História Paulicia - Um casal nem um pouco normal - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Alícia Gusman, Bibi Smith, Daniel Zapata, Davi Rabinovich, Jorge Cavalieri, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Valéria Ferreira
Exibições 393
Palavras 1.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


GENTEEEE, não me joguem pedras. Eu juro que tenho um bom motivo para estar a tanto tempo sem postar nada! Eu fui visitar minha sobrinha de 2 meses lá em Sergipe, e eu não levei o computador, por isso não deu para postar. Espero que aceitem a desculpa com esse capítulo maravilhoso!!

Capítulo 12 - Continuando o que ele interrompeu


Pov. Alícia Gusman

Posso ter cometido um erro quando pedi para o Paulo conversar comigo sobre o "incidente" de ontem? Com certeza, mas foi o único jeito que eu pensei de não fazer ele ir com o Mário, por isso nem pensei, só chamei

-Então, sobre o que você queria falar? - ele falou me olhando confuso

-Ah, eu só queria pedir desculpas por ter caído em cima de você - eu falei

-Sério isso? Você pode cair em cima de mim sempre que quiser, isso eu te garanto

-Hahaha, engraçadinho

-Ok, nem sempre, você tá meio gorda

-Gorda é a sua mãe, peste - eu falei emburrada

-Mas eu acho que a gente tem que terminar o que começou - ele me falou 

-Realmente, nem deu para a gente estudar ontem, o Mário chegou e interrompeu

-Eu não estava falando do estudo - ele falou colocando um cabelo meu atrás da orelha - eu tava falando sobre outra coisa que o Mário atrapalhou ontem - finalmente eu percebi que ele estava falando sobre o quase beijo

-Ah, sobre isso... - senti meu celular vibrar na minha mão - eita, chegou mensagem no whats, pera

~ Whats on ~

Marce: AMIGA, ELE ME PEDIU EM NAMORO

eu: finalmente

Marce: mostra um pouquinho de ânimo por mim, pf

eu: EEEEEEEEH

Marce: agora sim :DDDDD

eu: tenho que ir, falo ctg na sala

Marce: ainda tas com o paulo?

eu: aham

Marce: ah, quero ver a reação dele quando souber

eu: eu não quero ver isso nem morta!

Marce: haha, engraçadinha

eu: tenho que ir, tchauzinho

~ Whats off ~

-Sobre isso, a gente tem que terminar o que começamos, é o que minha mãe sempre diz - ele me interrompeu

-Enfim, vamos para a aula que é o melhor que fazemos - eu falei - vamos casais, acabou de tocar e eu que não quero me atrasar

-Ally, você precisa de um namorado, tá ficando chata - Majo falou sendo levada pela mão por Daniel

-Cala a boca, Majo. Sou tuas nega não - eu falei

-Muito engraçada a senhora, mas eu to falando sério. Paulo, essa é sua deixa para deixar a senhorita Alícia mais feliz - ela continuou falando

-Se tem uma coisa que eu não preciso para ficar feliz é macho, tendeu? - eu falei

-Claro - ela falou dando uma piscadinha para Paulo

-Vocês viram a Marce e o Mário? - Davi perguntou. Merda. Pra que esse porra foi mencionar eles dois

-A última vez que eu os vi, a Marce tinha ido pro banheiro e o Mário tinha ido nos armários pegar alguma coisa. Ou algo assim - Val falou - acho que eles decidiram ir para a sala sozinhos

-Deve ser - Paulo falou desconfiado. Só quero ver a reação dele quando souber do namoro Marilina

Quando passaram as aulas do dia, fomos para  a sala de TV que tem lá na escola. Marcelina tinha falado para mim que iria contar a novidade para o Paulo agora na sala de TV. Quando chegamos na sala, Mário e Marcelina estavam sentados lado a lado conversando baixo e dando risadinhas

-Paulo, a gente tem uma coisa para te falar - Mário falou

-Isso é uma intervenção? Porque eu juro que não estou fazendo nada de errado - Paulo falou levantando as mãos em sinal de rendimento

-Não é uma intervenção, é que assim. Eueomárioestamosnamorando - ela falou essa última parte tão rápido que acho que ninguém entendeu, pelo menos eu não entendi nada

-Hãn? fala mais devagar, menina. Osh - Paulo falou

-Eu e o Mário estamos namorando - ela falou dessa vez mais devagar

-ESSE DESGRAÇADO TÁ FAZENDO O QUE CONTIGO? ELE TE OBRIGOU? - Paulo falou um pouco alto de mais, enquanto tentava partir para cima do Mário para fazer sei lá o que com ele (provavelmente matar ou esganar, talvez os dois)

-Paulo, calma - Marce falou 

-CALMA É O CARALHO DE 4 NA CAMA DA VELHA FUMADORA DE CRACK - (n/A: não fumem crack) - EU VOU MATAR ESSE PEDÓFILO 

-Hãn? Ele é um mês mais velho que a gente, fica calmo por favor - Marce falou

-NEM VEM, MARCELINA, EU VOU FALAR PARA O MEU PAI - Paulo continuou falando

-CALA A PORRA DA BOCA PORQUE VOCÊ NÃO MANDA EM MIM, EU TENHO 16 ANOS E SE EU QUISER DAR A PORRA DO MEU CU NA RUA - (n/A: não deem seus cus na rua) - EU DOU, ATÉ PORQUE VOCÊ SÓ É MEU IRMÃO

Eles ficaram lá gritando um com o outro por um tempo, até que Marce começou a chorar, aí Paulo tentou se desculpar só que o Mário foi abraçar ela e tudo começou de novo

-CACETE, SE VOCÊS NÃO PARAREM DE BRIGAR EU VOU ENFIAR UM POSTE NA BUNDA DE CADA UM - eu falei - Paulo, vem comigo - eu falei puxando a mão dele até o meu quarto

-Que porra foi essa?

-Não sei do que você está falando - ele falou emburrado de braços cruzados

-Daquela briguinha ridícula que você acabou de ter com a sua irmã

-Não foi ridícula, teve sim um motivo

-Claramente, um motivo bem bosta

-Claro que não, foi um bom motivo

-Você pode namorar? - eu perguntei sentando do lado dele na minha cama

-Claro que sim

-E por que ela não pode?

-Porque ela é minha irmãzinha, dã - ele respondeu sendo sarcástico. Está me dando uma vontade tão grande de bater nele

-Aham, então quer dizer que só porque você é 30 minutos mais velho que ela você pode decidir quando ela vai ter um relacionamento? Mesmo que seja com um cara super legal como o Mário?

-Você falando desse jeito, não parece que eu estou muito certo

-É porque você não está nem um pouco certo, a Marcelina TEM o direito de fazer a porra que ela quiser e você NÃO tem o direto de impedir ela de fazer a porra que ela quiser, entendeu?

-Aham - ele falou ainda triste

-Por que você está triste agora?

-Porque você está brigando muito comigo, e era para estarmos fazendo outra coisa

-Tipo? - quando eu falei isso, ele me imprensou na parede

-Tipo continuar aquilo que o novo namoradinho da minha irmã nos interrompeu - ele falou isso me beijando ferozmente, como se quisesse aquilo mais que tudo no mundo


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado. Beijão <3 Se vocês quiserem me dar alguma sugestão ou simplesmente falar comigo, falem pelos comentários :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...