História Path - Book 2 - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Babys, Changes, Harry, Liam, Romance
Exibições 1
Palavras 1.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Três


Liam POV

Oiço a campainha tocar e rapidamente levanto-me para ir abrir a porta. Será finalmente ela? Cada vez que este som se faz ouvir, fico com um pouco de esperança que seja ela, mas desiludo-me sempre.

Abro a porta e vejo o Niall, suspiro por mais uma vez não ser a rapariga que continuo a amar incondicionalmente. Apenas ele e o Zayn, me têm vindo ver nos últimos meses. Até porque quem mais quereria saber de mim?

Niall: Então Liam, vais-me deixar entrar ou vais ficar a olhar para mim com um olhar desiludido por não ser ela? - AS suas palavras magoam-me.

Eu: Entra. - Digo sem qualquer emoção.

Dou-lhe espaço para entrar e ele assim o faz. Senta-se no sofá e eu faço o mesmo.

Niall: Então? Como estás?

Eu: Como achas? Não me lembro da última vez que dormi uma noite inteira. Provavelmente à quase 2 anos.

Niall: Pois nota-se pela tua cara.

Eu: Eu preciso mesmo de falar com ela Niall! - Olho para ele. - Eu preciso de lhe mostrar aquilo! - Quase sussurro.

Niall: Eu vou tentar com que ela venha a Londres. Mas tens que me deixar falar com ela primeiro.

Eu: Faz o que for preciso, apenas faz com que ela fale comigo!

Niall: Eu vou tentar, prometo. - Põe a sua mão no meu ombro. - E a Cheryl voltou a aparecer? - Reviro os olhos.

Só de ele pronunciar o seu nome dá-me vontade de esmurrar alguém. Aquela cabra, que não tem outro nome, acabou com a minha vida.  Como ela foi capaz? Ainda vai pagar pelo que está a fazer!

Eu: Tem-me ligado milhares de vezes mas não estou nem aí! Agora só quero que a Melissa saiba a verdade toda.

Niall: Vai tudo correr bem, vais ver!

Tem sido completamente difícil passar o tempo nestes meses. Desde que ela saiu de casa que a minha vida se tornou realmente num inferno. Eu durmo no máximo uma hora por noite. Tenho olheiras até aos pés. A minha cara está uma lástima, o meu corpo está uma lástima, a minha casa está uma lástima, A MINHA ALMA ESTÁ UMA LÁSTIMA! 

Eu preciso dela de novo. De a segurar nos meus braços, de a abraçar, de sentir o contacto dos lábios com os meus, de sentir o seu calor durante a noite. Preciso de lhe contar a verdade e dizer-lhe que vai ficar tudo bem.

Tenho tantas saudades dela. Nem consigo expressar isso por palavras. Saudades dos seus abraços, dos seus beijos, dos nossos amaços. Saudades de acordar e olhar para a sua cara de Deusa e ver como a sua respiração é calma, as suas pestanas a tocarem no topo das suas bochechas, os seus lábios meio abertos para respirar melhor, o seu cabelo todo despenteado, com pontas a caírem-lhe pela testa. Saudades daquela sua mania de refilar comigo por deixar tudo espalhado depois do banho. Saudades de a ver corar de vergonha sempre que a via nua, mesmo depois de a ver naquele estado milhares de vezes. Mas será que no final disto tudo ela também sente saudades minhas? Não creio...

Não sei como ela conseguiu avançar, mas o tal de Tyler com quem ela namora, não me inspira confiança nenhuma. Mas neste momento quem sou eu para opinar em relação a isso? E eu juro que se ele lhe faz alguma coisa que a deixe mal, vou lhe mostrar o meu lado agressivo e ele não vai gostar nada dele.

Eu por outro lado, mal tenho saído de casa. Não beijo ninguém à 2 anos, não fodo ninguém à 2 anos, honestamente nem sei se o meu amigo entre as pernas ainda trabalha. Não faço literalmente nada à 2 anos. E não foi por falta de oportunidade. Quando estava a trabalhar numa loja de roupa, via milhares de mulheres por dia, que não faziam outra coisa senão esfregar-se em mim, mas sentia que se fodesse ali mesmo alguma delas, estaria a trair a Melissa. E além disso, não queria usar ninguém para esquecer a Melissa, o meu pai sempre me transmitiu bons modos para com as mulheres, não iria ser capaz de fazer isso.

Mas por outro lado magoa-me o facto de ela estar noiva de outro homem! Ela liga para o Niall a contar as novidades e ele vai transmitindo-me as coisas que acha que deva saber, para eu seguir em frente mas eu não consigo. Na verdade gostava de saber o que o Harry tem a dizer sobre isto. Sobre o Tyler e sobre ela casar com ele. 

O tabaco e a bebida voltaram a ser o meu maior problema. Nunca fumei tanto na minha vida, mas alivia tanto os meus nervos e ansiedade. Já tentei parar, ou pelo menos diminuir a quantidade de cigarros que fumo por dia, mas simplesmente não consigo. Isto vai acabar por me matar. Tal como a bebida. Ambas as coisas o vão fazer. 

Niall: Ei mano, estás aí? - Oiço o estalar dos dedos do Niall, mesmo em frente aos meus olhos.

Eu: Sim, desculpa. Diz.

Niall: Estava a perguntar como está a tua mãe! - A minha respiração fica pesada quando ele toca no assunto.

Eu: Em baixo e bastante preocupada comigo, por mais que eu tente evitar isso. Mas o instinto de mãe está sempre a funcionar.

Niall: E tu? Como estás em relação...

Eu: Podemos mudar de assunto? Não quero falar sobre isso! - Interrompo-o.

Niall: Sim claro.

Para piorar a minha vida, o meu pai foi parar ao hospital à cerca de 2 meses e meio, derivado a um AVC. Continua em coma e os médicos não sabem se ele vai acordar ou não. Fui lá logo que soube da notícia, mas não pude ficar muito tempo, porque ainda trabalhava. Não dei o apoio que a minha mãe necessitava e sinto-me o pior filho de sempre. Mas não podia arriscar perder o meu emprego, que já estava em risco por uma razão ridícula. Alegavam que andava enrolado com a mulher do chefe, o que na verdade nunca se provou, até porque não havia nada a provar visto que era mentira. Mas mesmo não se tendo provado fui despedido. Acho que o chefe tinha mais inveja de mim que outra coisa! Secalhar sabia que se fodesse a mulher dele, ela nunca mais voltaria para ele. Mas agora que já não trabalho, vou a Dublin o mais rápido possível.

Eu: Eu vou lá visitá-los em breve. Não posso prever o futuro infelizmente, e quero pelo menos despedir-me do meu pai a tempo.

Niall: Fazes bem. Sabes que estarei aqui para o que precisares!

Eu: Obrigado! -  Faço uma pequena pausa. -  Como está a Bella? Não a tenho visto, porque como sabes o Harry não me suporta, e não me quer perto da filha....

Niall: Está bem! Está tão grande. Já anda e já disse a sua primeira palavra. - Sorri para mim. - O Noah também disse "papa"  ontem. - Ri.

Eu: O Zayn tem trazido o filho quando vem cá.

O som do seu telemóvel a tocar, o que me impede de continuar a falar. Ele olha para mim antes de atender. Levanto-me e vou até à cozinha buscar duas canecas com chá, que tinha feito para mim antes de o Niall chegar.

A Laika encontra-se a beber água. Ela é a única coisa que me resta da Melissa. Sinto-me como se não estivesse a cuidar bem da cadela como devia.

Despejo o líquido ainda quente em duas canecas cinzentas. Ponho duas colheres de açúcar na minha caneca e deixo a do Niall sem açúcar, sei que ele só gosta de chá sem açúcar. Pego nas canecas e ao virar-me para sair da cozinha, reparo que a Laika já não se encontra aqui.

Saiu da cozinha e vejo o Niall ainda em chamada com alguém que desconheço a identidade. Não sei que santinho ou alma, fez a Laika ter estúpido pensamento, mas do nada ela vem a correr até mim e salta, o que me assusta. Um bocado de chá, salta para o chão.

Eu: Merda Laika! - Grito para ela e o Niall olha para mim para ver o que tinha acontecido.

A pobre cadela baixa as orelhas e o seu olhar fica triste. Baixa a cabeça e anda até à sua caminha no canto da sala. Vou até ao sofá onde está o Niall e entrego-lhe uma caneca. Pouso a minha na mesa pequena no meio da sala e volto atrás para limpar o chão sujo.

Quando me volto a sentar no sofá, pega na minha cabeça e dou um gole.

Niall: Cá te espero, beijinhos. - Oiço o Niall dizer é desliga a chamada.

Eu: Então, quem era? - Sinto-me cusco neste momento.

Niall: A Melissa! - Olho paralisado para ele. - Ela vem a Londres.

O meu mundo pára com as suas palavras. Ela vem a Londres. A Melissa vem cá! É a minha última oportunidade de remendar todo o mal de à 2 anos. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...