História Paying in Naivety - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jikook, Namjin, Vhope, Yaoi
Exibições 188
Palavras 3.889
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Yo o/
Atrasada novamente kkkkkk Não me matem pela demorinha :)
Obrigada pelas 879 visualizações, pelos 53 favoritos e pelos 49 comentários! <3
Nunca pensei que tantas pessoas gostariam da fic. Vocês são demais!
Dos comentaristas profissionais até os leitores fantasminhas, amo vocês! :*
Boa leitura! ;)

Capítulo 7 - Compras em Família


Acordei e me sentei na cama, ainda sonolento.

Olhei para o colchão vazio de Jimin e um sorriso imediatamente apareceu no meu rosto, ao me lembrar da noite anterior.

Comecei a me lembrar dos detalhes, de suas mãos apertando minhas coxas, de seus lábios passeando pelo meu corpo, e de quando estava dentro de mim.

Ruborizei e vi que estava ficando excitado com o pensamento, por isso, resolvi me levantar logo.

Me arrumei, escovei os dentes e desci as escadas.

Cheguei na sala e vi que não havia ninguém no cômodo, por isso, resolvi ir para a cozinha.

- Bom dia, vozinha! - falei, adentrando a cozinha e beijando seu rosto.

- Bom dia! - respondeu. - Chegou na hora certa, estamos tomando café - falou, pegando o bule.

Logo ela foi em direção à sala de estar e eu a segui.

Ao chegar, vi que a família toda estava reunida lá.

- Bom dia bela adormecida! - disse Hoseok, anunciando minha chegada.

Todos olharam para mim e começaram a me desejar bom dia.

- Bom dia, pessoal! - falei, me sentando na primeira cadeira vazia que vi.

Eu estava procurando Jimin com os olhos e quando o encontrei vi que estava olhando para mim.

No momento em que vi seu rosto me lembrei da cena erótica da noite anterior: seu cabelo desarrumado; seus olhos fechados de prazer; sua pele vermelha e suada pelo esforço.

Mordi o lábio inferior com a lembrança.

Estava perdido em minhas memórias quando vi que ele me olhava intrigado, então me dei conta de que eu ainda o encarava, provavelmente com um semblante não tão puro.

Corei e desviei o olhar com vergonha.

- Dormiu bem, Kookie? - ouvi Jimin perguntando.

- Dormi - respondi sem encará-lo, ainda com vergonha.

- Que bom! - falou.

Eu o olhei e vi que ele estava com aquele sorriso fofo no rosto. Não pude evitar de sorrir também.

* * *

Taehyung e eu estávamos na sala de estar conversando, quando Hyuna apareceu.

- O Jin pediu para todos irmos para o quarto dele - falou ela, subindo as escadas.

Eu e Taehyung nos levantamos e a seguimos, entrando no quarto de Jin e Namjoon.

Ao chegar vi que todos os primos já estavam lá.

- Bom, agora que estamos todos aqui podemos começar - falou Namjoon.

- Como todos sabem amanhã é véspera de natal, porém os adultos não querem trocar presentes - começou Jin - Mas como todos nós adoramos presentes, eu e Namjoon tivemos uma ideia: fazer um amigo secreto entre nós oito! - falou animado.

- Isso vai ser muito legal! - exclamou Hoseok.

- Ótima ideia! - exclamou Suga.

- Nós pensamos em colocar um preço limite equivalente a cinquenta dólares, já que temos pouco tempo para comprar - falou Namjoon.

- É só um presentinho, pessoal, só para não passar em branco - falou Jin. - Se não achar nada é só dar comida. Comida é o melhor presente!

Rimos com a sua sugestão.

Hyuna pegou o papel, escreveu os nomes e os dobrou, os colocando em um potinho logo em seguida.

- Esperem para abrir - falou, pegando o papel de dentro do potinho e distribuindo.

Ela entregou o meu papel e eu fiquei apreensivo.

- Jungkook, abre primeiro! - falou Hyuna, piscando.

Quando abri o papel tentei disfarçar minha decepção ao ver o nome de Suga escrito.

Não é que eu não gostasse dele, mas eu queria tirar o nome de uma pessoa específica.

Hyuna, então, abriu o seu papel depois de mim.

- Eu tirei eu mesma - falou chateada. - Vamos ter que tirar de novo.

Fiquei animado com a segunda chance de tirar quem eu queria.

Ela passou recolhendo os papéis e os redistribuiu, me deixando inquieto.

- Podem abrir, todos! - exclamou Hyuna.

Logo abri meu papel e me surpreendi ao ver o nome de Jimin escrito.

Meu coração disparou de animação, mas para não deixar óbvio para Jimin que eu tinha tirado ele, por isso, não demonstrei nenhum tipo de emoção, somente indiferença.

- Ninguém tirou a si mesmo? - perguntou Hyuna. - Não? Que bom! Então está decidido! - falou animada.

Logo todos nos arrumamos e saímos em busca dos presentes.

* * *

Já eram duas horas da tarde e eu ainda não havia encontrado nada para comprar.

Eu estava andando em um parque, tinha acabado de comer um cachorro-quente, quando sinto pequenas mãos sobre os meus olhos.

- Adivinha! - ouvi uma voz feminina dizer.

- Hyuna? O que você está fazendo aqui? - perguntei me virando.

- Eu vim te ajudar a escolher um presente! - falou sorrindo. - Você parece estar com dificuldade.

- Obrigado, mas você não pode saber quem é o meu amigo secreto, e se eu tirei você? - falei bagunçando sua franja.

- Você não me tirou, Kookie - disse, rindo.

- Como você pode ter tanta certeza? - perguntei.

- Você realmente acha que você tirou o Jimin por acaso? - perguntou, sorrindo.

Eu fiquei confuso e ela, ao perceber, explicou.

- Eu te dei o papelzinho com o nome dele de propósito - falou, sorrindo infantilmente.

- C-como assim? P-por quê? - gaguejei.

Hyuna sorriu de lado e cruzou os braços.

- Você acha que eu sou cega? - perguntou.

Senti um calafrio descer pela minha espinha.

- E-eu não entendi a pergunta - falei, coçando a nuca.

- Mesmo se eu tivesse alguma dúvida, o que eu não tenho, esse seu nervosismo confirmaria - falou. - Eu sei que você gosta do Jimin.

Eu arregalei os olhos e engoli seco.

- Relaxa, Kookie, eu percebi que algo estava rolando no primeiro dia - falou, rindo da minha reação. - Eu via o jeito que o Jimin te olhava quando ninguém estava olhando, e tenho que dizer que não era como primos se olham.

Fiquei sem fala ao ouvir sua insinuação.

- Ao perceber como ele te olhava passei a observar os dois e vi que você não o correspondia, mesmo depois da cafeteria, sim, eu sabia que os gemidos não eram por causa de dor de barriga, a sua atração por ele parecia ser somente física - falou, me encarando.

Eu estava imóvel, vermelho de vergonha pelo episódio da cafeteria, não sabia como reagir e muito menos o que dizer.

- Por isso, durante o acampamento eu fiquei grudada nele, vendo como você reagia, e tenho que dizer que você com ciúmes fica muito fofo - falou rindo.

- V-você estava fingindo o tempo todo? - perguntei surpreso.

- Sim, você tinha que ver as caras que você fazia quando eu chegava perto dele, eram hilárias! - falou rindo.

- Mas, por quê? - perguntei.

- Eu queria saber se você gosta dele como ele gosta de você, e agora eu já sei que sim - falou sorrindo.

- Eu não gosto dele, não desse jeito - falei, mais para mim mesmo, sem me importar que eu estava falando com Hyuna.

- Tem certeza? Pelo que eu me lembre você ficou bem chateado quando eu disse que me casaria com ele, ou quando eu abracei ele… - falou, me encarando.

Só de ouvi-la falar aquelas coisas meu estômago embrulhou.

Parei para pensar e, realmente, ver Jimin com Hyuna fez com que eu quisesse não somente seu corpo, mas sua atenção também, o ciúme que ela causou em mim fez com que eu percebesse que eu me importava com ele, e mais, que eu me importava de ele estar com outra pessoa além de mim.

Eu encarei o nada e fiquei sem reação. A ficha tinha caído.

- Eu… gosto do Jimin - murmurei para mim mesmo.

Eu sabia que sentia algo a mais por ele, porém, pensava que era atração física, mesmo querendo tirá-lo no amigo secreto, ou querendo ele longe de Hyuna, não tinha passado pelo minha cabeça que eu tinha algum tipo de sentimento por ele, mas, depois de avaliar as sensações que eu sentia quando o olhava, ou quando ele sorria para mim, ou quando Hyuna o abraçava, cheguei a conclusão de que eu gostava de Park Jimin.

Depois de um tempo encarando o nada percebi que eu estava sorrindo.

- Eu gosto do Jimin - falei para Hyuna.

- De nada, por abrir seus olhos, mas eu não sei como você não descobriu antes, ainda mais depois da noite passada - falou rindo.

- Você ouviu aquilo?! - perguntei, vermelho de vergonha.

- Você realmente achou que eu não tinha ouvido? - riu. - Relaxa, Kookie, eu apoio vocês dois. Agora vamos procurar um presente para o Jiminie!

- E o seu amigo secreto? - perguntei.

- Já comprei o presente dele. Agora vamos! - falou, andando.

Começamos a andar pelas ruas de Busan, procurando por um presente para Jimin.

Entramos em algumas lojas mas não encontramos nada, já estava ficando tarde e eu já estava começando a perder as esperanças.

- Acho que não vou encontrar nada - falei desanimado.

- Relaxa, Kookie, ele não vai se importar, o que importa é que você tentou - falou sorrindo.

Dei mais dois passos quando algo na vitrine de uma loja me fez parar.

- Olha! - falei, apontando para um anel prateado.

- Esse anel? Vocês estão em um relacionamento sério? - perguntou rindo.

- Não é um anel de compromisso, é um anel de carreira, e o Jimin adora anéis. Vamos entrar - falei puxando-a para dentro da loja.

Ao entrarmos na loja pude ver que as coisas eram bem caras, já estava quase dando meia volta quando a atendente apareceu.

- Boa tarde! Em que posso ajudá-los? - perguntou sorridente.

- Eu queria saber se vocês têm aquele anel da carreira de dançarino - perguntei.

- Temos, sim. Você gostaria do prateado ou do dourado?

- Posso ver o prateado? - perguntei, receoso com o preço.

Logo a atendente se retirou.

- Kookie, esse anel deve ser muito caro! - sussurrou Hyuna.

- Eu sei, mas quando eu ía sair a atendente me abordou…

- Aqui está! - falou a atendente, estendendo uma caixinha de veludo para mim.

Eu abri a caixinha e meu queixo foi ao chão. O anel era prateado, nem tão pequeno e nem tão grande, ele era do tamanho certo, nele havia dois sapatos desenhados delicadamente do lado de fora, paralelos à duas notas musicais, também delicadas.

- Nós escrevemos o nome também, vem incluso no preço - falou atendente.

- É perfeito… - falei, ainda hipnotizado pela beleza do anel.

- Err… moça, quanto custa esse anel? - perguntou Hyuna.

- Esse anel sai por cem dólares, já que é de prata pura, personalizado e exclusivo da marca - respondeu sorridente.

Hyuna se assustou com o preço e me olhou.

Eu estava encantado com o anel, e sem hesitação confirmei a compra.

- Vou levar! Por favor, coloque o nome “Park Jimin” na parte de dentro - falei animado.

Hyuna arregalou os olhos com a minha audácia, enquanto a atendente embrulhava a caixinha.

- Você é louco… - falou Hyuna, rindo.

Eu paguei o anel e então saímos da loja e fomos em direção à casa dos nossos avós.

- Posso te perguntar algumas coisas? - perguntei, enquanto andávamos.

- Pode - respondeu sorrindo.

- Primeiro: se você me deu o papelzinho com o nome do Jimin de propósito, por que eu tirei o Suga na primeira vez? - perguntei.

- É que eu confundi o papel com o nome do Jimin, do Suga e do Hoseok, por isso eu pedi para você abrir primeiro, ao ver sua cara de decepção percebi que aquele não era o papel com o nome do Jimin, e quando eu abri o meu vi que estava com o nome do Hoseok. Assim, eu sabia qual era qual e redistribui com a desculpa de que eu tinha tirado eu mesma - falou, sem graça.

- Eu fiz não fiz uma cara de decepção - falei, cruzando os braços.

- Você é um péssimo ator, Kookie - falou rindo.

- Segundo: você nos atrapalhou na noite em que a gente dormiu no acampamento. Por quê?

- Então… eu pensei que vocês não estavam fazendo nada demais, por isso pensei em te deixar com ciúmes antes de dormir, mas ao entrar na barraca vi que tinha interrompido algo, porém, eu não podia dar meia volta e sair, então continuei com o plano. Foi bom porque naquele momento você atingiu o auge do seu ciúme. Você tinha que ver a sua cara quando eu disse que queria dormir com o Jimin! - falou, gargalhando.

- Na hora não foi nada engraçado para mim - falei, cruzando os braços.

- Eu sei. Desculpa - falou, sorrindo infantilmente.

- Terceiro: ontem você esbarrou no Jimin de propósito? - perguntei arqueando uma sobrancelha.

- Sim, eu queria que você chegasse no limite, mas aquilo te ajudou a… você sabe... então não fique com raiva - respondeu sem graça.

Corei ao me lembrar que ela ouvira o que fizemos no quarto.

- Hyuna, você realmente acha que o Jimin gosta de mim? - perguntei, receoso.

- Claro, Kookie! Quem não gostaria? - falou sorridente.

Eu confirmei com a cabeça e sorri, mas por dentro eu estava com medo, medo de Jimin só ter atração física por mim.

Resolvi afastar o pensamento e pensar sobre outra coisa.

* * *

Meus primos e eu estávamos juntos na sala de estar quando minha tia Sook, minha mãe e minha tia Hyerim - mãe do Jimin - entraram no cômodo.

- Sobrinhos lindos, já que seus tios levaram vocês para acampar, nós, as tias, vamos levar vocês para sair - falou Sook, mãe de Jin e Suga.

Que legal! Aonde vamos? - perguntou Hyuna.

- Estávamos pensando em levar vocês em um rodízio de pizza. O que vocês acham? - perguntou Hyerim.

- Pizza?! Acho maravilhoso! - falou Jin.

Rimos com sua reação.

- Então está decidido! A gente vai sair daqui às oito - falou minha mãe, animada.

Quando deu sete horas eu resolvi tomar banho. Entrei no banheiro, tirei a roupa e entrei debaixo do chuveiro.

A água estava bem quente, o que me ajudou a relaxar o corpo, mas minha cabeça não parava de pensar na possibilidade de Jimin não gostar de mim.

Sou desviado de meus pensamentos quando ouço o barulho da porta abrindo e fechando, e logo depois a chave sendo virada.

Eu estava tão pensativo que tinha esquecido de trancar a porta.

- Quem está aí? - perguntei.

Como não ouvi nenhuma resposta, resolvi abrir o box e olhar por mim mesmo.

Ao olhar para a porta me deparei com uma cena que me fez perder o ar: Jimin, com aquele sorriso malicioso, encostado na porta somente de cueca box.

Fiquei vermelho e boquiaberto, e ele, ao ver minha reação, começou a andar em minha direção.

Eu voltei para debaixo do chuveiro e ele logo entrou no box e se juntou a mim.

Jimin passou seus braços pela minha cintura e começou a beijar todo o meu rosto.

Eu fechei os olhos e levei minhas mãos até suas nádegas, prensando seu corpo contra o meu.

- Ah, Jungkook… você tem um gosto tão bom - sussurrou.

Jimin me empurrou até eu encostar minhas costas na parede fria, deixando somente seu corpo debaixo do chuveiro quente.

Estremeci com o choque térmico.

Ele começou a movimentar seu quadril, friccionando seu membro coberto com o meu.

Eu segurei mais forte em suas nádegas e comecei a movimentar o meu quadril também, aumentando a força e a velocidade da fricção.

Jimin jogou a cabeça para trás e gemeu arrastado com o meu ato.

Ao ouvi-lo gemer eu perdi a cabeça.

Eu inverti nossas posições e o prensei na parede fria, vendo ele estremecer com a mudança de temperatura.

Logo comecei a lamber e chupar seu pescoço molhado.

Jimin me apertou mais forte contra si e continuou a movimentar o quadril, esfregando nossos membros - agora duros - um no outro.

- Jimin… eu vou te marcar todinho... - gemi contra sua pele.

- Ah… Jungkook… - gemeu com minhas palavras.

Ouvir meu nome sair como um gemido de sua boca era excitante.

Parei para olhar seu rosto e vi que ele estava ofegante e de olhos fechados. Olhei para seu pescoço e vi que eu tinha deixado várias marcas roxas por toda a extensão, vê-lo vulnerável assim me deixou com mais tesão.

Passei a lamber e chupar seus mamilos vendo ele mordeu o lábio inferior, contendo um gemido.

Desci minha boca para o seu abdômen ouvindo ele gemer a cada chupão em sua pele molhada.

Logo eu abaixei sua cueca e encarei seu membro, não demorando para abocanhá-lo.

Jimin mordeu o punho esquerdo para não deixar nenhum gemido alto escapar e entrelaçou seus dedos da mão direita no meu cabelo, sem abrir os olhos.

Eu aumentei a velocidade e o encarei, enquanto o chupava.

Seu cabelo molhado - parte por água e parte por suor - estava grudado na testa, suas bochechas estavam vermelhas com o vapor do chuveiro, seus olhos estavam fechados fortemente e sua expressão mostrava o prazer que estava sentindo.

Ao ver aquela cena comecei a chupá-lo mais fortemente, ouvindo ele gemer baixo por causa do punho em sua boca.

Ele começou a ditar o ritmo com sua mão em minha cabeça, e depois de algumas estocadas ele gozou.

Eu levantei e nós nos encaramos ofegantes, mas cheios de desejos. Logo Jimin foi para trás de mim, ficando ambos debaixo do chuveiro, e começou a beijar minha nuca, descendo sua boca para as minhas costas.

Enquanto isso sua mão direita foi para o meu membro e começou a massageá-lo.

Meu membro já estava latejando de tão duro quando Jimin se afastou e saiu do box.

Eu fiquei surpreso e assustado com sua atitude, até que ele o voltou com um lubrificante na mão.

Ele afastou minhas pernas, inclinou meu corpo para frente e introduziu os dedos no meu interior.

Logo depois, sem aviso, ele introduziu seu membro em mim, o que me fez gemer arrastado.

Eu comecei a empurrar meu quadril contra o seu e ele começou a me estocar mais forte.

Eu mordi o lábio inferior para impedir que um gemido muito alto saísse.

A sensação de tê-lo dentro de mim era surreal.

Jimin saiu de mim, me pegou no colo, encostando minhas costas na parede, e voltou a me estocar.

Eu apoiei minhas mãos no seu ombro e me comecei a me mexer para cima e para baixo. Jimin começou a estocar cada vez mais forte, o que me fez gemer.

Levei minha mão direita para o meu membro e comecei a me masturbar.

Eu olhei para Jimin e vi que ele me encarava. Ficamos nos olhando e grunhindo até que eu cheguei no ápice.

Depois de uma longa estocada e de um gemido rouco Jimin gozou dentro de mim.

Ele me colocou no chão, sem forças e deu um passo para trás.

Eu me juntei a ele debaixo do chuveiro e passei meus braços pelo seu pescoço. Logo seus braços envolveram a minha cintura e nós encostamos nossas testas.

Nossos corpos molhados juntos, nossa respiração descompassada, nossa troca de olhares e nosso sorriso bobo fez meu coração dispara.

Eu olhei para sua boca e pela primeira vez tive vontade de beijá-la, de beijá-lo apaixonadamente, de sentir seu gosto, mas não parecia que eu podia, me parecia algo muito romântico, algo que o Jimin não faria comigo.

Meu pensamentos foram interrompidos por uma batida na porta.

- Jungkook, vai logo! Também quero tomar banho! - ouvi Taehyung gritar.

Logo Jimin se afastou e começou a se ensaboar.

- Não vai tomar banho? - perguntou, ainda com um olhar malicioso, ao ver que eu o encarava.

- V-vou! - gaguejei, pegando o shampoo.

Jimin terminou o banho rapidamente, se secou e colocou a roupa, saindo do banheiro em seguida.

Eu demorei mais alguns minutos, mas logo terminei e me troquei.

Sai do banheiro e dei de cara com Taehyung.

- Pensei que você tinha morrido - falou, e logo entrou no banheiro e fechou a porta.

Eu desci para a sala e fiquei esperando até dar a hora de irmos.

* * *

- Gostaram do lugar? - perguntou Sook ao chegarmos no rodízio.

Os móveis do ambiente e o piso eram de madeira e a iluminação era escura, o que deixava o ambiente íntimo e confortável.

- É muito aconchegante aqui - comentou Hoseok.

Todos concordamos.

- Que bom que vocês gostaram! - exclamou minha mãe. - Nós costumávamos vir aqui quando éramos crianças.

Nós nos sentamos e eu olhei para Jimin.

Ele estava com um cachecol vermelho enrolado no pescoço e só naquele momento reparei que era por causa dos chupões.

Jimin sempre teve cuidado para não me marcar, mas eu não pude evitar.

Quando ele me olhou eu pronunciei “desculpa” sem nenhum som, e fui respondido com um “vai ter volta” e um sorriso de canto.

Não pude evitar de corar e sorrir com seu sorriso.

Logo o garçom chegou com várias pizzas de sabores diferentes e cada um pegou uma fatia.

Nós ficamos à noite toda comendo e conversando sobre todos os tipos de assunto.

Às vezes eu olhava para Jimin só para admirar seu sorriso, seus olhos que se tornavam dois risquinhos, sua boca carnuda, tudo o que me deixava feliz, isso é: Park Jimin inteiro.

* * *

- Eu vou dormir - falou Taehyung, subindo a escada.

- Eu também vou - falou Hyuna, o seguindo.

Depois de uma hora resolvemos que todos deveríamos dormir, já que o dia seguinte era véspera de natal.

Eu já estava deitado na cama quando Jimin entrou no quarto e apagou a luz.

Não conseguia vê-lo, porém conseguia ouvir onde ele estava.

Jimin foi se aproximando e eu logo senti meu colchão afundar.

- Jimin, o Taehyung está na cama ao lado! - sussurrei.

- Ele já está dormindo há muito tempo, ele não vai acordar agora - sussurrou.

Eu senti ele deitando em cima de mim e aproximando a boca do meu ouvido.

- É só você gemer baixinho - sussurrou.

Soltei um gemido baixo com seu comentário e ele logo começou a se movimentar em cima de mim.

Eu coloquei minhas mãos por dentro da sua camiseta e arranhei suas costas, sentindo seu corpo estremecer.

- Agora você vai ver o que é marca - falou, chupando meu pescoço em seguida.

Eu gemi com o contato de sua boca com a minha pele e fechei os olhos para aproveitar ainda mais a sensação.

- O QUE VOCÊS ESTÃO FAZENDO?! - ouvimos Taehyung gritar.

Na hora eu arregalei os olhos e gelei e pude sentir que Jimin também gelou.

- EU NÃO DISSE PARA TIRAR ISSO DAÍ?! - ouvimos Taehyung gritar.

Eu fiquei um pouco confuso mas depois relaxei ao perceber que Taehyung estava falando enquanto dormia.

Jimin suspirou aliviado e saiu de cima de mim.

- Depois a gente continua - sussurrou, voltando para o seu colchão.

Eu queria matar o Taehyung por me atrapalhar.

Eu virei para o lado e demorei para dormir, já que estava ansioso pelo dia seguinte.

Me perguntava se Jimin iria gostar do presente de natal que comprei para ele.


Notas Finais


Como eu sei que vocês gostam, mais um lemon para vocês! ;)
Eu estava ficando com dó da Hyuna, todo mundo nos comentários queria matar ela kkkk Mas ela não é má, estão vendo? Ela ajudou o Kookie :D
Desculpa se o capítulo ficou meio sem nexo kkkkkk É que eu leio tanto que eu perco a noção do que está acontecendo kkkkk (Espero que isso seja normal XD)
Pessoal, TALVEZ eu não poste nesse fim de semana.
"Por quê? Não acredito! Como você pode fazer isso com a gente"
Calma kkkk É que a fic está no fim, isso quer dizer que ela só tem mais três capítulos, e por isso quero caprichar no desfecho, entenderam? ;)
Farei de tudo para postar semana que vem, mas já estou avisando caso eu não consiga :D
Comentem o que você achou do capítulo, ou da fic, ou de qualquer coisa kkkkk
Ah, para quem tem curiosidade, o nome da fic saiu da música "But It's Better If You Do" da banda "Panic! At The Disco".
Beijos de luz! *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...