História Paradise Garden - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Tags Bts, Imagine, Jimin, Romance
Visualizações 9
Palavras 1.263
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Hentai, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu quero agradecer a quem for que esteja comentando me faz querer postar mais, obrigada!! <3

Capítulo 7 - Tudo novo de novo


Fanfic / Fanfiction Paradise Garden - Capítulo 7 - Tudo novo de novo

— Ei, para!
— Você que começou... - O sorriso dele era contagiante, parecia uma criança dentro daquela banheira.
— Jimin...
— O quê foi?
— O quê isso significa? Nós vamos ser amigos daqui pra frente, vamos nos cruzar nos corredores e fingir que não nos conhecemos? Eu realmente não sei o que vem depois, sabe eu sou nova nessas coisas de garotos e garotas. - Eu fiz uma careta confusa.
— Se eu dissesse que sei exatamente como vai ser eu estaria mentindo mas eu posso dizer com certeza que não há como fingirmos que não nos conhecemos depois de nos conhecermos tão bem.. - Ele me apertou contra ele. — Agora eu conheço cada pedacinho do seu corpo. Como eu poderia fingir que não? Eu não estou apaixonado mas eu nunca mentiria pra você, eu sinto algo bom quando estamos juntos e eu gosto de passar meu tempo com você e isso é raro.
— Hum... Eu sei lá, estou com um pouco de medo. Já que estamos sendo sinceros eu realmente estou com medo.
— De quê?
— De me apaixonar e ser estúpida. De amanhã ser tudo um sonho ou eu não sei... Os rapazes podem ser cruéis.
— Acho que você está me escondendo algo em... - Ele abaixou um pouco a cabeça afim de olhar meu rosto. — O quê houve?
Lágrimas começaram a escorrer do meu rosto sem que eu nem ao menos percebesse e se camuflando junto a água da banheira.
— Se não quiser me contar, tudo bem mas eu senti algo em você desde nossa primeira conversa. Parece que você se esconde e esconde algo de todos. Eu acho que tenho um super poder.
— É, eu acho que você tem. - Ri entre lágrimas.
— Vem, vamos sair da banheira, já estamos ficando enrugados. - Ele riu e eu me juntei a ele. — Vamos deitar e eu vou te fazer carinho até você se sentir melhor. 
Ele me secou, me ajudou a me vestir e insistiu em pentear meus cabelos. Parecia até um sonho.
Por fim ele me pegou no colo e me colocou na cama e se deitou ao meu lado, nos cobriu e começou a acariciar meu rosto.
— Você quer conversar sobre... aquilo?
— Tudo bem... Só me desculpe se eu travar é que tudo isso é tão repentino. De repente eu estou em casa sem ninguém e vou a escola, conheço a Alyssa, você o J. perco minha virgindade, durmo na casa de um menino que eu acabei de conhecer e por fim acabo contando meus segredos. Isso não parece insano pra você? - Ele gargalhou.
— Sim, parece e muito. Mas como eu disse, se não se sentir a vontade, você não precisa.
— O pior de tudo é que eu me sinto a vontade com você isso é o mais estranho. - Eu corei. respirei fundo. — Bom, eu vou começar então.
Eu cresci em Nova York com meus pais ao meu lado e como você já sabe minha melhor amiga era a Farrah e foi minha melhor amiga por muitos anos. Nós frequentávamos a mesma escola e eu sempre imitava tudo o que ela fazia. Porém eu era uma pessoa diferente dela apesar de tantas tentativas de ser igual. Quando eu tinha quinze anos eu me apaixonei por um menino chamado Christopher. Ele não era o mais bonito nem o mais inteligente nem o mais atlético, ele era só... Ele. A Farrah sempre gostava do mais popular ou do Atleta ou alguém que estivesse nos holofotes mas eu acabei gostando de um cara "comum". Por algum tempo eu escondi isso dela mas não durou muito já que eu confiava cegamente nela e dividia tudo que estava em minha mente e coração. Ela disse que falaria com ele por mim eu quase implorei que ela não fizesse isso, que eu morreria de vergonha se ele descobrisse mas foi tudo em vão.
Bom, no dia seguinte ele veio falar comigo  e disse que a Farrah tinha conversado com ele e que "tudo bem". Me deu uma flor e disse que passaria as 17:00 horas pra me pegar para o baile no sábado. Eu mal pude acreditar eu quase explodi. Fui correndo abraçar a Farrah que obviamente exigiu uma ovação de pé e assim eu fiz. As 16:30 eu já estava pronta. As 17:00 eu já estava na porta. As 17:30 eu já roía as unhas. As 18:00 eu recebi uma mensagem da Farrah dizendo pra eu ir ao baile que ela estava me esperando. Eu expliquei a ela a minha situação, ela disse pra eu não ligar e ir ao baile  já que os garotos "são assim mesmo". Mesmo muito triste e desapontada, com vergonha eu fui ao baile já que eu devia a minha grande amiga. Cheguei lá e pra minha surpresa o par de Farrah era ninguém mais ninguém menos que o Christopher. " Oi, Rae. A Farrah não te falou? Ah, nossa... Eu sinto muito. Ela me disse pra perguntar pra você se ela podia vir comigo ao baile e disse que como condição você tinha que vir com a gente, no caso na mesma limousine mas nós nos distraímos e esquecemos de falar com o motorista. Desculpa mesmo."
Ele saiu e eu tive que lutar pra continuar de pé, meu rosto ardia, minhas pernas tremiam.
Não faça uma cena Rae Rae, o quê você queria que eu fizesse? Ele me convidou. Ele preferiu vir comigo e não com você, eu não posso fazer milagres também, sabia? Ah! Eu não te contei mas o Christopher agora é Quarterback, não é maravilhoso? Nós vamos mandar nessa escola! Você está me ouvindo?".
Meus pés se moveram sozinhos no começo de forma descompassada e desordenada e depois como uma locomotiva, acho que eu nunca corri tanto em toda minha vida, eu corri até em casa. Cheguei arfando e me escondi dos meus pais, tranquei a porta e quando eles vieram obviamente me perguntar como foi, eu fingi estar dormindo e chorei como nunca aquele dia. Eu parei de falar com a Farrah, me afastei de todas as amizades em comum e passei a ficar sozinha e virei chacota. Obviamente ela não poderia deixar de contar pra todos e de forma ainda pior encabeçar a humilhação constante que eu sofri durante muito tempo. Depois de um ano as pessoas nem sabiam mais porque emplicavam comigo, mas eles continuavam assim mesmo. Minha família começou a se separar, meu pai arranjou uma amante e morreu ao seu lado em um acidente de carro, parece que eles estavam fugindo juntos.  Agora eu estou aqui, bem diante dos seus olhos.
Ele me abraçou forte.
— Agora eu estou aqui e não vou deixar ninguém emplicar com você, isso eu prometo. Eu já sabia que a Farrah era desprezível mas, ela se supera a cada dia.
— Pois é, mas a vida segue em frente. Agora eu estou aqui e nem ao menos sei o quê estou fazendo. Eu nem te conheço e já fui pra cama com você até agora eu não acredito nisso é tão...
— Não se recrimine a vida é curta. O corpo é seu e você deve fazer com ele o quê bem entender independente do que os outros pensarem. Você se arrependeu do que fizemos?
— Não...
— Então pare de pensar assim. Eu espero que você não se arrependa nunca porque eu sei que eu nunca vou me arrepender. Você é especial, Chae Rae Park.- Ele passou o nariz no meu suavemente e fechou os olhos. Eu também fechei os meus e depois de um tempo nossas respirações entraram em sincronia e nós dois caímos abraçados em um sono profundo.


Notas Finais


Obrigada por ler! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...