História Paralelos de um mundo esquecido - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Gray Fullbuster, Juvia Lockser
Tags Aventura, Fairy Tail, Graju, Gray, Gruvia, Juvia, Romance
Exibições 31
Palavras 2.276
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiii gente, cap novo, espero q gostem!!! E aviso: Se o próximo demorar a sair é pq eu n tive tempo d postar graças a provas, bjssss

Capítulo 25 - Um jogo particularmente interessante


Fanfic / Fanfiction Paralelos de um mundo esquecido - Capítulo 25 - Um jogo particularmente interessante

Ei, garota! Olha pra mim! Eu estou sentindo falta do seu sorriso! Por que você não está sorrindo?  Ei! Não deixe o seu sangue sujar os lençóis... Por favor... Seque as lágrimas...  Eu... Eu estou aqui! Pela primeira vez eu estou aqui! Não se vá! Não... Não me deixe sozinho! Eu prometo nunca te abandonar! Por favor... Eu te imploro... Não feche os olhos

- Ainda temos que saber como vou deixa-la distraída...

- Isso não será problema- disse com repulsa

- Não? Você tem alguma sugestão- Maltor me olhou confuso

- Faça o que sempre quis fazer, ela é sua essa noite- seus olhos se arregalaram

- Eu...

- Se isso vai salva-la é um preço pequeno a pagar...- respirei fundo a procura de estabilidade- Mas se não der, tenha a certeza de que eu vou acabar tentando te matar

- Sabe quando eu disse que você deveria ser um homem pra ela? Você está sendo agora, e justo no momento em que está me entregando ela também, mas eu vou cumprir a minha palavra- o olhei sem entender- Ela é sua mulher, então seja rápido. Eu não vou fazer nada, irei enrola-la o máximo que conseguir, algo mais sério só acontecera em último caso

- Nossa, eu nunca te imaginei falando isso...

- Essa é a hora que você agradece, Gray

- Por não ficar com a minha mulher?

- É- ri

- Obrigado- me levantei e fui até as grades pensativo

- Mas... Pensando bem... Como raios ela ficou assim?

- Eu não sei, a última vez que a vi eu tinha... A prendido no gelo...-me virei bruscamente para ele

- Ela vinha no seu lugar, não é? - consenti com a cabeça- Idiota- revirou os olhos

- Essa é a hora que você diz que eu não tive nada haver? - sorri sem jeito e ele me encarou

- Acho que eu tenho um jeito melhor de corrigir isso...

***

A noite chegou e Maltor foi o primeiro a sair, eu tinha dez minutos pra fazer o mesmo

*Juvia*

Por que está tudo tão sem graça? Todos fazem o que eu quero, brincar de boneca desse jeito não é legal... E esses guardas! Todos tão insignificantes. Tive uma ideia! Mas antes... Abri a porta de onde estava

- Sentiu a minha presença? - um demônio...

- Maltor, sempre me surpreendendo, não? - me levantei de meu trono para observa o espécime- Corpo forte, belos olhos negros, dentes afiados, escamas sutis, cicatrizes, chifres grandes... O que mais é grande ai bonitão?

- Isso não é coisa para uma dama dizer- deu um sorriso sádico

- Não? - pus a mão no peito como sinal de surpresa- Me desculpe, eu não sou dessa era, prefiro pular os bons modos, eles são particularmente chatos

- Insuportáveis, posso dizer

- Então, o que o traz aqui? Pensei que almas penadas tinham mais o que fazer- falei tocando o se rosto algumas vezes com a ponta dos dedos, para testar a solidez

- Eu vim te servir- fez uma referência, que fofo

- Me servir? Então pretende trair o seu amiguinho? Mais que coisa feia

- Nós não somos amigos, nunca fomos- me olhou maliciosamente- Sempre teve algo melhor entre nós

- Prove

- Ele está fugindo agora, eu posso mostra-la onde estão as passagens ocultas- balançou a cabeça negativamente e sorriu

- Isso foi bonitinho, mas... Quem mostrou essa passagens a ele? - o lancei no chão e o prendi no meio da sala com correntes mágicas- Traidores não são nada sexys, mas se serve de consolo, eu já sabia

Estralei os dedos e trouxe o fujam até mim- Você está atrasado para a festa

*Narradora*

- O que? Como? Eu...- Gray disse confuso. Então Juvia girou sua mão no ar e um baralho surgiu

- Vamos jogar?

- Eu tenho escolha? - a maga olhou para o alto como se estivesse pensando

- Hm... Preciso responder? - olhou para Maltor- E você, solte-se logo daí e venha cá- ele o fez- Agora você vai voltar quietinho para a sua cela e sem reclamar

Maltor se retirou da sala como se estivesse hipnotizado, então, foi ai que Gray notou, ele ainda estava no comando de todas as suas faculdades mentais, não estava?

- Não vai me controlar também? - debochou

- Assim não vai ter graça- fez biquinho

- E o que vamos jogar?

- Stripper poker- mordeu os lábios- Você gosta?

- Menos do que parece- ela riu- Qual a graça de jogar um jogo de tirar a roupa com quem já vive pelado?

- O objetivo é descobrir

***

Algum tempo depois cada um obtinha uma carta. Juvia estava um ponto à frente do mago de gelo, dispondo ainda da saia e calcinha, já Gray apenas de cueca, algo normal até. Ele estava nitidamente nervoso e desconfortável com a situação, mas... Surpreendentemente, ele não era o único

Juvia cobria os seios com os braços e encarava a própria carta, seu lado demoníaco estava lá, mas o humano também. Seu rosto ruborizado era desconcertante, já não bastava ter que se segurar para não olhar para o seu belíssimo corpo?! Pensou Gray

- Ok, ok- disse Gray enquanto puxava mais cartas, ele tinha um seis de ouros e ainda podia montar uma boa sequência

Juvia mordeu os lábios com o olhar fixo no chão, estava tão desconfortável com aquela situação, o que estaria acontecendo?

- Você está bem? - ele indagou preocupado- Quer parar?

- Eu tenho cara de quem quer parar? - e por um momento a demônia ressurgiu, mas logo desapareceu...

- Na verdade sim...- disse para si mesmo

- Como? - Gray mostrou suas cartas com um sorriso

- Eu tenho uma quadra- sequência de quatro cartas de mesmo valor, e uma outra carta como 'kicker'

- Boa jogada- Juvia mostrou as dela- Mas não tão boa, Royal Flush- jogada imbatível no poker, composta pelo as, rei, dama, valete e dez do mesmo naipe- Acho que eu ganhei- disse com um sorriso malicioso

- Você não vai ver nada que nunca tenha visto- disse ao se levantar

- Isso não quer dizer que cansei de ver- antes que ele retirasse a cueca ela o interrompeu- Mas eu prefiro cobrar a minha vitória outro dia

- Outro dia? Talvez eu não esteja tão disposto assim outro dia- ela se aproximou com o destilar de uma cobra pondo uma das mãos no seu peito

- Vai estar- afirmou

- Mesmo nessa forma ele ainda te machuca...- o seu olhar foi longe, mas... Ao mesmo tempo muito perto...

- Não sei do você está falando, gatinho- num ato pretencioso Gray segurou seus pulsos na altura de sua cabeça e a puxou para perto deixando seus rostos quase se encaixarem por completo

- Não machuque o meu filho ou a si própria! Pare de ser tola! Precisa de ajuda! - grasnou com raiva- Está tentando se matar?!

- Eu não preciso de ninguém! Estou bem! - Gray riu

- Você ainda é a Juvia- ele largou os pulsos dela entrelaçando suas mãos- Você sempre mexe os dedos de modo compulsivo quando sente dor

- Por que você acha que me conhece tanto?

- Por que conheço. Você tem um coração gigantesco, surpreendentemente é uma garota tímida e insegura, tem uma imaginação enorme, um sensor de mamãe urso maior ainda, você tem medo de ficar sozinha, de ser abandonada, adora lugares quentes por que cansou do frio da chuva, é atrapalhada, meio boba, odeia nadar porque o seu corpo sempre acaba se misturando com a água do mar, sempre que pensa em fazer algo pensa em como isso vai se refletir nos outros, é vingativa, piedosa, você sempre fala na terceira pessoa porque assim parece que tem mais alguém lá e você não está sozinha- cada vez mais a rapidez com que ele falava aumentava

- Basta! Eu mudei, não sou mais assim...- desviou o olhar

- Não quando eu estou aqui, não é? - a provocou

- Por que você se acha a tal ponto? - debochou

- Porque hoje eu sei que você me ama

- Eu não...- ele a beijou e ela se entregou aquele ato

- Me deixa cuidar de você- implorou

- Me desculpe...- ela o tirou da sala, de repente Gray não estava mais lá, apenas Juvia que secou uma única lágrima solitária e voltou ao seu trono tão fria quanto um amor baseado em joias e poder

*Gray*

- Droga! Droga! Droga! - disse batendo a minha cabeça na parede da sela- Eu estava tão perto...

- De destransformá-la? Não se martirize, isso não iria acontecer- essa locomoção havia sido tão repentina que nem mesmo a presença do Maltor eu havia percebido

- Você não entende... Eu vi a Juvia, não a porcaria de um demônio!

- Você viu uma mínima falha, uma falha que não vai se repetir- eu o ouvi, mas... Continuei a pensar naquele momento- Eu consegui, o plano foi perfeito- o olhei

- E onde estão os livros? - nós seguimos o plano inicial mas usamos os poderes de Maltor para barrar o resto, nós trocamos as posições, ele que foi no meu lugar, ninguém a distrairia tão bem quanto eu

- Não podia traze-los, mas está tudo na minha cabeça, e os matérias com a sua filha

- O que?! Você encontrou a Mayu?!- me animei com a notícia

- Ela é tão ruim de extermina quanto você, Gray. Estava procurando o túnel certo para o palácio e eu senti a sua presença, ela notou que tinha algo errado quando todos começaram a agir como alienados e saldarem a rainha, então fugiu

- Pelo menos uma notícia boa! - disse aliviado

- Desculpe estragar a sua felicidade, mas sabe que tem grandes consequências em trazer o lado humano de volta para a Juvia, não é? - consenti

- Infelizmente

- Já decidiu o que vai fazer?

- Não... O que faria se estivesse no meu lugar?

- Eu? - Maltor respirou fundo- Acho que corrigiria um erro passado...

- Erro passado? - indaguei

- Seria minha grande obrigação salvar o meu filho...

- Pensei que vocês não fossem próximos

- E não éramos... Mas... Sabe, depois que eu realmente cresci, quando já era tarde, eu notei que tinha errado, mas eu não podia mais corrigir o meu erro- ele se deitou- Sabe Gray, antes de escolher reflita bem, faça o que eu não fiz, pense por você, por ela e pelo bebê, pense principalmente se depois da perda de um você vai poder estar lá para o outro, se a resposta for não, esse não é o que você tem que salvar

- O que aconteceu entre vocês?

- Ódio, tristeza, ambição, culpa, imaturidade, orgulho e várias outras coisas me cegaram. Takio não ficou daquele jeito por minha culpa, ele gostava do mal, mas grande parte da responsabilidade foi minha, talvez toda a motivação...

- E você realmente se arrepende disso?

- Peço desculpas a cada vez que fecho os meus olhos...

- Eu tenho certeza que ele te perdoaria... Apesar de todos os seus erros e defeitos você ainda é o pai dele

- Eu deixei de ser pai dele a muito tempo Gray, há muito tempo...

***

A noite chegou e enquanto Maltor dormia eu saí da cela, éramos nossos próprios carcereiros, mas não podíamos fugir. Fui até o quarto real e encontrei Juvia dormindo serenamente... Fiquei a observando por alguns minutos... Como ela pode me fazer tanta falta?

Deitei ao seu lado e fiquei o mais próximo o possível, eu poderia nem mesmo acordar, mas aquele era um bom preço a pagar. E ninguém nunca saberá a felicidade que senti quando ela se agarrou a mim e continuou a dormir em meus braços

*Juvia*

Senti a presença daquele homem ao meu lado, ele não me trazia sensações de perigo, mas eu sábia que não podia ficar perto dele. Sentei na cama e o observei, era lindo... Tão sério e tão sexy... Seus traços eram delicados, era uma joia bruta que não precisava ser lapidado

Eu tinha plena consciência do nosso passado, porém... Nunca entendi essa definição humana de amor, eu não o amava, ele apenas me trazia conforto... Vê-lo dormir acalmava o meu coração e fazia um sorriso querer brotar de meus lábios, mas não! Eu não poderia agir como uma boba para aquele espécime que se perdeu da evolução! Mas... O seu rosto...

Coloquei a mão na sua bochecha sutilmente e ele se mexeu me fazendo tira-la logo, tentei de novo e dessa vez ele ficou quieto e eu comecei a explorar a sua face. Com a ponta dos dedos fui traçando seu nariz, sua boca... Até chegar nos seus cabelos, eles eram macios e desgrenhados, acaricia- lós era bom...

Até que ele segurou a minha não e a prendeu como se fosse um ursinho de pelúcia

- Ei! - disse levando a mão livre até a boca para cala-la. Ele parece não ter se importado...

E agora como saio daqui? Pensei. Já ia manda-lo de volta para a cela, mas ele me puxou como se quisesse me deitar ao seu lado e disse ainda dormindo:

- Amor, fica aqui comigo, não vai...- fechei os olhos relutante, mas... Arg! Me acomodei ao seu lado e dormi...

*Gray*

Quando acordei estava na minha cela, mas eu sábia muito bem onde tinha passado a noite...

Eu não posso escolher! Eu não quero! Vocês são tudo pra mim! Eu troco qualquer coisa, QUALQUER COISA! Não me importa! Só... Só não me façam ter que perder um dos dois! Eu os amo de mais pra isso...


Notas Finais


Iai? Gostaram? Comentem ai! Como acham que eles vão conseguir destransformar a Juvia? Se alguém acerta exatamente o que vai acontecer eu mando uma mensagem pra confirmar kkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...