História Passagens Secretas- Zona Fantasma (arco II) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Visualizações 15
Palavras 3.903
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Steampunk, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Self Inserction, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


gente, faz tanto tempo que eu não posto que eu quase esqueci como funcionava o Spirit :v enfim, sem mais delongas, vamo lá!!! (eu tentei fazer o maior capítulo o possível, mas logo logo vai começar GOT e eu preciso desligar a internet então vamo lá.... tomara que gostem!!!!

Capítulo 12 - Histórias, videogame e comida- parte 5


A semideusa ficou encarando o mapa de testa franzida.

-Eu sei que isso é importante, nós conhecermos melhor os nossos aliados, suas histórias, pontos fortes, fraquezas e habilidades de batalha, mas.... Como a Livia falou agora, nós realmente deveríamos fazer alguma coisa a mais para parar Vlad. Quer dizer, nós não podemos simplesmente deixar a base vazia com o portal desprotegido para ir atrás dele, mesmo com todo o sistema de segurança da base ainda acho arriscado, e nos dividir para que metade do grupo vá atrás dele e a outra metade fique guardando o portal é loucura, nos dividir seria o melhor que poderia acontecer pra ele. Mas não acho que simplesmente ficar aqui guardando o portal e deixando ele andar a solta por ai com um objeto mágico manipulador de mentes seja a melhor ideia....

-E não é- concordou Clef- mas, ao que tudo indica, essas são as únicas opções que temos.

-Eu não sei- fez a semideusa incomodada- geralmente, temos á disposição pelo menos quatro opções de escolha, deve ter uma outra opção....

-Então.... –fez Nadi pensativa, preocupada- No caso, acho que a quarta opção possível pra nossa situação seria “não ficar guardando o portal e não ir atrás do Vlad”. É uma ação possível de se fazer mais com certeza tá longe de sê a solução, tanto que a gente nem contou isso como uma opção....

-Se tivéssemos alguém para pedirmos ajuda e que soubéssemos que essa pessoa seria capaz de dar conta do recado... –fez Fério pensativo.

-As únicas pessoas que eu confiaria para ir atrás do Vlad seriam nossos pais- tachou Dani:- mas não dá pra fazer isso porque eles estão guardando o outro portal.

-O nosso único backup que a gente tinha era o povo de Zefir- acrescentou Thainá.

-Nós até poderíamos tentar pedir que o Mokona convocasse campistas dos Acampamentos, mas duvido que as habilidades deles seriam páreo para um fantasma em uma dimensão estranha- falou Reyna frustrada.

-Se a gente sair ele pode pegar o portal, se a gente ficar ele pode fazer alguma coisa para nos prejudicar, se nos dividimos ele provavelmente vai fazer os dois- resmungou Danny, frustrado:- se ao menos nós pudéssemos estar em dois lugares ao mesmo tempo.... Eu e Dani também temos a habilidade de se multiplicar, mas não dá pra chegar perto daquele cetro....

-Espera!- exclamou Faísca se levantando em um pulo:- dois lugares ao mesmo tempo...... Eu acho que sei como resolver isso! Tem um pessoal aqui que manja de tecnologia, certo? Vocês podem ajudar?

-Podemos, mas depende do caso- fez Presea, curiosa. Faísca abriu um sorriso e saiu correndo da sala, com Leo, Zaz, Presea e Thainá atrás.

-Isso vai ser muito bom, ou muito ruim- suspirou Vampira.

-Como assim?- fez Ron preocupado.

-Bom, o Faísca é bem ousado com as suas experiências e a maioria delas funcionam, mas... –começou Metalicana.

-Por mais que as bugigangas dele funcionem, muitas vezes ele cria uns aparatos pra lá de inúteis- suspirou Solaris:- ou então que são muito bons e revolucionários, mas se usados pra outra função totalmente diferente... –ela foi interrompida quando Leo voltou correndo para a sala, quase atropelando a porta ao abrí-la com tanta força e entusiasmo:-TEMOS O PLANO PERFEITO!!!!!- anunciou ele triunfante, tão animado que não pode conter uma pequena chama na ponta do seu nariz. Os zefirenses e integrantes da Meia Noite Perdida arregalaram os olhos diante do outro pegando fogo, que imediatamente percebeu e apagou a chama com a mão. Os demais também voltaram correndo, carregando várias caixas de ferramentas e outras caixas envolvendo matérias como cabos elétricos, peças de metal, fibra ótica, peças de plástico e grafeno, peças verde fluorescente que parecia ser muito letal para fantasmas e por fim uma caixa cheia de câmeras, lentes, consoles, controles e joysticks.

-Pra quê tudo isso?- perguntou Luna curiosa.

-É surpresa!- falou Zaz sorrindo, animado:- confiem na gente, vai ficar incrível! Ok, talvez não tão incrível assim porque vamos fazer no menor tempo possível e vai ser meio rudimentar a principio, mas podemos ir fazendo umas melhorias no projeto depois de pararmos esse fantasma maluco....

-E vamos demorar um pouco, então enquanto isso é melhor continuarmos com as apresentações e comilança- acrescentou Presea, sorrindo enquanto agarrava o Mokona:- menos pra você, colega, vamos precisar de uma mãozinha sua...

-Não se preocupe com a gente, estamos ouvindo a conversa de vocês, só vamos ficar com as mãos ocupadas um pouquinho...- falou Faísca, começando a desempacotar e abrir as caixas.

-Espera um pouco!- exclamou Leo- Festus, pode dar um pouco de privacidade?- Festus então assumiu um tamanho muito maior, cobrindo Leo e os outros com a asa para ninguém ver no que estavam trabalhando:- agora sim vai ser surpresa!

-Leo, pra que tudo isso?- fez Hazel, tentando fazer uma cara de irritada apesar de achar graça na cena:- somos uma equipe, certo?

-Porque vai ser um projeto super explodidor de cabeças!- exclamou Thainá sorrindo:- serião, se a gente fizer tudo direitinho, vai dá pra aproveitar esse projeto pra todas as outras brigas que a gente tivé.... Mas enfim, Annabeht, continua com a apresentação! Depois que o povo terminar a gente faz a nossa....

-Certeza?- fez a filha de Atena, curiosa com o projeto secreto.

-Pode crer!- exclamaram os outros atrás da asa de ferro do dragão.

-Só não tenta por fogo na casa, Leo- suspirou Nico resignado.

-Relaxa, a gente tem sistema anti-incêndios!- exclamou Faísca.

-E não é por causa disso que você pode simplesmente ir tacando fogo na casa!- lembrou Vampira.

-Fiquem tranqüilos, eu não vou deixar nada pegar fogo- falou Presea tranqüilizadora, erguendo a cabeça por cima da asa de Festus para dar um sorriso tranqüilizador- enquanto isso, podem continuar, porque aqui vai demorar um pouquinho...

-....Vocês acham que vai ser efetivo?- perguntou Reyna, depois de pensar um pouco.

-Com certeza!- exclamaram todos ao mesmo tempo, o que foi meio engraçado de ouvir, pois foi a mesma frase dita em idioma zefirense, inglês, português e autizanês ao mesmo tempo.

-Então o que estão esperando?- fez a semideusa:- mãos á obra!

-Pode deixar!- exclamou Zaz.

Os outros riram e começaram a mexer nas peças, porque a sala se encheu de barulhos de metal e parafernalhas sendo desmontadas e movidas.

-Ok, vamos logo com isso- falou Annabeth, meio desconfortável:- Meu nome é Annabeth Chase, filha de Atena, deusa da sabedoria e estratégia. Luto com todos os tipos de armas, mas as que me dou melhor são a espada e a faca. Não tenho nenhuma habilidade excepcional ativa, por assim dizer, mas ainda assim sou muito boa no campo de batalha, nós semideuses somos mais resistentes, rápidos e ágeis do que mortais normais, e sendo filha de Atena é fácil deduzir o estilo de luta do oponente pelos seus ataques e usar isso á favor. Por ter um forte lado estratégico eu também sou boa em missões de invasão, proteção e sobrevivência em terreno hostil.

-Sobrevivência em ambiente hostil, nem me lembre- falou Leo tenso, detrás da asa de Festus. Os outros semideuses concordaram, tão tensos e incomodados quanto.

-Verdade, foi a pior experiência da minha vida, de longe- falou Percy cansado:- se não fosse a Sabidinha e a determinação ferrenha dela, eu muito provavelmente não viveria pra contar a história...

-Nós sobrevivemos porquê estávamos juntos- fez Annabeth- eu com certeza não teria conseguido andar todo aquele percurso se você não tivesse me ajudado com o tornozelo quebrado...

-Mas claro que vocês iam dar conta, vocês semideuses são determinados pra caramba, especialmente a Annabeth e a Reyna- fez Hana.

-Se vocês soubessem metade do que determinação pode fazer... –fez Nadi pensativa.

-Como assim?- estranhou Frank.

-Determinação, ou força de vontade, é a maior magia que rege a terra de Zefir- explicou Fério- Zefir é uma terra cuja realidade é altamente maleável aos desejos, esperanças e medos da população, e especialmente maleável para aqueles com força de vontade grande.

Os olhos de Percy se arregalaram.

-Você tá dizendo que se eu entrar nesse lugar e desejar uma chuva infinita de pizzas eu vou ter pizzas infinitas?- fez ele encantado.

-Ou entrar em uma agência de supermodelos?- exclamou Faísca esperançoso. Alguns riram e outros olharam para os dois com cara de “fala sério”.

-Poucas pessoas tem tamanha força de vontade para criar um fenômeno meteorológico em pouco tempo- fez Clef- e eu não entendi a segunda pergunta direito, mas sim, é possível. 

-Voltando á história de vocês, eu não entendi uma parte- fez Lyra meio confusa- vocês sobreviveram de quê exatamente?

-O lugar mais desagradável e perigoso da nossa dimensão- falou Nico, tentando reprimir as lembranças que tinha do Tártaro. Até hoje ele tinha pesadelos com aquele lugar.

-Acho que conhecemos um lugar semelhante- falou Will soturno, se lembrando da experiência nada agradável de quando ele e Lyra passaram pelo mundo dos mortos (pelo menos, uma parte dele).

 -Enfim, eu entrei para o Acampamento Meio Sangue quando era muito nova... –começou Annabeth- depois que minha mãe me teve, ela abandonou meu pai e eu fiquei vivendo com ele....

-Assim como todo semideus, praticamente- falou Piper infeliz. Os outros concordaram, soturnos.

-Minha madrasta não tinha muita paciência comigo, afinal a grande maioria dos semideuses tem dislexia e TDAH, e por causa disso muitas pessoas nos vêem como jovens problemáticos... E depois que meus dois meio-irmãos nasceram,eu sentia que ela meio que ficava comparando os nossos comportamentos, querendo que eu agisse como eles e me comportasse como eles. E depois vieram as aranhas.... –a voz dela falhou nesse momento.

-Você também tem medo de aranhas?- perguntou Ron, condescendente.

-Todo filho de Atena tem- falou ela- Aracne, a primeira aranha, era inimiga da minha mãe... Os filhos dela nos odeiam. De noite, as aranhas invadiam o meu quarto e ficavam fazendo teias em mim, andando pela minha cama, se enfiando pelos meus cobertores. Eu fazia um escândalo, mas quando alguém saia correndo para ver o que era, elas e as teias sumiam no instante que a luz acendia, então todos pensavam que eu estava mentindo.

-Mas que droga!- exclamou Ginny irritada, enquanto Ron tentava não desmaiar ao imaginar a cena que a semideusa descrevera: ele sempre tivera problema com aranhas, mas nunca acordou com teias na sua cara.

-Uma hora, eu acabei me cansando daquela situação e fugi de casa- continuou Annabeth- foi quando conheci Thália e Luke, outros dois semideuses. Nós ficamos vários anos morando nas ruas, construímos vários esconderijos para nos abrigarmos e ficamos rondando pelo país. O Acampamento Meio-Sangue é um local protegido por magia onde os filhos dos deuses são treinados em combate e defesa, além de um lar. Como nós somos freqüentemente caçados por monstros, os sátiros do Acampamento saem pelo país procurando por semideuses e os levam para lá antes que os monstros tentem matá-los, e foi a mesma coisa conosco. Fiquei no Acampamento depois disso, só saindo para fazer algumas missões...

-Missões?- perguntou Danny curioso.

-É, os deuses vivem passando missões para nós completarmos- falou Parcy, meio irritado:- claro, todas elas envolvem perigo de morte e umas coisas agradáveis do gênero...

-Isso se o seu nome não aparecer em uma Grande Profecia- falou Jason meio chateado:- Geralmente elas falam sobre eventos catastróficos que vão acabar com o mundo como o conhecemos, então quem sai em uma Grande Profecia é obrigado a lutar na linha de frente...

-Só pra recaptulá- fez Hana de testa franzida:- a gente saiu na última Grande Profecia encontrada, né? Tipo... Todo mundo que tá aqui saiu...

-Até nós?- fez Metalicana surpresa.

-A Meia Noite Perdida saiu em uma das estrofes da profecia- confirmou Solace:- ao que tudo indica, são vocês.

-Verdade- falou Piper, tranqüilizadora:- mas nós todos passamos por muitas coisas, e se ficarmos todos juntos e não abaixarmos a guarda, vamos conseguir passar por todos os problemas.

-É.... As vezes, muitas vezes, você tem que enfrentar uns problemas pessoais que aparecem no meio da missão e que geralmente quase te matam e seus amigos estão longe demais pra te ajudar, mas tirando isso, é mais ou menos como a Piper falou- fez Leo sarcástico.

-Parece ser coisa séria, mas nós já passamos por umas poucas e boas, mais de uma sendo caso de destruição completa do mundo ou da Zona Fantasma- falou Faísca.

-Ou os dois- acrescentou Vampira:- claro, isso não é motivo pra dar mole, mas minimamente preparado pra isso nós com certeza estamos.

-Vocês ficaram nesse acampamento até agora?- perguntou Luna curiosa:- parece ser um lugar agradável, apesar dessas missões.

 -Bom, agora que o Acampamento Meio-Sangue e o Acampamento Júpter estão fazendo contato, eu pretendo cursar faculdade de Arquitetura, então saí do Acampamento para estudar em Nova Roma, uma cidade dentro dos limites do Acampamento Júpter. Não vou falar sobre o Acampamento Júpter porque acho que outros podem explicar melhor que eu- ela em seguida passou o mapa para Percy, que estava sentado ao seu lado.

-Oi gente- falou ele- sou Percy Jackson, prazer em conhecer vocês.Especialmente as pessoas que eu já conhecia.

Alguns sorriram, outros deram risadinhas e muitos outros simplesmente rolaram os olhos e esperaram ele continuar.

-Bom, eu nasci na cidade de Nova Iorque, ilha de Manhatan, Estados Unidos. Filho de Poseidon, deus dos mares. Posso manipular água,ou convocar ela á longa distância, respirar embaixo de líquidos, influenciar animais marinhos ou eqüinos, tenho habilidades de navegação de primeira e sou um espadachim bacaninha.

-E é especialista em destruir encanamento de banheiro- acrescentou Leo, não muito alegre.

-Aquilo foi acidental- fez Percy frustrado:- você acha que eu queria ter detonado o encanamento do Argo de propósito? Todo mundo sabe que os poderes divinos herdados pelos semideuses costumam a sair um pouco de controle quando ficamos nervosos... Enfim, minha mãe e eu morávamos em um apartamento pequeno simples, e eu sempre tive o mesmos problemas que toda criança semideusa tem na escola, DTAH, dislexia, habilidades sobrenaturais para se meter em encrencas e fazer coisas esquisitas acontecerem ao seu redor....

-Essa última habilidade as crianças bruxas também possuem- fez Harry incomodado, se lembrando de todas as vezes que fizera alguma coisa estranha acontecer antes de descobrir que era bruxo e relembrando como os tios sempre reagiam negativamente á tudo o que acontecia.

-Enfim, um tópico rápido, é que depois da segunda guerra mundial, os três deuses mais poderosos do panteão grego juraram pelo Rio Estige que não teriam mais filhos  com humanos, porque seus filhos eram mais poderosos do que a maioria e causavam muita confusão no mundo humano.... Mas acontece que meu pai descumpriu o juramento, e eu não podia ir para o Acampamento porque se não ele teria que me reclamar como sendo filho dele, o que ia ser um problema com a deusa do Rio Estige...

-Porquê?- estranhou Caldina- ele não é um dos deuses mais poderosos?

-Se você quebra um juramento feito pelo Rio Estige, a náide do rio pode escolher qualquer punição, qualquer punição mesmo, e aplicar em você, não importa o quão importante ou poderoso seja- explicou Annabeth- e, sendo ela a deusa do ódio e raiva, bom, ela geralmente não pega leve com quem quebra juramentos.

-Na verdade, quanto mais agressivo e doloroso melhor- fez Nico amargo. Depois de sua viagem ao Tártaro, estava farto de criaturas míticas vingativas pelas próximas 5.000 reencarnações.... Se ele reencarnasse como um mortal, claro.

-E não dava para simplesmente deixar eu e a minha mãe sozinhas, por eu ser filho de Poseidon eu atraia monstros com o triplo de facilidade que um semideus normal... Por isso, a minha mãe procurou por uma pessoa que tivesse um cheiro humano muito forte para mascarar o meu cecê de maresia dos monstros e me deixava perto dele o máximo que podia.... Por isso, por boa parte da minha vida eu tive aquele porco babaca como meu padastro... Mas quando eu tinha lá por volta dos 12 anos, alguém me fez o favor de roubar o raio de Zeus e ele não só culpou o meu pai como também falou que eu tinha ajudado com o roubo....

-Raio de quem?- fez Ron perdido.

-O raio mestre de Zeus, rei do Monte Olimpo, a casa dos deuses, deus dos céus e relâmpagos- explicou Frank- infelizmente, ele não é uma pessoa fácil... Na verdade, a maioria dos deuses são desconfiados uns dos outros...

-E por causa disso, todos os monstros e deuses começaram a me caçar porque achavam que eu tinha o raio, e eu tive que me arrastar do meu bairro para o Acampamento Meio Sangue e depois fazer uma busca por todo o país pra achar aquele troço de volta e provar que eu e meu pai éramos inocentes... Mas eu realmente não quero entrar em detalhes agora sobre as minhas missões antigas, eu infelizmente participei de mais profecias do que eu queria.... Essa teoricamente é a minha terceira ou quarta Grande Profecia, isso é ridículo! Eu realmente vou querer reclamar com as Parcas sobre isso depois...

-Unh.... Se você tem manipulação de água... Não tem água na Zona Fantasma, o mais próximo disso que tem é gelo, e só em algumas partes.... –fez Faísca pensativo- isso pode ser um problema. Não que isso seja importante agora, mas se quisermos aproveitar esse projeto para as brigas futuras, a gente precisa pensar em um jeito dele funcionar em ambientes não favoráveis...

-Lá tem oxigênio e hidrogênio?- perguntou Leo, antes que alguém pudesse perguntar o que ele queria dizer com isso.

-Bom, os gazes na Zona Fantasma tem praticamente os mesmos gazes que a nossa atmosfera, só as porcentagens que são diferentes, segundo as minhas análises- foi falando Faísca- na verdade, lá tem um pouco mais de hidrogênio que o nosso mundo, o que é meio problemático porque hidrogênio é altamente inflamável...

-Nossa, então eu vou ser a rainha da cocada preta dos mortos!- exclamou Hana animada.

-Por que veio nesse assunto tão do nada?- estranhou Hermione.

-Nesse caso, é só colocarmos um condensador acoplado á um catalizador na estrutura- falou Zaz, ignorando a bruxa.

-Sem falar de um tanque ou compartimento armazenador, mas isso pode ser facilmente arranjado com uma de minhas Ovas- falou Presea pensativa.

-Mas será que vai dá certo, gente?- fez Thainá preocupada:- geralmente é muita água pra fazê um ataque bacana... Não acho que vai dá pra puxá só da umidade do ar...

-Gente, gente, gente, vocês estão pensando pequeno- fez Leo, com um tom levemente superior (muito provavelmente para fazer graça com os outros):- o que precisamos para esse projeto em especial é fazer TODA a estrutura utilizando hidromecânica! Tipo assim... –a sala foi preenchida com sons de caneta ou lápis riscando o papel.

-.....Mano, isso vai ficá muito loco!!!!- exclamou Thainá empolgada.

-Agora sim!!!- exclamou Zaz, aprovando.

-Vai ser um pouco mais complexo, mas vai valer á pena- aprovou Presea.

-O que vai valer á pena, caramba?- fez Solace ligeiramente frustrado:- vocês estão me matando de curiosidade aqui...

-................................ Nada não......... –fizeram os mecânicos escondidos sob a asa de cobre do dragão.

-Só um comentário, eu vou querer o meu á base de termomecânica- acrescentou Leo.

-Até acho justo, mas não vai ser problemático?- fez Presea preocupada:- Vai precisar de combustível toda hora....

-Eu sou o combustível, moça!- fez Leo com um tom convencido- ok que os nossos poderes divinos ficaram um tanto zoados por estarmos em outra dimensão, então minhas labaredas vão deixar a desejar por um tempo até eu me acostumar com isso....

-Como assim? Vocês não conseguem usar os seus poderes?- fez Clef preocupado.

-Nossos poderes vem do sangue herdado de nossos pais- fez Solace, resignado:- de onde viemos, eles são deuses poderosos... Mas aqui eles não tem nada, eles nem sequer existem, se bobear. E tudo é estranho por aqui, não dá para manipular a natureza ou realidade como lá em casa....

-A sensação é horrível- concordou Hazel, se abraçando. Para ela e o irmão,o desconforto deveria ser muito maior do que os seus companheiros, mas nenhum semideus ali parecia estar seguro ou confortável.

-Precisamos urgentemente arrumar uma solução para isso- fez Reyna tensa:- muito provavelmente vamos enfrentar problemas na nossa viagem entre dimensões, e se mesmo com todos os nossos poderes disponíveis na força máxima nós quase morríamos, imagine se continuarmos assim...

-Não vai ser boa coisa- concordou Annabeth.

-Alguma ideia de como arrumar isso?- fez Luna preocupada.

-Geralmente nossos pais expandiam a sua zona de influência fazendo as outras pessoas conhecerem eles- fez Frank pensativo:- mas fazer isso em todos os mundos que fôssemos não só ia demorar muito como também poderia não funcionar....

-Verdade, os deuses gregos antigos e romanos não são estranhos por aqui, vocês não deveriam ter tanto problema se fosse só esse o caso- falou Vampira pensativa:- precisamos de algum especialista no assunto pra ajudar com isso...

-Desculpa, mas tem alguém especialista em viagens entre dimensões por aí?- fez Lyra meio frustrada:- eu e Will viajamos para vários mundos diferentes, vários mesmo, e ainda assim me considero muito amadora no ramo. É algo muito difícil de se fazer, porque são muitos lugares, todos com as suas regras de funcionamento próprio...

-Algum deus deve saber sobre isso- fez Jason pensativo:- por agora o melhor a fazer é manter a guarda alta, mas depois precisamos consultar o panteão do Olimpo para ver se alguém pode nos dar alguma ajuda. Se essa profecia é assim tão importante, eles vão querer que nós sejamos vitoriosos, e não dá para fazer isso sem uma ajudinha deles....

-Minha mãe deve ter alguma ideia, ela é a deusa da sabedoria- sugeriu Annabeth.

-Ainda assim, o meu projeto vai ter lança chamas e estrutura termomecânica-  fez Leo teimoso, memso que ninguém estivesse entendendo exatamente o que seria aquilo.

-....Só vai precisar de um extintor de incêndio por precaução- fez Thainá rindo.

-O gente, tamo aqui- fez Nadi irritada:- dá pra libará o plano logo?

-Calma gente, a gente ainda tá desenhando os projetos, espera um pouco aí!- fez Thainá. Já Zaz saiu detrás da asa do dragão carregando um aparelho esquisito em mãos:

-A propósito, alguém se incomoda de eu tirar umas fotos de vocês?

-Nem vem, eu tô horrorosa!- exclamou Aliandra estressada:- meu cabelo tá uma jossa, to sem maquiagem e a minha pele nem te falo...

-Não vou precisar da foto de nenhuma GM, só dos outros, mesmo- falou Zaz dando de ombros:- assim, não é obrigatório, mas depois não adianta reclamar do design dos apetrechos de vocês...

-Por que não precisa de foto nossa?- fez Loraine sem entender.

-Vocês vão entender depois- falou Presea tranqüila.

-Depois quando?- fez Piper inquieta.

-Bom.... Primeiro precisamos desenhar o projeto e escanear vocês para ter ideias de design, depois sentamos e montamos tudo- fez Faísca.

-Montar tudo vai ser a parte mais rápida- informou Presea:- pelo menos com as habilidades de todos nós aqui... Mas a parte da criação não deve ser apressada!

-Se demorar demais com isso, acho que nem vai valer á pena correr atrás do Vlad, ele já vai estar muito longe- fez Dani de testa franzida.

-Bom, tem o teleporte do Mokona, isso pode ajudar- fez Askot tranqüilizador.

-E acreditem, depois que isso ficar pronto ele vai tá ferrado!- exclamou Faísca.

-Espero que sim- fez Danny cruzando os braços. Aquele cara era realmente desagradável. Vendo que os mecânicos não iriam soltar mais nada de informação sobre o tal projeto misterioso, Percy passou o mapa para Will Solace, enquanto Zaz ia de pessoa para pessoa escaneando sua anatomia com o equipamento futurístico que segurava, tirando fotos de todos os ângulos.  


Notas Finais


não, eu não vou contar qual é o projeto secreto :3 mas eu dei pistas sobre!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...