História Park Jimin, Amor Estúpido. - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jimin, Park Jimin
Exibições 180
Palavras 1.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Ecchi, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 13 - Flashback


- O-oque? - Nananinanão, como assim? Eu sei que conheço Lara a pouco tempo, mas, pelo pouco que sei dela, tenho certeza de que ela não faria isso. - Lara, por favor, me diz que isso é mentira! 

- Desculpa, Hobi.. - começa a chorar de novo. Passo a mão entre os meus cabelos desacreditado. 

- Me explica isso direito. Se isso for verdade.... diz que não foi por querer.... que foi um acidente. - Digo pegando em seus ombros. 

- Só.... não tire conclusões precipitadas, tá? - assinto. 

FLASHBACK DA LARA ON

- Sai daqui, sua nerd, gorda, suja! - Alice continuava a falar coisas ofensivas e a me chutar enquanto eu estava jogada no chão, indefesa, com medo. Eu tinha uns 8, 9 anos, por aí. 

- Porque você faz isso comigo? Eu nunca te fiz nada! - Digo chorando. 

- PORQUE EU QUERO! EAI? VAI FAZER ALGUMA COISA? CADÊ O MEU TRABALHO? - todos os meus coleguinhas estavam assistindo àquela cena. Talvez até, com mais medo que eu. 

- Eu não-o fiz.. D-desculpa.. - digo soluçando. 

- COMO TU NÃO FEZ?! EU MANDEI FAZER ONTEM E ERA PRA HOJE! OQUE EU VOU FALAR PRO PROFESSOR AGORA? HEIN? OQUE?!?! - Me chutando mais ainda - SUA, SUA,.... SUA IDIOTA! - continuo chorando muito até que não tenho mais forças pra chorar, não tenho nem vontade de chorar. Só há um sentimento que pra mim, predomina todo o meu corpo naquele momento, ódio.

No caminho pra casa, fiquei pensando numa maneira de dar o troco, na mesma moeda só que mais cara. 

Apesar de eu ser relativamente pequena, eu sabia de muitas coisas. Eu era muito inteligente pra minha idade. Eu sabia e falava de coisas que não eram pra falar, que não era pra saber. Não é a toa que essas meninas ficam me aperriando todo santo dia. 

...... JÁ SEI! Eu pensei em muitas coisas "macabras" pra minha idade. Macabras até demais. Eu podia até fazer uma coisa com a irmã dela(que é da mesma idade da Alice), mas não ia dar certo. Mas, eu cheguei a uma maneira de ela pagar por tudo que ela fez. Fui correndo pra casa a fim de já arrumar as coisas para fazer isso hoje mesmo. Cheguei em casa fui direto para o meu quarto e joguei minha mochila num canto qualquer. Minha mãe estava na sala, mas não tinha perigo. 

Peguei um suéter que tinha ganhado de Natal, e fiz uma espécie de máscara, aquelas do tipo de ladrão. Não era grande coisa mas pelo menos dava pra cobrir a cara. Depois do feito, fui correndo pelos fundos até a garagem, peguei ferramentas que podiam me ajudar a torturar. Papai estava viajando à negócios então eu preparei tudo na garagem, já que mamãe ia sair logo depois de me deixar na escola e só ia voltar de noite. 

Tudo terminado pra amanhã. Dou uma olhada, e tudo estava perfeito. 

Amanhã é o grande dia. 

DIA SEGUINTE

Acordei feliz da vida, tinha sonhado com o meu plano já executado. Estava tudo do meu jeito, tudo maravilhoso, sem nenhum defeito. 

Depois vestir a farda, desço e vou direto para o carro esperando a mamãe, ainda com o plano na minha cabeça, #tudoesquematizado. 

- Boa aula meu amor. - Ela diz dando um beijo em minha testa. Pode ter certeza que a aula vai ser boa, mamãe. 

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Nós fomos liberados mais cedo por causa de um problema na diretoria, uma oportunidade de ouro. 

Enquanto todos já saíram da sala, vejo Alice sozinha ainda guardando suas coisas, resolvo botar a primeira parte do plano em ação: Se passar de boazinha. Vou em direção à meu alvo. 

- Alice! - Digo com um sorriso falso no rosto - Bora lá na minha casa? 

- Pra que, idiota? - Eu controlo a vontade de torturar ela agora mesmo. 

- Vai ter doce e bolo lá. - a melhor forma de atrair uma criança com a mente de uma formiga - Se tu quiser eu posso comprar refrigerante. 

- Não avisaram minha mãe de nada, então.... tem ser rápido. 

- Vai ser muito rápido. Alice. - Agora no meu sorriso não tem nada de falso. 

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Chegando em casa digo para ela me esperar no meu quarto "enquanto eu corto o bolo". 

Vou pra garagem caminhando e cantando. Vendo que tudo estava nos trinques, boto a segunda parte do plano em ação. Desligo a luz e fico do lado da cadeira onde tudo vai acontecer. 

- ALICEEE! - solto um grito de desespero - ALICE ME AJUDA! - como eu disse, eu sabia de coisas que não eram nem pra mim imaginar, entre essas coisas, atuar e mentir era oque eu sabia mais. 

Coitada, nem imaginava que ia ser a última vez que ia correr. 

Quando ela deu o primeiro passo dentro da garagem, eu "sem querer" dei um soco nela. Aproveitando que ela estava desacordada, coloquei ela na cadeira e amarrei os pés e as mãos e coloquei a máscara. Peguei a caixa de ferramentas do papai, e sentei numa cadeira na frente de Alice, esperando ela acordar. 

....... 

Ela abre os olhos sem sentido algum. E isso só faz com que eu sorria. 

- Acordou, Alice? - pergunto com uma voz calma. 

- Oque é que tu tá fazendo? Me tira daqui! - Ela diz agoniada. 

- Não. - alargo ainda mais meu sorriso. 

- Porque não?! - por incrível que pareça ela não estava chorando. Ainda. 

- Porque eu não quero. - levanto com uma chave de boca na mao - Sabe Alice, eu sempre me perguntei o porque de você fazer coisas ruins comigo. - começo a andar ao seu redor - E ontem eu te perguntei, não foi? 

-....... - Ela não responde. 

- Não foi? 

-..... - de novo. 

- NÃO FOI? - bato com a chave em sua barriga. Na mesma hora ela cospe sangue. Nossa, pra que o exagero? Eu sou fraca. 

- FOI! FOI! - Ela começa a chorar - POR FAVOR LARA! ME TIRA DAQUI! 

- Hahaha - começo a rir tanto que chego a lagrimar - claro que eu vou te tirar daí. Só que eu vou te tirar quando tu estiver dormindo, - Me aproximo da sua orelha - Pra você nunca mais acordar. - começo a bater em todo canto do corpo dela. 

Para algumas pessoas, a cena final com certeza ia dar vontade de vomitar. E foi o que eu fiz, corri pro banheiro e comecei a vomitar. E, para outras, olhar para o espelho do banheiro e sorrir de uma forma sádica e psicopata,... Bom, eu não sei. Foi exatamente o que eu fiz. Mas eu sei de uma coisa. Eu tenho múltiplas personalidades. Sabe quais são as que dominam o meu corpo? 

A Sociopata e a Inocente. 

De inocente você pode ter certeza, que eu não tenho nada. 

FLASHBACK DA LARA OFF

- Eu não acredito nisso... quer dizer que agora eu tenho que tomar cuidado com você? - pergunto enquanto ela está de cabeça baixa. 

- Sim... - Ela levanta a cabeça - Você também tem que ter medo. - Ela dá um sorriso macabro. 

Meu Deus. 

- Cheguei! - ouço Jin falar todo feliz - Gente, quem morreu? 

- Ninguém..... Ainda. - Lara murmura o bastante para eu ouvir. 

Só tenho uma coisa a dizer. 

Fudeu. 








Notas Finais


ATÉ!
👋👋👋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...