História Parchments and Death Eaters- Dramione - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Arthur Weasley, Blásio Zabini, Dino Thomas, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Kingsley Shacklebolt, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Pansy Parkinson, Personagens Originais, Ronald Weasley, Theodore Nott
Tags Dramione
Visualizações 272
Palavras 1.582
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei... ( Bonequinha envergonhada)

Quero dedicar esse capitulo a Nat Malfoy. Nat, você sabe o porque, agradeço muito sua mensagem, foi uma grande motivação.

Vamos ao capitulo e nas notas finais vai ter textão.
Boa leitura!

Beijos, Bu

Capítulo 24 - Onde esta o perigo?


_Todos entenderão? _Harry observou a sala de reuniões detalhadamente. _Ótimo! Os que não estão na equipe de  investigação estão dispensados.

_ Dante, alguma novidade? _Harry perguntou assim que todos saíram deixando eles dois, Sean e Dino sozinhos na sala.
Eles, Hermione e Draco seriam os responsáveis pelas investigações do caso; que por uma decisão de Harry e do ministro, seria confidencial a partir daquele momento.

_Mais do mesmo; estamos estancados. Dante entregou um envelope a Harry antes de continuar_ Fiz duas interrogações com o preso que sobreviveu e obtive as mesmas respostas que você ouviu. Ele só me falou de Albânia, tirania e Pandora; tem medo de falar demais e quebrar o voto perpetuo, infelizmente ele não é tao corajoso quanto tenta demostrar. _Harry concordou, já tinham interrogado o preso varias vezes sem obter maiores informações e não estava disposto a ser responsável pela morte do bruxo, o que provavelmente aconteceria se lhe obrigando a tomar uma poção.

_Sean, por favor me diga que tem novidades.

_Sim, eu tenho informações... Tirania é o nome que o Bosque branco recebeu durante alguns seculos; é uma lenda antiga e não encontrei muitas informações nos livros de historia. Acredito que seja uma mancha negra na historia da Albânia que eles tentam apagar. _Harry ficou atento imediatamente a qualquer detalhe falado. Era a primeira vez que conseguiam alguma informação alem das três palavras, se é que isso fosse uma informação certa.

_E sobre Pandora? _ Sean desviou o olhar para os papeis que tinha sobre a mesa; Harry percebeu imediatamente que esse não era um comportamento normal; principalmente quando ele ponderou alguns minutos pensando no que iria falar.

_Ela esta envolvida na lenda; segundo o que ouvi, quando estive trabalhando lá, Pandora foi uma bruxa das trevas muito poderosa. Diria que foi tao poderosa quanto Voldemort já foi algum dia. Sei que ela não sentia amor, nem piedade; mais também não subestimava os sentimentos bons... Isso fazia dela uma bruxa ainda mais terrível.

_Que ligação isso poderia ter com o livro que eles estão buscando?_ Harry levantou e começou a andar pela sala para controlar a ansiedade.

_Ai esta o problema; para saber toda a verdade e ligar os pontos, teríamos que conhecer a lenda completa, isso poucos bruxos sabem. O que sei, são apenas  fragmentos e boatos, não tenho uma base de informações real.

_Entendo... _Novamente o silencio se estendeu pela sala; Harry repassou as informações que tinham recebido, e não achou nada muito alentador. _Alguém tem mais informações? 

_Talvez a Hermione saiba algo... Ela sempre sabe de tudo. _Todos olharam para Dino, em parte surpresos e em parte concordando com ele.

_Vou falar com ela._ Harry bateu os dedos na mesa distraidamente, as informações que recebia eram escassas e desejou no mais profundo do seu ser, poder ter a Dumbledore ao seu lado analisado tudo com ele e falando algumas frases cheias se significado e sabedoria, Harry suspirou tentando se recompor . _ Algo suspeito no hospital, Dino?

_Sem novidades. A senhora Malfoy não recebeu visitas; além de Astoria e nossos amigo... E sobre a eles, tenho a sensação de estarem sendo observados, mais não vi nenhum suspeito ou atitudes estranhas. Nem sequer vi alguém rondando o corredor, o que seria, por norma, um suspeitos em  potencial _ Você esta procurando algo em especial nos possíveis suspeitos?

_Creio que sim. Durante os ataques sei que uma mulher estava envolvida. Mas não vi o rosto dela nem mesmo a vi de perto; por isso estamos atentos a qualquer pessoa que se aproxime.

_Sean, tem certeza que você não descobriu nada mais? _Harry observou o companheiro esfregar o rosto exasperado, os cabelos pretos sempre bem penteados estavam desalinhados, a Harry não passou despercebido que o ar desdenhoso e despreocupado dele tinha sumido e no seu lugar estava um rosto muito serio.

_Se eu descobrir, contarei a você imediatamente, Potter. _Harry assentiu, e depois de alguns segundos bastante incómodos Sean completou

_Também concordo com o Dino, Hermione pode ser uma fonte de informação. Ela esteve na Albânia; pode ter descoberto algo que ainda não sabemos.

_Como você sabe que ela esteve lá? _Harry imediatamente desviou a atenção para o Inominável; esquecendo completamente os pergaminhos que analisava a segundos atras.

_Eu apenas sei; ela esteve na Albânia,  acredito que ficou alguns meses, mas não tenho certeza. _Harry acomodou melhor o óculos no rosto e quando ia questionar o companheiro de trabalho, um cavalo entrou na sala, cavalgando em torno deles e a voz de Gina foi ouvida claramente.

"-Harry, estamos em perigo, precisamos sair do St. Mungos."

Um calafrio percorreu o corpo de Harry quando ele notou o medo na voz da noiva, Gina Weasley não era, em absoluto uma mulher que sentisse medo.

Sem pensar duas vezes ele se precipitou contra a porta com a varinha em mãos; mais Sean tinha sido mais rápido, e assim que a porta foi aberta, os quatro correram pelos corredores em direção a saída; esbarando em algumas pessoas que passavam e ouvindo algumas queixas e insultos. Harry não prestou atenção em quem tinha encontrado pelo caminho; podia ser o mesmíssimo Ministro.

Harry continuou correndo e só parou para mandar Dino pegar uma chave de portal habilitada para ir ate a toca; seria mais rápido, já que solicitar uma chave de portal para a casa de Hermione requeria mais tempo e seria arriscado. Seguiu ate as lareiras com Sean e Dante; e em poucos segundos já estavam sumindo, envolvidos pelas chamas.

Quando chegaram ao St. Mungos , Harry pensou que veria um campo de batalha; mais o hospital estava como sempre; alguns bruxos receberam feitiços acidentais; outros tomaram poções que foram preparadas erroneamente; outros sofreram acidentes mágicos dos mais vários tipos como ser mordidos por animais e outras infinidades de desastres que poderiam acontecer quando se é um bruxo. Porem, para desconcerto de Harry, não havia sinais de luta; nada indicava que eles poderiam estar em perigo; nada além da sensação de medo e pânico que o invadiu quando eles se encaminharam para o corredor.

Harry percebeu que o auror que fazia a segurança não estava ali;  o corredor também estava estranhamente quieto. A porta do quarto que Hermione dormia tinha sumido.  Harry andou impaciente pelo corredor para ter certeza que ele tinha ido ao lugar certo; mas onde deveria estar o quarto da amiga não tinha porta alguma. Conferiu os números das portas uma e outra vez e verificou se tinha algo errado no quarto de Luna, mais também não tinha nada que demostrasse um confronto. Estava vazio e organizado.

Harry decidiu mandar um patrono para Gina; pedindo que ela tirasse a proteção magica que eles provavelmente tinham colocado.

Acompanhou o animal a passos largos e quase caiu quando esbarrou numa senhora muito idosa que estava parada, muito quieta, olhando para o chão. A mulher se desequilibrou e Harry a segurou, para estabiliza-la.

_Me desculpe Senhora; não lhe vi. _ Verificou se ela estava machucada com as mãos ágeis, preocupado em ter machucado o corpo fragilizado de uma pessoa de tão avançada idade. _A senhora se machucou? Quer que eu chame alguém para lhe ajudar?

_Solte-me.  _A mulher levantou o rosto e Harry recuou.

Por um tempo que pareceu muito longo, ele olhou a profundidade dos olhos dela. Eram azuis como uma tormenta e Harry percebeu imediatamente que naquele olhar tinha mais maldade do que em qualquer outro que vira durante a vida. A mulher não falou nada e continuou com o olhar fixo no dele. Imutável... Harry se sentiu frágil e o perigo era palpável; lhe envolvendo, como se uma nevoa negra o encobrisse. Deu alguns passos para trás e levantou a varinha; a mulher sorriu, parecia muito satisfeita e tinha um sorriso maldoso e forte que não era normal com a idade dela. Bathilda Bagshot...O nome da historiadora veio como uma lembrança macabra, e Harry rapidamente lembrou de como Nagini se escondeu dentro do corpo daquela velha mulher. Comparando as duas situações a bruxa que estava a frente dele, com a cabeça erguida e o olhar perverso ficava ainda mais assustadora. Harry viu como Sean se aproximou com a varinha preparada e ficou congelado, assim como ele. A mulher sorriu, e Harry pareceu, sentindo uma pontada de pavor, que naquele momento ele também estava em perigo, e isso era aterrorizante.  

_A senhora não deveria estar nesse corredor. _ Sean falou com a voz baixa e autoritária, e quando não viu nenhuma reação da velha bruxa ele quase rosnou.  _Vá embora imediatamente!

A mulher sorriu e começou a andar com passos curtos; Harry não resistiu a necessidade de não ficar de costas para ela, e o perigo que isso significaria; quando a bruxa passou ao seu lado, ele pode ouvir claramente uma voz infantil cantarolar.

1...2...3... Joguemos no bosque!

Foi como se o ar ficasse pesado e frio; Harry saiu do estado de choque que estava e correu para a porta que começava a aparecer, enquanto Dante lançava feitiços para romper a proteção, já que dentro do quarto não ouviam nada. Sean permaneceu com a varinha pronta para atacar ate que a bruxa sumiu, e quando ela desapareceu pelo corredor, ele andou ate a Harry e trocou um olhar rápido que fez Harry entender que ele também sentiu o mal naquela mulher. Harry bateu a porta e chamou Gina; não queria abrir sem aviso e ser atacado pelos amigos. Já que provavelmente eles estariam em alerta.

Harry abriu a porta, e por um segundo que pareceu eterno, seu coração parou...


Notas Finais


Olá meu amores, voltei... Isso vocês já perceberam, é óbvio.

Então, viajei e... fiquei sem notebook, ( quem roubou faça um bom proveito).
Mas também perdi toda a fic e tudo que tinha escrito, confesso que fiquei com a moral baixa e so agora tive coragem de voltar.
Esse capitulo foi bem pequeno, e depois de tanto tempo, vocês mereceriam um capitulo gigantesco e perfeito, eu sei, mas estou tentando manter a historia o mis fiel possível ao que tinha escrito antes e vou poder postar apenas um capitulo por semana; estou com muito trabalho e alguns projetos pessoais. Mas enfim... Espero que me perdoem.

O que acharam do capitulo? Vocês continuam comigo ou desistiram da Bu fantasma que sumiu sem aviso?

Beijos, Bu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...