História Paranóia - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Sobi, Sope, Yoonseok
Visualizações 237
Palavras 1.530
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - 章4


Fanfic / Fanfiction Paranóia - Capítulo 4 - 章4


Seoul, 25 de Outubro de 2018


O clima estava frio, mas não chovia, muito menos ventava. Eram seis horas da manhã, "o cheiro de café ecoava pelo apartamento. Hoseok abriu seus olhos lentamente até que se acostumassem com a claridade que vinha da janela. As cortinas estavam abertas, o som da televisão ligada vinha até a alcova. O Jung sentou na beirada da cama e calçou suas pantufas caminhando preguiçosamente até a sala. A televisão estava ligada e passava algum desenho animado, o barulho alto do aparelho fazia a cabeça de Hoseok doer. Aproximou-se do aparelho e o desligou. Ouviu sons de panela batendo umas contra as outras vinda da cozinha. A cada passo que dava parecia que o chão se afundava e algo o puxava, o distanciando cada vez mais da entrada do local. Parou na porta da cozinha e encostou nesta com um sorriso hermético nos lábios. A silhueta que tanto conhecia e amava estava a cozinhar algo e parecia não ter notado sua presença ainda. Hoseok caminhou em passos silenciosos até o pálido e o abraçou por trás. 

- Bom dia meu amor. - Diz ouvindo uma risadinha da parte de Yoongi. - Os ovos estão com um cheiro ótimo. 

- Só os ovos, amor? - Perguntou o Min pegando o Jung de surpresa. 

- Não... - Passou o nariz pela nuca, descendo até a pele desnuda do pescoço de Yoongi. Os pêlos do pálido se eriçaram e um arfar escapou de sua boca. Hoseok enfiou sua mão esquerda por debaixo da blusa do Min a levando até a barriga deste fazendo desenhos estranhos com a ponta de seu dedo. Levou a mesma mão para dentro da cueca que o Min vestia, acariciando o membro deste. Enquanto sua mão direita se dirigia até o pescoço do Min o apertando com força fazendo o pálido gemer de dor, e de prazer. 

Yoongi virou-se para si. Sua expressão era de ódio, o que fez os olhos do Jung encherem de água. A última coisa que queria no mundo era que Yoongi o odiasse. E foi então que se lembrou do que fez. A culpa o consumia, as lágrimas cortavam seu rosto como navalhas. Yoongi não estava mais ali, havia sumido, como o vento. Ouviu um barulho vir de seu quarto e, a medida que se aproximava, percebeu que o barulho, na verdade eram vozes. Vozes de sua cabeça que o culpavam pela morte de Minlee e pelo enlouquecimento de Yoongi. O culpavam dizendo coisas horríveis, coisas que doíam, o machucavam. 

Quando ficou em frente a porta de seu quarto, notou que a porta da varanda estava aberta e uma silhueta estava nesta. Foi caminhando até a porta e viu que a tal silhueta, era a de Yoongi. A chuva caía forte, as vestes do Min estavam encharcadas e todo seu corpo era molhado pela água fria da chuva. Hoseok tentou se aproximar mas não conseguia sair dali, era como se seus pés estivessem presos, colados ao chão. Yoongi virou seu corpo para trás, olhava Hoseok com ódio enquanto este chorava implorando para que saísse dali. E, antes de pular, o Min disse "Eu te odeio, Jung Hoseok."

- Não! - Hoseok gritou sentando rapidamente na cama. Tateou o colchão com suas mãos sentindo os lençóis secos e macios contra sua pele. Seu coração batia forte e aceleradamente. Sua cabeça palpitava de dor, seu corpo estava quente. Deitou na cama novamente ficando tonto devido ao movimento rápido com a cabeça. 

Sentou novamente na cama, passando seus dedos em seus cabelos ruivos que estavam bagunçados. Uma trilha de suor era feita de seu cabelo até seu maxilar, caindo nos lençóis brancos. Levantou-se da cama e caminhou até o banheiro sentindo o piso frio causar um arrepio em sua espinha. Fechou a porta atrás de si e repousou ambas as mãos sobre o mármore da pia, apoiando-se nestas. Abaixou sua cabeça fitando o ralo da pia onde aquela mesma mecha de cabelo estava. Pegou o pequeno pedaço de cabelo e aproximou de seu rosto, só que não era aquela mesma mecha, era outra, mais escura, da cor dos cabelos de Yoongi. Sacudio sua cabeça sentindo uma leve tontura. Abriu o armário pegando o frasco de anti-depressivos, tirou a tampa e virou o frasco em sua mão, mas nenhuma pílula caiu. Estava vazio, e precisava comprar mais antes que perdesse a cabeça. Saiu do banheiro e foi até seu guarda-roupas pegando somente uma blusa de frio, a vestiu por cima blusa do pijama e pegou a carteira na cômoda saindo do quarto e dirigindo-se até a sala. 

O estacionamento estava vazio, nenhum carro estava se encontrava ali a não ser o seu. Não havia ninguém na portaria por ser domingo e o único porteiro estava em horário de almoço. Hoseok parou o carro em frente ao grande portão de ferro preto, procurou o controle que o abre mas não o achou, murmurou um "droga" e saiu do veículo, cobriu sua cabeça com o capuz do moletom para que não se molhasse. Abriu o portão e voltou para o veículo, saiu deixou o portão aberto. As ruas não estavam tão movimentadas quanto antes, a ventania era mínima, mas chovia com imensidade. A farmácia fica apenas poucos minutos do prédio, o que não demorou muito para chegar a esta. Estacionou o carro de qualquer jeito na vaga já que era o único no estacionamento e correu até entrada do estabelecimento molhando seus pés devido a estar com um par de sandálias abertas. 

A única pessoa que estava na farmácia era a atendente e essa estava com uma expressão de tédio no rosto enquanto mascava e puxava o chiclete. Hoseok tirou a receita do bolso do pijama e entregou para a moça que o olhava com tédio. A atendente saiu dali entrando por uma porta e logo voltou com dois frascos de anti-depressivos, como pedia na receita. O Jung entregou-lhe o dinheiro e pegou a sacola saindo do estabelecimento. Quando passava pela porta do local, acabou por esbarrar no ombro de alguém. Hoseok sussurrou um desculpa e ouviu uma voz que jurava ser familiar para si, pensou ser só coisa de sua cabeça e continuou a caminhar rapidamente até seu carro.

Ligou o aquecedor do carro e colocou as mãos no volante. Olhou para o veículo ao lado do seu o reconhecendo, era o carro de Jungkook, esposo de Jimin. Pensou em ir falar com o Jeon se ele tinha alguma notícia sobre Yoongi, mas a dor que sentia em sua cabeça falava mais alto. Pisou no acelerador e dirigiu apressadamente até o prédio. 

Tirou as chaves de seu bolso e abriu a porta do apartamento sentindo um vazio tomar conta de si ao lembrar que Yoongi não está mais ali consigo para lhe fazer carinho e dormir consigo. Jogou as chaves no sofá e dirigiu-se até seu quarto trancando a porta deste. Tirou o a blusa de frio que estava um pouco molhada e foi até o banheiro, abriu o frasco com o remédio e encheu um copo com a água da pia. Colocou três pilulas na boca e virou o copo as engolindo de uma só vez. Voltou para o quarto e deitou em sua cama, não demorou muito para que o sono viesse de encontro a si.

"Uma gota, duas, três gotas de água caíram em seu rosto. O Jung abriu os olhos vendo seu quarto alagado por uma água escura. Levantou rapidamente da cama e mergulhou seus pés na água, as gotas que vinham do teto o molhavam deixando sua roupa encharcada, seus cabelos que caíam sobre seus olhos e algumas gotículas de água entravam em suas orbes o dificultando de enxergar, os borrões eram as únicas coisas que enxergava. Esfregou os olhos com as costas de suas destras e andou até o banheiro. 

Havia uma pessoa no box, Hoseok puxou a cortina vendo que a pessoa que estava ali era Yoongi. O Min estava ajoelhado em frente ao vaso sanitário e encostado neste, os cabelos negros estavam molhados e a pele fria e pálida. Virou seu rosto fitando o Jung que o olhava choroso, os olhos de Yoongi estavam vermelhos em volta, assim como a ponta de seu nariz. Hoseok se abaixou ficando de frente para Yoongi. 

- Eu te odeio Hoseok, eu te odeio! - O Min gritou. 

- Não, não... - Hoseok protestava choroso tentando tocar Yoongi que bateu em sua mão. 

- Você a matou, e me deixou para morrer naquele inferno! Eu te odeio. - Disse por fim.

- Não..."

Era apenas mais um pesadelo, olhou para a janela vendo que já era noite, sua cabeça estava girando e doendo, assim como sua garganta. Alguém batia a porta de sua casa. Saiu do quarto indo até a sala abrindo a porta desta se deparando com Jungkook. 

- O que faz aqui? - Perguntou Hoseok. 

- Vim fazer-lhe uma visita, não posso? 

- Não. - Indagou fechando a porta mas o Jeon colocou o pé entre esta impedindo seu ato. - O que você quer Jungkook? Jogar na minha cara o quanto fui um monstro por ter internado Yoongi naquela maldita clínica? 

- Não.

- Então para que veio aqui? 

- Yoongi, ele está desaparecido. 



Notas Finais


Até o próximo capítulo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...