História PBlue's Fanfic Kim Namjoon - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Originais
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Big Bang, Bts, Kim Namjoon, Love, Originais, Pblue's, Seungri
Exibições 10
Palavras 635
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Hentai, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OEEEEEEEEEEEEEEEEE
LEIAM COM TODO AMOR E CARINHO, PERDAO PELOS ERROS
<3

Capítulo 1 - Proposta


— Sai logo dessa cama menina, mas que merda, você ainda tem que gravar o dance pratice — berrava Lee Seung-hyun, ou apenas Seungri, como preferir. O sonho de muitas pessoas seria pelo menos falar com ele, trocar um simples "oi" ou "eu te amo"; mas eu faço isso quase diariamente, a não ser pelo "eu te amo". Não que eu não o ame; eu o amo muito, mas quaisquer irmãos normais não trocam declarações de amor sempre. Prazer: Sou Lee Myonna, ou apenas Myon, como preferir, tenho 19 anos e acabei de debutar com um grupo chamado PBlue's, cujo "P" significa Princess e "Blue" significa azul mesmo. Sou filha de uma brasileira que resolveu se aventurar na Coréia, passou por muitos dos famosos "perrengues", casou com um coreano, vulgo meu pai, e juntos fundaram a YG Entertainment. Meu irmão não dessistiu ainda de me acordar, então me pegou no colo, e me levou até a banheira branca do meu banheiro, que estava cheia cheia, aos gritos, me jogando lá dentro com o mínimo de sutileza e delicadeza possível; logo depois ele saiu, voltou com uma troca de roupas e uma toalha, me deu um beijo na testa e disse que se eu não estivesse pronta em 15 minutos eu iria à pé até a YG.

Conhecendo bem meu irmão, eu sei que ele seria capaz de me deixar para trás mesmo, por mais que ele também me amasse, nossa relação era assim. Nem me dei ao trabalho de lavar meus longos cabelos, agora tingidos de ruivo mas que na verdade eram de um loiro escuro que beirava o castanho claro e ondulado graças à minha mãe, que era loira de olhos verdes — olhos esses que eu puxei dela; sim, meus olhos eram puxados e claros — porém é apenas isso, meu nariz fino de frente, mas grande e sutilmente empinado quando visto de lado e minha cintura que lembrava levemente uma ampulheta que eu tinha herdado dela, o resto foi tudo da parte de meu pai, já meu irmão não herdou absolutamente nada dela, a não ser a personalidade. Sai da banheira e coloquei a roupa que ele tinha me trago, era uma roupa qualquer, um shorts jeans, camiseta brancas, botas de cano longo e chapéu pretos; minha roupa não importava muito, pois sei que para gravar o dance vídeo eu iria ter que mudar de roupa e colocar a que minha mãe, juntamente com a coreografa da YG decidissem.

No caminho para a YG vi os integrantes do BTS, que são agenciados pela Big Hit, a maior rival de meus pais, pensei em parabenizá-los pelo ótimo comeback, mas dessisti rapidamente dessa mini loucura. Roupa trocada, dance video de Red Heart - nossa primeira música, primeiro MV, nosso debut - gravado, banho tomado e cá estou eu na sala do meu pai, o "dono" da YG, vendo o resultado do vídeo quando um dos trabalhadores de lá veio anunciando que uma pessoa veio em nome da Big Hit fazer uma proposta; meu pai de início disse não, mas mudou de idéia, após minha mãe aparecer de sei-lá-da-onde e convencê-lo a, pelo menos, ouvir a pobre criatura que estava na porta da YG embaixo de chuva — pois ao perceberem em nome de quem ele veio os seguranças nem o deixaram entrar.

Depois de ouvir a tal proposta meu pai voltou para a sala, abriu sua gaveta pegando seu chiclete de nicotina — que minha mãe também o convenceu a usar para parar de fumar, pois segundo ela disse que ele estava "virando um dragão gordo" — e apenas ignorou todos os presentes ali. Depois de um tempo olhando para o nada, dessistimos de esperar a boa vontade dele de falar alguma coisa e apenas saímos de sua sala. Naquela noite eu fui dormir pensativa, o que a Big Hit queria?


Notas Finais


Oq acham?
Amo vcs sz sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...