História Para sempre te amarei - Capítulo 7


Escrita por: ~

Visualizações 38
Palavras 2.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Hentai
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


oiiie pessoinhas *-*
tudo bem? Tudo bom? Como vai?

Demorei né? Desculpinha eu tava sem tempo e animo para escrever mais agora to no pique
então aqui esta um capitulo cheio de romance e emoção, espero que gostem


Boa leitura *-*

Capítulo 7 - Aventuras no templo parte 1


Fanfic / Fanfiction Para sempre te amarei - Capítulo 7 - Aventuras no templo parte 1

Tão Perfeita

 

Espelho, espelho, por favor diga a ela

Balança, por favor, diga a ela também

Que ela não precisa mudar nada

Que ela é bonita e perfeita, tal como ela está agora

Apenas seja feliz, não se preocupe

Não olhe para os seus defeitos

Em vez de olhar pro espelho, olhe nos meus olhos

Em vez de balançar, apenas suba nas minhas costas

 

Não importa o quanto eu tente encontrar

E olhe para você de novo e de novo

Não consigo encontrar a parte que você acha que não é bonita

Só fique do jeito que está agora

 

Só fique do jeito que você é, é, é, é, é. E eu, eu, eu, eu, eu não quero mais nada

Por isso não mude nada, nada, nada, nada, nada

Não se preocupe, preocupe, preocupe, preocupe, preocupe, preocupe

Está tudo bem, bem, bem, bem, bem, bem

Porque eu gosto de tudo sobre você

Por isso não mude nada, nada, nada, nada, nada

Basta ficar (como está agora) Oh (como está agora)

Oh (como está agora) só fique como esta agora

 

Tudo em você é perfeito

Então relaxe, pare de se preocupar

Você pode acreditar que estou 100% certo

E 100% de certeza, você pode deixar de lado todas suas preocupações

 

Não importa o quanto eu tente encontrar

E olhe para você de novo e de novo

Não consigo encontrar a parte que você acha que não é bonita

Só fique do jeito que está agora

 

Só fique do jeito que você é, é, é, é, é. E eu, eu, eu, eu, eu não quero mais nada

Por isso não mude nada, nada, nada, nada, nada

Não se preocupe, preocupe, preocupe, preocupe, preocupe, preocupe

Está tudo bem, bem, bem, bem, bem, bem

Porque eu gosto de tudo sobre você

Por isso não mude nada, nada, nada, nada, nada

Basta ficar (como está agora) Oh (como está agora)

Oh (como está agora) só fique como esta agora

 

Eu encontraria uma falha, se houvesse falha que eu pudesse ver

Você deslumbra, tão perfeita em todos os sentidos

Para mim você é tão bonita. Eu apenas quero você

Do jeito que você é, você é única

 

Só fique do jeito que você é, é, é, é, é. E eu, eu, eu, eu, eu não quero mais nada

Por isso não mude nada, nada, nada, nada, nada

Não se preocupe, preocupe, preocupe, preocupe, preocupe, preocupe

Está tudo bem, bem, bem, bem, bem, bem

Porque eu gosto de tudo sobre você

Por isso não mude nada, nada, nada, nada, nada

 

Got7 - Just Right 

 

Okinawa

Blackberry high school

11:30

02/03

 

Como o esperado a cerimônia  de encerramento do ano letivo ocorreu na chegada primavera fazendo com que as flores de cereja inundasse a escola dando ao lugar um ar mais belo e colorido, o dia da excursão ao templo Naminoue um dos templos de Yasaka e o templo principal do município de Okinawa. Fica no topo de uma ribanceira com vista para o mar Todos os alunos estavam esperando o ônibus sair todos com seus pares, Meliodas e Elizabeth, Ban e Elaine, Harlequin e Diane , Merlin e Gowther, Jeriko estava acompanhada de Yuki um garoto moreno de olhos verdes, quando ela viu Ban e Elaine entrar no ônibus abraçado com Elaine ela agarrou Yuki e o beijou de uma forma ousada acariciando seu corpo e o puxando para sim de uma forma sensual, Ban revirou os olhos com náuseas, Ban e Elaine se sentaram no fundo, Elaine deitou sua cabeça sobre seu ombro e aconchegou-se Harlequin e Diane se sentaram na frente de  Meliodas e Elizabeth, Elizabeth estava começando a engordar, depois de alguns minutos o ônibus partiu Diane olhava pela janela Harlequin a observava sem que a mesma note seu olhar penetrante, um tempo depois eles chegaram ao templo o professor Zaratras os guiava pelo tempo, Zaratras era alto, longos cabelos prateados, belos e penetrantes olhos azuis, 49 anos mas mantinha uma aparência e um essência juvenil ele explicava sobre o templo

- Não se sabe ao certo quem construiu o templo, mas, desde os tempos mais remotos, as pessoas vêm ao templo para pedir aos deuses prosperidade, abundância e paz. O mar é dedicado a nirai kanai, a fonte de toda a vida, e ao mar. Ao início de cada ano, o Rei visitava este templo e rezava, em nome de toda a nação, por boas colheitas e pescarias e por paz e prosperidade na nação. Acredita-se que o templo tenha sido fundado por volta do século XIV. O chão de pedra estende-se entre o primeiro e o segundo portões torii. No interior, o belíssimo contraste entre o vermelho e o branco das paredes.Em ambos os lados do Haiden (templo principal), pode-se ver estátuas shisa (leões guardiães de Okinawa). Do lado direito, existe uma estrada que leva ao mar, a partir da qual se vê a paisagem do templo sobre a água. Meliodas  aqui é um templo sagrado deixe pra beijar Elisabeth em um lugar apropriado. Voltando ao templo... – o grupo que entrou no templo,  Diane parou na porta do templo e as lagrimas inundaram seus olhos e banharam seu rosto Diane sai correndo montanha  a baixo Harlequin  corre atrás da mesma eles correram  cerca de 15 minutos até o mar, ela para na beira do mar se joga na areia sentada entre suas penas e chora, chora e chora ate soluçar, Harlequin a abraçou e sentiu uma onda elétrica invadir seu corpo ao toca-la ao olhar sua expressão de supressa percebe que ela sentiu o mesmo quando ele a tocou:

- Eu o amo Harlequin...Harlequin eu o amo...- diz soluçando o mesmo a perta lhe passando confiança e conforto

- Vai ficar tudo bem...- Ele pega e levanta o rosto da mesma e seus olhos lilases  brilhavam e mais uma vez ele viu o quão linda ela era o contato visual durou mais do que ambos podiam imaginar mas o encanto foi quebrado quando Harlequin cora e abaixa a cabeça, a jovem sorri e puxa até a parte isolada da montanha onde despi seu uniforme ficando de roupa intima que eram roxa de renda, Harlequin cora quando a jovem se aproximou e abriu e tirou sua camisa e tirou sua calça e para sua surpresa ela o puxou pra um inesperado mergulho, ele abriu os olhos e ela estava em sua frente virada de costa e ele só pode pensar “ Oh meu Deus “ e de repente ela olha pra trás  e sobe para superfície onde ela sorri pra ele que estava todo corado ela se aproxima e o mesmo vira de costas e ela o abraça encostando seu fartos seios nas costas dele por um impulso ele se vira e a beija com desejo e ferocidade, para supressa do garoto ela retribui com o mesmo desejo e antes possa perceber ela se afasta e o olha corada, Harlequin não sabe o que  fazer, é a primeira vez que beijava e a primeira vez que a fazia corar

- Me...desculpe...Diane- pronuncia com certa dificuldade

- Eu...gostei...faz de novo...- ela se aproxima do mesmo encostando seus seios no tórax dele, ele a beija com cuidado, delicadeza e carinhos ambos fecham os olhos e o beijo se torna mais e mais quente, Harlequin segura a cintura da mesma e a puxa mais para si e o beijo se torna mais quente e tomado de desejo, Harlequin sente parte do seu corpo endurecer, Diane sente algo a cutucar e nesse instante ambos se afastam e viram de costas um para o outro, Harlequin sai da água pega suas roupas e vai atrás da montanha vestir suas roupas e tentar secar um pouco sua cueca Box preta, quando volta Diane já está vestida.

- Eu vi um parque de diversões a poucos minutos daqui...gostaria de me acompanhar? – Harlequin pronuncia com dificuldade

- Parece divertido Harlequin....- Eles caminha juntos pela estrada de barro até uma pequena cidade onde havia o parque de diversões Diane saio correndo animada até a roda gigante onde esperaram cerca de 15 minutos para poderem andar nela, mais cada segundo valeu apena a vista era incrível dava pra ver o toda a cidade, a vista de tirar o fôlego Diane sentia-se mistificada com a vista era a coisa mais bela que já tinha visto, quando desceram da roda-gigante, Diane correu ate a montanha russa onde Harlequin não pode subir por causa de sua altura o deixando extremamente  frustrado quando Diane desse do brinquedo esta enjoada e acaba vomitando no cesto de lixo, Harlequin segura os sedosos cabelos de Diane, o sol se punha, formando uma linha fina cor laranja e lilás no horizonte o parque estava para fechar quando Diane se depara com um urso marrom de pelúcia bem grande e passou a deseja-lo Harlequin a fitava discretamente ao perceber o desejo no olhar da mesma comprou trem fixas para o jogo de derrubar as garrafas, Harlequin se concentrou, mirou precisamente, mas para sua infelicidade errou miseravelmente, ele tenta novamente com mais esforço e erra novamente, ele se enche de determinação e quando lança a ultima bola Diane se aproxima do mesmo bruscamente o assustando fazendo a bolinha bater nas paredes da barraca e derrubando todas as garrafas o dono da barraca fica boquiaberto e entrega o tão merecido urso gigante de pelúcia, eles voltam a caminhar pelo parque e quando se dão conta já escureceu e ambos se apavoram ao lembrar que o ônibus escolar já se fora a muitas horas harlequin pega seu celular e esta fora de área Diane pega o dela mas também fora de área ambos se olham desesperados, eles saem do parque desesperados e começam a caminhar ate o centro da cidade que fica a quilômetros  de distancia do parque, a estrada era escura e a noite estava ficando fria, eles caminharam por horas até que Diane se joga no chão e chora:

- Eu nãoi suporto mais andar meus pés estão doloridos, eu estou cansada, com fome EU QUERO MINHA CAMA

- Calma Diane eu vou dar um jeito, não sei como mais eu vou dar um jeito - um vento muito forte e frio passa por eles causando arrepios na espinha de Harlequin fazendo-o fechar os olhos e por um instante ele escuta a voz de sua falecida mãe como um sussurro dizendo “olhe sua carteira” ele abre os olhos e olha para os lados e abre a carteira e encontra o cartão de emergência que ficava dentro da caixa de madeira em seu guarda-roupas como foi parar ali? O que estava acontecendo? Por quê ouviu a voz de sua mãe se ela tinha morrido? Mas não importava tinha que encontrar um jeito de elevar Diane para algum lugar para poder descansar algo lhe dizia para ir reto – Venha Diane por aqui – Ele estende a mão para ela e a leva em frente e poucos minutos eles avistam uma pequena clareira e eles correm em direção a ela e entram abruptamente fazendo uma senhora se assustar mas no mesmo instante ela vai em direção a eles

- Estão perdidos meus jovens?

- Err sim – Responde Harlequin

- Poderia nos conceder um quarto por essa noite? – Pergunta Diane

- Mais é claro, NAOTO TRAGA DUAS CANECAS DE CHOCOLATE QUENTE – Minutos depois uma jovem loira de olhos verdes aparece carregando uma bandeja com duas canecas e um prato de biscoito

- Aqui está madame

- SUA INUTIL IMPRESTAVEL CADE OS MARSHEMELOWS? NÃO SABE FAZER NADA DIREITO SUA IMPRESTAVEL!

- HEY! Não grite com ela, ela fez o seu melhor agradeça sua velha estúpida! – Esbraveja Diane deixando a loira corada

- EU ESTOU SENDO GENEROSA EM CEDER QUARTOS GRATUITAMENTE PARA VOCÊS SEUS MULEQUES!

- Não precisa eu posso pagar! – Harlequin entrega o cartão de credito na mão da senhora que se cala e os leva em silêncio para o único quarto vago no local, Harlequin e Diane entram no quarto e só tem uma cama e uma espreguiçadeira, eles fecham a porta Diane vai ate o banheiro e Harlequin pega os cobertores no armário e coloca um na cama e outro na espreguiçadeira, ele pega um dos travesseiros da cama e coloca na espreguiçadeira, ele começa arrumar a cama para Diane dormir quando ela volta recém tomada banho e  com um cheiro ótimo, Diane começa ajuda-lo arrumar a cama

- Se você quiser eu durmo na espreguiçadeira não há problema – Diz Diane sem encara-lo

- Não se preocupe eu tenho o tamanho certo pra isso...

- Se você diz isso pelo que eu disse saiba que não disse por mal...

- Você esta certa eu sou muito pequeno para minha idade – Ambos se calam por um tempo e quando Harlequin vai ate o banheiro ele diz:

- Eu achei muito corajoso de sua parte defender a servente...- Ele entra no banheiro antes da resposta e so sai 15 minutos depois e Diane já esta indo pra cama quando ambos escutam um barulho estrondoso...

 

Continua no próximo capitulo 


Notas Finais


gostaram? Espero que sim, não esqueça de favorita e cometar bijus ate o próximo capitulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...