História Passion Fruit and Lavender - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Alfa, Jikook, Jimin!ômega, Jungkook!alfa, Kookmin, Lablanc, Menção Markson, Menção Namjin, Menção Taeyoonseok, Ômega
Exibições 436
Palavras 2.273
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá
Desculpem a demora, fiquei sem internet semana passada e essa semana resolvi deixar para att hoje
Espero que me perdoem pela demora e o cap tá lindo <3
Boa leitura :3

Capítulo 16 - Depois de Séculos


– Jungkook venha comer conosco – Yoongi gritou assim que me viu passar na janela do meu quarto. Sorri para o mesmo que estava na frente de sua casa e acenei.

– Só um minuto – devolvi correndo para vestir algo mais apresentável. Tinha acabado de acordar já que meu horário estava se desregulando já que minhas madrugadas eram de conversa por mensagem com Jimin.

Em falar nele, hoje iremos nos ver de novo para mais um passeio dentro da mata. Durante o dia eu tentava ao máximo me aventurar na vila, sempre tentando fazer amizade com todos ali.

Já tinha conhecido até mesmo BamBam e Yugyeom, estes que foram simpáticos e carismáticos. Senti-me muito a vontade na presença dos dois, e ri bastante por serem muito engraçados. Os dois tinham minha idade e a de Jimin, e é claro que me assustei com aquela informação já que até marca os dois tinham. Também eram amigos de Jimin, algo que não me surpreendeu já que todos cresceram juntos.

Depois de vestir uma bermuda e uma camiseta, desci correndo calçando meus chinelos e pegando meu celular, para assim seguir até a casa da frente.

– Pode entrar – ouvi a voz de Hoseok gritar assim bati na porta, então eu entrei.

As paredes eram de cor verde clara, a decoração era simples: alguns vasos com folhas verdes. A planta era igual a de todas as casas. Os móveis também, mas dava para ver que eram mais antigos.

Hoseok e Taehyung estavam sentados no sofá, Yoongi não estava ali, provavelmente estava no andar de cima.

– Oi galera – falei assim que entrei no cômodo. Os dois que conversavam sobre algo pararam no mesmo instante se levantando para me cumprimentar. Sorri para ambos e me sentei junto a eles – Onde está Yoongi hyung?

– Está no banho – Hoseok respondeu sorrindo – Como está longe de Jimin? – perguntou sugestivamente e eu bufei, fazendo os dois rirem de minha desgraça.

– Porque todos têm que me perguntar isso? – resmunguei e ambos riram novamente.

– Porque é divertido ver sua frustração – Yoongi disse me assustando já que eu não esperava o mesmo ali tão cedo.

– Não me mata, tenho que ver o Jimin ainda hoje – falei colocando a mão no coração como se aquilo ajudasse a acalmar as batidas do meu coração. Todos riram novamente e eu ri junto afinal era engraçado de qualquer modo.

– Duas vezes entre sete dias é algo muito chato né? – Taehyung perguntou retoricamente e eu assenti, era realmente chato ter sete dias e só poder ver o outro duas vezes.

– Melhor do que nenhum né – Hoseok comentou e realmente pensando por esse lado era verdade.

– Mas e vocês? Não era Hoseok que tinha medo de alfas? – perguntei zombeteiro, mudando o foco da conversa. Não aguentava mais ouvir as pessoas falarem sobre eu e Jimin quando as mesmas tinham uma vida digamos interessante também. Os dois ômegas coraram e o alfa apenas tombou a cabeça sem entender, e foi ali que percebi que o cheiro dos três presentes estava forte e misturado.

Erva-doce, lírios e canela juntos formando um aroma impenetrável. Dominava o ar de uma forma diferente, não era viciante e nem mesmo enjoativo. Como se estivessem conectados de alguma forma. Achei estranho afinal o alfa não tinha passado pela transformação ainda, mas era algo tão diferente que chamou a minha atenção.

– O que foi? – Yoongi perguntou estalando os dedos na minha frente. Chacoalhei a cabeça afastando os pensamentos, não tinha notado que viajei tempo demais.

– Nada de importante – resolvi omitir o fato, eles uma hora ou outro teriam de perceber – Então vocês quando perto de Tae ficam mais soltos, é isso? – e novamente brinquei.

– Cala a boca Jungkook – Yoongi gritou batendo em mim. Não estava usando força ainda bem. Vi os dois rirem baixinho da cena do ômega menor irritado, porém Hoseok calou-se ao perceber meu olhar sobre si. Constrangido era a palavra que o definia.

(...)

– Sei que sempre fui medroso e até mesmo você pôde ver. Muito mais que Yoongi – Hoseok começou a desabafar quando nos encontramos sozinhos na mesa já que os outros dois foram buscar a sobremesa que estava na casa que agora era de Taehyung – Mas com Tae é tão diferente – falava abobalhado, com um brilho nos olhos e uma voz calma. Parecia apaixonado e eu apenas prestava atenção em tudo ligando os pontos – Me sinto muito leve perto dele, como se não tivéssemos uma raça ou gene diferente. Parecemos pessoas normais juntos, e Yoongi também se sente assim. E quando nós três estamos juntos é tão magico, parece que minha vista limpa e fica mais clara, como se tudo fizesse sentido e eu digo isso porque senti tudo logo na primeira vez que o vi. Naquela madrugada. Tudo pareceu mais claro e calmo mesmo que ele estivesse sangrando.

– Nossa – foi o que consegui responder, não tinha palavras para aquilo. Ele estava apaixonado e pelo visto Yoongi desfrutava da mesma opinião. E eu só pude ficar feliz, já que se o cheiro e as cores dos três baterem além de provar que os dois ômegas são sim alma gêmeas, porém com um terceiro adicionado, também vai ser o trio que há séculos não aparece. E isso realmente era lindo de se ver, logo com esses dois garotos tão bons.

– Então ele não sabe que temos medo de alfas, até porque nós nos sentimos muito protegidos com ele junto, não tenho medo de ficar perto de nenhum outro alfa ou beta, até mesmo longe dele as vezes. É como se eu tivesse um pressentimento de que qualquer coisa que viesse acontecer ele me protegeria. Sei que devemos falar sobre isso com ele, mas preferimos esperar até a lua cheia para ter certeza sabe? Assim podemos ter certeza de que somos realmente almas gêmeas.

E eu apenas sorri e concordei com ele comentando algumas partes que tinha gostado. Ele pareceu realmente mais aberto e livre do que parecia antes e isso era ótimo de se ver. Claro que depender de uma pessoa é ruim, mas nos fortalece de uma boa forma, até mesmo por causa de nós e não do outro. E isso era claro em Hoseok.

(...)

Dessa vez seguíamos em outra direção pela floresta. Jimin dessa vez vestia uma bermuda bege e uma camiseta branca. Seus tênis também brancos.

Realmente estava mais calor naquele momento, porém eu sabia que uma hora ou outra dentro da floresta o frio chegaria e por puro instinto vestia duas blusas sem nem mesmo querer. Agora eu entendia o porquê. Era meu lobo agindo como se já conhecesse perfeitamente o outro.

O ômega estava calmo, e parecia olhar em todas as direções admirando tudo o que via, e eu só podia imaginar ele fazendo isso todos os dias procurando por mais e mais lugares bonitos naquela imensidão.

De repente as árvores a nossa volta pareceram aumentar de largura cada vez mais, e os tons de marrom bem forte. Foi aí que vi de longe uma árvore que apesar de semelhante a todas, tinha algumas madeiras entre os galhos. E conforme me aproximava podia perceber que se tratava de uma casa na árvore.

Jimin puxou uma cordinha fazendo cair uma escada de madeira e cipó e assim subimos ali.

Tudo estava bem escuro, por isso o ômega foi andando na frente naquela casa que na verdade descobri ser estilo a um deck.

O menor tirou do seu bolso de trás da bermuda uma caixinha de fósforos e andou com cuidado pela ponta do chão de madeira ascendo uma vela. E assim seguiu ascendendo cada fileira que tinha das pequenas velas brancas assim iluminando totalmente aquele pequeno deck.

Tinha a parte plana que era a que eu me encontrava e uma parte mais alta, como se fosse um degrau, onde tinha alguns travesseiros brancos.  Fiquei de boca aberta com a beleza que aquele lugar tinha.

As folhas em grande número e seus galhos enormes nos escondiam ali e o deck em si. Duvido até mesmo que dê para perceber que há alguém aqui. Com certeza um lugar bem fechado e muito romântico. Jimin não cansava de me surpreender. Este que se sentou nos travesseiros e me chamou coma  mãozinha.

Seu sorriso lindo com sempre me fez sorrir enquanto caminhava em sua direção. Ainda em pé retirei os dois moletons que usava e os joguei perto dos travesseiros, e tudo pelo olhar atento de Jimin.

Me sentei junto a ele que estava com as bochechas rubras. Tão adorável.  O abracei por trás do pescoço o puxando junto de meu corpo enquanto ia para trás me jogando no almofadado. Rimos.

– Que saudade dos seus toques – ele comentou se aconchegando em meu peito. Sua respiração batendo na minha blusa passava um pouco tocando levemente em minha pele me causando arrepios que eu tratei de afastar. Não podia ver seus olhos, mas tinha a certeza de que estavam fechados e com certeza em sua boca jazia um lindo sorriso.

– E eu com saudade de seu cheiro – respondi ouvindo-o rir baixinho.

Ficamos assim por minutos aproveitando a proximidade que não tínhamos por dias. Eu acariciava seus cabelos e toda parte que minha outra mão alcançava, claro que sem malicia nenhuma caso passasse minimamente pela curva que ligava a cintura na bunda.

E ele acariciava toda a extensão da lateral do meu corpo, subindo até as costelas e descendo até minha coxa, tão calmo e até mesmo superficial os seus toques eram. As mensagens que trocávamos tiravam todas as palavras que poderíamos falar no momento. A presença ali era a mais importante, os toques e as caricias então nem se fala.

Porém tinha um toque a mais que eu desejava. Claro que não sou aproveitador e só penso nisso, porém seu sabor ainda estava vivo em minha boca, a sensação de seu lábio no meu, e principalmente seu domínio sob meu corpo apesar de quente fazia falta. E eu justamente ia pedir isso, um beijo. Contudo ele fora o primeiro a quebrar o silencio.

– Sabe Kookie- começou de jeito manhoso ficando com o queixo apoiado em meu peitoral enquanto olhava atentamente em meus olhos. Ali pude ver que o desejo era recíproco acabando por sorrir ladino e fazendo o menor copiar o ato.

– Hum – resmunguei incentivando-o a continuar.

– Sinto falta disso também – e assim subiu lentamente até alcançar meu rosto. E sem demoras selou nossos lábios me fazendo fechar os olhos involuntariamente.

O encaixe perfeito eu diria. Seus lábios grossos se esfregavam nos meus e suas mãos ainda acariciavam as laterais de meu corpo. Porém foi quando ele novamente toma a iniciativa e pede passagem com a língua que as coisas começaram a esquentar.

A guerra entre os dois músculos dentro de minah boca era constante, despertando meu corpo todo, fazendo-o ficar completamente quente em segundos. Jimin parecia saber tudo o que fazia, e com maestria. O que vinha me surpreendendo cada vez que o beijava. Realmente a sensação de tê-lo ali comandando era boa e até mesmo meu lobo gostava.

Saber que aquele tímido e fofo ômega poderia ser tão bom e mandão em momentos sensuais me fazia ficar mais quente que o normal, mais ansioso, mais excitado.

A sensação de seus lábios macios se esfregando afoitos nos meus e os barulhos pornográficos que nossas bocas faziam justamente por sua culpa era demais para aguentar.

Porém algo realmente me fez remexer inquieto, me fez ficar duro realmente: sua mão que para mim era tão fofa adentrou minha camisa tocando meu abdômen e o arranhando. Nunca que eu imaginaria ele fazendo aquele ato tão quente, tão ousado.

E meu membro deu sinal de que iria ficar duro em instantes se ele não parecesse. E ele não o fazia. Continuava a me arranhar e adicionando um pouco de forçar me fez parar o beijo e arfar. Ele riu anasalado e seguiu com uma trilha de beijos molhados por todo meu pescoço, tomando cuidado para não me marcar se não poderiam me ofender depois.

Remexi-me inquieto novamente já que meu membro rijo estava, e eu só queria daqueles beijos justamente em meu intimo.

– Quando você estava tirando suas blusas, a camiseta acabou levantando um pouco mostrando sua pele branca, lisinha e totalmente deleitosa – ele comentou intercalando as palavras com os beijos e eu só pude arfar com aquela afirmação – A vontade de te tocar exatamente naquela parte fora tão grande que imaginei eu lhe mordendo ali.

E o ar que parecia tão puro, principalmente por estar envoltos por folhas e árvores se tornou totalmente tenso, sexual, quente, envolvente. E tudo por causa do ômega. Arfei com aquelas palavras novamente. Ousadia para ele era elogio do mais alto.

– Então por que não morde? – e claro que não poderia deixar aquela pergunta passar. Se ele queria provocar, eu iria mostrar que também sei. O que recebi foi uma risada gostosa no pé de meu ouvido e uma mordida mínima no lóbulo da orelha.

– Hoje não – e foi assim que tudo voltou ao normal, pelo menos na parte dele.

Foi assim que o mesmo me deixou duro por boa parte da madrugada, já que somente deitou rindo e fechou os olhos novamente me acariciando calmo e delicado. Sua respiração normalizada.

Voltei com o carinho em seu cabelo e tentei olhar para todos os pontos possíveis ali, tentei pensar em todas as coisas mais broxantes.

Mas parei com aquela besteira, o único foco que eu deveria ter era em Jimin. E como ou sem ereção continuei lhe dando carinho e amor afinal eu ficaria novamente longe de si, assim tendo tempo para pensar em qualquer merda que fosse.

Então duro ou não, aproveitei todas as sensações possíveis somente por estar perto dele, porque...

– Jimin, eu realmente te amo.


Notas Finais


Enfim, semana que vem não sei como vou estar mas garanto que sexta-feira tem porque já ta tudo escrito
Daí se eu chegar mesmo que tarde já dá pra postar
Enfim
E esse taeyoonseok começando a acontecer? E essa ousadia a mais?
Então teve pegação antes? adorooon
E vocês, o que acharam?
Beijinhos e amo vocês <#


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...