História Paraíso Praia - Destinos ironicamente traçados - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Amor, Drama, Lemon, Naruto, Romance, Sasuke, Sasunaru, Yaoi
Exibições 65
Palavras 3.455
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olaaaá SasuNarunáticos ^^'

" Como assim, tia Oliver, não era uma Oneshot?"

Pois é.. Era, mas resolvi atender aos comentários pedindo por mais um capítulo, porque eu estava na praia, com muita imaginação, uma caneta e um caderno... rendeu né. ^^'

Espero muito que gostem. Tá bem amorzinho, e se quiserem seguir uma recomendação de trilha de fundo, eu recomendo a música "Eu sei" de Papas na língua. ;)

Beijoos... ♡

Capítulo 2 - Felicidade - Bônus


Fanfic / Fanfiction Paraíso Praia - Destinos ironicamente traçados - Capítulo 2 - Felicidade - Bônus

Sábado 23 de dezembro- 08:40

Acordei, sonolento quando a claridade solar tocou meus olhos e o cheiro da maresia entrou no meu quarto, acompanhado de um vento fraco e gostoso.

 Levantei-me à contra gosto sem nem saber que dia da semana ou do mês era. Mas que ressaca era aquela?

A pergunta era: Eu havia bebido na noite passada?

E a resposta?

Se existisse alguma bebida chamada "Naruto" - Sim, eu me embriaguei e tomei até sua última gota.

Me olhei no espelho e abri um sorriso vendo o quão bonito eu sou quando acordo. Nada modesto, eu sei.

Fui a caminho do banheiro e quando cheguei à pia, vi um bilhete colado no armário.

" Não se esqueça de... Você sabe o que, hehe..."

Mordi o lábio e sorri automaticamente.

Puta merda, Não me esquecer de eu sei o que?! Quem esse loiro pensa que é pra fazer esse suspense? E se eu me esquecesse?

Olhei no relógio, 8:45...
Como ele podia acordar tão cedo em pleno sábado? Okay, Naruto costumava ser bem ansioso, principalmente em datas comemorativas, eu entendo. As vezes aquela alegria e imperatividade até me contagiavam.

- Cunhadinho,  já acordou? - Ouvi Sakura bater na porta de meu quarto. Ela tinha a chave da casa, por isso ia lá todo final de semana nos visitar. Chegava aos sábados, às 6h e saia no domingo, às 23h.
 
Depois de termos começado a namorar, eu e Naruto resolvemos comprar uma casa perto da praia. Era bem aconchegante e confortável. Como Sakura estava solteira de novo ela não largava do nosso pé.

- Acho que sim... - Gritei do banheiro e pude ouvir a porta ser aberta.

- Ótimo... Uh. - Ela fez um barulho de nojo. - Você nunca arruma sua cama? Há quantos dias esse quarto está nessa situação?

- Quer mesmo que eu responda? - Falei, malicioso.

- Esquece! Ahm... o café já está pronto. Eu vou sair pra terminar os últimos preparativos, okay?

- Okay... O Naruto saiu há quanto tempo?

- Está fora desde às 7:00... Você sabe como ele é em ocasiões desse tipo, não? Quando ele foi padrinho no casamento da Ino, por exemplo, só parou em casa pra se arrumar. - Sakura deu uma risada. - Eu vou indo... Não se atrase, Sasu! E arrume esse quarto!

- Como se isso fosse possível. - Desliguei o chuveiro e saí do boxe, logo pegando minha toalha.

"Desgraçado, vai ser difícil esconder isso..." - Pensei ao ver o chupão em meu pescoço.

Ouvi meu celular tocar e fui até o criado mudo para pega-lo.

- Já acordou? - Naruto disse, animado do outro lado da linha.

- Não... atendi dormindo, Usuratonkachi. - Sorri.

- Teme! Você não se esqueceu, não é?

- Como posso ter me esquecido se você passou a noite inteira me lembrando? .. Ah falando nisso, você sabia que deixou um chupão em meu pescoço?

- Qual o problema? Você sempre deixa vários no meu também, alegando que são "uma marca sua".

- E de fato é! - Mordi o lábio para conter uma risada. - Você deve ter coisas mais importantes pra fazer que ficar conversando comigo, não?

- É, infelizmente e felizmente, tenho. Mas não se esqueça de estar na praia...

- Às três da tarde. - Completei a frase. - Não vou esquecer, Naru... fique tranquilo.

- Acho bom mesmo. Agora tchau, a Ino acabou de chegar aqui com mais algumas coisas para a arrumação...

- Tchau, dobe.

Sorri e desliguei o celular.
Aquela criatura nem parecia um adulto, de tanta infantilidade e animação usadas em suas falas.

Olhei em volta do quarto, tentando achar um bloco de notas mas foi em vão... Droga, eu deveria obrigar Naruto a arrumar tudo. Pelos deuses! Como uma pessoa podia ser tão bagunçeira?

(...)

Sábado, 23 de dezembro- 09:53.

Terminei de arrumar a bagunça e me sentei no sofá, cansado. Não tinha nem tomado café.

Suspirei e fui até a cozinha, buscar uma caneca bem cheia de café puro. Como eu amo cafeína!

Sakura sabia fazer o melhor café do mundo, como era possível?

Terminei de tomar o café, peguei uma camisa, as chaves do carro e da casa e fui para a garagem.

Hora de buscar o presente.

Cheguei ao veterinário e entreguei toda a papelada que eu precisava assinar para enfim pegar a gatinha que apelidei desde a primeira vez que vi de Kyuubi. Sim, esse seria o nome.
Era um ótimo presente para uma pessoa louca por felinos.

"Olhando assim... até que vocês dois tem uma certa semelhança." - Pensei, sorridente quando a peguei no colo, observando os bigodinhos ruivos e as orelhas aguçadas a qualquer movimento.

Coloquei Kyuubi na caixa de transporte pra gatos e a levei para a casa de Sakura, deixando-a lá sob os cuidados da avó dela, Tsunade.

- Eu vou vir busca-la depois de amanhã à tarde, okay? - Falei quando Tsunade a pegou nos braços, acariciando o pelo macio da gata.

- Sem pressa... Ela ficará sob os cuidados de Shisune enquanto eu estiver fora.

- Shizune não vai com você?

- Infelizmente ela quebrou a perna ontem... Está de muletas e se recusa a ir assim. Enfim, não posso força-la, mas Jiraiya irá comigo.

Assenti com um sorriso.

- Preciso ir... Obrigado mais uma vez! - Me despedi com um leve aceno e entrei no carro, logo seguindo para uma loja de decorações.

Coloquei as sacolas de compra no carro e parei por um instante. Olhei o relógio,11:45 . Se eu demorasse muito a arrumar tudo, chegaria atrasado.

Aspirei profundamente a brisa morna que passou por ali e envolveu meu corpo. O dia estava de fato agradável.
Entrei no carro e segui para casa. Precisava de comida!

(...)

- Esse cheiro ótimo só pode significar uma coisa... - Falei respirando fundo ao entrar em casa. - Guren!

- Até que enfim chegou... Achei que você iria se atrasar para o almoço. Onde estava? - A azulada apareceu na porta da cozinha com uma colher na mão. O cheiro realmente estava ótimo.

- Fui buscar algumas coisas. - Dei de ombros. - A comida já está pronta?

- Sim... Coma com moderação. Eu estou indo, preciso me arrumar e arrumar o Yukimaru.

- Urhum... - Murmurei, abrindo as panelas e sem prestar atenção alguma nela. Consequentemente levei um belo pescotapa. - Ai!

- Não se atrase, Zé... - Ela sorriu, me deu um abraço e foi embora.

(...)

Depois de ter comido tanto a receita deliciosa de ramen - Fui viciado por um certo loiro - me deitei no sofá para tirar um cochilo. Estava exausto daquela correria toda.

Cochilei um pouco até mais ou menos 14:00.

"Okay, já fiz merda. Vou acabar me atrasando."

Levantei-me e fui tomar um banho rápido. Cheguei no quarto e observei a arrumação perfeita que eu havia feito mais cedo.

Suspirei e tirei a blusa social bem passada, de dentro do meu guarda roupas.

"Onde foi parar aquela caixinha?... hum, achei. "

Vesti a bermuda nova e parei a frente do espelho. Estava nervoso... e bonito. Olhei no relógio novamente, 14:30... Droga, não tenho tempo mais para adiar isso. Não que eu quisesse.

Entrei no carro e resolvi seguir devagar a caminho da praia.

Pude ver a parte bem decorada com  flores, pranchas e alguns enfeites do pessoal de humanas quando cheguei próximo ao local da cerimônia.

Sorri.

O surfista estava lá, agitado e sorridente, com uma camisa branca social e uma bermuda com estampa leve, assim como eu.

Ele estava lindo! Ah... Como estava lindo.

- Chegou três minutos adiantado... cadê o suspense pra dar mais emoção?

Me assustei quando Sakura chegou de repente na janela de meu carro.
 
- Quer me matar antes do casamento acontecer? - Falei, dramático.

- Meu irmão me mataria... Não por sua causa, mas sim por todo o trabalho que ele teria perdido. - Revirei os olhos. - Ele está lindo, não acha?

- Ele é sempre lindo, Sakura.

- E você sempre apaixonado por ele... Ainda bem que pararam de enrolar e resolveram oficializar isso logo de vez.

- Pois é... só fiquei triste por Shisui não poder ser o padrinho e ainda estar viajando.

- Não é por nada não, mas acho que o Naruto te achou. Boa sorte no casamento! - A rosada sorriu e se afastou do carro a medida que Naruto se aproximava.

- Surpreso que você tenha chegado antes da hora, teme. Geralmente a noiva se atrasa.  - O loiro riu com gosto, me fazendo revirar os olhos.

- Por que está aqui tão cedo então? - Falei, irônico e Naruto mostrou a língua e fingiu uma risada sem graça.

- Daqui a pouco vai começar... Está nervoso? - Ele disse, olhando para o local do casamento que estava não muito longe.

- Não tanto quanto você, mas sim, estou.

- Okay... desça do carro e vá para aquela parte do espaço.- Naruto apontou para uma espécie de cabine. - Algumas mulheres vão terminar de te arrumar. Sem reclamações... Te vejo no altar. - Ele sorriu e me roubou um beijo.

- Te vejo no altar... - Repeti a frase usada por ele.

Respirei fundo e enfim saí do carro, o vendo sumir entre a pequena multidão de rostos conhecidos que já chegavam ali, prontas para prestigiar o casamento.

Fui até o local indicado por ele e as mulheres apenas passaram um perfume cheiroso em mim e me entregaram a caixinha de alianças que estava com Sakura há um dia atrás. Não tinha muito o que arrumar em mim. Okay, sou bem humilde.

- Já está pronto, Sasuke?  - Sakura e Kushina chegaram perguntando em uníssono.

- Não acham que... - Comecei a falar, sem jeito. O nervosismo dando os sinais evidentes pela primeira vez. - Não acham que está tudo muito... formal?

- Um casamento ser mais informal que isso é impossível, Sasuke. - Kushina se aproximou, ajeitando as mangas de minha camisa. - Naruto realmente não se importa com formalidades ou informalidades. No momento a única coisa que o aflige é a idéia de que a qualquer momento você pode desis...

- Eu não cheguei nem a pensar nisso. - Fiz questão de deixar claro. - Só estou um pouco nervoso, entende? - Ela assentiu, sorrindo.

- Bom... tá todo mundo lá esperando o casamento acontecer. Quer dar uma de noiva e se atrasar um pouco?

Dei uma risada e neguei.

- Só me deixem ficar um pouco sozinho para respirar um pouco... Logo eu vou, prometo. - Elas e as outras mulheres assentiram e saíram do cômodo.

Respirei fundo depois de um tempo, tomando coragem para sair daquele lugar - cabine.

Pisei na areia, ainda trêmulo e caminhei lentamente até o altar. Os olhares me acompanhando a medida que meus pés descalços avançavam me deixavam desconfortável, mas mesmo assim acenei para alguns amigos.

Minato, Kushina e Sakura estavam na primeira fileira de bancos. Minato direcionou um olhar encorajador para mim, como se me passasse segurança.

Naruto ainda não estava no altar,  e aquilo me fez dar um sorriso de lado.

Cumprimentei o juiz de paz com um sorriso e me virei para observar o local. Arrumação perfeita. Naruto havia caprichado, nem parecia que tinha sido tudo arrumado pelo mesmo bagunceiro que vivia comigo.

Ino se pôs ao meu lado, sorrindo tanto quanto eu.

- Como se sente? - Ela perguntou, me olhando.

- Feliz, nervoso, ansioso... Tem como sentir apenas uma coisa quando se está prestes a casar? 

- Não... senti essas mesmas coisas quando estava caminhando até Gaara, no dia que me casei com ele.

- Falando em Gaara, cadê ele? -Perguntei, logo virando a cabeça para procura-lo entre algumas pessoas.

- Está com o Naru... tentando acalmar aquela criança imperativa. - Ino suspirou quando pela segunda vez uma brisa gostosa nos atingiu. Dessa vez era bem mais agradável, morna, terna. Uma sensação boa percorreu todo o meu corpo. - Parece que alguém é a favor de seu casamento.

Olhei para ela e vi seus olhos marejados. Enfim entendi o que ela quis dizer e a abracei, quase chorando também.

Vi Naruto parado, esperando pela hora certa de "entrar em cena". Sorri ao encontrar seus olhos azuis, explodindo em expectativa e ansiedade.

- Ino... - Sussurrei quando Gaara se pôs ao lado dela. - Acho que tá na hora.

Ela assentiu e abriu seu mais largo sorriso ao avistar Naruto.

Todos se sentaram nas cadeiras, esperando em expectativa para o começo da cerimônia. Naruto me olhou, nervoso e sério. Por um momento nem parecia o surfista clichê, maluco, popular e implicante que eu conhecia.

Sorri para o tranquilizar. A música tocada em plano de fundo era clássica, bem diferente do clima "praiano", mas ninguém se importava com isso. A música clássica era como um hino para todos ali.

O loiro caminhou lentamente, trêmulo, sorridente. O sorriso era o maior e mais radiante dali e aquilo contagiava a todos que o observavam.

Me senti nervoso e cada vez mais ansioso a cada novo passo de Naruto, como se tivéssemos voltado há anos atrás, quando ainda ficávamos corados a cada nova declaração.

Quando ele enfim chegou ao altar e tocou a minha mão, sorri para ele e ele sorriu para mim, logo cumprimentando o juiz de paz.

- Vamos começar... - O homem a nossa frente falou, quando nos viramos para ele.

Suspirei pela milésima vez. Eu estava feliz. Muito feliz, e pude perceber que Naruto sentia o mesmo.

Mal pude esperar até a melhor parte daquela cerimônia: quando o juiz de paz enfim parou de falar e eu e Naruto dizemos nossos sentimentos, medos e promessas. A parte mais especial do casamento.

Algumas pessoas se emocionaram e até Naruto chegou a chorar, mas eu me segurei e me limitei a ficar apenas com os olhos marejados. Dei uma risada quando trocamos as alianças e enfim a cerimônia foi encerrada.
Nos beijamos, esquecendo de toda a galera que estava ali, rindo e batendo palmas numa única celebração. Dezembro é um mês muito abençoado pelo deus Amor.

(...)

- Um brinde aos meus meninos que finalmente se casaram! - Ino gritou, animada, fazendo todos naquela pequena sala pra onde corremos, rirem e levantarem as taças. Havíamos nos refugiado ali, pois a festa estava bem animada lá fora, haviam até colocado música eletrônica.

Naruto estava sorridente sem efeito nenhum de álcool, assim como eu.

- Psiu... - O chamei, baixo aproveitando que todos estavam distraídos. - Vem comigo! - O puxei pela mão, discretamente, saindo da sala e caminhando entre a multidão, afim de chegar até a beira do mar.

Esbarramos com Karin no caminho. Dei meu sorriso mais falso e deixei claro que a presença dela não me agradava.

- Por que a convidou? - Perguntei a Naruto quando enfim começamos a andar novamente.

- Porque eu queria deixar claro que agora você oficialmente é só meu ... Não se lembra do episódio em que ela tentou te agarrar na minha frente, mesmo sabendo que estávamos namorando? - Sorri vendo a possessividade do loiro e o puxei pela cintura.

- Bem inteligente... Possessivo mas inteligente!

- Onde estamos indo? - Ele perguntou, curioso.

- Tá na hora de você conhecer uma sensação que eu tive a honra de conhecer mais cedo.

- Sensação de que?

- Do recebimento da bênção de uma pessoa que eu amo muito... Você logo vai entender.

Andamos até um local na praia que eu conhecia bem... O lugar preferido de Itachi, onde ele sempre ficava, alegando que era o ponto mais tranquilo da praia.

Eu sentia que ele estava ali. Sentia aquela mesma sensação boa, aquela que estava sentindo desde manhã.

- Itachi... - Falei alto para o mar, fazendo Naruto me olhar surpreso, enfim entendendo. - Temos a sua bênção, sim?

A brisa novamente atingiu meu rosto, de forma delicada e a sensação de paz tomou todo o meu corpo. Fechei os olhos e enfim deixei as lágrimas saírem. Naruto fez o mesmo, talvez sentindo a mesma sensação.

- Obrigado... Eu te amo, aniki.

(...)

Ficamos ali, sentados por um bom tempo apreciando o silêncio das vozes e o barulho das ondas do mar.

Lembrei-me do violão que eu costumava tocar com Itachi quando resolviamos fazer um luau na praia. Deixávamos no quiosque de Shisui, que não era longe dali. Me levantei.

- Espere aí! - Falei autoritário para Naruto e logo saí correndo para pegar o violão.

Há tempos não pegava no instrumento, mas ainda sabia tocar algo.

- Acho que esse momento merece uma música... - Eu disse, me sentando na areia novamente, ao lado do loiro que apenas assentiu, sorrindo.

Dedilhei o primeiro acorde: Dó... As mãos foram deslizando pelas cordas. Aquela música me lembrava muito Itachi, ele costumava a tocar sempre.

- Eu sei, tudo pode acontecer. - Comecei a cantar, despertando a atenção de Naruto, que deu um sorriso, animado. - Eu sei, nosso amor não vai morrer. Vou pedir, aos céus, você aqui comigo... vou jogar no mar, flores pra te encontrar...

- Não sei, por que você disse adeus. Guardei, o beijo que você me deu. - O loiro completou, entrando no ritmo da música.

- Vou pedir aos céus, você aqui comigo, vou jogar no mar, flores pra te encontrar... - Cantamos em uníssono.

Finalizei a música de Papas na língua, sorridente. Era isso. Aquela era a sensação de completude. Eu me sentia inteiro, feliz.

Ouvi Naruto suspirar e olhar para a lua.

- Tenho certeza que ele está feliz por nós... - O loiro falou e os olhos azuis brilharam.

- Eu te amo... - Falei como se fosse a primeira vez que aquela frase tivesse saído de meus lábios.

Ele sorriu.

- É... eu também te amo. - Pontuou.

Respirei fundo e roubei-lhe os lábios de forma rápida e carinhosa.

Peguei o colar que estava guardado em minha camisa.
Eu usava um igual e aquele era o que Itachi usava. Aquela era uma lembrança que eu queria muito compartilhar com Naruto.
- Olha... - Falei, tirando o pequeno cordão de dentro da caixinha feita a mão pelo próprio Itachi. - Era do meu irmão. - Naruto me olhou, apreensivo. Os olhos começando a ficar marejados e a respiração falha. - Eu entrego a você, a lembrança mais forte que tenho dele. Eu escolhi o hoje para te dar isso, porque hoje é o dia em que nossa relação se fortifica mais.

Naruto se virou para eu enfim colocar o cordão e logo após, deitou as costas em meu peito.

- Obrigado por confiar uma lembrança tão linda a mim... Eu prometo que vou zelar por esse cordão e que ele vai permanecer comigo. É o meu amuleto a partir de agora. - Disse, firme. - Eu também tenho um presente pra você.

Ele se levantou, sorrindo e tirou do bolso da bermuda uma pulseira feita à mão, toda trançada com um tecido marrom e tinha um pingente em formato de prancha de surfe. Era linda!

- Diz a lenda... - Ele se agachou de novo e colocou a pulseira no meu braço, segurando minha mão firmemente. - Que o surfista que usar essa pulseira, terá toda a proteção de Iemanjá e também de Amor... Ela era de meu padrinho e ele pediu para eu passar para meu amor assim que nos casassemos. - Sorriu. - Nada mais justo eu dar ao surfista que roubou meu coração.

O beijei, afoito. Como eu amava aquele loiro e tudo o que ele dizia e fazia!

- Ei, o que fazem aqui? - A voz aguda de Sakura acabou cortando o clima. Olhamos em sua direção vendo-a quase cair ao tropeçar em uma pedra.

- Droga! - Sakura resmungou, brava.

Ela estava com uma garrafa de champanhe fechada nas mãos e andava de forma engraçada por estar de salto alto na praia.

- Deviam estar na festa! Estão todos loucos procurando por vocês.

- Desculpe... precisávamos de um tempo sozinhos. O som ainda está alto lá?

- Não... É hora de cortar o bolo e fazer brindes aos noivos, para enfim jogarmos arroz enquanto vocês tentam ir para o carro para ir embora e fugir de nós. - A rosada disse com o sorriso maior.

- Conseguiu me convencer que é melhor ficar aqui! - Falei me virando novamente, vendo Naruto se levantar e me estender a mão. Bufei, irritado.

- Anda, Sasu. Temos que ir... Logo isso acaba. - Sorriu.

- Okay... - Sorri também e passei o braço pela cintura do loiro, logo o dando um selinho. - Espero que isso acabe rápido... ainda tenho algumas surpresas pra você. - Sussurrei em seu ouvido, o fazendo rir e me beijar.


Notas Finais


"Tia Oliver, vai ter capítulo 3?"

Sim! Mas será o último ^^ ...

Ir à praia me faz tão bem que minha imaginação voa... Enfim, gostaram? Espero que sim.
Vou indo, mas logo logo eu volto com o terceiro, e já adianto que tem lemon, hehe.

Beijoos. ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...