História PARA SEMPRE, UZUMAKI. - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Deidara, Hidan, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Izuna Uchiha, Jiraiya, Kiba Inuzuka, Konan, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Pain, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Tsunade Senju
Tags Narusasu, Sasunaru
Visualizações 247
Palavras 1.712
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa noite, Minna-chan. Tudo bem com vocês? Espero que sim!!
Os capítulos da fanfic funcionara assim; uma semana com 5 capítulos e outra com 7.
Sempre será postado, no máximo de 22:20!
Espero que tenha gostado, estou morrendo de saudades de vocês! <3

Capítulo 12 - Eu sei que posso parar a dor se eu desejar que tudo passe.


Fanfic / Fanfiction PARA SEMPRE, UZUMAKI. - Capítulo 12 - Eu sei que posso parar a dor se eu desejar que tudo passe.

Estava andando pela rua, sentindo o sangue encharcado o Band-AID. Merda, sabia que precisaria de pontos. Peguei o celular  na mochila e liguei para Sakura.
_ Sakura, eu caí e dei um corte no supercílio. Não para de sangrar, por isso estou indo no hospital para dar uma olhada.
_ Sasu, você está bem? Eu te encontro lá, não se preocupe.
Antes que eu pudesse lhe dizer para nao ir, ela desligou. Eu estava Longe do hospital, por isso tentei pegar um táxi. Claro, quando a  gente precisa desesperadamente de um, eles não param. Quando estava no meio-fio com a mão na cabeça, uma limusine parou e o motorista abaixou o vidro do lado do carona.
_ Senhor está bem, Sr.Uchiha?- perguntou Jiraya, preocupado. Mal pude acreditar que estivesse ali.
_ Jiraya, graças a Deus. Será que pode me levar ao hospital? Dei um pequeno corte, e preciso que um médico o examine.
_ Claro! Senta aqui na frente, para eu dar uma olhada.
Abri a porta e senti ao seu lado. Jiraya Retirou minha mão, e seus olhos se arregalaram. Ele abriu o porta-luvas, tirou uma toalhinha branca e a dobrou.
_ Toma aqui. Segura em cima do corte, fazendo pressão.- Instruiu voltandopara o trânsito a fim de me levar ao hospital.
Quando chegamos, ele me ajudou a sair do carro. Agradeci e vi Sakura esperando por mim na recepção. Ele me acompanhou á Emergência e eu o apresentei á minha amiga.
_ Obrigado por sua ajuda, Jiraya.
_ Não foi nada Sr. Uchiha.- Ele sorriu.- Cuide bem disso, e melhoras.
Dei um breve abraço nele antes de sair pelas portas automáticas.
Uma enfermeira chamada Shizune me fez sentar numa cadeira de rodas e me empurrou pelo corredor até uma sala. Ela me ajudou a passar da cadeira para uma cama, onde me fez deitar, para que eu não sofresse outros ferimentos. Sakura sentou na cadeira ao lado e me deu uma bronca por não ter vindo para o hospital antes. Eu odiava hospiatis; já tinha estado neles o bastante para odiá-los até o último dia da minha vida.
Shizune era uma mulher corpluenta e, pelo seu jeito, não era do tipo de leva desaforo para casa. Era muito engraçada também. Seus comentários sobre as enfermeiras e alguns médicos fizeram com que Sakura e eu chorásemos de rir.
Naõ muito tempo depois de ela checar meus sinais vitais, a Dra. Yamanaka entrou. Sakura estava no meio de uma frase e, quando pôs os olhos nela, ficou muda. Era uma residente jovem, linda de morrer, com cabelos loiros até na bunda, olhos azuis-claros e pele pálida.
_ Oi, sou a Dra. Yamanaka.- Ela sorriu, estedendo a mão.
Sakura saltou da cadeira e apertou a mão dela.
_ Oi, sou Sakura Haruno.- Deu um sorriso sedutor para ela.
Revirei os olhos, o que doeu, por causa do corte.
_ Então, Sasuke, me conte como isso aconteceu- pediu a Dra. Yamanaka, examinando o ferimento.
_ Não sei ao certo. Eu tomei banho e me vesti. Estava andando pelo corredor quando me senti um pouco tonto, e acho que desmaiei. Devo ter batido com o rosto na aresta da parede, ou algo assim.
_ Você costuma ter essas vertigens súbitas?
Encarei seus olhos azuis-claros e respondi:
_ Não.
_ Certo. Bem, vou pegar meu kit de sutura, dar uns pontinhos aí, e você pode ir embora.
Sorri, concordando, enquanto Sakura babava no Decote.
_ Minha nossa, a mulher é uma deusa! Não saio daqui sem o telefone dela. Viu alguma aliança no dedo dela? Hein, Sasu, viu?
Quando eu já ia responder, a cortina se abriu  e lá estava Naruto, parecendo tão sexy como eu o vira horas atrás. Os olhos de Sakura se arregalaram.
_ Ah, meu Deus, mais um. Acho que morri e fui para o Céu.
Franzi o cenho e dei um tapa no seu braço. Naruto continuava lá, segurando a cortina.
_ Sasu, por Deus, o que aconteceu? - Aproximou-se e pôs a mão na minha cabeça.- Você está bem?
Olhei para o seu rosto; ele parecia sinceramente preocupado. Uma expressão que eu jamais tinha visto.
_ Naruto- pus a mão no seu rosto.-, estou bem.
_ Então você é Naruto Uzumaki?- perguntou Sakura, inclinando a cabeça.
_ Desculpe, Naruto, essa é Sakura. Sakura, esse é Naruto.
_ Prazer em finalmente conhecê-la, Sakura. Já ouvi fala muito de você.
Sakura sorriu.
_ Também já ouvi falar muito de você.
Meu rosto corou vinte tons de vernelhos quando ele respondeu:
_ É mesmo?
 Anntes que Sakura pudesse me envergonhar mais ainda, a Dra. Yamanaka voltou, segurando uma pequena bandeja de metal.
_ Vamos suturar esse corte feio. Prometo suturá-lo tão bem que a cicatriz vai ficar imperceptível, se ficar uma cicatriz.
Naruto segurou minha mão e ficou alisando-a com o polegar. Dra Yamanaka fez a sua mágica e deu quatro pontos perfeitos no meu supercílio.
Tudo que senti foi o calor da mão de Naruto e as batidas rápidas do meu coração, enquanto ele afagava minha mão com carinho.
_ Muito bem, tudo pornto, Sasuke. Você mora com alguém?
_ Não, moro sozinha. Por quê?
Ele pigarreou.
_ Vai ter que encontrar alguém que passe a noite com você. Precisa ser observado, por causa do risco de concussão. Ás vezes, quando se sofre um ferimento na cabeça, mesmo um pequeno corte, uma concussão  pode se instalar depois que o trauma passar vou receitar um anagésico, mas só tome se sentir necessidade.- Deu uma olhada em Sakura e sorriu enquanto falava comigo.- Cuide-se, Sasuke, e me ligue se tiver alguma dúvida.
Achei que Sakura ia morrer quando ela saiu da sala.
_ Eu passo a noite com você- disse ela, levantando-se.
Naruto olhou para ela.
_ Sasuke vai passar a noite comigo, Sakura.
Ela fez um de seus beicinhos.
_ Vai mesmo, Sasu? A gente não pode fazer uma farrinha hoje á noite?
Olhei para Naruto e de novo para Sakura, sem poder acreditar que os dois estivessem dispustando para ver com quem eu iria ficar. Segurei a mão de Sakura.
_ Olha só, Você é minha melhor amiga e eu te adoro, mas acho que é mesmo melhor eu passar a noite na casa do Naruto, porque amanhã vamos para Tokyo.
O queixo dela despencou.
_ O quê? Vocês vão juntod para Tokyo? Por quê?
_ Vamos pegar a estrada.- Olhei para Naruto e pisquei.
_ Tudo bem, mas assim que voltar, vamos fazer a nossa farrinha.
Sorri, abraçando-a.
_ Combinado. Agora, vai lá com a Dra. Yamanaka. Nao vi nenhuma aliança no dedo dela, e deu ra ver que ela gostou de você.
Um sorriso gigantesco se abriu no rosto dela.
_ Acha mesmo?
_ Tenho certeza. Vai nessa!
Sakura já ia saindo, mas se virou e olhou para Naruto.
_ Trate de cuidar muito bem dele, ouviu: Ele é como um irmão para mim.
Ele sorriu para Sakura.
_ Como foi que você desmaiou desse jeito? Está com algum problema de saúde?- perguntou, enquanto me ajudava a levantar da cama.
_ É que a água do meu banho estava quente demais.- Peguei minha mochila.
_ Você precisa tomar mais cuidado.- Ele segurou meu braço  com delicadeza enquanto  seguíamos pelo corredor. Meus olhos se arregalaram quando vi o Dr. Sasori caminhando em nossa direção. Meu coração disparou. Nao queria falar com ele,  muti menos na frente de Naruto.
_ Sr. Uchiha? - Disse ele , olhando para o curativo no meu supercílio.
­_ Dr. Sasori, que prazer vê-lo de novo.- Fingi um sorriso.
_ Sr. Uchiha, o que aconteceu?
_ Ah, eu caí e bati com a cabeça. Um tropeção no corredor.
Ele olhou para mim, curioso.
_ Como tem se sentido?
_ Tenho me sentido ótimo, Dr. Sasori. Agora, se me dá licença, tenho que ir comprar o analgésico que me receitaram.
_ Ah, claro- disse ele, olhandi diretamente para Naruto.
_ Tenha um bom dia, Dr. Sasori.- Sorri, me afastando dele o mais depressa o possível.
_ De onde você o conhece, Sasuke?
Sabia que esse breve encontro daria margem as perguntas. Olhei  em frente as portas automáticas.
_ Ele é meu médico de família. Tive uma ou outra consulta com ele desde que vim morar aqui.
_ Uma ou outra consulta, e ele te conhece tão bem assim? Por que perguntaria como você está se sentindo ?
Merda, por que ele tinha que fazer tantas perguntas? Quando era eu que perguntaria alguma coisa , ele não me explicava nada.
_ Eu me consultei com ele uns meses atrás quando tive uma gripe.
Ele é um bom médico e se preocupa sinceralmente com seus pacientes.
_ Passamos pelas portas e o ar frio me envolveu, refrescando a ardência em meu corpo.
Entramos na limusine, e Jiraya olhou para mim.
_ É bom ver que o senhor está melhor, Sr. Uchiha.
_ Obrigado, Jiraya, de coração.
Naruto olhou para mim, sorrindo.
_ Jiraya quase foi despedido hoje.
Olhei para ele, chocado.
_ Como?  Por quê?
_ Ele não me apanhou para ir a uma reunião. So apareceu depois de me ligar para dizer que tinha levado você ao hospital porque tinha cortado o supercílio.
Olhei para, com uma expressão confusa.
_ Mas você não tinha ido de carro para o trabalho?
_ Tinha- respondeu ele. Tinha, sim.
Passei a língua pelos lábios para umedecê-los.
_ Então por que não pegou o carro e foi a reunião, ainda mais se estava atrasado?  - Ouvi Jiraya dar um risinho no banco da frente, e acho que Naruto também, pela expressão irritada no seu rosto.
_ Bem, eu até podia ter feito isso, mas...
Inclinei a cabeça.
_ Nem mas, nem meio mas. Você ia despedir Jiraya por não ir buscar você, quando estava de carro? Desculpe por ele não ter pedido te ligar, mas ele ficou preocupado comigo, Naruto Uzumaki, e você devia ficar agradecido. Eu podia ter sagrado até a morte nas ruas.- Estava rindo por dentro.
Ele olhou para mim, revirando os olhos.
_ Agora você está fazendo um dramalhão.
_ Eu sei, e sou muito bom nisso.
Naruto riu, segurando minha mão e dando uma apertadinha nela. Encostei a cabeça no seu ombro, sentindo meu corpo se aquecer com seu toque e o coração começar a bater mais depressa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...