História Para Sempre Seu - Capítulo 58


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Personagens America Singer, Aspen Leger, Carter Woodwork, Celeste Newsome, Kriss Ambers, Lucy, Marlee Tames, Maxon Calix Schreave, Personagens Originais, Princesa Daphne, Rei Clarkson
Tags América, Enzo Singer, Maxon, Para Todo O Sempre, Princesas, Selecao, Vida Tames
Exibições 106
Palavras 1.220
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa tarde minhas flores lindas!!!!!
Chegamos ao último capítulo dessa fic maravilhinda!!!!
Confesso que não estava preparada para finalizar essa historia e talvez por isso nao conseguia escrever uma mísera linha durante todos esses dias.
Enzo vinha conversar, mas nunca ficava tempo suficiente para me contar como essa etapa da historia dele havia terminado. Ele também não queria se despedir, mas prometi a ele que em breve nós voltaríamos a nos ver. Não dessa forma, mas como algo esporádico, afinal, ele é o príncipe herdeiro do trono de Íllea e como tal possui amigos e conexões em todo o mundo principesco. kkkkk.
Bom... chega de nostalgia e vamos ao capítulo.

Capítulo 58 - Seu para sempre


Fanfic / Fanfiction Para Sempre Seu - Capítulo 58 - Seu para sempre

POV ENZO

Oito meses depois...

Os sons fortes e estridentes do choro de meus trigêmeos ecoaram por toda a sala cirúrgica fazendo Vida e eu sorrir como bobos.

Gabriel, Angêlo e Heitor nasceram carregando os traços do que havia de melhor nos genes Woodwork, Schreave e Singer. Eles eram diferentes, mas ao mesmo tempo semelhantes. Cada um portava nos olhos a singularidade dos clãs: Gabriel possui olhos tão azuis quanto os de minha mãe e irmã; Angêlo herdou os meus e de meu pai e Heitor, as esmeraldas de Vida. Esses são os que mais amo observar.

— Eles são lindos, amor! — elogiei emocionado ao me aproximar de minha esposa com dois deles nos braços. Estava morrendo de medo de derrubá-los, mas já havia treinado com Christian e um boneco assim que ele nascera. Amber ficara louca quando me viu manobrando seu filhinho daquela forma.

— Oh Meu Deus! — Vida exclamou ao tocar nas pequenas mãos de nossos bebês.

— Esses são Gabriel e Angêlo e aquele nos braços da enfermeira é Heitor! — apresentei-os conforme o momento do nascimento. Vida sorriu deixando uma lágrima teimosa rolar sobre o rosto. Ela estava mais linda do que nunca. Parecia o sol de tanto que brilhava.

— Obrigado amore mio.... obrigado por me dar essa vida extraordinária! Eu amo você e sempre irei amar!

— Sou eu quem deve agradecer pela chance de realizar o sonho de toda uma vida. Você me deu mais do que pensei merecer.... sou tão feliz que mal me contenho no corpo. Obrigada por me dar o céu e as estrelas.... obrigada por me dar mais três pedacinhos de você para amar.

Vida me fitou com ternura e amor ao acariciar meu rosto choroso. Os bebês já haviam sido levados para sala de pesagem e outros procedimentos. Eles iriam ser devolvidos já no quarto da enfermaria para onde estavam levando minha esposa.

Beije-a na boca de forma reverente para expressar toda a adoração que possuía. Vida sorriu para mim mais uma vez antes de captar a entrada de nossos pedacinhos do céu, agora já vestidos e examinados.

— Parabéns altezas! Os meninos estão muito bem de saúde e responderam adequadamente a todos os reflexos pertinentes a idade. — Dr. Aslan anunciara para minha alegria e a de Vida.

— Então mamãe... hora das sábias palavras! — avisei a minha linda esposa colocando Gabriel e Ângelo  em seus braços enquanto apoiava Heitor de uma forma que ela pudesse manter contato visual.

“Eu lhes prometo ser sempre uma boa mãe, dando exemplo de virtude e de piedade. Eu prometo lhes educar para que sejam bons, justos, misericordiosos, fraternos, solidários e verdadeiros construtores da paz. Que Deus os abençoe meus amados, Gabriel, Angêlo e Heitor a fim de que permaneçamos sempre unidos e felizes.”

Ela finalizou beijando a cabecinha de cada um deles antes de exigir meus lábios.

— Ah... vamos com calma futuros monarcas! Mal acabaram de ter três filhos de uma vez só e já estão querendo fabricar mais? Esperem pelo menos a reabilitação acabar! — Caleb falou entrando no quarto carregando balões e ursinhos pequenos. — Larguem de safadeza e deixem-me ver meus sobrinhos netos!

A mãe de Caleb e meu avô se casaram há quase duas semanas e estão em lua de mel sem tempo determinado para acabar. Meu pai achou que seria mais prazeroso a eles, aproveitar os primeiros meses de casados longe de todo o burburinho que a união suscitara.

— Já escolhendo o genro irmão? — Lucca questionou adentrando o ambiente acompanhado de minha irmã e Isadora que exibia uma barriguinha discreta de três meses. Aspen e ela haviam se acertado e casado logo após Vida e eu. Foi uma cerimônia simples, porém cheia de emoção e muito amor.

— Em absoluto. Minha estrelinha será proibida para qualquer um desses três espertinhos aqui. Conhecendo a história dessa família, sei que até o olhar deles pode desvirtuar.

— Como se você pudesse impedir Val de se apaixonar! — Amber falou enquanto revirava os olhos para o melhor amigo.

— Um homem pode sonhar cunhada!

— Nesse caso você deveria afastar Valentina de Christian também. Já viu como ela fica eufórica quando estão juntos? — Vida salientou.

Caleb e Lucca compartilharam um som de náusea e asco.

— Vida! Não injete essas coisas na minha cabeça. Eles são primos e isso seria nojento! — Lucca pediu.

— Isso vindo do cara que dormiu com uma garota enquanto acreditava ser seu irmão! Quanta hipocrisia! — ela falou deixando meu cunhado mais vermelho do que pimentão enquanto todos nós, exceto Caleb, sorríamos.

— Não havia pensado nisso..... Amber! Mantenha aquele molequinho longe da minha Val!

Todos nós explodimos em uma gargalhada feliz, fazendo meus príncipes acordar para entoar a cantiga estridente e aguda do choro.

— Todos vocês, fora agora! — ordenei em falsa irritação fazendo todos sorrirem antes de se despedir.

A enfermeira adentrou o quarto carregando três pequenas mamadeiras e as distribuiu entre Vida e eu.

— Os meninos irão se alimentar com essa formular similar ao leite materno até que os antibióticos e os resíduos da anestesia deixem seu sistema circulatório. Após essa etapa começaremos a inserir a amamentação no seio por livre demanda.

Vida e eu acenamos em concordância por já estarmos cientes desse fato. Nós havíamos lidos incontáveis obras sobre o assunto e minha mãe forneceu ótimas dicas. Até mesmo sobre as posições mais relaxantes no momento da amamentação.

Logo que estavam alimentados e satisfeitos, os meninos caíram novamente no sono. Pus Heitor no berço hospitalar e ajudei Vida com Gabriel e Angêlo.

— Você precisa descansar amore mio. Colocar três meninos no mundo deve ter sido exaustivo. — sugeri a ela.

— Enzo... foi uma cesariana! Nem ao menos senti dor.

— O que não quer dizer que não deva descansar. Você precisa de repouso e aproveite enquanto nossos carinhas estão de bom humor. Tenho a impressão de que não teremos sossego por um bom tempo!

— Você sempre possui os melhores argumentos....

— Conviva com isso meu amor!

— Com todo o prazer!

 Eu sorri ao beijá-la. Vida suspirou e fechou os olhos adormecendo no mesmo instante. Acariciei seu rosto e beije-lhe a testa antes de me acomodar na poltrona a fim de seguir o conselho que havia dado a minha esposa.

Eposa...

A felicidade em chama-la daquela forma nunca me abandonaria. Foram tantos os percalços, tantos as situações, tantos erros que quase me permitir desistir. Ainda bem que Vida não desistiu.

O choro manhoso de Heitor despertou-me dos devaneios e rapidamente fui ao seu encontro.

— Ei garotão.... o que está acontecendo? O berço não está aquecido o suficiente? — questionei acalentando meu pequeno príncipe no ninho que meus braços formaram. Heitor deu um muxoxo e se me mexeu para acomodar-se antes de pegar no sono novamente. Ele seria o manhoso da prole e eu não teria forças para lhe negar o que quer que fosse.

— Você é um pai muito manipulável! — a voz de Vida se fez ouvir apesar de seus olhos permanecerem fechados. Eu deveria saber que ela não possuía um sono tão pesado.

— Shhh.... nada de questionamentos mulher. Sou seu rei e não aceito ser contrariado.

— Sim meu senhor!

— Isso mesmo, seu!

— Para Sempre?

— Para Sempre!                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                          

 FIM


Notas Finais


Bom meninas.... não irei me despedir ainda porque temos o epílogo para todos os agradecimentos e lágrimas.
Como falei, esse capítulo me deu muito problema e provavelmente o epílogo será da mesma forma. Mas não se preocupem... irei dar o máximo de mim para trazer a vocês um pouquinho mais da vida de Enzo e Vida.
beijos!!!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...