História Paraíso Azul - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hayes Grier, Magcon, Nash Grier
Tags Colegial, Comedia, Drama, Romance
Visualizações 27
Palavras 1.039
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, oi. Pra quem não me conhece eu sou a Iza e depois de quase dois anos voltei. Sinto falta de escrever e por mais que eu esteja muuuito apertada na escola, não quero parar de fazer algo que gosto. Espero que vocês sintam o mesmo amor por essa fanfic como sentiram por ID, com o Matt. Vou tentar postar todo final de semana, afinal, to ansiosa pra mostrar todas as ideias que tive.

Sejam muito bem vindos a "Paraíso Azul" e tenham uma boa leituraaa.

Capítulo 1 - C1 - Inicío


- Ok, você consegue fazer isso. É fácil e simples! – sussurro.

Anna corria de um lado para o outro, ansiosa e animada para o primeiro dia de aula. Desde que papai morreu e mamãe nos abandonou, cuido de toda a tarefa de casa, e claro, dela. Anna tem sete anos e tem uma personalidade forte pra sua idade, mas não deixa de ser uma criança travessa e atrapalhada, comprovo isso com a quantidade de vezes que ela quebrou o braço caindo da escada. Ela não costuma perguntar de nosso pai, afinal, ele morreu quando ela tinha alguns meses. Do contrário, senta na cama todas as noites as 20h esperando mamãe voltar para lhe contar uma história. Mas no fundo, mesmo sendo inocente, sabe que isso não vai acontecer.

- Vem pequena, o tio Nash vai te levar de carro. – sorrio e seguro sua mão na tentativa de acalma - lá.

- Você não vem?!

- É claro que vou. Acha mesmo que eu ia perder sua reação pisando na escola pela primeira vez? – rio. Ela sorri e corre para o carro onde Nash está junto com Skylynn, sua irmã mais nova.

- Ô senhorita ando super de vagar, não quer entrar logo? Nós vamos chegar atrasados. – ele diz. Reviro os olhos e confiro pela milésima vez a mochila de Anna. – Você parece estar mais nervosa que ela sabia?

- É porque eu estou. – suspiro e entro me sentando no banco do passageiro. Nash balança a cabeça e começa a dirigir enquanto Sky e Anna conversam animadas no banco de trás.

Nash e eu somos melhores amigos desde que morávamos na Carolina do Norte. Aos cinco anos me mudei para Los Angeles com meus pais, após Anna nascer, quando eu tinha dez anos, papai morreu sobrando apenas as três meninas mulheres da casa. Quando completei dezessete anos, Nash se mudou com a família por conta da faculdade e por uma grande coincidência veio morar na casa ao lado. Seus pais sempre foram próximos dos meus, sabem da morte do papai e não fazem idéia de que mamãe simplesmente surtou e foi embora – e espero não descobrirem tão cedo.

Ele e Hayes – seu irmão – prometeram guardar segredo até eu completar dezoito anos e poder adotar Anna por completo. Mas enquanto isso não acontece, sigo com meu plano.

- Ei Hope, não tenho aula hoje. Quer sair pra fazermos alguma coisa? – Nash pergunta parando na porta da escola.

- Claro. – sorrio. – Vamos ver algo assim que deixarmos essas duas mocinhas lá dentro.

- Eu não sou mocinha! Já sou grande. – Skylynn nos repreende saindo do carro. Rio baixo e assinto. – Vamos Anna, to ansiosa! – segura a mão da mesma e sai correndo.

- E lá vamos nós. – digo e saio correndo atrás das duas. Logo que entramos ouvimos uma pequena e rápida palestra do diretor, afinal, ele não tava mais agüentando a agitação das crianças. Me despedi de Anna e voltei para o carro. – Você viu o sorriso das duas?

- Vi. – ele ri. – Não agüentava mais a Sky falando que queria ir pra escola logo. Hayes acabou soltando que não era tão divertido assim e por incrível que pareça ela não ligou.

- Hayes sendo Hayes. Falando nisso.. cadê ele?

- Adivinha.

- Dormiu fora? – Nash assente. – Com aquela garota da sala dele? – Nash assente mais uma vez. – Caralho! – rio alto. – Seu irmão pega mais menina que você!

- Ele pega, eu namoro. Tem uma grande diferença Hope.

- A única diferença que eu conheço entre vocês é a que o Hayes que dá o fora nas meninas. Você já recebe e ainda por cima é chifrado. – seguro o riso e sinto uma dor no braço. – Ou! Qual é Nash?! Não precisa me socar, eu tava brincando. Fora que isso já tem meses, achei que você tinha superado.

- Acontece né..

- Acabei de lembrar, não podemos sair hoje. Vou limpar a casa de uma senhora hoje por cem dólares. – digo e Nash suspira. – O que foi?

- Odeio essa maldita situação de vocês. Na boa, quando eu ver sua mãe eu vou falar tanta merda na cabeça dela que ela vai ficar traumatizada.

- Relaxa. Estamos nessa há quase um ano e eu consegui sobreviver até agora com a Anna, não tem com o que se preocupar. – brinco com meus dedos. – Podemos.. sabe.. marcar outro dia?

- Ah, não! Eu vou te ajudar a limpar a casa dessa senhora pra acabar rápido e sairmos nem que seja pra uma pizzaria, na qual eu – da ênfase. – vou pagar tudo.

- A ajuda pra limpar eu aceito porque misericórdia, nunca vi uma casa tão grande como aquela. Agora pagar a pizza não rola, a gente pode meiar. O que acha?

- Hum.. não. – ele sorriso cínico. Reviro os olhos e bato em seu ombro. – Ou!

- Eu não fiz nada Grier.

- E nem vai fazer Hope.

Resmungo e escorrego pelo banco. Nash pode ser o melhor amigo do mundo, mas não deixa de ser teimoso e convincente de si em determinadas situações. Mas fazer o que, eu o amo mesmo assim.

- A casa é essa?

- Aham.

- Agora entendi o que você quis dizer com “casa tão grande”.

Desço e caminho até a entrada da casa. Senhora Liana já tinha me dado as chaves e avisado que iria ficar o dia todo fora, logo não teria problema de Nash me ajudar para eu ir embora mais cedo.

- Ok Grier, eu começo pelos banheiros de cima e você pelos quartos.

- Os quartos? Deve existir o que..vinte deles?

 - Talvez. – respondo e prendo o cabelo. Nash revira os olhos e vai subindo as escadas, mas na metade do caminho para com um sorriso travesso. Lá vem..

- Ei, qual quarto posso escolher pra gente namorar?

Rio e cruzo os braços.

- Quem sabe um quarto de solteiro, de preferência nos seus sonhos e com você me imaginando.

- Vai mesmo me deixar na friendzone Hope?

- Deixa de ser dramático garoto. Eu sei que seus pensamentos estão focados naquela loira gostosa da sala do Hayes, cuidado viu, vão te denunciar. – sorrio e o empurro. – Sobe logo, temos muito trabalho pra fazer.

- Também te amo!

É, eu sei disso.


Notas Finais


Também postei essa fanfic no wattpad, caso achem mais fácil acompanhar por lá: https://www.wattpad.com/story/125457135-para%C3%ADso-azul

Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...