errado.

- Jeon? Eu falei algo errado?

- Não. Não. Não. – Ele balançou a cabeça negativamente e então terminou de beber seu copo inteiro em uma única golada. – Você não conhece.

- Ela…

- Annyeonghaseyo!

Seokjin surgiu, literalmente, do nada, ao lado de Jungkook. Sorri para ele quem logo se empoleirou em cima do balcão me pedindo mais maekju e sorrindo amigavelmente. Seokjin era uma obra de arte, incrivelmente lindo, e o melhor de tudo era que ele sabia muito bem disso.

- Ya! Jungkookie, eu não sou o homem mais bonito que você já viu em seus vinte e um anos?

Gargalhei virando para trás enquanto via Jeongguk assentindo com a cabeça. Seokjin lhe deu um tapa em seu ombro.

- Aish! Você sabe das coisas, dongsaeng.

Jungkook apenas riu, voltei com a cerveja de Jin e peguei o copo da mão de Jungkook o enchendo logo em seguida. Tornei a encostar no balcão, olhando para ambos quem iniciavam uma conversa que não conseguia ouvir devido ao som alto. Jin deixou o copo em cima do balcão e ergueu os braços apontando em minha direção, sorri o fitando, completamente confusa.

- Jaehwa-ssi. Você está linda hoje. – Jin berrou me fitando.

Ri o encarando. – Você também, Jin.

- Obrigado, eu sei. – Ele sorriu e então bateu no peito de Jungkook. – Aprenda, você deve fazer isso.

O fitei sem entender. Encarei Jeongguk na expectativa de que ele me ajudasse a entender o que estava acontecendo, mas Seokjin puxou meu rosto delicadamente pelo queixo. Franzi minha testa ainda mais confusa à medida que Jin aproximava seu rosto do meu. No instante em que tentei me afastar Jin segurou em minhas bochechas me impedindo de o fazer.

- Não se preocupe, Hwa-ssi. – Ele sorriu visivelmente galanteador. – Sou completamente gay, e inteiramente apaixonado por Namjoon.

- Hyung…

Insisti em olhar para Jeongguk, de modo que pedisse socorro, mas Seokjin apenas puxou meu rosto selando nossos lábios em um beijo molhado. Sem conseguir fechar os olhos senti os lábios macios e carnudos de Jin nos meus e tentei empurrá-lo de leve, mas ele apenas permaneceu com ambos os lábios selados em um beijo incrivelmente estranho, isso para não dizer absurdo. Aish, céus, o que ele estava fazendo?

Jin me soltou sorrindo satisfeito e então encarou Jeongguk. – Assim que se faz Jungkookie.

Encarei Jeongguk quem o fitava com os olhos arregalados e as sobrancelhas erguidas, sua boca formava um perfeito “o” e ele parecia ainda mais surpreso do que eu estava.

- Seokjinnie! – Berrei fechando os olhos, provavelmente dando um ataque como uma garotinha mimada.

- Seus lábios têm gosto de uva. – Ele sorriu me fitando e então bebeu mais de seu copo. – Mas realmente, não é a minha praia.

- O que foi isso, Jin? – Questionei o encarando.

Apenas ensinando Jungkookie como ele deve…

- Hyung! – Jeongguk berrou no exato instante em que a música parou.

Todos os olhares foram na direção de nós três, Jeongguk assustado, eu confusa e perplexa e Seokjin sorrindo vitorioso, completamente orgulhoso de si.

- Depois me passa o nome desse brilho labial, que tenho planos com esse gosto de uva. – Seokjin riu mordendo o próprio lábio.

A música voltou e Seokjin apenas mandou um de seus beijos voadores indo em direção a Namjoon quem, coincidentemente, estava a caminho de nós. Assim que Namjoon apontou, com seu sorriso para nós, Seokjin selou seus lábios nos do namorado, iniciando um beijo caloroso que logo foi retribuído.

- Ya, você está bem? – Jeongguk me fitou.

Pisquei os olhos diversas vezes ainda tentando entender o que tinha acontecido. – Por que ele…? Por que me…? O que…?

Jungkook voltou toda sua atenção para mim. – Eu não… Eu não sei.

- Por que Kim Seokjin me beijou daquela maneira?! – Bati os pés. – Eu… Céus, ele é louco?

Jungkook segurava o riso me fitando.

- Foi como beijar meu avô! Aish!

Sem demoras, Jeongguk começou a rir. Ele inclinou seu corpo por cima do balcão, deixando o copo em cima do mesmo, e simplesmente riu. Ele ria como se fosse a coisa mais engraçada de todo universo. E não era! Quero dizer… Se fosse o oposto, talvez eu também estivesse rindo como ele, mas não! Eu era a vítima.

- Jeon, para de rir!

- Desculpa, Jeon, eu… – Ele novamente fechou os olhos jogando a cabeça para trás e dando uma risada gostosa de se ouvir.

Jeongguk, apesar de ser um garoto completamente tranquilo, raramente ria, ele tinha seu sorriso habitual de coelho, com os dois dentes avantajados de uma maneira muito fofa, e vê-lo gargalhando daquela maneira era uma das coisas mais fofas de todo universo. Sem perceber, eu estava sorrindo, e assim que o fiz andei até Jeongguk, tentando ao máximo parecer nervosa, bati em seu ombro fazendo com que ele recuasse um pouco, mas ainda assim sem parar de rir.

Toda a minha tentativa de não rir se foi apenas ao observar Jeon rir, ele ria e, mesmo com a música alta, eu conseguia escutar sua risada. Revirei os olhos, me jogando no banquinho novamente enquanto olhava Jeongguk de canto de olho, tentando, ao máximo, parecer irritada com a situação. Mas eu não estava, toda a surpresa e a perplexidade já havia passado. Na verdade, eu estava me divertindo apenas de ver Jeongguk rir às minhas custas. Céus, como eu sou estranha.

- Ya!

Sim, tudo que é bom dura pouco. Virei meu rosto, sem sorrir, na direção do emburrado que agora estava sozinho, sem Jimin para lhe ensinar, de fato, o que era educação.

- Ya!

- Pare de gritar, idiota!

Ele sorriu de lado. – Me dê minha cerveja e do Jiminie, idiota.

Bufei. – Será que é difícil você ser educado?

- Mas eu sou. – Ele deu de ombros. – Com quem merece.

- Céus. – Revirei os olhos entregando ambos os copos para ele. – Tchau.

- Obrigado, batom de uva.

Senti meu rosto queimar e assim que encarei Jeongguk, quem parecia ter parado de rir, ele me fitou mordendo o próprio lábio e segurando o riso.

- Aish, não se atreva a…

- Ya!

- O que você quer agora?! – Berrei olhando diretamente para Yoongi quem voltava com ambos os copos em mãos.

- Vai se foder. – Ele me encarou rapidamente. – Não tô aqui pra falar com você, batom de uva.

- Por que você tá…?

Jeongguk tornou a rir e então encarou Yoongi quem andava até ele com um sorriso nos lábios, ver o emburrado sorrir era algo realmente medonho, e único, mas ainda assim ele parecia adorável. Apenas parecia.

- Jungkook-ya! – Yoongi o chamou.

- Oi, hyung. – Ele parou de se contorcer permanecendo na frente de Yoongi.

Jeongguk era alto, e perto de Yoongi ele parecia ser duas vezes maior.

- Posso te fazer uma pergunta?

- Sim, hyung. – Jungkook secava os olhos que lacrimejavam.

A música então parou, e Yoongi sorriu um pouco mais, perguntando.

- Por que não fala logo que gosta da batom de uva?

A feição de Jungkook mudou completamente. Ele, imediatamente parou de rir e encarou Min Yoongi sem sequer se mexer. Ele… Ele… Jeongguk gostava de mim? Arregalei os olhos o fitando e em seguida Yoongi, quem sorriu erguendo os copos e berrando um sonoro:

- De nada, dongsaeng!

Jungkook me fitou e nunca, desde que nos conhecemos, eu o vi assustado daquela maneira. Eu simplesmente não sabia o que fazer, não era como se eu não gostasse dele, mas nunca havia parado pra pensar daquela maneira. Claro, Jeongguk era um homem incrível, por dentro e por fora, ele era adorável e acima de tudo muito, mas muito bonito, obviamente notei tal coisa no dia em que nos conhecemos, mas eu estava passando por momentos difíceis para vê-lo de outra maneira a não ser meu amigo.

Mas, pelo visto, Jeongguk gostava mesmo de mim. Pelo visto a garota com quem Jeongguk havia conversado com Hoseok, no dia em que ele desabafou sobre Seoyeong era eu. Por isso o nervosismo na hora de responder. Mas Jungkook nunca, em todos esses meses de amizade, deixou transparecer seus sentimentos para mim. E mesmo se deixasse, eu jamais perceberia, tamanha negação que era.

Jeongguk desviou o olhar saindo de perto do balcão e logo entrando na multidão. Sem pensar duas vezes, corri em direção a abertura do balcão, pronta para pará-lo. Então era verdade? Merda, Jeongguk, não era fugindo dessa maneira que as coisas dariam certo. Não era fugindo que as coisas se resolveriam. Jeongguk era uma pessoa importante em minha vida, e não queria perder sua presença. Merda. Não queria.

Assim que sai do balcão, Han Doji, um dos garotos responsável pelo bar junto comigo, apareceu na minha frente, segurando em meus ombros e me impedindo de passar, ou ver qualquer coisa a minha frente.

- Doji, me solta. – Re smunguei o empurrando para trás.

- Ya, ya, ya, calma! – Ele berrava devido a música. – Quer que eu fique no bar? Ele está…

- Sim! – O interrompi procurando Jeongguk com os olhos na pista, mas já havia o perdido. Tornei a encarar Doji furiosa. – Era o que você devia estar fazendo desde o princípio!

Me afastei de Doji empurrando as pessoas a minha frente enquanto procurava por Jeongguk pela pista de dança. Mas estava sendo completamente inútil, eu não possuía nem mesmo um metro e setenta e a maioria das pessoas naquela pista eram mais altas do que eu. Continuei a empurrar até que encontrei Jin e Namjoon dançando agarradinhos completamente inertes na aura sensual que os rodeava. Se Kim Taehyung estivesse por ali, ele certamente saberia por onde Jeongguk fora. Afinal, ambos eram realmente próximos.

Encarei Hoseok e Seoyeon sentados a escada, ambos sorrindo um para o outro e completamente vidrados, certamente eles não haviam visto Jeongguk passar por ali, pois estavam perdidos demais nos olhos e sorrisos um do outro. Jimin e Yoongi estavam se beijando intensamente na pista de dança, e se fosse em outro momento eu me perguntaria se o fogo de ambos não apagava. Jin e Namjoon, também absortos na dança sensual que faziam, certamente não haviam visto Jeongguk, o que restava, por fim, apenas eu e minha baixeza procurá-lo.

Empurrando as pessoas, a mais delicada que conseguia ser, acabei esbarrando em Joo Joogi, uma das garotas que Jeongguk havia saído por um tempo, mas preferiu não mais o fazer quando percebeu que os sentimentos dela eram mais fortes do que os dele pela mesma. Mas ela nunca, de fato, deixou de gostar dele, e isso ficava visível sempre que o via.

- Joogi?

Ela sorria, mas assim que me viu, escondeu o sorriso. – O quê?

- Você viu Jeonggukie?

- Você não deveria saber já que sempre está com ele?

Bufei. – Obrigada pela atenção.

Ela então me segurou pelo pulso. – O que aconteceu com ele?

- O que quer dizer?

- Me fala primeiro porque ele passou completamente frustrado e depois te digo para que lado ele foi.

- Então você sabe! – Berrei a encarando. – Pra que lado ele foi?

- Me fala…

Segurei em seus ombros. – Eu não tô a fim das suas brincadeiras, Joogi! Para onde ele foi?

Ela se soltou bruscamente. Me fitou por um tempo e então bufei certa de que não conseguiria informação alguma da mesma. Assim que me afastei senti suas mãos finas segurarem meu pulso.

- Espero que tenha uma ótima razão para me segurar uma segunda vez. – Falei a fitando completamente séria.

- Banheiro. – Ela suspirou. – Tentei pará-lo e ele disse que precisava ir ao banheiro.

Soltei meu braço de sua mão em um movimento brusco e agradeci de má vontade andando em direção ao banheiro masculino. Passei por toda a pista, e então parei na porta do WC com a plaquinha azul e um bonequinho masculino desenhado. Eu entraria mesmo em um banheiro masculino a procura de Jeon Jungkook? Por que diabos eu estava tão desesperada? Minha cabeça rodava e nem bêbada eu estava. Estava sóbria, sóbria e completamente certa do que havia escutado dos lábios de Yoongi. Suspirei encarando a porta e assim que a mesma se abriu, me virei para o lado de modo que dois homens saíssem de lá de dentro, rindo. Antes da porta se fechar automaticamente, e fazer algum barulho, segurei a mesma com a ponta dos dedos e fazendo o que nunca tinha feito antes, entrei no banheiro masculino.

Abri a boca pronta para gritar Jungkook quando a porta se abriu novamente, antes mesmo que pudesse ver o rosto de quem era, abri a primeira porta que vi pronta para me esconder. Mas o meu grito soou mais alto que o normal ao ver Taehyung completamente entregue ao prazer. Ao prazer que Rosie o proporcionava. Com sua boca. No membro de Taehyung. Sim. O chupando. Ele ergueu o rosto e tudo o que fiz foi fechar a porta tentando, ao máximo, esquecer aquela cena de Rosie chupando meu melhor amigo. Meu deus, meu deus, meu deus, que dia louco. Louco. Completamente louco.

Passei pelos dois garotos enquanto corria em direção a porta, e sem olhar para trás, corri até o jardim frontal da casa de festas que havíamos alugado. Ofegante, apoiei minhas mãos no muro de cor bege, e fechei os olhos desejando nunca, em toda minha vida, ter visto aquela cena de Taehyung e Rosie. Meu deus. Estava traumatizada. E tudo isso por causa de Jeongguk. Eu entrei em um banheiro masculino, vi meu melhor amigo ser chupado pela garota que ele é apaixonado, tudo isso pelo medo estúpido de perder Jungkook. Como, em tão pouco tempo, os sentimentos podem se tornarem tão confusos como naquele momento?

Encostei minhas costas no muro e então observei o jardim e a rua a minha frente. Onde ele estava? Eu daria tudo para encontrar Jeon Jungkook novamente. Para nos encontramos ali, naquela festa, e ali mesmo conversarmos o que tínhamos para conversar, porque eu sabia que depois seria como se nada daquilo tivesse importância. E só de pensar tal coisa, meu coração se sentia esmagado.

Olhei para o final da rua, onde as flores de cerejeira enfeitavam mesmo na noite escura que caía, e então reconheci uma silhueta. A silhueta do cara que eu tanto procurava. Eu a reconheceria em qualquer lugar, suas pernas incríveis, sua altura, seus braços e até mesmo seu ombro. Desde quando eu conhecia tanto o corpo de Jeon Jungkook? Não importava. Não fazia diferença naquele momento. Tomando um impulso comecei a correr, sentindo o vento bater em meu rosto, e sem desviar o olhar da silhueta de Jungkook apenas percebi que me aproximava mais e mais.

- Jeongguk!

Ele parou de imediato. Ainda de costas, ele permaneceu parado, no meio da rua, enquanto eu me aproximava transformando a corrida em passos largos, eu estava mesmo ofegante, mas nada disso impedia que eu continuasse a andar em sua direção.

- Jeongguk!

O chamei pela segunda vez e ele virou-se em minha direção. Franzi a testa perdida na visão perfeita que ele formava a minha frente. Ele me fitava completamente surpreso, como se não esperasse que eu fosse atrás de si, e muito menos o achasse. Mas não o culpava, afinal, eu estava surpresa comigo mesma e com todas as atitudes que tinha tomado em menos de dez minutos. Em um instante ele era apenas o Jeongguk, meu amigo e confidente, e agora, bem, agora ele ainda era meu amigo e confidente Jeongguk, mas ainda assim, havia algo a mais nele. Algo que, incompreensivelmente, me puxava em sua direção em um desespero que nunca havia sentido antes.

- Jae… Jaehwa? – Ele gaguejou assim que me aproximei.

 

- Por que você saiu daquele jeito, Jeongguk? – Perguntei ofegante. – Eu entrei no banheiro masculino para te procurar.

- Sinto muito. Eu…

- Você o que, Jeongguk? É verdade?

Ele não respondeu, apenas me fitou.

- Não acha que eu devo saber?

- Não.

Franzi a testa confusa.

- Não, você não deveria saber daquela maneira. – Ele me encarava completamente sério, como nunca havia visto antes. – Eu realmente estou detestando Yoongi-hyung agora. Ele não tinha o direito de falar daquela maneira.

Normalizando a respiração, continuei o fitando, atenta a tudo o que ele tinha a dizer.  Então era mesmo verdade?

- É verdade o que ele disse. Mas não, você não deveria saber dessa maneira sobre o que sinto por você. Eu…– Ele fez uma breve pausa suspirando. – Eu não conseguia te contar sobre meus sentimentos porque eu tinha medo de me ver como um pervertido ou aproveitador. Você estava sofrendo, Jaehwa-ssi. Sofrendo por seu ex-namorado, e foi realmente insensível da minha parte me apaixonar por você enquanto você estava triste. Mas não pude evitar, assim como não pude falar nada disso até então por medo. É normal, não é? Termos medo de perder alguém que gostamos muito. E eu tinha muito medo, já que você sempre disse que eu era seu melhor amigo. Era sempre assim, amigo, amigo, amigo, e, honestamente, eu estava ok com isso. Desde que eu estivesse por perto e pudesse…

Sem pensar, realmente sem pensar duas vezes ou algo além “realmente preciso beijar Jeongguk”, aproximei nossos rostos e, ficando na ponta dos pés, selei nossos lábios. Não foi de imediato, mas apoiei minhas mãos nos ombros de Jeongguk, esperando que ele iniciasse o beijo. Mas ele apenas me afastou. Suspirei o encarando e então senti meu coração simplesmente surtar em meu peito, em uma velocidade tão absurda que nunca havia sentido antes.

- Jaehwa-ssi, você não precisa me beijar por pena...

- Eu nunca faria isso. – O interrompi de imediato. – Nunca brincaria com seus sentimentos, Jeongguk.

Ele então me fitou e tornei a me aproximar, mas sem tomar qualquer atitude daquela vez. Jeongguk me fitava a sua frente, e eu apenas ergui meu olhar o fitando nos olhos. Em seus olhos tão pretos como o céu daquela noite que nos rodeava. Eu adorava seus olhos. Mais até do que havia percebido.

- Quando você saiu correndo, eu pensei que fosse te perder. – Soltei sentindo meu coração completamente louco em meu peito. – E isso fez com que eu ficasse realmente fora de mim.

Jeongguk me fitava.

- Estou mais confusa que você naquela prova de introdução aos estudos arquitetônicos.

Ele esboçou um pequeno sorriso, o que foi mais que suficiente para que eu me aproximasse um pouco mais.

- Mas eu realmente quero tentar. – Falei o fitando nos olhos. – Quero retribuir todo esse sentimento que você sente por mim, eu quero, Jeongguk.

- Jaehwa…

- Eu quero, Jeongguk. – Falei mais certa do que nunca. – Não quero que saia da minha vida…

- Ainda podemos ser amigos, não há…

- Eu não quero ser apenas sua amiga. – Umedeci meus lábios atraindo sua atenção para os mesmos. – Não quero ser só uma amiga, Jeongguk.

Nossas respirações estavam falhas, provavelmente no mesmo compasso, mas isso não era algo que importava naquele momento. Jungkook e eu trocávamos olhares como nunca havíamos feito antes, não por tanto tempo e com tamanha intensidade. Seus olhos eram tão incríveis que eu parecia completamente perdida na imensidão que ambos pareciam demonstrar. Sem desviarmos os olhares um do outro, senti a mão de Jeongguk em minha nuca, por baixo de meus cabelos, e então me aproximei um tanto mais, sentindo sua respiração em minha pele. Passando os braços em volta de seu pescoço, apenas fechei os olhos ao perceber que ele aproximava seus lábios dos meus.

Assim que selamos nossos lábios, novamente, senti meu corpo inteiro arrepiar, os lábios macios de Jeongguk fizeram com que o frio em minha barriga se tornasse mais intenso, mas tudo o que fiz foi retribuir o beijo que ele logo iniciava. Eu realmente queria tentar, realmente queria ter algo a mais com Jeongguk e estava surpresa comigo mesma tamanha a vontade que havia surgido. Mas não, ela não havia simplesmente surgido, ela sempre esteve ali, crescendo cada vez mais a medida que eu percebia o quão incrível Jeongguk era.

Afastei os pensamentos no instante em que senti o braço esquerdo de Jeongguk envolver minha cintura e o puxar para perto de si. Levei uma de minhas mãos para sua nuca fazendo com que as pontas de meus dedos tocassem em seus cabelos macios, o que me fez sorrir, por uma fração de segundo, entre o beijo que Jeongguk me envolvia com tanta facilidade. Eu estava completamente entregue a Jeongguk e seus lábios, e ao mesmo tempo que tal coisa me assustava, fazia com que eu me sentisse imensamente bem.

Abaixei meus pés, ficando de meu tamanho normal, e Jeongguk inclinou seu corpo em minha direção fazendo com que nada, nem mesmo nossas diferenças de altura, atrapalhasse nosso beijo. E, internamente, eu era grata por isso. Queria seus lábios macios nos meus o máximo que pudesse ter, não sei se aquilo aconteceria novamente, não sabia e nem pensava em nada além daquele momento, daquele beijo. Daquele beijo incrível em que Jeongguk e eu estávamos envolvidos.

Sem mais conseguirmos respirar a ponto de mantermos o beijo, separamos nossos lábios, nos encarando completamente ofegantes. Encarei Jeongguk em seus olhos pretos e então sorri. Sorri ao sentir o quão certo aquilo parecia. O quão bom. O quão incrível. O quão maravilhoso era beijar Jeon Jungkook.

- Realmente tem gosto de uva. – Jeongguk disse passando a língua nos lábios.

Apenas ri o abraçando. Jeongguk logo retribuiu o abraço passando ambos os braços em volta de minha cintura e afundando o rosto em meu pescoço, o que me fez, de certo modo, arrepiar. Fechei os olhos ao senti-lo depositar um rápido beijo em meu pescoço. Tornei a afagar sua nuca, sentindo meu coração ainda tão acelerado quanto antes.  Nos soltamos e suspirei perguntando:

- Você ia embora sozinho?

Jeongguk balançou a cabeça positivamente. – Minha carona da noite é Yoongi-hyung, eu não queria falar com ele e não achei Taehyung-ssi.

Soltei uma breve risada e então fechei os olhos repudiando aquela imagem novamente.

- O que foi?

Abri os olhos observando a feição assustada de Jeongguk. – Tae está ocupado.

- Como você sabe? – Ele franziu a testa.

- Com Rosie.

Jeongguk sorriu arqueando as sobrancelhas. – Essa festa tá unindo todo mundo que se gosta, é isso?

O fitei com a frase enquanto mantinha um sorriso em meus lábios. Ele então suspirou e percebi o quanto sem graça ele estava, Jungkook abriu a boca inúmeras vezes para dizer algo, mas nada saía.

- Sim. – Concordei. – Essa festa está unindo todo mundo que se gosta.

Seu sorriso foi inevitável e eu ficaria horas apenas vendo-o sorrir daquela maneira, ele estava sem graça, mas ao mesmo tempo, feliz. Jeongguk tentava evitar o largo sorriso que insistia em aparecer, mas não estava conseguindo tal coisa com sucesso. Ri anasalado o fitando, e tornei a selar nossos lábios, rapidamente sendo correspondida por um beijo calmo, porém necessitado. E os lábios de Jeongguk realmente eram algo que eu necessitava, pois pareciam incrivelmente perfeitos, especialmente quando nos beijávamos e Jeongguk o fazia tão bem que esquecia de tudo ao meu redor.

Resolvemos voltar quando Jeongguk perguntou sobre o bar, e por mais que Doji tivesse se responsabilizado pelo mesmo, eu não confiava nele. Nada pessoal, apenas a razão de que ele não havia me ajudado até então sendo que tinha se comprometido na reunião da turma. Mas, assim que voltamos para o bar, lá estava ele, atendendo duas garotas com um sorriso no rosto e esbanjando simpatia. Me aproximei do mesmo e ele me recebeu com um sorriso igualmente alegre.

- Oi sunbae! – E então fitou Jeongguk – Oi, Jeon!

- Ah, oi Doji. – O cumprimentei.

- Vai se divertir, eu fico aqui dentro a partir de agora.

Franzi a testa o fitando. – A troco de que?

- De nada. – Ele riu. – Só estou me sentindo mal por não ter ficado aqui desde o princípio. Mas eu entendi errado. Pensei que teríamos escalas. – Ele balançou a cabeça. – Mas vai! Vai se divertir.

- Eu…

Jeongguk segurou em meus ombros. – O que ela quer dizer é: muito obrigada Doji-ssi.

Doji sorriu. – Não me agradeça! Não faço mais que minha obrigação!

Jeongguk me puxou pelos ombros e então o fitei já no meio da pista, ele fez uma dancinha animada e apenas ri, mas logo desviei o olhar na direção do bar.

- É uma festa. – Escutei a voz de Jeongguk em meu ouvido. – Se não houver diversão, qual o sentido de chamar assim?

- Eu sei, mas… E se ele não der conta? Ele ficar sozinho é tão cruel quanto quando me deixaram.

- Ele disse que está tudo bem. – Jeongguk aproximou seu rosto do meu e olhou na direção do bar. – Olhe para aquele sorriso.

Soltei uma risada anasalada assim que encarei Doji completamente sorridente em frente a um grupo de amigos que pediam algo. Senti as mãos de Jeongguk na minha e abaixei o olhar para as mesmas, ele as balançou no ritmo da música, e ri erguendo o olhar até ele.

- Vamos, dance!

Sorri o fitando. – Eu não sei dançar.

- Não é difícil, é só mexer o corpo.

Jeongguk, apesar de estar fazendo passos improvisados, era um bom dançarino. Ele dançava no ritmo, fazendo caras e bocas o que, o tempo todo me fazia rir. Por fim, cedi a ideia de que deveria me divertir, afinal, por que não me divertiria em uma festa que tinha ajudado a planejar? Não gostaria de lembrar da mesma apenas pelos momentos estressantes, e com certeza não lembraria, graças a Jeongguk.

Seokjin e Namjoon se aproximaram de nós, no exato instante em que nos beijamos ao refrão chiclete de uma música animada. Rimos completamente sem graça quando a rodinha se formou a nossa volta com meus amigos e os amigos de Jeongguk, que em sua grande maioria eram os mesmos. Até mesmo o emburrado do Yoongi apareceu dando tapinhas nas costas de Jungkook e ele apenas sorriu para seu hyung me fazendo perceber que ele não estava mais com raiva. O que me deixava, de certo modo, aliviada.  

Nunca aproveitei tanto uma festa como naquele dia, além de me desligar completamente das responsabilidades daquele momento em diante, me diverti imensamente ao lado de Namjoon, Seokjin, Taehyung, Rosie, Hoseok, Seoyeon, Jimin e até mesmo com o emburrado do Yoongi quem logo se mostrou ser uma pessoa mais aguentável.

Jeongguk. Por último, mas de fato, não menos importante Jeon Jungkook. Minha noite teria sido completamente diferente se não fosse por ele, e, pela primeira vez em muito tempo, eu me sentia extremamente feliz. Bem e feliz. E sabia, sabia muito bem que em grande parte era por causa dele, do meu amigo e confidente que eu, definitivamente, queria como algo a mais. Queria entregar meu coração a Jeongguk, assim como ele parecia fazer comigo. Eu o queria, tanto quanto ele parecia me querer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...