História Para Você - Capítulo 37


Escrita por: ~ e ~Biih_cop

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho)
Tags Captainswan, Colifer, Jmo, Onceuponatime, Ouat, Romance
Exibições 55
Palavras 2.443
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura

Capítulo 37 - Capítulo 37


Pov Colin 

"A vida nos dá alguns presentes. Um dos melhores são as lembranças"
Por: Isa

O tempo roubou as cores da minha vida, eu não estava mais vivendo, apenas sobrevivendo. Eu não tinha mais ninguém, Helen se foi e Evan agora estava em NY. Meus pais também não estavam mais aqui.
Ava está deitada do meu lado enquanto eu vejo a chuva cair pela grande janela da sala de Jen. Às vezes eu sentia culpado por estar me sentindo assim enquanto Jen estava sempre tentando me colocar para cima, ela sabia que eu não tinha animação para nada, mas do mesmo jeito, ela não iria desistir. 
-Como está o Evan? -Jen pergunta se juntando ao meu lado 
-Ele está triste, claro, mas os hematomas estão sumindo -respondo olhando para ela 
Jen suspira e encosta a cabeça na curva do meu pescoço 
-Logo mais o Evan estará de volta -ela consola e eu concordo.
Ficamos um tempo olhando para chuva quando o celular da Jen toca, ela desencosta de mim e atende 
-Oi Meg -ela diz e pega minha mão 
Ela fica só balançando o pé enquanto conversa com Meghan, é coisa de Jen fazer isso. 
-Não dá para sair hoje Meg 
-Porque estou em uma situação delicada aqui em casa 
-Tá bom, fica para próxima, beijo -Jen desliga o telefone 
-Jen...-começo -Não quero que você pare de viver sua vida para ficar aqui comigo, sério, você não tem nada a ver com o que aconteceu 
-Colin, para com isso, eu não vou deixar você ficar aqui sozinho nesse estado enquanto eu estou me divertindo, mesmo porque nem vou conseguir me divertir. Que tipo de amiga seria eu? -ela protesta 
Eu abro um sorrisinho para ela e ela me devolve com um sorrisão.
Jen é uma pessoa muito boa, o único problema dela, é que ela coloca outras pessoas em sua prioridade. 
-O que você quer fazer hoje? -Jen me pergunta animada 
-Nada 
-Não, isso não, deixa eu pensar? -ela e começa a olhar para cima 
-A gente pode ver o que tem no netflix -ela diz se levantando e indo para o sofá. Ela bate no assento do lado dela do sofá e Ava sai correndo do meu lado e pula do lado da Jen 
-Não era você! -ela diz rindo para Ava.
Saio de onde estou e sento do lado dela, Jen começa a zapear o netflix e quando me dou conta ela já tem uma lista enorme de filmes e séries.
-Pronto, não vamos mais ficar entediados -ela diz rindo colocando o primeiro filme para rodar.
A estada na de Jen estava sendo o único flash de esperança, a cada dia que passava, ela devolve uma cor da minha vida. 
Jen logo adormece, eu olho para ela sorrindo, pego a manta do sofá e a cubro, dou um beijo no topo de sua cabeça e a aninho em mim enquanto termino de ver o filme. Até o cheiro doce de seus cabelos, era reconfortante.
Volto dos meus devaneios e ligo o ar-condicionado da casa da Jennifer, afinal, o calor lá fora estava insuportável. Esse lugar me trás sentimentos variados, onde tudo começou. 
Jennifer me mandou para cá para pegar um travesseiro para barriga dela, já que Alice não cansa de ficar brincando dentro dela. 
Subo as escadas e entro no quarto da Jen.
Minha relação com a Jen estava pior do que ruim, eu pedi para ela esquecer nosso beijo, e isso parece que a machucou. Todas as vezes que eu tentava me desculpar, ela virava as costas e saía andando, e isso me fez voltar para o vácuo. 
Subo para pegar lençóis novos, chego no andar de cima pronto para bater na porta do quarto dela, mas a porta já está aberta. 
Entro de fininho e me deparo com Jennifer jogada na cama dormindo pelada. Ela está deitada de lado, seu corpo escultural está todo relaxado, a toalha deveria estar enrolada em seu corpo, pois uma de suas mãos estava segurando-a apenas cobrindo seu ombro, enquanto a outra mão estava pousada em sua cintura. Seus cabelos úmidos  do banho estão espalhados pelo travesseiro e sua expressão esta angelical.
Mordo o lábio e fico encarando um tempo -mais bonita do que eu imaginava- penso comigo, minha ereção está crescente enquanto eu tenho uma discussão interna comigo, acorda-la e tentar a sorte ou deixá-la dormir e me deixar na mão -literalmente-. 
O certo seria deixá-la dormir, mas o desejo não iria saciar. 
Me aproximo da cama e deito ao seu lado, pouso minha mão onde a dela está pousada, afasto os cabelos dela do pescoço e começo a beijar o mesmo, Jen suspira em seu sono, trilho beijos de seu pescoço até nódulo de sua orelha. Ela mexe sua mão em baixo da minha e vira o pescoço um pouco e me encara. Sua expressão está sonolenta de início, ela semicerra os olhos para mim e abre um sorriso malicioso e não diz nada, apenas me beija, seu beijo é violento e molhado -muito melhor do que em cena- ela tira a mão de baixo da minha e pega a minha mão guiando até sua intimidade enquanto nos beijamos. Quando nossos lábios se soltam, estamos ofegantes. Minha mão massageia sua intimidade em baixo da mão dela, enquanto ela pressiona uma coxa na outra 
- Ah... -ela geme quando eu coloco dois dedos dentro de sua intimidade.
Ela me encara com o seu sorriso malicioso com o lábio preso nos dois dentes da frente, tiro meus dedos de dentro dela e ela resmunga, pego sua mão e coloco sob minha ereção, Jennifer logo aperta, ela me encara e solta uma risadinha da minha expressão, ou do barulho. Coloco a mão de volta em sua intimidade. Coloco a outra mão em baixo dela e ela joga a toalha no chão quando eu coloco a pego seu seio direito. Seus olhos estão fechados e sua boca-semi aberta enquanto seu seio responde ao meu toque, dou um beijo rápido em sua boca e desço os beijos para o seio direito, minha língua rodopia seu mamilo enquanto sua mão entra na minha cueca finalmente tocando minha ereção diretamente. Subo meus beijos para seu pescoço de novo, Jen tira a mão de minha ereção e com a mesma tira a minha de sua intimidade. Antes de eu raciocinar qualquer coisa, ela se vira rapidamente e eu estou de baixo dela. 
Ela me olha sorrindo e senta em cima de mim, ela tira minha camiseta e eu levanto meus braços para ajudá-la. Ela se debruça em cima de mim e pega minhas duas mãos antes de beijar minha boca, seu beijo é de outro mundo, está me arrancando suspiros, sua língua ágil explora minha boca enquanto eu exploro a dela. Ela desce seus beijos e deixa um chupão no meu pescoço antes de distribuir beijos por toda minha barriga, passando a língua em alguns lugares. Quando ela chega na bainha de minha calça, desabotoa me olhando com seu sorriso que está me deixando louco, ela tira minha calça junto com a minha cueca junto e joga no chão. Sua mão ágil acaricia minha ereção antes dela enfiar na boca, sua língua rodopia a ponta, ela suga com muita força, enquanto me encara, sem timidez, dos seus olhos da para ver a chama de desejo. Ela tira a boca e em questão de segundos esta encaixada em mim, nossas duas mãos estão entrelaçadas enquanto ela está sentada em mim, movendo seu quadril com força, em um ritmo dela. Ambos deixamos escapar gemidos. Consigo pegar impulso e inverter as posições, vário a velocidade de meus movimentos, Jen enrosca suas pernas no meu quadril e me pressiona para entrar mais fundo 
-Gulosa -sussurro para ela e ela dá uma risadinha. 
Atingimos um ritmo rápido e Jen geme meu nome quando goza e eu me liberto acompanhando-a. 
Acordo com o barulho de  algo caindo, abro os olhos e meu celular está no chão e eu realmente preciso de lençóis novos. 
Minha pulsação está acelerada, em todos os lugares, incluindo na minha ereção, meu cabelo está suado mesmo estando frio e eu estou ofegante -Que porra foi essa?- me pergunto olhando o lençol molhado, meu pijama melado e mesmo assim eu ainda estou duro. Acabo logo com isso, já estava tudo sujo mesmo.
Pego roupas limpas e discretamente vou do quarto para o banheiro. Tiro a roupa e faço um bolinho para lavar depois, separado.  
Tomo um banho relativamente rápido, só para tirar o suor e o sémen mas mesmo assim, foi tempo suficiente para Jennifer acordar e o cheiro de café invadir o andar de baixo. 
Saio do banheiro com a roupa enrolada em uma bola, Jen me encara 
- Bom dia -ela diz grossa 
- Bom dia - respondo 
Ela olha para bola de roupa 
-Por que você não coloca no cesto? 
- Porque não -respondo e entro no quarto rapidamente, deixo a roupa em cima da cama e volto para Jennifer, precisava pedir um lençol.
Saio do quarto e Jen está sentada no banquinho frente a bancada tomando seu café olhando para o nada.
- Jen -chamo ela enquanto caminho para frente da bancada 
- Sim -ela não olha para mim 
- Onde tem lençol? -pergunto casualmente 
Ela desvia o olhar para mim é estranha a pergunta 
-No armário lá em cima, no corredor, Por quê?
-Preciso trocar o meu -digo tentando esconder a tensão 
- Tudo bem, eu troco, já vou bater a roupa mesmo 
-Não Jen, que é isso? Eu troco, você não é empregada 
-Nossa, Colin não vou morrer por causa de um lençol -ela diz virando o olho 
-Nem eu! -digo cruzando os braços 
-Para de graça -ela diz levantando e indo para escada
Eu pego seu braço tentando impedir, Ava late e Jen puxa o braço de volta e sobe as escadas correndo e eu vou atrás dela. Ela pega um jogo de cama completo 
-Não sei por que não quer que eu troque -ela fala segurando o jogo de cama forte enquanto eu impedia a passagem da larga escada 
-Eu me machuquei -digo por impulso 
Ela me mede 
-Onde? E mesmo se for isso, acha que eu nunca vi sangue?
Ela se abaixa e passa por de baixo do meu braço e desce as escadas para o meu quarto e eu indo logo atrás, ela abre a porta com tudo - do jeito que só pessoas de Áries conseguem fazer- e entra no quarto, ela encara a bola de roupas e coloca a mão no lençol
-Jen, não 
Ela encara a mão dela e me olha com o olhar brincalhão  e limpa a mão no lençol já sujo.
- Parece que alguém teve uma noite agitada -ela diz rindo tirando a roupa de cama completa 
-Sujou os cobertores também? -ela diz ainda rindo 
-Jen -eu digo tímido, eu estou envergonhado, não consigo nem encara-la 
- Eu falei para você não trocar, eu não queria que você visse isso 
Ela faz um bolo com a roupa de cama e com minha roupa e joga no chão
-Colin, você acha que eu nunca vi gozo? -ela diz virando os olhos -Acontece... -ela fala agora em um tom amigável 
Ela troca a roupa de cama e eu ainda não tirei os olhos do chão 
-Colin -ela pega minha mão e eu consigo olhá-la 
- Calma, só lavar, não tem nada de ruim nisso -ela diz em um Tom tão sensível que nem parece que acabou de tirar sarro da minha cara 
-Aproveitando essa sua sensibilidade momentânea -começo - Desculpa por ter pedido para você esquecer nosso beijo, sabe, eu não queria te magoar 
-Está tudo bem Colin -ela diz e me solta para pegar a roupa suja 
-Lava sua mão Jennifer, ainda está melada -digo rindo e ela ri mais alto 
-Tá bom 
Termino de subir a escada rindo sozinho com a lembrança, até hoje Jennifer não sabe o que aconteceu naquele sonho, e talvez nem saiba. Tiro o travesseiro de cima da cama e vou descendo as escadas para ir embora.
Depois de ter desligado o ar-condicionado e fechado às cortinas, saio da casa já sentindo o calor infernal e segurando o travesseiro. 
Paro em frente à minha casa e fico olhando para  ela pensando em tudo que passei aqui com Jen. Lembro quando eu fiz questão de ela me ajudasse a escolher a casa, dei a liberdade para ela mobiliar a casa do jeito dela e principalmente da dor que foi quando me mudei, entrar na casa vazia. Essa casa foi pensada e planejada inconscientemente para levar uma vida com Jen, Evan e agora Alice. 
As lembranças que constituímos aqui, não tiveram nada de fúnebre, talvez esse seja o emblema da minha superação, desde que recuperei a guarda de Evan e que eu e Jen assumimos nosso compromisso, eu nunca mais me senti só aqui. 
Entro em casa e logo sinto o ar gelado. Escuto a tevê ligada e vou até a sala, Jen está sentada no sofá vendo a tevê sem prestar muita atenção. 
-Por que demorou tanto? -Jen pergunta curiosa 
-Não estava achando seu travesseiro -respondi em algo aleatório 
Jen sorriu e pegou o travesseiro de mim e o abraçou 
-Eu senti tanta falta desse travesseiro -ela diz apertando o travesseiro contra si 
-Então por que não pegou antes? -digo sentando no sofá e colocando as pernas dela em cima das minhas,
- Porque seu travesseiro é cheiroso -ela diz sorrindo para mim timidamente 
-Colin, agora precisamos tomar uma decisão. 
Puxei Jen para mim colocando-a em meu colo, suas pernas agora estavam penduradas no braço do sofá e seu braço rodeava meu pescoço.
- Onde vamos ficar? -ela pergunta olhando para mim
-Bom, estive pensando nisso hoje... Sabe sua casa é enorme e foi onde tudo começou, mas onde começou nossa vida a dois. Aqui, foi planejando cada centímetro para nossa vida familiar, para a vida que merecemos ter -disse pensativo 
-Bom... -Jen diz pensativa também 
- A única lembrança que construímos naquela casa, podemos refazê-la aqui -Jen diz com segundas intenções 
-Falando nisso - me interrompi e beijei sua boca.
Nossas línguas se tocaram e foi o suficiente para Jen ficar agitada. Ela me beija com vontade, me devorando até não termos mais fôlego. Tracei beijos de seu pescoço at sua orelha 
-Lembrei de um sonho molando que eu tive com você, quando estava lá -sussurro para ela 
Seu sorriso é malicioso com uma alegria até infantil.
Ela me beija de novo enquanto se esfrega contra mim e começa a tirar minha roupa. 
A bebê começa a ficar agitada e eu sorri 
-Não sou só eu que fico agitada quando você chega.


Notas Finais


Escutem os sinos gente


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...