História Partituras - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias History
Personagens Do-kyun, Jae-ho, Kyung-il, Personagens Originais, Si-hyoung, Yi-jeong
Tags History, Kpop, K-pop, Kyungil, Kyungjeong, Yijeong
Exibições 45
Palavras 920
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi oi! Mais um cap. De Partituras pra vcs <3 estão todos bem?
Eu estou um pouco triste por causa do alistamento do kyungil e ele daqui uns dias estar afastado das atividades do History por isso ;-;
Desejaram feliz aniversário para o nosso líder mais gostoso que vc respeita? Uhaushaushus cheguei meio atrasada, o niver dele já passou, eu queria fazer um fanart pra ele, mas não consegui terminar a tempo *carinha triste*
Espero que curtam o capitulo~ sz

Capítulo 7 - Por que eu me apaixonei por alguém assim?


O som do alarme da saída ecoou pelos corredores do colégio onde Yi Jeong estudava.

Ele esperou o professor terminar e rapidamente pegou seus pertences e saiu apressado.

Si Hyoung o observou confuso.

-Ei, o que há com ele? – Perguntou sobre Yi Jeong para Jae Ho.

-Sei lá. Ele anda meio estranho. Hoje mesmo ele me fez uma pergunta sobre paixão...

-Woh! – Si Hyoung estava realmente surpreso, não esperava que o amigo fosse realmente interessado nessas coisas.

 

Yi Jeong esperou impacientemente seu motorista, e quando ele chegou entrou rapidamente no veículo. Por que eu estou tão apressado pra ver aquela pessoa?

Ele não conseguia compreender seus sentimentos. Ele estava confuso, com raiva, e principalmente ansioso para vê-lo.

.........

Logo que avistou a figura de Kyung-ll descendo do veículo à frente do carro em que estava, sentiu borboletas na sua barriga e seus batimentos cardíacos aceleraram um pouco.

Yi Jeong desceu do carro.

Suas pernas cambalearam um pouco.

Seu coração? Ah, esse acelerou mais que as asas de um beija-flor.

Kyung-ll, este que avistou Yi Jeong, o cumprimentou com um “bom dia”, mas o mais novo caminhou a passos largos até dentro da mansão. Yi Jeong pensou com si mesmo; Yi Jeong, não tente tapar o céu com a palma da mão[1]

Nem o próprio entendia o porquê de estar fugindo. Não era ele que estava ansioso para ver o professor?

Kyungil uniu as sobrancelhas mostrando confusão, logo em seguida também entrou na mansão encontrando o mais novo no salão de entrada subindo as escadas.

-Ei! – Exclamou para ele, que parou seus passos apressados.

-O-o que foi? – Yi Jeong ainda estava de costas para Kyung-ll, escondendo seu rosto que para ele, certamente estaria corado.

Nem Kyung-ll sabia o porquê de ter perseguido Yi Jeong até ali. Julgando pelo temperamento e atitudes anteriores do menor, não responde-lo e sair já era uma coisa de se esperar de Yi Jeong.

Ele fez uma breve pausa. Afagou sua própria nuca e abaixou um pouco a cabeça.

-Nada...

Quando Yi Jeong levantou o pé direito para sair, Kyung-ll mais uma vez começou a falar.

-E se... A gente substituísse essa aula monótona por um dia no parque? – Kyung-ll disse aquilo num impulso incontrolável, só se deu conta do que disse depois da frase sair de seus lábios.

Yi Jeong apertou o punho.

Kyung-ll enrijeceu todos os músculos de seu corpo.

Os dois demoraram um pouco para compreender a situação. Kyung-ll realmente estava chamando Yi Jeong para sair?

O professor suspirou.

-Eu acho que... Precisamos conversar e arrumar as coisas entre nós. Quer dizer: Entre nós como professor e aluno, não como... Hum... Ah... – O maior realmente se enrolou na hora de formular a frase. - O que eu quero dizer é que eu preciso falar sobre o que aconteceu na sala de música, no dia em que a minha irmã veio aqui.

O aluno engoliu seco. Ele queria que Kyung-ll se esquecesse daquele episódio que aconteceu, só para diminuir a vergonha que sentia.

O aluno apenas assentiu com a cabeça.

..........

A brisa fria batia contra os corpos de Kyungil e Yijeong, fazendo com que as mãos descobertas do mais velho ficassem dormentes, e as bochechas claras e ponta do nariz de seu aluno assimilassem um tom avermelhado.

Ficaram em silencio por uns instantes observando o tempo, ambos estavam desconfortáveis, não sabiam o que fazer.

 Já haviam saído juntos uma vez, mas desta vez era diferente, de certa forma, desta vez havia uma certa conotação romântica, impossível de deixá-los confortáveis para lidar com isso naturalmente.

Aquele episódio que passaram juntos também deixou aquele clima assim.

Para Kyung-ll, era uma sensação que em toda sua experiência de vida, nunca havia experimentado, não conseguia entender porque estava sentindo aquilo, que nem mesmo saberia explicar o que era.

O professor acendeu um maço de cigarro, levando aos seus pulmões a nicotina que o deixava mais calmo diante daquela situação.

Ele tinha um propósito para ter chamado Yi Jeong até ali, então o mesmo deixou as costas retas e finamente criou coragem para olhar nos olhos do menor.

-Ei – Chamou a atenção do outro mostrando não estar muito interessado, mas na verdade ele estava bastante inseguro.

Yi Jeong respondeu com um fraco murmúrio e Kyung-ll suspirou em seguida.

- Você poderia... Esquecer o que aconteceu da última vez que nos vemos?

Aquela frase abalou um pouco o pobre coração confuso do mais novo.

- Você é o meu sobrinho, mesmo que não sejamos de sangue. Daqui alguns dias minha irmã vai se casar com o seu pai, não quero que tenha uma ideia errada sobre mim – Kyung-ll dizia isso enquanto segurava com a ponta de dois dedos o cigarro, o qual a fumaça desaparecia entre a neblina do frio.

Assim que o professor levou a ponta do cigarro até os lábios, Yi Jeong abriu a boca para finalmente falar.

-Se você não queria que eu pensasse errado, porquê fez aquilo pra início de conversa? Você realmente se diverte em brincar com os meus sentimentos?

Sentimentos? Que tipo de sentimentos?

-Eu...

-Esquece! – Yi Jeong cortou a fala de Kyung-ll, impedindo que ele falasse, ele estava tão aturdido com aquilo. Em seu coração havia uma rachadura profunda e irreparável.

Yi Jeong não conseguia aceitar que estava amando alguém a qual não nutria nenhum sentimento recíproco.

-Somente... me leve para casa.

 

 

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

[1] ”Não tente tapar o céu com a palma da mão”: é um provérbio coreano que significa algo como “Você está negando o obvio, mas um dia terá que enfrenta-lo.”


Notas Finais


Geeenten, tadíneo do meu yijeong nenemzinho ;-; mas será que depois dessa conversa kyungão finalmente notou que o yijeongão gosta dele? Senpai noticed yijeong? Uahsusahu
Desculpa o capitulo pequeno e não desiste de mim S2
Comentem o que acharam, beijooooos~~<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...