História Para sempre amigos - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Tags Gon X Killua, Hunter X Hunter, Shonen-ai, Yaoi
Visualizações 21
Palavras 1.018
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então galera, minha primeira fic, espero que vocês gostem e me ajudem a melhorar <3

Capítulo 1 - Sentimento Latente


Ainda era madrugada quando Killua acordou, aproximadamente 3:40 da manhã. Um sonho extremamente perturbador havia feito com que ele despertasse, com o coração batendo forte e o suor escorrendo por seu rosto. Gon e ele treinavam em uma floresta próxima à sua casa, e em certo momento deitaram para descansar, pois estavam esgotados. À uma certa distância, Illumi observava os dois, esperando um momento oportuno para ataca-los. Ele ainda insistia em separar Gon de seu irmão a qualquer custo, pois aquela amizade não fazia bem para Killua, e um futuro líder da família Zoldyck não poderia perder tempo com algo tão fútil. Aproveitando-se do momento em que ele sentiu o En dos garotos diminuir, partiu para cima rapidamente quase não dando tempo de reação a eles. Por muito poucos conseguiram escapar das agulhas e sequência de ataques disparados por Illumi. A luta se seguiu e parecia durar uma eternidade, Gon e Killua estavam já cansados e bastante machucados, mas o oponente que os enfrentava enxergava a derrota se aproximar, depois de sofrer vários ataques combinados dos garotos, que tinham uma sincronia absurda. Foi então que, num movimento extremamente rápido e imprevisível, no momento em que Gon acertava um soco consideravelmente forte em seu rosto, Illumi dava um soco com uma agulha enfiada entre os dedos na testa daquele empecilho que para ele destruiria o futuro de sua família, fazendo com que ele caísse no chão como uma pedra, imóvel. Killua conhecia bem o suficiente as agulhas de seu irmão para saber o destino de seu amigo, e no momento em que percebeu que havia uma na testa de Gon, uma fúria incontrolável o atingiu, e logo em seguida ele acordou. Sua primeira reação, depois de se acalmar um pouco e voltar à realidade, foi levantar-se e olhar se seu amigo continuava em sua cama – e lá estava ele a dormir profundamente. Killua deixou escapar um riso baixo e voltou a deitar-se.

“ Não preciso me preocupar com essas coisas, ninguém vai separar a gente, nunca. ”

Não demorou muito e o garoto já estava dormindo novamente, mas mesmo sabendo que aquilo não passava de uma besteira, a imagem de seu amigo morto não saia e nem sairia de sua mente tão cedo.

Eram exatamente 7 horas quando Gon acordou, e ao ver que Killua ainda se escondia sob as cobertas, foi sorrateiramente até seu colchão, deitou ao seu lado e afagou seus cabelos gentilmente. Os olhos azuis se abriram lentamente, e quando encontraram os grandes olhos castanhos, se espantaram e Killua corou levemente.

- Gon, já falei pra você parar de me acordar assim, eu fico constrangido.

- Aaaah, mas eu gosto tanto de mexer no seu cabelo, e só dá pra fazer isso enquanto você dorme.

- Não quero saber, para com isso.

- Aaaah.

- Enfim, já tá na hora da gente sair?

- Quase, são sete horas, vamos só tomar café e sair.

- Ok, vamos nos trocar e descemos. Sua tia já preparou o café?

- Sim! Ela sempre acorda umas seis horas. A gente que demora a acordar.

- Hmmm.

Enquanto Gon se trocava, Killua ficou o observando, relembrando o seu sonho. Não deixaria nada acontecer com seu amigo, de maneira alguma. Enquanto tirava seu pijama, Gon o agarrou por trás e começou a cutucar suas costelas, fazendo com que Killua tivesse um acesso de riso descontrolado. Estavam ambos sem camisa, e a posição em que estavam desfavorecia o garoto dos cabelos brancos a se soltar dos fortes braços de seu amigo.

- Gon, para com isso, eu não tou aguentando mais... PARA!

Num movimento rápido e desesperado, Killua agarrou os braços de Gon e puxou-o para perto de si, de modo que o outro ficou colado em seu corpo. Assim que sentiu o contato entre os dois, tentou se soltar, mas nisso soltou os braços do moreno, que o abraçou com força. Aquilo nunca havia acontecido antes, ele sempre conseguia sair das brincadeiras de Gon, em seguida o imobilizava e dava uma bronca. Dessa vez ele estava completamente sem reação, principalmente porque estava gostando demais daquele abraço, e não queria pensar em mais nada senão naquilo. Ele foi trazido de volta à realidade quando ouviu uma voz baixa próxima de seu ouvido.

- É a primeira vez que você deixa eu brincar com você sem me dar bronca. Agora vou tomar bronca por tentar te abraçar também, é ainda melhor.

- Gon...

- Ah, queria poder ficar aqui, mas a gente tem que descer – Gon dizia enquanto soltava Killua, vestia uma blusa e se diria à porta – vê se não demora muito, a gente tem que sair daqui a pouco.

Killua estava imóvel. Não conseguia entender o que havia acontecido, nem o que estava sentindo, e muito menos as palavras de Gon. Era muito para ele processar de uma só vez, mas um sentimento que sobressaia sobre todos os outros era a felicidade – ele havia gostado MUITO daquilo. Ele sempre se sentia constrangido com as brincadeiras do amigo, porém gostava delas mesmo assim; nunca deixava que ele continuasse, pois a vergonha que sentia era muito grande. Ainda perplexo, se levantava e vestia uma blusa, já que não podia apenas deitar e ficar pensando sobre aquilo – tinha que dar um jeito e agir normalmente, apesar de seu maior desejo era que aquele momento voltasse e não acabasse nunca. Se sentia estranho com esses pensamentos, mas era mais forte que seu constrangimento ou razão. Enquanto saia do quarto e fechava a porta, deixou que um sorriso cobrisse seu rosto, ignorando tudo aquilo que dizia para ele que aquilo era demasiado estranho, e aceitou o sentimento que o percorria. Ao chegar na cozinha, encontrou apenas Gon tomando o café da manhã. Passou por trás de sua cadeira, deu um beijo em sua bochecha, e sentou-se ao seu lado para comer. O moreno o encarou, meio atordoado, mas quando os olhos azuis o encararam ele soltou um sorriso doce, e voltou sua atenção para a comida. Aquele sorriso balançou o coração de Killua mais uma vez, e um sentimento completamente novo começou a florescer dentro dele.


Notas Finais


Então é isso, espero conseguir postar pelo menos uns 3 capítulos por semana, dependendo do que vocês acharem eu me esforço pra trazer mais. Críticas construtivas são muito bem vindas, vejo vocês no próximo capítulo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...