História Para Equilátero Falta Um Terço - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jihope, Taekook, Vkook, Yoonmin, Yoonseok, Yoonseokmin
Visualizações 191
Palavras 1.308
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi gente voltei no prazo, antes até
bom, boa leitura!
espero que gostem.

Capítulo 14 - A libido de Park Jimin


Acordar no dia seguinte e perceber que Jimin e Hoseok não estavam ali comigo, como no sonho, era horrível. Eu teria que encarar aquela realidade fodida mais uma vez, e pra falar a verdade eu não estava nem um pouco afim, só queria ver Friends e comer muita besteira, já que não podia tê-los comigo 24 horas por dia.

Meu pai não dava sinal de vida desde o ocorrido, o que era um milagre divino, esperava que ele tivesse ido para Daegu de uma vez por todas e me deixasse com minha mãe; e por falar na senhora Minyoung havia conseguido uma promoção na empresa, e consequentemente trabalhava mais, ela até disse que se sentia culpada por não poder passar mais tanto tempo comigo por conta do excesso de trabalho, mas eu não a culpava, ela sustentava aquilo e eu precisava arrumar um emprego e deixa-la um pouco mais sossegada em relação a situação financeira da nossa família.

Era engraçado o quão rápido as notícias ruins corriam, principalmente na família; nunca havia recebido tantas ligações de parentes distantes naquela semana, nem no natal eles me enchiam tanto, e o pior era que todos, sem exceção, pediam para eu voltar para Daegu, porque “eu não podia ficar longe do meu pai”. Mas para a minha sorte, minha mãe não queria que eu voltasse, afirmando que já tinha entrado com a papelada do divorcia lutando pela minha guarda.

O que salvava meus dias eram os seriados e os filmes ruins, serviam para distrair minha cabeça de tudo já que não podia passar o dia todo com os meninos, mas sempre que possível dávamos um jeitinho de ficar juntos, nem que fosse pra só ficar deitado olhando o céu.

Naquela mesma semana eu havia recebido mensagem de Taehyung, provavelmente Jeon quem passou meu contato para o mesmo, e o mais novo me distraia das coisas relembrando momentos de nossa infância.

Se eu tivesse que ir para Daegu por conta de alguma decisão judicial, eu ao menos teria Taehyung, já que o mesmo continuava por lá, mas pelo visto não era só eu que não gostava daquela cidade.

 [16:57] Taehyung:

Eu não aguento mais essa cidade, hyung.

Estou só esperando esse último ano do colégio acabar para ir morar com Seokjin hyung aí em Seul.

Nem meus pais aguentam mais Daegu, e olha que eles amavam isso aqui.

De uns tempos pra cá uns caras estranhos vêm entrando na cidade, um deles depredou a vitrine da floricultura.

Aqui era bem tranquilo, você lembra né? A gente só vivia na rua.

Mas agora tá bem perigoso.

Sem contar que eu quero ficar mais perto do Jeonggukie, né.

 

Sobre a cidade estar perigosa, aquilo me preocupava um pouco, mas mais ainda minha mãe.

Ela já não comentava mais sobre a quantas andava o lance do divórcio e aquilo me preocupava bastante, e depois de saber do alto índice de criminalidade ela teve um ataque e surtou, dizendo que eu não iria de jeito nenhum pra lá; e bem, eu não discordava.

Talvez no fundo eu estivesse preocupado com meu pai também, mas essa preocupação passava quando eu via as marcas no meu corpo, ainda que estivessem sumindo.

Eram essas as preocupações de Min Yoongi durante aquelas férias de inverno; tirando isso, 90% do tempo eu passava dormindo ou assistindo seriado, já estava ficando meio monótono, e eu odiava rotina mais que tudo.

Por isso passar as madrugadas conversando com os meninos era um dos meus mais novos vícios, depois que me descobri dependente deles, principalmente. Mas era tão gostosinha aquela sensação na boca do estomago, mesmo que eles estivessem longe, porque de madrugada só era possível trocar mensagens.

Você possui 4 novas mensagens.

[03:34] Jimin:

Vocês estão acordados?

É que eu fiquei pensando em umas coisas.

Graças ao Seok hyung, claro, esse pervertido.

[03:42] Seok:

Sério que você me acordou pra falar de putaria, Jimin?

Não vou mentir, já quero.

 

Ri sozinho ao ler as mensagens, eu não havia pregado o olho naquela madrugada, como em todas as outras naquela semana, o lance é que eu estava preocupado com meu pai e a possível ida para Daegu, aquilo realmente não saia mais da minha cabeça; mas aqueles dois me faziam esquecer dos problemas rapidinho, eu me sentia tão bem com eles.

[03:44] Você:

Jimin, isso lá é hora pra fogo?

Seu tarado.

[03:46] Jimin:

Eu só ia comentar sobre Seok hyung, ué.

O verdadeiro tarado daqui!

Perto de vocês eu sou inocente.

Foi ele quem disse que você tem uma bundinha gostosa, hyung, não eu.

Apesar de eu concordar, hehe.

[03:45] Seok:

PARK JIMIN VOCÊ ME PAGA!!

[03:46] Você:

Obrigado Seok-ah, mas você concorda comigo em uma coisa, né?

O fato de eu preferir a bundinha do Jimin.

 

Eu podia imaginar o rosto corado do menor enquanto lia aquela mensagem, e a risada escandalosa de Hoseok, seguido de várias provocações; realmente Jimin não estava brincando quando disse que era o mais inocente dentre nós.

E por mais que eu e Hoseok tivéssemos tentado ao menos receber uma fotinha daquela bunda redondinha de Jimin, ele não cedeu; o que nos fez passar o resto da madrugada conversando sobre coisas aleatórias, não que não gostássemos de uma conversa mais audaciosa, mas era um porre se aliviar sozinho, talvez já estivesse próximo da hora de nos darmos uma mãozinha. Afinal eram tantas mãos; - se é que me entende. - por isso sempre que o assunto ganhava um teor mais sexual mudávamos de assunto, pra tentar fugir da monotonia de uma punheta quando se podia ter os dois nus na minha cama, mas eles não colaboravam, pelo menos na vida real, porque em chat eram dois maníacos sexuais.

Aquilo me fazia lembrar que, mesmo quase um mês depois desse rolo todo, nós ainda não tínhamos ficado assim, íntimos demais; porque era bem improvável que algo acontecesse naquelas condições, na minha casa os mais novos não podiam ir, meu pai ainda podia aparecer por lá e a última coisa que eu queria era que ele nos pegasse transando, queria poupar os meninos da presença daquele cara; a  casa de Hoseok vivia habitada por Jeon, que não aguentava ficar sozinho durante a semana, já que só via Taehyung aos finais de semana, e quando estavam juntos arranjavam um jeitinho de se pegar no quarto de Hoseok pois não tinham privacidade em suas casas, já que Jeon tinha dois irmãos, e Taehyung tinha Seokjin; e por fim só restava a casa de Jimin, mas sua mãe não trabalhava então era bem remota a possibilidade de ficarmos completamente sozinhos.

Porém, contrariando todas as forças do universo e meu azar colossal, naquela sexta-feira Jimin mandou mensagem avisando que estava me esperando e esperando Hoseok em sua casa; já estávamos de férias e era bem comum que frequentássemos a casa do loiro, por isso não estranhei o pedido.

Pelo menos até ler a mensagem inteira.

[13:25] Jimin:

Aqui em casa às 14:00.

Sem falta!

Tragam camisinha e lubrificante.

 

Opa. O que era aquilo? Um convite para sexo, mas assim, tão direto? Era como se os caracteres piscassem em letras garrafais. Mas Jimin não era desses, ou era? Contudo, foi só lembrar da noite na casa de Namjoon que me veio à mente a personalidade ousada e sem vergonha de Park Jimin. E cara, algo me dizia que eu estava fodido nas mãos do loiro.

Não nesse sentido! Quer dizer, talvez, né.

[13:36] Seok:

PARK JIMIN.

O que é isso?

Desde quando meu bolinho é tão depravado assim?

Eu não te criei pra essa vida de putaria, Jimin.

Mas to amando, continua.

Inclusive estou indo, vou levar as camisinhas, hehe.

 

Eu não merecia aquilo, meu Deus, estava me relacionando com dois tarados; mas eu não desgostava, longe disso.

Mas, cara, aquilo só podia significar uma coisa: aquela definitivamente seria a tarde da minha vida.


Notas Finais


esse final aushhs perdão
queria ser jimin e mandar uma mensagem dessa prx @ rsrs
e aí gostaram??
confesso que estou mais empolgada com essa fic, depois de ter desanimado legal, vou tentar manter o ritmo.
obrigada pelos favoritos e pelos comentários!!
até o próximo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...