História Passion without limits - Capítulo 52


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Magcon, Nash Grier, Shawn Mendes
Personagens Cameron Dallas
Tags Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Jack & Jack, Magcon, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes
Exibições 435
Palavras 1.147
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá gente, tudo bom? Espero que sim.
Eu peço que não me matem depois desse capitulo ashashashasahsa.

Boa leitura e até a próxima.

Capítulo 52 - Chapter fifty-one


Fanfic / Fanfiction Passion without limits - Capítulo 52 - Chapter fifty-one

Três dias depois

 

-Tudo pronto pessoal? – Pergunto assim que dão duas horas.

-Não sei, Judith sumiu – Carly, uma outra funcionaria, diz olhando em volta procurando a nossa chefe.

-Quero sair logo, estou morta de fome – Reclamo.

-Somos duas – Jenna diz tirando o seu avental, aproveito para fazer o mesmo – Quase não tomei café da manhã, acordei atrasada e sabe como é, tive que preparar o lanche do meu filho.

Jenna tem vinte e oito anos e tem um filho de seis anos, sua vida é corrida, o pai do seu filho o abandonou antes mesmo do nascimento, e ela teve que criar o filho sozinha. Jenna é uma verdadeira guerreira.

-Você precisa se alimentar – Carly a repreendeu – Você pode passar mal se não se alimenta direito.

-É verdade, e não é só comer saladinha viu? Tem que comer de tudo, pois cada alimento é importante.

-Eu sei, mas é que às vezes não dá vontade nem de comer – Suspirou.

-Mas você tem que comer direito.

-Vou fazer isso – Sorriu sem mostrar os dentes.

-O que fazem aqui ainda? – Judith apareceu na cozinha – Vão embora logo, já acabou o turno de vocês.

-Não acredito que não avisou para a gente que estávamos liberadas – Carly reclamou.

-E preciso? Sou sua chefe e não sua babá – Judith a repreendeu e eu ri – Achou graça.

-Desculpe – Me segurei para parar de rir e Jenna soltou um riso baixo.

-Vão logo, estou sem paciência.

-Percebemos – Carly disse assim que saímos da cozinha.

-Você pede para ser demitida.

-Judith não faria isso, agora que ela tem um time completo de garçonetes eficientes, não iria ousar em perder uma.

-É... – Concordo – Vou nessa gente, até amanhã.

-Até Babi – As duas disseram juntas e seguiram um rumo contrário ao meu.

Senti o meu celular vibrar no bolso de trás da minha calça, tirei-o e li a mensagem que era de Cameron.

 

“Venha para a quadra urgentemente, preciso de ajuda”- Cameron.

 

O que havia acontecido? Será que ele estava com problemas. Corri para a quadra sem me importar com o meu almoço e minha barriga roncando, se Cameron estava com problemas, eu teria que ajuda-lo.

Assim que cheguei na quadra, encontrei Noah sentado no chão chorando, sua testa estava vermelha e um pouco inchada, o que havia acontecido com ele.

-Noah?! – Corri até ele e me ajoelhei – O que houve?

Ele não disse nada, apenas continuou chorando, ele não conseguia parar. Coitado, deve estar doendo tanto.

-Não acredito que você bateu no meu filho! – Ouvi a voz de Amanda vindo atrás de mim, a loira correu até o filho e o pegou no colo – Calma meu amor, vai ficar tudo bem.

-Eu não bati nele...

-Para de mentir, é claro que bateu, olha a testa dele – Ela balançava o filho tentando acalma-lo, mas ele continuava chorando.

-O que esta acontecendo aqui? – Cameron chegou até nós segurando um picolé, que deixou cair no chão e correu até o garoto – Filho...

-Essa mulher bateu no nosso filho – Amanda diz com raiva – Eu não acredito que você chegou neste ponto.

-Bárbara... – Cameron perde a voz sem acreditar naquilo que Amanda diz, nem eu conseguia acreditar naquilo.

-Eu não fiz nada! – Gritei, o que estava acontecendo.

-Noah não tem culpa de nada garota – Amanda diz acariciando o filho – Eu deveria te colocar na prisão, mas não irei fazer isso por causa de Cameron.

-Não acredito que você fez isso – Cameron continuava me encarando, decepcionado.

-Vou indo, preciso cuidar do meu filho – Amanda diz dando as costas e indo em direção ao salão principal do clube.

Cameron não diz mais nada, apenas faz o mesmo que Amanda, e a segue. Caiu no chão sem acreditar no que esta acontecendo, eu não havia feito nada para Noah e nem poderia ter feito, nunca machucaria uma criança.

Comecei a chorar, não sou culpada por isso, não posso ser, eu não fiz nada, isso é injusto! Tento parar de chorar, mas é em vão, continuo chorando mais e mais.

Me levanto com dificuldade e caminho até o salão, preciso de alguém, alguém que me ajude, alguém que acredite em mim.

-Bárbara? – Ouvi a voz de Aléxis e corri até ela a abraçando – O que houve?

-Ela – Soluço – Ela...

-Calma, fala devagar.

-Eu recebi uma mensagem do Cameron falando para eu ir na quadra de tênis urgentemente, eu tinha acabado de sair do restaurante e fui para lá, mas quando cheguei lá, encontrei Noah chorando com a testa machucada, eu tentei acalma-lo, mas a Amanda chegou e me acusou de ter agredido Noah, e Cameron acreditou – Explico soluçando.

-Não acredito nisso – Falou de boca aberta.

-Eu juro que eu não fiz nada para Noah, eu nunca iria fazer mal para uma criança, nunca.

-Eu acredito em você, te conheço muito bem para saber que você nunca faria isso, mas dá para entender o porquê acreditaram que foi você, você estava lá quando viram Noah chorar.

-Só estava lá por causa da mensagem – Paro um pouco para pensar, mas é claro – Só pode ser armação!

-Você acha que Cameron armou tudo isso? – Perguntou sem entender.

-Claro que não, não foi ele, foi a Amanda, tenho certeza.

-Ah não sei Babi, ela não iria machucar o filho dela para te prejudicar.

-Pessoas como Amanda fazem tudo pelo que querem.

Se Amanda realmente for a responsável por tudo isso, não deixaria isso quieto, irei mostrar que não fui eu que fiz isso, não vou deixar que ela roube o que é meu.

Olho para os lados enquanto Aléxis fala algo sobre ajudar a descobrir o que realmente aconteceu, vejo Nash parado encostado na parede enquanto mexia em seu celular, talvez ele pudesse me ajudar.

Corro até ele e Aléxis me chama irritada por eu ter saído enquanto ela falava, mas não ligo, continuo correndo até Nash, e quando chego, me olha com desprezo.

-Nash, preciso da sua ajuda – Falo.

-O que é? Tentar se desculpar com o Cameron por ter batido em seu filho?

O que?

-Nash, não fui eu, por favor, acredita em mim, eu nunca faria alguma coisa dessas – Digo desesperada, até ele me culpa?

-Eu acredito na verdade Bárbara, e a verdade diz que você foi capaz de agredir uma criança por ciúmes – Ele balança a cabeça negativamente e guarda o celular no bolso – Me agradeça por não te demitir.

Ele sai andando e me deixa plantada com a boca aberta, como isso é possível? Não conseguem ver que Amanda esta mentindo? Nunca faria isso, muito menos por ciúmes.

Me seguro novamente tentando não chorar, há várias pessoas agora no salão, não seria legal eu começar a chorar no meio de tantas pessoas.

Enquanto caminho para a garagem a fim de pegar o meu carro, vejo Carter e Aaron passando por mim, mas não olham na minha cara, me ignoram totalmente, como se eu nem existisse. Pelo visto todos já sabem, e todos me odeiam.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...