História Pardon Me - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bastian Schweinsteiger, Lucas Silva, Manuel Neuer, Marco Reus, Mario Götze, Thomas Müller
Personagens Bastian Schweinsteiger, Personagens Originais
Tags Bastian Schweinsteiger, Futebol!
Exibições 104
Palavras 636
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - And I'll never be her


Fanfic / Fanfiction Pardon Me - Capítulo 17 - And I'll never be her

Junho de 2016

 O silêncio parecia acolhedor para Bastian embora sua noiva começasse a se incomodar com a falta de vontade do jogador em manter uma conversa com mais de duas frases.

- Quando ia me contar? – Ana não queria soar ciumenta ou possessiva, por isso talvez não tenha comentado nada com Bastian. No fundo a tenista esperava que o noivo a contasse o que estava acontecendo, mas as coisas pareciam estar piorando e o jogador parecia não ter indícios que tomaria a iniciativa da conversa.

- Do que está falando?

- Lucinda, estou falando dela Bastian.

 O jogador se engasgou por um momento. Não imaginava ouvir o nome da morena em meio a uma conversa com Ana.

- Ela veio ver os meninos, sabe que o Manu e o Thomas são amigos dela. Não comentei nada pois não tem nada a ser comentado.

- Sabe Bastian, sempre gostei da forma como me trata, foi um dos motivos pelo qual me apaixonei, não me trate como uma criança, não minta para mim nessa altura do campeonato.

 A tenista sorria para a noivo para que ele soubesse que ela não estava com raiva e que aquela conversa não se transformaria em uma capa de revista na próxima semana.

 Eram um casal a pouco mais de um ano e honestidade sempre foi o que ambos prezavam. Bastian nunca escondeu sua relação com Lucinda, embora tenha garantido a Ana que aquilo não seria um problema para os dois.

- Não tive coragem de contar que ela tinha voltado. Soube que ela voltou em dezembro, mas só fui descobrir isso no final de janeiro quando a encontrei em uma praça em Londres. Depois disso só voltei a vê-la na noite passada, aqui no hotel.

- E algo mudou? – Ana arriscou perguntar.

- Onde está pretendendo chegar Ana?

- Se ela não tivesse ido embora Bastian, se ela tivesse voltado antes de nos conhecermos, vocês estariam juntos? – A pergunta parecia pior dita em voz alta o que fez com que Ana pensasse que talvez ela não estivesse tão certa se queria de fato ouvir a resposta.

- Eu a beijei – as palavras saíram antes que Bastian pudesse as controlar, mas não parecia certo mentir para a mulher a sua frente, ele também a amava.

 Por um momento Ana pensou em se levantar, em deixar tudo aquilo para trás, mas era seu futuro marido que estava ali sendo totalmente sincero com ela, e no fundo ela só não queria se permitir admitir que sabia muito bem aonde aquela conversa iria terminar.

- Ela é realmente muito bonita. Sabe, quando comemorou o gol, você apontou para mim e sorriu, e eu me senti a mulher mais sortuda do mundo. Então você a viu e foi como se ela fosse a única garota que você já enxergou. Você nunca olhou para mim da mesma forma que olha para ela Bastian, ela é a única coisa que você já viu.

- Eu não queria te machucar.

- Não mandamos no coração Bastian, só não podemos mais continuar com isso. Você quer ela, você precisa dela, e eu nunca serie ela.

 Aquelas palavras atingiram a ambos fazendo com que mais uma vez o silêncio voltasse a rondar a mesa de jantar. Era como se fossem dois atores vivendo uma cena de filme e todo aquele silêncio fosse o público aguardando pelo final porque eles sabiam que já estava bem perto de chegar lá.

- Eu nunca menti quando disse que te amava Ana, quero que saiba disso.

- Você só nunca esteve apaixonado por mim, pelo menos não da mesma forma que sempre esteve por ela. Eu entendo Bastian. Agora se me der licença tenho um casamento para cancelar.

- Sinto muito Ana.

- Acho que os sinos de casamento eram apenas alarmes. Seja feliz Bastian.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...