História Para sempre te amarei - Capítulo 8


Escrita por: ~

Visualizações 31
Palavras 1.382
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Hentai
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


oiii pessoinhas *-*
tudo bem? tudo bom? como vai?

Eu espero que vocês estejam bem, eu sei que esse cap demorou pra sair e ta curtinho mas espero que gostem me perdoem desde já pela demora, e quero a opinião sincera de vocês sobre a fic pois quero saber se devo continuar pq o desanimo ta foda .

BOA LEITURA *-*

Capítulo 8 - Aventuras no templo parte 2


Em meios as sombras encontrei seu sorriso, você coloriu minha vida, iluminou o caminha na escuridão e agora acho que te amo mais que nunca como nunca amei alguém

Autoria própria.

 

Okinawa

03/03

00:30 PM

 

Harlequin e Diane ouviram um barulho estrondoso vindo do andar de baixo, em um movimento rápido eles saíram do quarto, tudo estava  muito escuro eles  estavam com medo pois o barulho ficava cada vez mais alto e mais assustador, eles seguiram o barulho até a cozinha onde a luz estava acesa, Diane se pois atrás de Harlequin e com as mãos tremulas ele abriu a porta e se deparou com a cozinha toda bagunçada, as panelas no chão, copos e pratos estilhaçados e a servente no chão toda machucada com suas roupas parcialmente rasgadas ela estava aos prantos, Diane não conseguia se mexer, Harlequin foi até a moça e a segurou pela mão e a levou até seu quarto seguido por Diane, ele pegou um kit de primeiros socorros no andar de baixo e fez curativos na servente, Diane observava o mesmo com muita atenção ela sentia um nó no estômago mas não entendia o por quê daquilo, Harlequin a deitou na pequena espreguiçadeira aos pés da cama, ele a cobrio em silencio e dentou-se no sofá e se cobrio, Diane deitou na cama e observou a servente aos pés da cama, não entendia o que estava sentido nem o por quê ele cuidou da servente daquela forma tão carinhosa e ao mesmo tempo tão repulsiva sentia raiva queimar seu peito, apôs algum tempo adormeceu.

Quando Harlequin acordou nem Diane nem a servente estavam no quarto, ele se levantou e foi direto ao banheiro mas quando abriu a porta Diane abriu também e ao ver o mesmo em sua frente se assustou e escorregou e caio sobre o mesmo, ao tentar se levantar escorregou outra vez e acabou que caio sobre ele com seus fartos seios sobre o rosto do mesmo, sentia seu rosto queimar de vergonha, finalmente se levantou e mais que depressa Harlequin entrou no banheiro

- Me desculpe – gritou o menino

- Me desculpe também – Gritou Diane em resposta, Harlequin entrou na banheira e afundou-se nela desejando sumir, tinha certeza que ela achava que ele era algum tipo de aproveitador abusado ou algo assim o pensamento de ser odiado por ela o causava um aperto no peito, enaquanto Harlequin tomava banho Diane se trocava e penteava os cabelos com a escova na penteadeira do quarto, vestiu-se com o uniforme da escola, odiava a ideia de ter que usar a mesmas roupas intimas mas não tinha nada a ser feito, prendeu seus cabelos com suas Marias-chiquinhas, e arrumou a cama onde dormiu  e sentou-se na cama pensando que ele deveria achar que ela deve ser algum tipo de piranha, puta, oferecida ou coisa pior, o pensamento lhe causava pânico, foi tirada bruscamente do seu pensamento quando Harlequin saio do banheiro com uma toalha enrolada na cintura foi a primeira vez que reparará que o mesmo tinha tanquinho sentiu o rosto enrubescer e saio mais rápido que pode do quarto e desceu para tomar café, naquele momento Harlequin teve certeza que ela o odiava, ele se vestiu e desceu para o café sem pentear os cabelos

- Bom dia...Diane...

- Err...bom...dia....Kin...Harlequin – ele se pois a mesa e serviu-se de um copo de suco de laranja – como vamos pra casa?

- Vou chamar um taxi para nos levar pra casa – tomou um pouco do suco

- Licença temos um telefone se vocês quiserem, por aqui não temos sinal de celular – disse a servente com doçura

- Muito obrigada vai ser muito útil – ele se levantou e a acompanhou até o escritório, naquele momento Diane teve a certeza que ele a achava uma oferecida. Meia hora depois eles estavam do lado de fora do chalé esperando o taxi, eles não olhavam um para o outros ambos estavam de cabeça baixa quando o taxi chegou eles entram e sentaram um ao lado do outro com cuidado para não se tocarem acidentalmente

- Para onde vão?

- Para o centro de okinawa por favor – disse Harlequin, o taxista parecia ter 45 a 50 anos era parcialmente careca e vestia uma camisa havaiana florida e bermuda jeans preta, o taxista levantou a janela que separava os bancos da frente aos de trás dando privacidade ao casal, Diane olhou para o lado e sussurrou algo que Halequin não pode ouvir então ele disse:

- Me perdoe Diane....

- Hãn? Por quê eu deveria...?

- Por favor  não pense que sou algum tipo de pervertido....foi tudo um acidente eu juro...

- O OQUE? Não foi culpa sua...eu que esbarrei em você achei que você achava que eu era uma oferecida.....

- Não jamais pensaria algo assim...de você – então o silencio reinou o resto do caminho, uma hora depois eles estavam na casa de Diane Harlequin saio e abriu a porta para Diane e a acompanhou ate a porta da casa da mesma  onde ela o beijou com desejo e paixão e entrou, Harlequin entrou no taxi e recebeu uma mensagem disse ao taxista onde tinha que ir e verificou a mensagem:

Obrigada pela incrível aventura king

Me diverti muito, espero que vc tbm tenha se divertido tanto quanto eu

Ass: a serpente da inveja

Harlequin percebeu que era mensagem da Diane e respondeu no mesmo momento .

Me diverti muitíssimo em sua companhia

Espero que esteja bem e que seus pais não tenham brigado com vc.

P.S: Serpente da inveja?

Ass: Urso da preguiça

A resposta não chegou de imediato deixando o mesmo um tanto decepcionado mas logo achou que os pais dela estavam preocupados com ela, vinte minutos depois ele chegou em casa onde Somiko estava na frente da casa com feição preocupada, ele pagou o taxi no cartão e foi ao encontro de Somiko que o abraçou e chorou ele a levou ate a cozinha onde estava sua tia Mikassa chorando e seu tio Daiuri tentando reconforta-la, Elaine estava servindo chá para sua tia quando todos viram Harlequin entrar e corram até ele e o abraçaram

- Onde você estava? Você esta bem? Onde dormiu? O que aconteceu? – perguntou  Mikassa desesperada, todos se sentaram diante da mesa

- Eu estou bem vou contar tudo que aconteceu...eu estava no ônibus quando vi um parque de diversões ai quando chegamos ao templo percebi que não era tão longe ai desci a montanha e fui para o parque então aconteceu que...- ele achou melhor ocultar a parte que Diane estava na historia, depois que contou tudo recebeu um enorme sermão de seus tios e sua irmã e sua tia o deixou de castigo sem sobremesa, sem sair de casa e sem TV por uma semana depois eles mandaram ele pro quarto onde ele pode verificar seu celular e ver que tinha mensagem da Diane

Minha mãe me deixou de castigo uma semana sem sair de casa e sem TV por uma semana mas fora isso foi tudo até que ok tirando o fato que vou ficar no meu quarto uma semana.

Isso não é justo. E o seus oq disseram?

P.S: Longa historia explicar meu apelido,  alias Urso da preguça?

ASS: Serpente da inveja

Harlequin respondeu imediatamente a mensagem de Diane

Meus tios me deixaram de castigo uma semana sem sobremesa, sem sair de casa e sem TV Tbm fora isso foi tudo ok

P.S: Eu tenho muito tempo livre agr que to de férias e vou ficar uma semana no meu quarto Tbm, se me explicar o seu apelido Tbm explico o meu

ASS: Urso da preguiça

A resposta veio na hora:

Não foi nda justo o nosso castigo, poxa poderíamos ter morrido. Ta bem vou explicar, quando eu era criança eu era super magra e alta (continuo alta kkk) ai quando me zoavam eu mostrava a língua e eu sempre emplicava com a Sasake por ela ser mais baixa e gordinha ai eu conheci o Meliodas ele me defendeu e me apelidou de Serpente da inveja, ele foi o primeiro que me tratou como se eu fosse do tamanho dele foi amor a primeira vista

Sua vez kkkk

ASS: Serpente da inveja

Ao ler a mensagem Harlequin sentiu uma grande tristeza invadir seu peito e deixou o celular de lado e adormeceu.


Notas Finais


eai não esqueçam de dixar a opinião de vocês pois é muito importante pra mim, me desculpem ok mas não teria graça se eles ficassem juntos de cara não é? Até o proximo cap

Sayonara, arigato


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...