História Paulicia - Um casal nem um pouco normal - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Alícia Gusman, Bibi Smith, Daniel Zapata, Davi Rabinovich, Jorge Cavalieri, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Valéria Ferreira
Exibições 359
Palavras 1.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ta aqui, como prometido (palmas para mim). Espero que vocês curtam <3

Capítulo 13 - Literalmente pequeno detalhe


Fanfic / Fanfiction Paulicia - Um casal nem um pouco normal - Capítulo 13 - Literalmente pequeno detalhe

Pov. Alícia Gusman

Depois de um tempo nos beijando, eu empurrei ele

-Tava ruim? - ele me perguntou dando aquele sorrisinho que dá vontade de matar

-Pior que não - eu falei tocando na minha boca - ai meu deus, a Marce - eu falei correndo até a porta do quarto e fechando com ele ainda lá dentro

Quando voltei para a sala de estar, todos estavam com uma cara meio estranha como se tivesse passado um king kong dançando balé enquanto cantava a macarena (não me perguntem que porra de comparação foi essa, eu to nervosa) 

-Cade a Marcelina? - eu perguntei para o pessoal que estava lá

-Amiga, foi uma loucura, ela começou a chorar e saiu correndo, aí o Mário foi atrás dela - Majo falou - parecia uma cena de novela - ela continuou

-Amor, para de fazer fofoca - Daniel falou

-Amor, ela perguntou e eu respondi, só isso - ela falou

-E pra onde ela foi? - eu perguntei

-Acho que para o jardim - Marga falou

-To indo lá conversar com ela - eu falei indo para o jardim

Quando fui para o jardim, Mário estava sentando do lado de Marcelina, seria uma cena até bonitinha se ela não estivesse chorando pelo idiota do irmão

-Marce, posso conversar com você? - eu perguntei olhando para ela

-Claro - ela falou olhando para o Mário

-Ah, entendi - Mário falou se levantando e vindo até mim

-Boa sorte - ele falou no meu ouvido

-Iai? - eu perguntei para ela sentando do lado dela na grama

-Você foi com o meu irmão - ela falou

-Que? 

-Naquela situação toda você foi com o meu irmão e nem deu bola para mim - ela explicou. PUTA QUE ME PARIU

-Sério Marce? Sério mesmo? Eu sabia que o Mário iria com você, e outra naquela hora vocês precisavam conversar e eu só iria atrapalhar, e alguém precisava acalmar o seu irmão

-Ah... ele falou alguma coisa? - ela perguntou alguma coisa

-Só que não queria que você namorasse porque é a irmãzinha dele

-Quando ele faz isso me dá uma raiva tão grande - ela falou - é sempre assim, nenhum menino pode chegar perto de mim que ele já fica tagarelando não só no meu ouvido, mas também no ouvido do menino. Sempre, sempre foi assim

-Mas eu acho que... 

-Ai meu deus - ela me interrompeu

-Que foi? - eu perguntei

-O Mário dorme no mesmo quarto que o Paulo - ela falou - meu namorado vai morrer, coitado

-Eu falei com o Paulo, acho que ele tá mais tranquilo em relação a isso - eu falei - quer dizer, não prometo que ele vai estar 100% a favor disso, mas ele vai estar mais tranquilo

-Brigada por fazer tudo isso por mim - ela falou me abraçando

-To aqui para literalmente qualquer coisa - eu falei

-Vamos para o quarto? Amanhã o dia vai clarear lindo, os raios solares vão estar dançando na janela do nosso quarto, e as flores estarão cantando e dançando e...

-Dá para parar com esse papinho de gente apaixonada, pelo amor - eu falei interrompendo ela

-Desculpa, não dá para me conter - ela falou se levantando e estendendo a mão para me ajudar a levantar

Pov. Paulo Guerra

A Ally simplesmente me esqueceu no quarto dela, quando ela saiu eu comecei a ver as fotos que estavam coladas na parede delas, primeiro eu vi a da Alícia, que tinha várias fotos da família dela e umas nossas, eu nem tinha me ligado que tínhamos tirado tantas fotos em 1 mês, quando terminei de ver as dela fui ver a parede da Marce, eu me surpreendi ao ver várias fotos nossas, e quando eu digo nossas, eram fotos minhas e dela, tinha de quando éramos pequenos e até desse ano, tinha uma foto bem bonitinha, eu peguei e levei pro meu quarto, porque não tinha nenhuma foto minha e dela na minha parede, na verdade nem tinha foto na minha parede. Quando peguei a foto eu me dirigi ao meu quarto

Quando cheguei ao me quarto, colei a foto na parede e fiquei encarando ela, eu não queria brigar com a Marcelina, mas é que é chato pensar que ela ta crescendo e que algum dia vai me abandonar. Eu to acostumado a passar 365 dias por ano do lado dela, alguns dias literalmente 24 horas, até os 10 anos eu dividia o quarto com ela, eu achava um saco ter que dividir o quarto com a pirralha, depois a gente mudou de casa e cada um ganhou um quarto único, eu fiquei com um pouco de raiva da minha mãe por causa disso, eu pensava que parar de dividir quarto com ela era tudo que eu queria, mas na verdade não era. Eu sentia um pouco de saudade de ficar o tempo todo com ela. Quando ela ficava com medo, pedia para eu dormir no quarto dela, por isso já tinha um colchonete no quarto dela para eu dormir 

Eu brigava com todos os meninos que chegavam perto dela, porque eu pensava que se um menino ficasse com ela, iria afastar mais ela de mim, eu sabia que o Mário gostava dela desde o ano passado, quando entramos aqui no colégio, mas eu tentava negar, inclusive as vezes ele me mandava umas indiretas me perguntando se a Marcelina tinha namorado ou se ela gostava de alguém, eu obviamente negava tudo, mas fazer o que... na minha cabeça eu estava protegendo ela. Não sabia se o Mário era de boa para ficar com a minha irmã, e se ele a magoasse eu nunca iria me perdoar na vida

A única pessoa que me fez mudar de ideia foi a Alícia, quando ela conversou comigo agora a pouco, foi como se uma porta se abrisse para mim, eu realmente pensei que não teria problema... quer dizer, tem problema mas agora o problema diminuiu. Para mim, não tem tanto problema neles ficarem juntos mas, quer dizer, tem sim. Argh, to confuso

Eu nem notei que estava deitado na minha cama pensando na vida feito um retardado até o Mário chegar

-Eu volto outra hora - ele falou quase passando pela porta

-Não, espera - eu falei

-Que foi?

-É que, eu só queria te avisar que tá de boa você ficar com a minha irmã

-A gente não está ficando, a gente está namorando. É bem diferente

-Tanto faz, eu só queria te avisar que não tem problema, vocês dois ficarem, namorarem, casarem... quer dizer, é melhor vocês esperarem um pouquinho para casar

-Concordo - ele falou e começamos a rir - é melhor você falar com a Marcelina, ela estava bem triste da última vez que eu falei com ela no jardim

-Eita, esqueci esse literalmente pequeno detalhe chamado "Marcelina" - eu falei me referindo ao tamanho dela, quer dizer... a falta de tamanho dela. Depois de conversar com o Mário eu fui até o quarto dela só imaginando o que iria acontecer


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado, amanhã tem mais <3 Se vocês quiserem me dar alguma sugestão ou simplesmente falar comigo, usem os comentários <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...