História Para sempre e eternamente ♡ - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 7
Palavras 1.464
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olha quem apareceu....

Trouxe mais um capítulo para vocês e falta bem pouco para as tretas começarem de verdade kkkkk

Bem... Boa leitura meus anjos

Capítulo 11 - Melhor dia da minha vida



   Não me lembro qual foi a última vez que eu dormi tão bem, nem de quando o meu colchão de molas velhas se tornou uma enorme nuvem fofa de algodão. Eu me sentia poderosa acordando daquele jeito
 

   E adivinhem, eu estava com o cheiro do Nicolas denovo. Eu preciso daquele perfume, parece que ele me acalma.
  

 Levantei cheia de energia e fui direto para o banheiro. Tomei um banho maravilhosamente quente e até parecia que meus cabelos ressecados estavam cheios de vida e meu corpo flácido e marcado voltará a ser volumoso e firme sem nenhuma marca como era antes de eu vir para cá.

   Meu Deus é muito raro meu tio passar um dia sem me estuprar e quando isso acontecia parecia que eu havia nascido outra vez.
  

Sai do banheiro enrolada em uma toalha áspera que desta vez parecia ser mais macia que seda.
   

Já no meu quarto me vesti com uma meia calça preta e um short Branco com uma regata azul e coloquei meu moletom escondendo as minhas marcas feitas pela minha melhor amiga... a lâmina.
 

  Eu sinto saudade de usar shorts e regatas sem precisar me preocupar com hematomas gigantes e cortes em minha pele. Juntei meus cabelos e fiz um rabo de cavalo bem alto.

   Desci e encontrei meu nada mais que uma sala bagunçada. Ai como eu amo os turnos BA delegacia.
  

 Corri em direção a casa da Jasmim que por sua vez ja me esperava com um magnífico café da manhã que eu comi sem nem ao menos parar para pensar. Eu Acho que surpreendi a Jasmim com o meu apetite, eu sempre tive um apetite meio voraz mais dessa vez eu estava de parabéns. Fazia tempo que eu não comia assim.
 

  Ai que delícia de dia.

- Minha querida,a sua bicicleta ja está pronta.- ela me anunciou quando eu já estava no quarto pedaço de bolo

   Nossa e esse dia maravilhoso acabou de melhorar.
 

  Contei para ela sobre o meu maravilhoso humor e a vi se iluminar ao saber que eu não sofri nenhuma atrocidade na noite passada e só Deus sabe como é bom essa sensação.
  

 Me despedi dela e fui ao encontro da minha querida bicicleta. Que na verdade não é tão minha mais FODA - SE
  

 Pedalei alegremente pelas ruas do bairro cumprimentando e brincando com todos que eu via no caminho. E nem me importei com os olhares de despresso quando eu passei pelas ruas luxuosas dos bairros nobres. E nem me esquentei com a zuação dos alunos quando eu cheguei na escola.

  Meu dia está maravilhoso demais para me preocupar com as merdas que eles me falavam.

   Fui direto para minha sala e sorri alegremente para o Nicolas que já se encontrava sentado atrás da minha costumeira carteira e ao me ver ele sorriu docemente.
   

Dessa vez ele usava uma calça azul bebê e uma camisa polo Rosa de mangás compridas.  Oque eu tenho de roupas pretas ele tem roupas colorida, acho que vou ser obrigada a roubar algumas roupas dele

- Bom dia Andy - ele me disse quando eu me sentei - Eu amei conhecer as pessoas do seu bairro

- Bom dia Nicolas... fico feliz que tenha gostado deles
  

 O professor entrou e não deu para proseguirmos a nossa conversa. Até mesmo a aula tediosa daquele maldito professor homofobico se tornou cativante.
   

Nem notei o tempo passar. E quando vi ja estava na hora do intervalo.
 

  Apesar de poucos dias de convivência ja me sentia tão próxima do Nicolas e ele de mim que agora nas aulas fazíamos tudo juntos, e agora estavamos passando o intervalo juntos também.
  

 Claro como qualquer pessoa normal eu já tive amigos mais eu posso disser sem medo de errar que a única pessoa desse mundo que eu atualmente e eternamente vou chamar de amigo vai ser o Nicolas. Ele é puro e não faz nada para te prejudicar, ele sabe a hora de falar e a hora de escutar, ele até sabe distinguir os momentos que eu estou fingindo com os momentos que eu estou realmente sentindo algo.

   Esperamos a nata de alunos riquinhos sair, esperamos os nerds juntarem todos os materiais necessários para os estudos durante o intervalo e quando a sala ficou deserta saímos juntos para os corredores abarrotadas de alunos comendo sanduíches, mandando mensagens para outros colegas ou simplesmemte falando da vida alheia.


Não iríamos nos misturar, porque, além de sermos excluídos ainda seríamos motivo de riso caso tentaremos nos enturmar. Mais nem pensávamos nisso, estávamos muito bem sozinhos.
  

 Fomos direto ao refeitório e compramos dois sanduíches naturais e um suco médio para dividirmos. E fomos para o banco atrás da arquibancada.
  

 Comemos em silêncio e apreciamos a companhia um do outro. Eu estava feliz quieta mais foi só ele começar a puxar assunto para a minha alegria aumentar ainda mais, eu amo conversar com ele

- você entendeu a aula de português? - ele me perguntou meio pensativo e ate esses assuntos quando sao discutidos com ele se torna digno de muita atenção.

- sim. É bem divertida essa parte, eu sinceramente apaixonei nas figuras de linguagem

- então depois você vai me ajudar porque eu eu estou confundindo todas elas. - ele disse dando um longo gole no suco e depois continuou - Eu estou um pouco confuso naquela parte da metáfora e a metonímia. Eu começo a confundir todos os nomes

   Eu tive que rir da cara de confuso dele e ele para não ficar para trás me acompanhou nesse Coral de Gargalhadas. Passamos o resto do intervalo desse jeito, conversando, explicando matéria, rindo da cara do outro.
  

 E foi uma tortura enorme ouvir o sinal tocar anunciando o início do novo tempo das  aulas.

  Estava tão gostoso ficar ali apenas conversando.

   E mesmo relutante caminhei a minha sala acompanhada pelo Nicolas que também estava capisbaixo por ter que voltar para a sala.
 

 Eu amo estudar, o problema é que temos um professor só para todas as aulas é complicado. Se ele pega birra de alguém essa pessoa vai sofre pelo resto do ano. Ele dá até aula de educação física, vai ser chato la nos quintos em.

   Já estava me cansando de ouvir ele falar de uma forma orgasmica sobre as matrizes quadradas, quando o nicolas me jogou um papelzinho em minha mesa como da outra vez.

  Não sei porque eu fico tão eufórica ao receber esses biletinhos. Mais fazer oque...
 

  Desdobrei o papel e li as formosas e desenhadas letras que ele havia me dedicado...

" Já que eu fui jantar na sua "casa" acho que seria justo você vir jantar na minha.... aceita?"
  

Escrevi um sim meio correndo e sem pensar e joguei o papel para ele sem que o professor percebesse.

   Não sei se fiz a coisa certa em aceitar mais que mal isso poderia dar.
  

 Passei o resto da aula eufórica. Queria muito ir jantar na casa dele mais tinha medo de meu tio surtar com isso. Mais acho que ele deve estar cansado por ter ficado de plantão na delegacia.
 

  O tédio foi substituído pelo medo, insegurança, ansiedade,felicidade e vergonha. Não sei se um ser humano pode sentir tudo isso junto mais eu estou sentindo isso nesse exato momento.
    

Nem consegui me concentrar mais na aula.
  

 E por falar em aula... essa PORRA passou voando. Sério, quando eu quero que ela passe de vagar para eu poder pensar ela voa e quando eu não vejo a hora dela acabar ela parece uma lesma empurrando uma tartaruga com a pata quebrada.
 

  Não sei se eu estou com mais medo de ir conhecer a familia do nicolas ou do meu tio ir me buscar aos tapas na casa dele quando descobri que eu fui jantar na casa de um garoto.
 

  Ao pensar nisso perdi o pouco de cor que eu tinha até ficar mais branca que papel.
  

 Nem ouvi o sinal tocar e meia eufórica comecei a jogar todo o meu material na mochila.

- Você está bem ?- o Nicolas se sentou em uma cadeira a minha frente e tirou uma mecha de cabelo dos meus que havia escapado do rabo de cavalo.

- Estou ótima - respondi em um sussurro rouco terminado de guardar as minhas coisas

- quer que eu te leve para a casa?

- Não, eu estou de bicicleta.

- Tudo bem então - ele se levantou - tenho que ir mais cedo para casa, eu te mando uma mensagem quando eu estiver indo te buscar, ta?

  Balancei a cabeça afirmativamente e o vi desaparecer pela porta me deixando totalmente imóvel dentro de uma sala vazia  que de tão silenciosa eu conseguia ouvir a minha respiração descompassada.
    

A única coisa que eu conseguia pensar quando consegui juntar forças para ir embora foi :
 

  ESSE JANTAR VAI DAR MERDA!!!!!


Notas Finais


E então ?
Gostaram ?
Não gostaram?
Tem sugestões ?
Deixe tudo nos comentários que eu vou estar lendo

A opinião de vocês é muito importante para mim

E como já disse... as verdadeiras tretas ainda estão por vir

Comentem, favoritem, adicione a sua biblioteca e não esqueçam de recomenda a seus amigos
Nos vemos no próximo capítulo
Muitos beijos de uma panda que está morrendo de saudade de voces


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...