História Para Sempre Minha - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jensen Ackles
Personagens Jensen Ackles
Tags Amandaseyfried, Deanwinchester, Horror, Jensenackles, Keanureeves, Romance, Supernatural
Visualizações 63
Palavras 697
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi nenêsssss!
Não pude deixar o capítulo muito grande então já peço desculpas de agora. Não aguento ver meu Jensen sofrendo.

Xero, boa leitura!

Se eu puder eu envio outro capítulo antes do sábado que vem. ❤

Capítulo 20 - Sem Rumo


Fanfic / Fanfiction Para Sempre Minha - Capítulo 20 - Sem Rumo

- Eu nunca vou deixar que use o sangue do meu filho para essa merda de maldição, nunca vai terminar essa coisa que você criou!

Assim que as palavras saíram, sabia que tinha machucado Josie, e por isso me arrependi inconscientemente disso na hora, e só iria vir cair a ficha no momento em que ela decidiu me deixar. 

 Não podia culpa-la. Eu poderia obrigar ela a ficar? Não tinha escolha. Eu deixei de ter escolhas na hora exata em que ela me desafiou a primeira vez. Sem nenhum medo, e continuou assim mesmo depois de saber o que eu era, e isso é o que mais me deixava instigado em saber mais sobre aquela loira de estatura baixa e corpo perfeito. 

 Assim que ela saiu, John sumiu junto com a bruxa, literalmente. Um silêncio reinou resoluto na casa durante três horas consecutivas. Tempo suficiente para conseguir assimilar tudo o que descobri, inclusive as traições de quem era mais próximo a mim. Para falar a verdade, eu até esperava de Iezabel, mas nunca de Maria. 

 E agora tenho que lidar com tudo isso sozinho, percebendo o vazio que qualquer ambiente fica sem Josie. 

 Me surpreendi ao constatar que só de saber que ela estava aqui me tranquilizava, me instigava, preocupava e me deixava louco. E após séculos se fechando para qualquer pessoa, sem perceber, deixei Josie entrar. 

Ela encheu a casa, mas não o imóvel, a casa que minha caixa torácica segura os batimentos há mais de mil anos. 

Sem querer eu a deixei habitar no meu lugar particular. Agora uma dor estranha e incômoda em meu coração não para. 

 Eu poderia dizer que vou atrás dela, pedir desculpas e dizer pra ela voltar, dizer que a dor da lembrança de minha família morta ainda dói, mas são dores de saudade, coisas que aconteceram há muito tempo e que agora ela é quem importava, o presente que importa. Mas como isso soaria? Quero que seu perdão seja genuíno, não forçado. Que ela volte por querer, não vou sequestra-la novamente, nem que para isso eu precise passar o resto da vida sem ela. 

 {...} 

 Só não imaginei que ia durar tanto, já se passaram meses, tive notícias dela por alguns de meus amigos, ela estava na Espanha, estudando. Fiquei feliz por saber e me senti estranho ao mesmo tempo por não saber quase nada dela. Completamente foda - no uso dos termos vulgares - notar que nunca conversei realmente com ela, nunca perguntei nada sobre ela. Eu achava que sabia tudo só por ter pesquisado tudo o que aconteceu em sua vida desde o seu nascimento. Mas seus desejos, seu interior, pensamentos, sonhos, gostos e desgostos, coisas que ela odeia ou ama... eu nunca tive curiosidade de saber. 

 E como eu me arrependo disso.

 Enquanto ela estudava, continuei com meus deveres como Rei, colocando tudo em seu lugar e sentindo saudades. 

 Nunca parei de procurar John, mas ele tinha sumido. Seu silêncio me incomoda. 

{...} 

 Quase um ano e a saudade está insuportável, sufocante, terrível. Não consigo pensar, dormir, trabalhar, nada que minha mente não vague por onde ela anda. Pedi para meus colegas que a só ficassem perto o bastante para saber que ela está bem, que não corre nenhum perigo, que leva uma vida boa.

 Mas a droga de um pensamento surgiu em minha cabeça agora e não quer sair. Eu sou burro? Se eu ficar muito longe ela vai conhecer outra pessoa e... não quero nem imaginar! Isso se ela já não tiver encontrado.

 Passei o dia inteiro tentando processar isso em minha cabeça e não fazer nenhuma besteira. 

 Ah que se foda! O caralho que vou deixar Josie sozinha por aí, ela é minha, ainda é. 

Eu tinha dito que iria ficar longe nem que custasse a eternidade certo? Errado. 

 Ela vai voltar. Não vou toma-la, mas vou fazê-la voltar. Ela precisa saber que eu me importo, que tudo não passou de um momento de fraqueza e que ela é importante pra mim, longe de tudo isso que John fez. Liguei para Charles e pedi que tomasse as rédeas do lugar até minha volta, fiz as malas e peguei o primeiro voo para a Espanha. 


Notas Finais


"Quem quer corre atrás"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...