História Passion without limits - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Magcon, Nash Grier, Shawn Mendes
Personagens Cameron Dallas
Tags Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Jack & Jack, Magcon, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes
Exibições 657
Palavras 1.619
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLAAAAA GENTEEEE, TUDO BOM? ESPERO QUE SIM.
Só vou adiantar uma coisinha desse capitulo; ESSE CAPITULO PROMETE!! Não é como dizem, a mentira tem perna curta? Então, isto é verdade meus caros (Parece meu avô falando mas okay né ashashasha).

Sem mais delongas, espero que gostem.
Boa leitura e até a próxima.

Capítulo 39 - Chapter thirty-eight


Fanfic / Fanfiction Passion without limits - Capítulo 39 - Chapter thirty-eight

 

POV's Bárbara Sanchez.

Acordo com um barulho e um xingamento, mesmo com tanto sono, consigo identificar: Cameron. Abro o olho devagar e o vejo colocando uma bandeja com algumas coisas sob ela em cima da cama e se sentando sob a mesma.

-É tão bom acordar com sua voz – Digo sonolenta e ele olha para mim com uma expressão de dor – Ainda mais quando é um xingamento.

-Haha – Finge uma risada e volta a sua atenção para o seu pé.

Sentei-me na cama e engatinhei até ele o abraçando por trás. Beijo seu pescoço, mas ele não parece ligar, ele realmente estava com dor.

-O que você fez? – Perguntei.

-Bati o dedo na cômoda – Explicou.

Sei como dói, e isso é algo que todos sabem. Duvido que alguém já não bateu o dedo em uma cômoda ou em qualquer outro lugar, ou vai assaltar a geladeira de madrugada e acaba esbarrando em algum móvel sem querer e automaticamente soltando aquele gritinho de dor, são coisas inevitáveis que todos acabam fazendo.

-Isso dói mesmo, tenta colocar gelo, melhora – Aconselhei, é isso o que eu faço quando acontece comigo.

-Ou você pode dar um beijo para sarar...

-Sai fora – Ri e ele levantou o pé para eu beija-lo – Que nojo Cameron!

-Até o meu pé é bonito – Se gabou e eu ri.

-Aham, vai acreditando convencido, mas o que é isto? – Perguntei me referindo a bandeja.

-Seu café da manhã, queria que você tivesse uma boa alimentação já que vamos ficar algumas horas na estrada.

-Sério que temos que voltar? – Fiz bico.

-Infelizmente – Selou nossos lábios – Mas podemos voltar outro dia se você quiser.

-Eba – Ri – E o que você preparou para mim?

-Ovos mexidos e bacon, com algumas frutas, café e suco de laranja.

-Estou começando a achar que você só sabe fazer ovos mexidos e bacon, mocinho – Ri.

-É por isso que eu tenho uma cozinheira – Piscou – Agora come, ainda temos que arrumar as nossas malas.

-Por que tanta pressa?

-É segunda feira e tenho algumas coisas para tratar – Falou mexendo as mãos, sinal de nervosismo.

-Tudo bem – Me posicionei em frente da bandeja e comecei a comer os ovos mexidos e o bacon, logo devorando uma maçã e tomando um pouco de suco de laranja.

Aproveitei que Cameron havia começado a arrumar o quarto e fui ao banheiro fazer tudo o que eu tinha que fazer como qualquer outro dia e voltei ao quarto, o qual já estava do jeito que havíamos encontrado. Cameron começou a arrumar as suas malas e eu o acompanhei, dei graças que eu não havia tirado tanta roupa da bolsa, assim ficou mais fácil.

Assim que acabamos, descemos com as malas em mãos, Cameron dissera que iria guardar as malas enquanto eu falava com as meninas que tomavam café da manhã.

-Babi, você não sabe da novidade – Lox falou toda empolgada, fiquei esperando para que ela continuasse, mas apenas revirou os olhos – Não esta vendo nada diferente na nossa amiga aqui? – Continuou colocando a mão nos ombros de Alexis, analisei minha amiga, cabelo impecável, maquiagem magnífica, roupa de grife, tudo normal – Olha mais para cá – Ela levantou a mão da mesma, onde eu pude ver sobre o que ela falava: Uma linda aliança.

-Parabéns! – A abracei e a olhei surpresa – Quando que ele te pediu?

-Ontem à tarde, eu queria ter dito a você, mas você estava trancada no quarto com o Dallas fazendo sei lá o que – Ela me olhou com cara de “Sei o que fizeram” e riu, segui ela no riso.

-Olha, vou querer ser madrinha em – Exigi.

-Eu também – Luna e Lox disseram juntas.

-Fiquem calmas, é claro que vocês vão ser madrinhas, pensou vocês lá no altar, Babi com o Dallas, Luna com o Shawn e a Lox com o Jacob – Lox corou e deu um soco fraco no braço de Alexis – AI!

-Já falei que nós só somos amigos.

-Ainda – Luna piscou para a amiga.

-Nós vamos ser só amigos, estão entendo? Só amigos – Fechou a cara.

-Se diz, mas acho que ele não pensa o mesmo – Alexis sorriu de lado olhando Jacob conversando com Aaron, o mesmo olhava para nós a todo momento – Ele não tira o olho de você.

-É impressão sua – A ruiva olhou para Jacob que disfarçou – Esta vendo, nem esta olhando para cá.

-Só por que percebeu que você esta olhando.

-Luna – Resolvi mudar de assunto se não Lox iria ficar mais vermelha do que já estava – Como esta com o Shawn?

-É... Estamos bem – Sorriu sem mostrar os dentes – Nós estamos planejando viajar para Paris.

-Paris? É lindo lá, na primeira vez que fui fiquei fascinada, por isso visitei lá milhares de vezes – Alexis comentou – Se bem que Jack poderia me levar para lá na nossa lua de mel.

-Isso que é pensar grande – Todas rimos.

-E você Babi? Para onde quer que o Dallas te leve quando casaram? – Alexis perguntou.

-Acho que casar esta fora dos planos do Cameron – Suspirei – Nós estamos bem assim.

É melhor não criar expectativas, afinal, Cameron nem me pediu em namoro, e eu nem mesmo sei dizer o que somos.

Assim que elas terminaram de tomar café da manhã, todos nós nos despedimos e fomos embora. Cameron ligou o som do carro, mas como só tocava músicas chatas, resolveu desligar. A viajem foi tranquila e quando fui ver já havíamos chegado a cidade.

-Já esta na hora do almoço, podemos comer alguma coisa na sua casa? – Perguntei.

-Não – Respondeu seco – Tenho coisas a fazer, vou te deixar na sua casa.

-Tudo bem – Resolvi não insistir no assunto.

E assim ele fez, me deixou em casa, ajudando a tirar minhas malas do porta-malas e depois que entrei em casa, foi embora.

-Já chegou? – Karol perguntou vindo até mim e me abraçando – Estava tão bom só eu aqui.

-Você mente muito mal Karolina – Ri – Me ajuda com as malas?

-Claro?

Conseguimos levar tudo para o meu quarto, ela começou a me ajudar a guardar minhas roupas no guarda roupa, mas logo desistiu por preguiça. Terminei de arrumar tudo, mas parecia que eu estava sentindo falta de alguma coisa. Pouco tempo depois me dei conta que havia esquecido o meu celular no carro de Cameron.

-KAROL! – Gritei descendo as escadas, ela se levantou do sofá assustada com meu berro – Esqueci o meu celular com o Cameron.

-Uhm... Legal.

-Você não entendeu, eu preciso do meu celular!

-E eu com isso?

-Me dá uma carona? – Fiz bico.

-Por que não vai com o seu carro?

-Esta com pouca gasolina – Continuei com o bico.

-Só vou te dar carona por que preciso ir ao supermercado – Revirou os olhos e pegou sua bolsa e a chave do carro – Vamos.

Quem seria eu sem a minha melhor amiga? Uma pessoa que nem sairia de casa.

Karol me levou para a casa de Cameron e logo foi embora para o supermercado. O carro de Cameron estava estacionado fora da garagem, achei estranho, pois ele sempre guarda os carros dele na garagem. Visualizei o meu celular no banco da frente, mas a porta estava trancada.

Caminhei até a porta e toquei a campainha, vim até aqui para desistir não estava nos meus planos. Esperei alguns minutos até que Cameron abriu a porta, sua expressão não era uma das melhores.

-O que esta fazendo aqui? – Ele perguntou em um tom baixo, como se quisesse que ninguém mais ouvisse.

-Eu esqueci o meu celular dentro do carro.

-Quem é papai? – Ouvi uma voz perguntando e um garotinho de cabelos castanhos e olhos amarronzados veio até nós – Sua amiga?

-Sim, minha amiga – Ele engoliu a seco – Vá com sua mãe.

-Papai? – Perguntei devagar sem entender nada, aquele garoto havia mesmo chamado Cameron de pai?

-Mamãe disse que precisa falar com você – O garotinho disse ao Cameron, mas Dallas ainda tinha os olhos fixos aos meus.

-Ele... – Minha voz sumiu, eu não posso imaginar que isso seja verdade – Ele é o seu filho? Você tem um filho?

-Sua amiga é louca – O menino riu.

-Noah, meu filho, com quem esta falando? – Uma voz feminina veio de perto da cozinha, mas logo se aproximou. Uma mulher loira, de olhos castanhos e um corpo incomparável se aproximou pegando o garoto no colo, observando bem, o garoto havia traços dos dois.

-Com a amiga do papai – O garoto explicou.

-Olá – A mulher disse sorrindo – Sou Amanda.

Parecia que a minha fixa havia caído. Cameron havia se apaixonado uma única vez e depois disso, jurou que nunca mais amaria alguém. Esta mulher só poderia ser ela. A mulher em que tiveram um filho.

-Eu juro que eu não sabia – Cameron disse assim que comecei dar alguns passos para trás.

Era por isto que Cameron estava estranhos estes dias, pois isto que ele estava sendo romântico e havia perdoado facilmente o meu beijo com Shawn, pois ele sabia que havia feito algo muito pior.

Mas era só ele que sabia disso?

Todos estavam estranhos ultimamente, Nash me liberando para passar o final de semana com Cameron, todos os meninos sendo tão amáveis, as meninas falando sobre uma tal de Amanda e que ela havia chegado na cidade.

Todos estavam preocupados com a chegada dessa tal Amanda, talvez tenha sido por isso da viagem, para me levar para longe da cidade, mas para que tudo isso? Para esconder a verdade? Por que ele havia mentido?

-Por favor, Bárbara, me ouve... – Cameron continuavam dizendo e eu só continuei sentindo as lágrimas brotarem dos meus olhos e me distanciando deles.

Cameron tem uma família. Uma família linda. E eu? Sou apenas um brinquedo que ele se divertiu. Olhando para aqueles três, pude ver que eu nunca me encaixaria ali. Eu havia me apaixonado por uma mentira.


Notas Finais


"Eu já não sei o que é acreditar em alguém que vive de mentiras, e todas aquelas promessas de amor não eram verdadeiras, e tudo o que sonhei começou a virar pesadelo, preciso de ajuda pra superar tudo isso que não consigo explicar." - Paulo Neto Paz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...