História PARA SEMPRE, UZUMAKI. - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Deidara, Hidan, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Izuna Uchiha, Jiraiya, Kiba Inuzuka, Konan, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Pain, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Tsunade Senju
Tags Narusasu, Sasunaru
Visualizações 464
Palavras 1.244
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite minna-chan!! Tudo bem com vocês? Espero que sim!!
Capitulos novos sempre serão colocado no periodo na noite.
Os dias serão; (SEGUNDA 22:20, QUARTA 22:20, SEXTA 21:30, SÁBADO E DOMINGO 20:30)
Uma Observação em relação aos nomes dos capitulos, são frases dos sentimentos de Sasuke sobre a vida.
Xoxo, minna-chan, espero que gostem do capítulo, qualquer dúvida e só me perguntar. Responderei com o maior prazer!!

Capítulo 11 - O único passo entre o sonho e a realidade é a atitude.


Fanfic / Fanfiction PARA SEMPRE, UZUMAKI. - Capítulo 11 - O único passo entre o sonho e a realidade é a atitude.

Virei de costas e abri os olhos, a luz do sol atravessando o tecido fino das cortinas de caimento perfeito que emolduravam as janelas. Vesti uma bermuda e uma camiseta e segui o aroma que me levou direto á cozinha. Naruto estava sentado á mesa, digitando no seu notebook.

_ Bom dia, Sasuke. Espero que tenha dormido bem.

Sorri, indo pegar uma caneca no armário.

_ Bom dia. Dormi muito bem naquela cama gigantesca.

Ele deu um risinho. Enchi a caneca e sentei á sua frente.

_ Tem bagels ali. Come um.

_ Obrigada, mas não estou com fome.

Ele fixou seus olhos em mim.

_ Você precisa comer, Sasuke.

Suspirei.

_ Não tenho o hábito de comer nada quando acordo, mas não se preocupe, papai vou comer daqui a pouquinho.

Um sorriso levemente irritado apareceu em seu rosto.

_ Até de manhã cedo você tem uma língua afiada.

Levantei a caneca, sorrindo.

_ O que está fazendo?- perguntei, apontando para o notebook.

_ Enviando e-mails e remarcando reuniões.

_ Tinha marcado muitas?

_ Você quer saber tudo, não é?

Olhei para o teto.

_ Acho que sim.- Sorri.

Fiquei observando-o, enquanto ele olhava para a tela do notebook.

Tinha acabado de tomar banho, e seu cabelo ainda estava úmido e super sexy.

_ Quais são seus planos para hoje?- perguntou, curioso. Coloquei a caneca na mesa e a envolvi entre as mãos.

_ Tenho que ligar para o meu emprego e avisar ao meu chefe que não vou trabalha por causa do enterro. Depois, acho que vou dar um pulo no restaurante e cozinhar um pouco hoje á tarde.

Naruto ergueu os olhos do notebook.

_ Você gosta de trabalhar lá, não gosta?

_ Adoro. A despeito de serem sem-teto e dos problemas que têm, são seres humanos que precisam de ajuda. Ele olhou para mim por um segundo e então continuou a digitar no notebook. Dei um gole no café e olhei pela enorme janela para a vista de Nova York.

_ Eu remarquei minhas reuniões porque vou levar você para Tokyo.

_ O quê?!

Ele se levantou da mesa e pôs a caneca na bancada.

_ Não adianta discutir, Sasu. Vamos  sair amanhã de manhã, e vamos de carro.

_ De carro? São dez horas de viagem, Naruto!

Ele se virou para mim;

_ Eu sei quanto leva. Considere como um mochilão de alto nível.

Suspirei.

_ Um mochilão de alto nível? De avião estaríamos lá em uma hora e meia.

_ Algum problema em passar dez horas comigo num carro?- perguntou ele, em tom natural.

_ Não, mas...

Ele se aproximou e ficou parado á minha frente como se quisesse me tocar ou beijar, mas não fez isso. Apenas disse:

_ Sem mas, nem meio mas. Vamos de carro. Não acho que Jiraya vá querer nos levar até Tokyo.

Ele riu, afastando-se.

_ Não é Jiraya quem vai dirigir, sou eu.

Revirei os olhos, soltando um longo suspiro. Por que ele tinha resolvido ir? Eu era perfeitamente capaz de ir a Tokyo sozinho, e era o que preferia fazer. Bem, talvez; a ideia de passar dez horas num carro com ele era excitante. Sorri e levantei da mesa.

Peguei minha mala e entrei no elevador. Jiraya já esperava por mim diante da limusine.

_ Bom dia, Jiraya. Onde está Naruto? – perguntei ao ver a limusine vazia.

_ Bom dia, Sr. Uchiha. O Sr. Uzumaki foi para o trabalho com o Range Rover.

_ Posso te fazer uma pergunta, Jiraya?

_ Claro, Sr. Uchiha.- respondeu ele, olhando para mim pelo espelho retrovisor.

_ O Sr. Uzumaki disse por que resolveu me levar de carro para Tokyo?

_ Não, Sr. Uchiha, não disse. Ele só falou para tirar os próximos dias de folga, porque estava planejando fazer uma viagem de carro. Sr. Uchiha, posso contar uma coisa?

Olhei para ele, curioso.

_ O que é?

_ Trabalho para a família Uzumaki há dez anos. Também fui motorista do pai dele. Nunca vi o Sr. Uzumaki se comportar do jeito como vem se comportado desde que conheceu o senhor. Talvez eu não devesse estar lhe contando isso.

Sorri.

­_ Não, tudo bem, Jiraya, nós somos amigos, e talvez Naruto precise mesmo de uma boa amizade.- Fiquei triste ao pensar que era só o que poderíamos ser.

Entrei em casa e me dirigi ao banheiro para tomar um bom banho de imersão. Precisava pensar em tudo antes de ir para Tokyo. Entrei na banheira cheia de espuma e fechei os olhos, absorvendo o perfume de lavanda. Meu telefone tocou no instante em que eu começava a relaxar.

_ Oi, Sakura- atendi. Ouvi gritinhos do outro lado.

_ Sasu, tenho uma notícia maravilhosa.

Embora não pudesse vê-la, sabia que estava dando pulos.

_ Sasu, seus três projetos de decorações, foram escolhidos para fazer em três tipos de apartamentos!

Sentei na banheira.

_ O quê? Está brincando?

_ Não, eu nunca brincaria com uma coisa dessas. E o melhor é que foi a mesma pessoa que escolheu fazer em seus três apartamentos. E pagou o triplo do valor. Disse que seus projetos eram a coisa mais linda que já tinha visto. Deidara quer conversa com você sobre a possibilidade de se torna um arquiteto fixo da firma, e te contratar para fazer mais projetos. Só com o dinheiro que você ganhou com esses três, pode parar de trabalhar e fazer projetos em tempo integral.

_ Quem foi o comprador? – perguntei.

_ Não sei. Deidara disse que foi uma mulher. Já estou com o seu cheque pronto. Pode vir se encontrar comigo mais tarde para a gente ir almoçar?

_ Combinado. Vou trabalhar no restaurante por umas duas horinhas, e depois a gente se encontrar. Eu te mando uma mensagem.

Desliguei o telefone e me recostei na banheira, curtindo a notícia maravilhosa. Nunca sonhara que um de meus projetos seria vendido, quem diria três. Mal podia esperar para dar a notícia a naruto. Queria mandar uma mensagem para ele, mas provavelmente estava ocupado trabalhando, por isso imaginei que não devia incomoda-lo. Saí da banheira, a pele toda enrugada, vesti um jeans e um suéter. De repente, tudo ficou escuro.

Quando voltei a mim, estava deitado no chão, com a cabeça doendo.

Não me mexi, atordoado e confuso, tentando me concentrar e lembrar o que acontecera. Tive certeza de que desmaiara. Sentei, sentindo algo escorrer pelo rosto. Levei os dedos ao local e fiquei horrorizado ao vê-los coberto de sangue, respirei fundo e levantei para ir me olhar no espelho.

Estava com um corte profundo no supercílio, e sagrava muito. Abrir o armário embutido, peguei uma gaze e fiz pressão sobre o corte. Implorei a Deus que estancasse o sangramento para não ter que levar pontos. Em seguida, tirei do armário uma caixa de Band-Aids em forma de borboleta que tinham sobrado da ocasião em que Neji cortara o dedo com uma faca. Apliquei o Band-Aid e torci para que bastasse. Por que isso tinha que acontecer logo agora? Uma hora antes, eu estava curtindo a venda dos meus projetos, e agora estava diante do espelho com um corte no supercílio que talvez precisasse levar pontos.

Fui até o armário e peguei um vidro de xarope analgésico, tomei duas doses e me ao meu segundo trabalho em outra firma, para dar o aviso-prévio. Sakura tinha razão; se Deidara me contratasse, eu teria que me dedicar aos projetos em tempo integral. Só esperava ganhar o bastante para me sustentar.


Notas Finais


Minna, peço desculpas por não está respondendo vocês, mas eu vejo todos os comentários que vocês fazem, e fico muito feliz por isso. Meu dia é muito agitado e o horário que eu costumo colocar os capítulos e o horário que eu chego em casa, ou seja des das 7 da manhã fora de casa ou seja chegou esgotada. Os comentários de vocês me motivam a continuar e me dar forças mesmo eu tendo tendinite e acredite dói pra caramba para escrever, porém com todo amor e carinho que sinto pela fic é principalmente por vocês, o respeito e carinho que eu sinto por vocês me fazem ficar forte para colocar os capítulos em dia. Espero de coração que vocês estejam gostando, como eu disse no início qualquer dúvida, irei responder nas notas finais da fic. Antes, que eu me esqueça, sejam bem-vindos novos leitores e obrigado a todos que tiram um tempo para ler a história desse casal maravilhoso.
Xoxo, minna!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...